Março 26 2013
O selecionador nacional, Paulo Bento falou no Azerbaijão sobre a polémica alusiva à utilização de João Moutinho no jogo com Israel.
Em conferência de imprensa, Paulo Bento respondeu às palavras de quem criticou o facto de o médio ter atuado 90 minutos: «O João jogou porque quem faz o onze na Seleção Nacional sou eu e mais ninguém. Entendemos que o João tinha condições para jogar, obviamente em concordância com o departamento médico e com o jogador. É muito fácil perceber porque tomámos essa decisão, e quem não entende vai continuar a mandar postas de pescada como fez ao longo do ano.»
Recorde-se que o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, criticou recentemente a titularidade de João Moutinho no jogo frente a Israel, em declarações ao Porto Canal: «O Moutinho de Israel não foi o Moutinho a 100 por cento que temos visto no FC Porto. O treinador passou-lhe a responsabilidade... Não entendo. Então o Moutinho é que decide se joga ou não?»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:02

Fevereiro 05 2013
O azar de Rúben Micael (submetido a uma artroscopia ao joelho direito) foi a sorte do jovem André Gomes. Apesar da tenra idade do médio, 19 anos, Paulo Bento destaca a maturidade com que o benfiquista joga. 

«Em função da lesão de Rúben Micael decidimos chamar o André Gomes. É um jogador que já observamos há algum tempo. À parte dos minutos de competição que levava na equipa B, tinha também jogado na Taça de Portugal, Taça da Liga, na Liga dos Campeões e na Liga. No campeonato nacional, essencialmente, num jogo de grau elevado como foi um Sporting–Benfica, ele demonstrou, à parte das qualidades que conhecemos, uma maturidade acima da média para a idade que tem. Todos estes fatores fizeram com que optássemos pelo André Gomes em função da lesão do Rúben Micael. Agora, tem um caminho ainda a percorrer. É um jogador que passou praticamente dois escalões, ou seja ainda vai, teoricamente, atuar com os sub-20 e depois, possivelmente, com os sub-21», explicou o selecionador nacional durante a conferência de Imprensa de antevisão da partida desta quarta-feira, em Guimarães, diante o Equador.

O selecionador nacional já sabe em que função irá utilizar o médio das águias. 
«O facto de vir à Seleção A não obsta a que depois não seja chamado aos sub-20 ou sub-21. Trataremos depois, com as pessoas que estão envolvidas neste processo, de optar por aquilo que for melhor. É um jogador que, no futuro, acreditamos que será de Seleção A em função da qualidade que tem e da maturidade que apresenta e porque sob do ponto de vista tático é um jogador que pode fazer várias funções no meio-campo, apesar de contarmos com ele mais como médio interior e médio ofensivo do que médio defensivo», esclareceu Paulo Bento.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 17:34

Novembro 15 2012
O selecionador de Portugal, Paulo Bento, garantiu, esta quinta-feira, que não admite qualquer ingerência nas suas opções, reagindo diretamente às críticas lançadas na véspera por Pinto da Costa, no âmbito do encontro particular que a Seleção Nacional efetuou com o Gabão.

«Levam os jogadores para onde bem lhes apetece. A Federação anda atrás do dinheiro às custas dos jogadores, tem milhões em depósitos a prazo, é rica e não se poupa a nada. Os nossos jogadores chegam às 5 horas, depois ainda vêm para o Porto e na sexta-feira ainda podem ter de ir para a Madeira», criticou o presidente do FC Porto.

Em resposta, Paulo Bento, à margem da Gala da Confederação do Desporto de Portugal, atirou: «Não me meto no trabalho dos dirigentes e, por isso, não admito ingerências no meu trabalho nem dos meus próprios dirigentes, quanto mais de um presidente que não trabalha comigo.»

Pinto da Costa colocou em causa o escasso tempo de utilização de alguns jogadores, como Pepe, Bruno Alves, contrapondo com João Moutinho, mas Paulo Bento ripostou: «Houve jogadores com a mesma importância [de João Moutinho] que jogaram, um 90 minutos [James Rodriguez], outro 80 [Jackson Martínez], um pouco mais longe, com uma diferença horária maior.»

O selecionador apontou mesmo o caso de James Rodríguez, que em janeiro passado jogou pela seleção 90 minutos dois dias antes do clássico com o Benfica: «Chegou no próprio dia, foi suplente e resolveu o jogo. Por isso, parece-me que ou alguém tem algo contra a FPF e terá de resolver esse problema ou gostará mais da federação colombiana.»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 22:55

Setembro 12 2012
O selecionador nacional Paulo Bento ficou satisfeito com a exibição de Portugal frente ao Azerbaijão mas não com a ineficácia revelada pelos jogadores.

«O resultado peca por escasso mas revelámos ineficácia e tivemos uma grande dose de infelicidade. Foi uma exibição muito bem conseguida. O 0-0 ao intervalo era um resultado injusto mas na segunda parte os jogadores não perderam o discernimento, não se precipitaram. Estamos de parabéns e também o público que nos apoiou do princípio ao fim», afirmou o selecionador em declarações à RTP.

Paulo Bento explicou a saída de Miguel Veloso para a entrada de Varela como opção «técnico-tática» e para dar mais largura ao jogo. Varela acabaria por marcar o primeiro de Portugal no mesmo minuto em que entrou em campo.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:54

Setembro 10 2012
Paulo Bento anteviu ao final da manhã desta segunda-feira o encontro frente ao Azerbaijão, de qualificação para a fase final do Campeonato do Mundo de 2014.

Na conferência de imprensa que decorreu em Óbidos, onde a Seleção Nacional estagiou para a partida com os azeris, o selecionador reforçou que a fraca exibição com o Luxemburgo se deveu a «questões culturais».
«Não se trata de uma desilusão ou deceção. Primeiro porque não se deveu a questões de atitude e querer, e segundo porque o resultado foi positivo para nós, conseguimos inverter uma situação negativa», afirmou o técnico luso.

«Possivelmente não consegui passar a mensagem da melhor maneira», admitiu o treinador relativamente à necessidade de alertar os jogadores para a necessidade de manter a atenção frente a adversários mais modestos, tais como o Luxemburgo e o...Azerbaijão.
«Se calhar a mensagem não foi tão consistente e tão boa como devia ter sido. Tentamos inverter essa situação neste intervalo de tempo entre os dois jogos», garantiu.

O treinador da equipa das Quinas assegurou ainda que a capacidade de treino dos jogadores foi «extraordinária», mesmo da parte dos atletas que «sentem» que vão ficar no banco em Braga.
A Seleção segue viagem esta tarde para a cidade dos Arcebispos, onde esta terça-feira, pelas 20.15, defronta o Azerbaijão, num encontro que deverá contar com casa cheia no Estádio AXA.
publicado por Benfica 73 às 21:31

Junho 30 2012
«Carlos Queirós e Manuel José foram duas pessoas que aproveitaram uma situação de maior debilidade da nossa Seleção não tiveram o comportamento que deveriam ter tido. De alguma forma são dois ex-selecionadores, um que esteve vários anos e outro durante dias», afirmou Paulo Bento, em declarações à RTP.

O selecionador não compreende como treinadores podiam tecer críticas sem o conhecimento daquilo que passava: «O aproveitamento não me parece do mais ético e sensato. Estamos a falar de algo que as pessoas não sabem. Como podem acusaram de ser o responsável do mau planeamento da Seleção Nacional sem conhecer nada daquilo que nos fazíamos».

Paulo Bento garante que nunca terá a atitude de Manuel José ou Carlos Queirós: «Enquanto estiver do lado de fora não terei o atrevimento de imiscuir no trabalho de um selecionador. Fui incapaz de falar de algo que não estivesse por dentro».
O treinador português aceita que coloquem em causa o seu trabalho: «Ninguém está imune às críticas, mas deve de ser com base nos factos. Não me choca dizerem que Ronaldo deveria ter marcado ou que deveria ter feito outras substituições, mas não posso deixar de dizer que gente de futebol possa atacar um colega de profissão sem conhecimento de causa». 

Paulo Bento defendeu que também existiram críticas construtivas: «Percebo que querem colocar as declarações de Rui Costa e Luís Figo no mesmo saco, mas não é mesma coisa».
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 18:54

Junho 30 2012
O selecionador Paulo Bento esclareceu que o facto de Cristiano Ronaldo ter sido o escolhido para ser o último a marcar os penalties esteve ligado à estratégia para esse momento.

«Agora tudo poderá servir de argumento para poder justificar o termos perdido nas grandes penalidades. O Ronaldo noutras situações já passou por diversas fases, na eliminatória frente ao Bayern falhou e no Manchester frente ao Chelsea foi o último e bateu», afirmou Paulo Bento, em entrevista à RTP.

O selecionador explicou como foi decidido quem marcaria as grandes penalidades: «A ordem foi decidida no final do jogo e a única confusão foi entre Nani e Bruno Alves. Não vou confirmar ou desmentir o quer que seja. Quando escolho os jogadores tem a ver com diversos aspetos e também com os sentimentos de cada um».

Paulo Bento explicou a situação de Cristiano Ronaldo: «Podíamos ter chegado à última grande penalidade e tínhamos o melhor jogador para marcar. Podia acontecer o mesmo que foi frente ao Bayern e se calhar estaríamos agora a falar de que deveria ter ficado para o fim».
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 16:08

Junho 28 2012
O selecionador de Portugal, Paulo Bento, defendeu que a Seleção Nacional fez um Europeu extraordinário e que apenas faltou uma pontinha de sorte para afastar a Espanha.
«Portugal fez um campeonato da Europa extraordinário. Defrontamos a Alemanha, Dinamarca, Holanda, República Checa e Espanha», realçou Paulo Bento.

O selecionador analisou depois a partida frente à Espanha: «Acho que estivemos melhor durante os 90 minutos do que no prolongamento, onde a Espanha teve mais posse de bola e nós revelámos algum desgaste. Não foi possível esticar o nosso jogo e isso permitiu um maior domínio da Espanha. Nas grandes penalidades a seleção espanhola foi mais feliz. Resta-nos continuar a lutar e a trabalhar, porque caímos com honra e orgulho».

Paulo Bento considerou que faltou uma pontinha de sorte a Portugal ao longo do Europeu: «Tivemos seis bolas à barra e o último penalty também foi à barra. O fator sorte, sem tirar mérito à Espanha, tem influência e nós não tivemos nesta competição».
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:19

Junho 26 2012
O selecionador nacional Paulo Bento diz que Portugal não pode estar refém da estratégia espanhola e que tem de manter a sua identidade, atacando a Espanha e não passando o tempo inteiro a defender.
«O jogo vai ter momentos em que vamos dominar. Queremos ter a bola contra uma equipa que tem superado, nesse item, todas as outras. Temos de ter a ambição e a coragem de atacar. Sabemos onde nos colocar, sabemos onde pressionar. Não queremos passar o tempo inteiro a defender. A Espanha sabe que lhes vamos colocar problemas», afirmou Paulo Bento em conferência de imprensa de antevisão do Portugal-Espanha.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 21:22

Junho 22 2012
Paulo Bento, selecionador nacional, gostou bem mais da segunda parte da equipa portuguesa que da primeira. O técnico realçou também a justiça do resultado.
«25 minutos da primeira parte em que nos custou a entrar no jogo. Estivemos pouco seguros. Nos últimos 20 minutos da primeira parte estivemos melhor no jogo e ainda na primeira parte foi nossa a única oportunidade de golo. Na segunda parte fizemos uma exibição extraordinária. O número de oportunidades que criámos foram suficientes para sairmos com uma vitória menos sofrida. Mostrámos capacidade, ritmo e paciência ofensivamente. É uma vitória justa, um prémio para um grupo de jogadores que trabalharam muito e que dignificam e honram a camisola de Portugal», afirmou o selecionador nacional.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 19:55

Junho 21 2012
O selecionador nacional não se deixar levar pelo entusiasmo que se levantou em torno de Portugal, agora apontado como um dos mais fortes candidatos ao título Europeu. Garante que níveis emocionais estão no máximo, a humildade mantém-se mas não quer pressas para ganhar.

«Não entramos nessa euforia. Estamos satisfeitos e orgulhosos com o que fizemos e tivemos o nosso momento para festejar de festa. A partir desse momento, começámos a descansar e a prepararmo-nos para o que temos pela frente. Temos um jogo de acesso às meias-finais, nada mais do que isso. Jogamos um jogo de cada vez e tenho a certeza que amanhã jogaremos como temos feito até aqui, com consistência e humildade. No final, se não ganharmos cumprimentaremos o adversário, como cumprimentámos a Alemanha, sabendo que não merecíamos perder», disse Paulo Bento na conferência de Imprensa de antevisão ao jogo de amanhã (19.45 horas) com a República Checa, em Varsóvia, na Polónia.

O selecionador nacional assegurou que a estratégia de Portugal não vai alterar-se pelo facto de este ser um jogo a eliminar. «Há algo que muda sempre a estratégia, que é o golo. O que temos feito é, mesmo nos momentos adversos, não alterar a nossa estratégia nem mudar de identidade - mantemos a cabeça no lugar e o foco no que trabalhámos. Amanhã veremos o que o adversário vai fazer e vamos tentar contrariar os pontos fortes e explorar os pontos fracos da República Checa», sustentou, vincando que essa mesma estratégia não mudará independentemente de Rosicky jogar ou não pelos checos.

Sobre o facto de Portugal ter menos um dia de descanso: «Não acredito que, por essa diferença, seja significativo. Uma equipa que jogou daquela forma frente à Alemanha, à Dinamarca e à Holanda, é porque, emocionalmente, os níveis estão no máximo. Mantendo os níveis de humildade, a motivação ajudará a superar algum cansaço. Seremos dinâmicos, agressivos mas sem jogar à pressa, porque isso não faz sentido.»

Paulo Bento foi ainda confrontado com as declarações de Rosicky, que disse que Cristiano Ronaldo não ajuda Portugal a defender: «Tentamos defender e atacar com o máximo possível de jogadores, depois, cada um tem as suas funções, uns estão mais talhados para uma coisa, outros para outra. Temos de conjugar tudo isto e tentar esconder da melhor maneira os nossos defeitos, que os temos, e potenciar as nossas virtudes, que também temos e são muitas.»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 08:49

Junho 18 2012
Paulo Bento prometeu falar sobre os críticos da seleção apenas quando acabar o Euro mas aproveitou o apuramento da seleção para os quartos de final para, de alguma forma, responder aos que não estão com a seleção.
«Deixem os jogadores em paz. Critiquem o treinador se as coisas correrem mal. Se as correrem bem, se quiserem, critiquem também o treinador. Hoje (domingo) temos um país em festa. Outros estarão tristes. Há pessoas que vão comprar cachecóis da República Checa», afirmou Paulo Bento em conferência de imprensa, em jeito de resposta às criticas que foram feitas à seleção portuguesa antes e no decorrer do Europeu.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 18:47

Junho 18 2012
fgh
O selecionador nacional Paulo Bento admite que Portugal não entrou bem no jogo frente à Holanda mas que após o golo dos holandeses, os jogadores tiveram uma reação fantástica e a seleção nacional podia ter chegado ao intervalo a ganhar.
«Não começámos bem, não conseguimos ter a bola, não conseguimos controlar o jogo, sair para o contra-ataque e demos espaço à Holanda. Após o golo a reação foi fantástica, já devíamos ter ido para intervalo a ganhar. Na segunda parte fomos melhores, o Nani podia ter acabado com o jogo. É uma vitória justa, uma qualificação justa pela qualidade, pelo trabalho e crença dos jogadores. Esta é a prova que perdendo o primeiro jogo pode-se conseguir a qualificação», afirmou Paulo Bento aos microfones da TVI.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 17:17

Junho 10 2012
O selecionador nacional admite que a derrota (0-1) com a Alemanha, no primeiro jogo do Euro-2012, «custou» a aceitar, pelo desempenho que a equipa das “quinas” teve em campo.
«Custou muito, até pela maneira como decorreu o jogo. Sabíamos que ia ser um jogo complicado e equilibrado. Entrámos bem na primeira parte, depois a Alemanha teve mais domínio mas controlámos sobre o ponto de vista defensivo. Na segunda parte, penso que tivemos o jogo controlado mas sofremos o golo num lance em que estávamos bem posicionados mas em que houve um ressalto. Tivemos uma reação fantástica e não perdemos identidade. Fomos mais dominadores e criámos oportunidades para podermos, pelo menos, empatar. Jogar como nunca e perder como sempre não nos agrada. Jogámos bem e não ganhámos. Qualidade e caráter temos é visível. Mentalmente, os jogadores estão bem e vamos à procura da sorte porque ela não vai aparecer se não procurarmos», disse Paulo Bento em conferência de Imprensa.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 16:07

Junho 08 2012
Nani está mesmo em dúvida para o primeiro encontro de Portugal no Euro 2012, este sábado, frente à Alemanha. Quem o admite é o próprio Paulo Bento.
«Iremos avaliar aquela que é a sua condição. Tem uma lesão num sítio onde já esteve lesionado anteriormente. Veremos como está hoje no treino, esperaremos por amanhã e depois decidiremos. Se não podermos jogar com Nani, vai jogar outro jogador e não vamos abdicar da nossa forma de jogar», afirmou o selecionador em conferência de imprensa.
Paulo Bento revelou também que Nani é a única dúvida que tem para o jogo frente à Alemanha, já que os restantes dez jogadores já estão escolhidos, recusando-se a revelar quem jogará na posição de médio defensivo, se Miguel Veloso, se Custódio.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 19:15

Junho 03 2012
O selecionador nacional considera injusta a derrota diante da Turquia, naquele que foi o ultimo teste da Seleção antes do início do Euro-2012.
«Quando se perde é normal dizer que tudo está mal, mas isso não é verdade. Nada no jogo nos correu como merecíamos», começou por dizer Paulo Bento, como que descansando os adeptos portugueses.

«Pela forma como entrámos poderíamos ter marcado muito antes do golo da Turquia. Tivemos 20 minutos extraordinários, mas não conseguimos marcar e sofremos um golo. Reagimos bem, corrigimos pouco no intervalo, pois a equipa estava a jogar bem. No entanto, acabámos por consentir o segundo golo, ainda que tenhamos também reagido muito bem. Chegámos ao 2-1, tivemos muitas oportunidades e falhámos uma grande penalidade. Mas, na parte final, fomos infelizes novamente», foi o filme visto pelo selecionador nacional.

«É óbvio que cometemos alguns erros, mas penso que os erros que cometemos custaram-nos caro. É um resultado injusto por aquilo que fizemos e temos de continuar a acreditar», vincou.
A verdade é que Portugal despediu-se do público no Estádio da Luz novamente sob assobios. Paulo Bento desvalorizou: «O apoio do público foi fantástico, mas não podemos perder a esperança em cada jogo que disputamos.»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:30

Maio 27 2012
Paulo Bento diz que Portugal «não fez um bom jogo» diante da Macedónia. Selecionador nacional considera justo o empate sem golos com a 98.ª classificada do ranking FIFA, embora sublinhe que o resultado não constitui motivo de preocupação.

«O que pretendíamos era colocar em prática o que trabalhámos durante a semana. Sentimos muitas dificuldades na primeira parte, imprimimos um ritmo lento ao jogo, demos muitos toques na bola. Tivemos duas situações de golo de bola parada e uma situação de finalização do Quaresma. Defensivamente não sentimos problemas. Globalmente não fizemos um bom jogo», comentou Paulo Bento, em declarações à RTP.

«Acusámos de alguma lentidão na primeira parte. Na segunda tentámos aumentar o ritmo mas não estivemos bem no último passe. Na parte final poderíamos ter resolvido o jogo», referiu, acrescentando: «Em função do que fizemos e da entrega do adversário, o resultado é justo».
«Não agrada mas também não preocupa», frisou o selecionador, não se coibindo de reconhecer: «Gostaríamos de ter ganho e jogado melhor».
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 13:49

Maio 25 2012
O selecionador de Portugal, Paulo Bento, reconheceu que conversou com Hugo Viana acerca da chamada, mas que não abordou o facto de o atleta, do SC Braga, ter ficado de fora da convocatória inicial e por ter dito que não encaixava no esquema da Seleção Nacional

«Não é questão de mudar ideias ou características de Hugo Viana. O que mudou foi que tínhamos 23 jogadores para uma forma de jogar e no meio-campo todos eles se adaptavam. Ao perdemos um determinado jogador optamos por Hugo Viana e sempre que jogar vai ter de se adaptar. Não podemos jogar com o Martins da mesma maneira com Viana», admitiu Paulo Bento, em conferência de imprensa.

O selecionador assegurou que não dei nenhuma explicação pela sua ausência na convocatória inicial e por não ter as características que pretendia: «Não dei nenhuma justificação. Conversei com ele, algo que ficará no grupo. Tudo está ligado à capacidade do jogador de se adaptar à Seleção. Temos também de tentar respeitar ao máximo as características do jogador em 15 dias e ainda por cima que estão habituados a outros sistemas de jogo». 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:00

Maio 14 2012
É hoje! Pelas 20 horas desta segunda-feira, o Selecionador Nacional, Paulo Bento, revela os nomes dos 23 convocados para o Europeu que daí a um mês tem início na Polónia e na Ucrânia. Os homens que Paulo Bento vai levar consigo para a «guerra» serão anunciados em Óbidos, na Casa da Música local, desfazendo, de vez, todas as dúvidas, todas as incertezas, em relação à convocatória.
Se existem vagas já reservadas, salvo contratempos de última, como Rui Patrício, Fábio Coentrão ou Cristiano Ronaldo, outros nomes levantam mais dúvidas: quem será o terceiro guarda-redes, Quim ou Beto? Sílvio e Ricardo Costa, entrarão nas contas? E quem fará companhia a Postiga e Hugo Almeida na frente de atque: um jovem como Nélson Oliveira ou um jogador com mais experiência para emprestar, como Nuno Gomes?
A angústia, para os jogadores, e a expectativa, para os adeptos, terminará, para o melhor e para o pior, poucos minutos depois das oito da noite, de qualquer modo.
Recorde-se que os eleitos de Paulo Bento vão concentrar-se já próxima quarta-feira, no Estádio da Luz, onde as arestas começarão a ser limadas, ainda que alguns jogadores possam chegar uns dias mais tarde.
Portugal arranca a sua participação no Euro diante da Alemanha, a 9 de junho.
Jogadores com presença quase certa no Europeu:
Rui Patrício
Eduardo
João Pereira
Pepe
Bruno Alves
Rolando
Fábio Coentrão
João Moutinho
Raul Meireles
Carlos Martins
Miguel Veloso
Cristiano Ronaldo
Nani
Quaresma
Hugo Almeida
Hélder Postiga
Escolhas prováveis:
Beto
Nélson
Ricardo Costa
Rúben Micael
Manuel Fernandes
Silvestre Varela
Nélson Oliveira
Dúvidas maiores:
Quim
Sílvio
Elisei
Sereno
Tonel
Miguel Lopes
Custódio
Rúben Amorim
Hugo Viana
André Martins
Paulo Machado
Vieirinha
Nuno Gomes
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 16:26

Fevereiro 24 2012
O selecionador nacional Paulo Bento explica porque decidiu chamar o avançado do Benfica Nélson Oliveira para o particular com a Polónia, na próxima quarta-feira, em Varsóvia.

«Entendemos é um jogador com potencial e enorme qualidade que, apesar de não ter muitos minutos no campeonato nos últimos tempos, tem jogado na Taça da Liga. As suas características são diferentes de todos os outros pontas-de-lança que têm marcado presença na Seleção, como é o caso de Hugo Almeida e Hélder Postiga. Tendo em conta que este será o último particular antes da convocatória final, temos aqui uma oportunidade de o conhecer melhor», explicou Paulo Bento em conferência de imprensa.

A estreia nos eleitos da Seleção principal não garante, porém, um lugar no grupo que em junho viajará para a Polónia e para Ucrânia: «Vamos continuar a fazer observações. O Nélson ter características que nenhum outro avançado tem mas isso não lhe garante o que quer que seja. Está connosco também pelo seu comportamento na Seleção de sub-21. Se tiver de voltar aos sub-21, terá de ter o mesmo comportamento para depois voltar à equipa principal. Foi um jogador que mencionei como de futuro na Seleção», disse.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 17:20

Dezembro 31 2011

O seleccionador, Paulo Bento, é o Homem do Ano de A BOLA. Recebeu troféu rodeado de família e amigos.
Numa escolha que é referência na imprensa nacional, e na desportiva em particular, A BOLA orgulha-se de atribuir ao actual seleccionador nacional a distinção que nos anos mais recentes agraciou personalidades do mundo do futebol e do desporto em geral como José Mourinho (2010), Jorge Mendes (2009), Nélson Évora (2008), Ricardo Quaresma (2007) ou Cristiano Ronaldo (2006). Paulo Bento é o Homem do Ano para A BOLA!

Fiel a si mesmo, aos seus princípios e valores, o seleccionador nacional quis rodear-se da família mais próxima, mas também de amigos de uma vida, de uma carreira construída com sangue, suor e lágrimas. De João Alves a Rui Jorge ou Pedro Barbosa, passando por Miguel Ribeiro Teles e toda a equipa técnica que o acompanha na Selecção, sem faltar o director desportivo da FPF, Carlos Godinho, Paulo Bento a todos agradeceu por o terem feito chegar ali, com todos quis repartir a homenagem de que foi alvo durante um almoço informal que juntou mais de duas dezenas de convidados do seleccionador.

Numa época de provação para a generalidade do povo português, 2012 não será apenas o ano em que a austeridade e tudo o que a ela se associa atravessarão, em definitivo, a fronteira que separa as palavras dos actos. Será, também, o ano em que, mais uma vez, a esperança de uma Nação - que parece pesar mais em tempos conturbados - será carregada aos ombros do seleccionador que irá disputar pela quinta vez consecutiva - 1996, 2000, 2004 e 2008 - a fase final de um Europeu, a sexta do nosso historial.

«Ser homem do ano de A BOLA significará sempre um sentimento de orgulho e satisfação não só individual, porque (a qualificação) foi objectivo colectivo, em prol de uma equipa e de um país», afirmou Paulo Bento.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:15

Dezembro 07 2011

Paulo Bento ficou extremamente agradado com a visita que ontem realizou ao Hotel Remes de Opalenica (Polónia), juntamente com o director desportivo Carlos Godinho. O seleccionador nacional não abre o jogo quanto à decisão que terá de ser tomada e comunicada à UEFA até sexta-feira, mas, nas entrelinhas do seu discurso, percebe-se de forma clara que a 4 de Junho a Selecção portuguesa estará em Opalenica e não na ucraniana Lviv.

«Este complexo de Opalenica possui muito boas condições de trabalho para uma Selecção Nacional de futebol», começou por dizer aos jornalistas portugueses presentes no Hotel Remes. Depois, Paulo Bento detalhou um pouco mais: «Digo isto não apenas pelas infra-estruturas interiores, como quartos, salas, piscinas e zonas de lazer e de recuperação dos jogadores, mas também pelas condições oferecidas no plano de trabalho prático, pois tem muitos e bons relvados».

Agora, há que esperar pela tomada de decisão dos responsáveis da Federação Portuguesa de Futebol, que terá de ser comunicada à UEFA até 9 de Dezembro, sexta-feira.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 01:48

Novembro 18 2011

Paulo Bento foi entrevistado esta quinta-feira pela SportTV. O selecionador nacional abordou os principais temas da atualidade, começando pelo propalado caso Bosingwa. Para Paulo Bento, este é um tema que está encerrado e sobre o qual nada mais há a dizer.

“Esse assunto está completamente encerrado. Existem duas versões... O que posso garantir é que não tomo nenhuma decisão de forma inconsciente. Uso dados para as tomar e tomo-as sempre em consciência. Não vale a pena falar nisto porque fizemos demasiadas coisas boas para estarmos a preocupar com isto”, iniciou.

“Ele disse que não voltaria à Seleção enquanto eu fosse selecionador", contou o técnico

“Não tenho nada a acrescentar. E estas declarações do médico Henrique Jones são normais. Não tenho de pedir desculpas a quem quer que seja. Tomo decisões em consciência e pensando bem naquilo que faço. Muito menos tenho de pedir desculpa ao Bosingwa”, revelou.

“As opções que tomamos são tomadas em consciência, sabendo o que queremos fazer e quem está dentro dos critérios de quem pode vir à Seleção e ser útil nas várias fases do estágio e nas mais variadas situações que os jogos pedem. Fazemos as nossas opções para todas as convocatórias, por isso esse assunto não me merece mais palavras”, assegurou.

E para rematar o tema foi direto ao assunto: “Ele disse que não voltaria à Seleção enquanto Paulo Bento fosse selecionador, por isso é uma decisão dele.”

Quanto a Ricardo Carvalho, poucas palavras: “Os atos ficam para quem as pratica. As decisões tomam-se e depois tentamos seguir o nosso caminho. Acho que estamos a gastar e a perder algum tempo com certas e determinadas coisas que não foram positivas. Aliás, fizemos muitas coisas positivas e isso é que é realmente importante.”

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 01:02

Novembro 16 2011

Não há pedido de desculpas que valha a Bosinwga e a Ricardo Carvalho. Quem o diz é o seleccionador nacional Paulo Bento, que afastou por completo a possibilidade de os dois jogadores virem a ser chamados para representar Portugal no Campeonato da Europa de 2012.

«Só como espectadores», atirou Paulo Bento, quando questionado sobre a situação dos dois jogadores, na conferência de imprensa referente ao jogo com a Bósnia, que valeu o apuramento de Portugal para o Euro-2012.

Ricardo Carvalho abandonou um estágio da Selecção a 31 de Agosto, em vésperas de Portugal defrontar o Chipre na fase de qualificação. Bosingwa não é chamado desde Fevereiro e já disse que não voltará à Selecção com Paulo Bento.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 16:00

Novembro 16 2011

Conseguida a qualificação, Paulo Bento era um homem feliz. No final do encontro com a Bósnia, o Seleccionador Nacional preferiu enaltecer os atletas. 

«O mérito foi da equipa e dos jogadores. Sempre disse que se perdêssemos seria culpa minha, e que se vencêssemos o mérito seria dos jogadores. Eles tiveram a capacidade de se adaptar a novas ideias e a uma nova filosofia, quando se mudou de seleccionador, tiveram grande receptividade e demonstraram empenho em todos os momentos», salientou.

Para Paulo Bento a grande força da Selecção foi nunca perder na «cabeça fria», tanto no jogo de hoje como em toda a fase de qualificação. «Os golos dos bósnios poderiam ter causado alguma intranquilidade, mas soubemos dar a volta por cima e terminar com uma vitória e um bom resultado. Durante o apuramento também existiu sempre calma, apesar de não termos sempre conseguido os melhores resultados, como na Dinamarca. Mas tudo o que conquistámos é fruto do nosso trabalho e união».

O Seleccionador Nacional salientou ainda a importância de Portugal «estar mais uma vez numa grande competição, durante vários anos seguidos», e que «num país com tantos problemas, é o futebol que continua a dar cartas».
«Os jogadores devem estar orgulhosos pela forma como representaram Portugal», rematou.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 14:10

Novembro 15 2011

Paulo Bento não muda equipa que começou o jogo na Bósnia. Técnico nunca teve dúvidas em relação a este assunto. 
Portugal vai entrar hoje em campo para defrontar a Bósnia, às 21 horas, no Estádio da Luz, precisamente com a mesma equipa que iniciou a partida de sexta-feira passada, em Zenica.

Confirma-se, pois, o facto de o técnico não ser apologista de grandes mudanças nas jornadas muito próximas umas das outras, ainda para mais quando a resposta dos jogadores foi globalmente positiva e justificou, até, alguns elogios por parte do técnico, sobretudo pela atitude e empenho revelados no batatal em que se jogou a partida da 1.ª mão.

Esta semana chegou a levantar-se a possibilidade, a determinada altura, de Hugo Almeida substituir Hélder Postiga na frente de ataque, mas essas dúvidas nunca fizeram muito sentido para Paulo Bento, ciente que esteve sempre das suas ideias em relação à forma como Portugal pode bater a Bósnia e carimbar o passaporte para o Euro-2012.

Assim, Portugal vai apresentar: Rui Patrício; João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão; João Moutinho, Raul Meireles e Miguel Veloso; Nani, Hélder Postiga e Cristiano Ronaldo.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 16:40

Novembro 15 2011

Paulo Bento acredita que a repetição «dos níveis de agressividade» demonstrados em Zenica permitirá a Portugal carimbar o passaporte para a fase final do Europeu de 2012. Seleccionador nacional quer ver «um País feliz» no final do decisivo jogo com a Bósnia.


«É um jogo decisivo, amanhã [terça-feira] saberemos se vamos estar no Euro-2012 ou não. Estamos convictos de que nos preparámos da melhor maneira possível para este play-off, demos a primeira demonstração na Bósnia. Vamos tentar fazer uma boa exibição no Estádio da Luz, jogar como equipa à imagem do que fizemos no último jogo e tentar ganhar para chegar ao nosso objectivo», começou por afirmar Paulo Bento, em conferência de Imprensa de lançamento do encontro da segunda mão do play-off com a Bósnia.

Para o seleccionador, o empate sem golos em Zenica foi «um bom resultado» para Portugal, que, porém, comporta também «algum risco» pelo facto de a equipa das quinas não ter marcado. 

«É um resultado melhor para a nossa Selecção do que para a Bósnia, mas que deixa tudo em aberto. Temos 50 por cento de possibilidades de estarmos no Europeu e vamos esgotá-las no jogo de amanhã», frisou, enaltecendo «a capacidade de adaptação enorme» dos jogadores lusos às condições adversas com que se depararam no encontro da primeira mão.

«Organização, segurança e tranquilidade» serão factores-chave para vencer a Bósnia, inclusivamente na eventualidade de o adversário marcar no Estádio da Luz.

Perante esse cenário, diz Paulo Bento que Portugal deverá manter-se «fiel ao seu estilo» de jogo e «ir atrás do prejuízo com a mesma convicção e determinação com que iniciou o jogo».

Sem dúvidas quanto ao onze
Paulo Bento não tem dúvidas relativamente ao onze que vai subir ao relvado do Estádio da Luz, para iniciar o decisivo encontro com a Bósnia.
«Jogaremos dentro do nosso sistema habitual, pelo menos de início. Depois, haverá diferenças em relação ao que fizemos na Bósnia devido ao estado do relvado, que nos obrigou, por vezes, a apostar num futebol mais directo». «No decorrer do jogo veremos o que será preciso fazer», observou, sublinhando que Portugal estará «precavido» para a eventualidade de a Bósnia alinhar «com dois pontas-de-lança e pressionar mais alto».

De uma coisa está Paulo Bento convicto: «Se fizermos amanhã aquilo que fizemos durante o trajecto nesta fase de qualificação, estarei plenamente satisfeito com o resultado». «Os jogadores vão manter a mesma atitude», acredita o seleccionador, que pretende ver uma «Selecção e um País feliz» no final do encontro no Estádio da Luz. 

Questionado pelos jornalistas, Paulo Bento não revelou se vai manter a aposta em Hélder Postiga ou lançar no onze Hugo Almeida. «Não tenho dúvida sobre a equipa que vai jogar», esclareceu, admitindo, por outro lado, que o cenário do desempate por grandes penalidades «foi treinado como todos os outros».

Paulo Bento recusou ainda que Portugal possa jogar «na expectativa» diante da Bósnia, algo que, recordou, nunca aconteceu nos 12 jogos (oficiais e particulares) que leva no comando da Selecção Nacional. Pretende, por isso, uma equipa «dominadora e a controlar o jogo e o adversário», mas, ao mesmo tempo, «equilibrada, concentrada e com os níveis de agressividade pelo menos similares aos evidenciados na Bósnia».

«Se baixarmos a agressividade quando perdermos a bola, teremos mais dificuldades», alertou, lembrando que do outro lado estarão «jogadores com qualidade técnica».

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:35

Outubro 15 2011

O seleccionador nacional reagiu, ainda que sem se referir ao nome de Carlos Queiroz, às recentes declarações do seu antecessor. Paulo Bento diz que vai continuar o seu caminho, sem se deixar influenciar por quem quer que seja. 

«Desde que entrei na Selecção que não tenho falado sobre o que se passava na Selecção Nacional, porque não tenho conhecimento do passado. Vou continuar o meu caminho, tomar as minhas decisões e preocupar-me o menos possível com aquilo que é dito. O importante é que ao cabo de dois jogos, tínhamos apenas um ponto. Depois disso fizemos 15 e, mesmo assim, não conseguimos a qualificação directa para o Europeu. As pessoas não se vão deixar enganar, sabem fazer as contas», disse o seleccionador nacional, que falava em Cracóvia à margem do sorteio do play-off de apuramento para o Euro-2012.
Queiroz aconselhou Paulo Bento a da bicharada e dos dinossauros que existem na Federação. E o actual seleccionador nacional foi claro na resposta: «Ninguém vai influenciar as minhas decisões.»

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 22:07

Setembro 07 2011

Em entrevista à RTPN, Paulo Bento quis colocar um ponto final na polémica saída de Ricardo Carvalho da selecção nacional.
O técnico defende que o central deve um pedido de desculpas aos portugueses, e que todos têm o direito a errar... caso saibam lidar com as consequências: «Todos podemos errar, mas no momento em que erramos temos de ter a consciência disso e ter a hombridade necessária para pedir desculpa. Neste caso não a mim, mas aos portugueses. É um erro de um grande jogador, mas que prejudicou muita gente, por um factor extremamente normal, que é ficar num ou noutro momento na condição de suplente».

Paulo Bento garante que Ricardo Carvalho devia, mais do que ninguém ter compreendido a situação com Pepe, que tomou parte na equipa principal, sem ter treinado durante a semana. «O Pepe estava tocado, e por isso foi poupado. Mas por várias vezes o memo já aconteceu com o Ricardo, que esteve tocado e não treinou, e depois foi titular. Devia compreender a situação», referiu.

O seleccionador português garante está disponível para falar com o jogador, mas que as consequências, a nível profissional, já ninguém as apaga. «Falarei com ele assim que o Ricardo quiser. A nível pessoal, estou completamente aberto a isso. Agora, a nível profissional, a decisão está tomada; não é que não queira falar sobre isso, mas nada mudará o que penso. Uma coisa é a minha relação com ele, outra é a posição enquanto seleccionador».

Paulo Bento assegurou ainda que não pedirá nenhuma sanção contra o jogador, além do seu afastamento, e deixa isso ao critério da Federação, que acredita que o defesa deixou a equipa numa situação precária – «E se só tivéssemos três centrais convocados, tinha de ir chamar alguém à última hora? Era um jogo muito importante» –, e que não será esta situação a afectar a relação de confiança que mantém com os atletas.

A terminar, o técnico qualificou a chamada de Nuno Gomes à selecção como «normal dentro de um contexto em que poucos atletas tinham ritmo de jogo», estar «muito contente» com a escolha de João Pereira para defesa-direito da equipa das quinas, disse achar «difícil», que João Tomás seja convocado e que Ronaldo não é insubstituível, mas que com a sua qualidade é normal que jogue quase sempre.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 00:43

BENFICA 73
contador grátis
Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...