Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

«O Benfica está à frente de Cardozo e do treinador»

30.05.14, Benfica 73

O treinador do Benfica explicou como conseguiu gerir o relacionamento com Óscar Cardozo após o desentendimento em pleno relvado na ressaca da derrota na final da Taça de Portugal com o Vitória de Guimarães, na época passada. 

«Essa final teve dois casos, a subida à tribuna e o que aconteceu com Cardozo. Foram dois momentos que estiveram sempre na minha cabeça. Subir as escadas e ouvir o que os adeptos disseram... Com Cardozo foi a mesma coisa. Este ano partilhámos ideias e ele percebeu que é jogador e eu treinador. A minha decisão não podia prejudicar a equipa. À frente dele e de mim está o Benfica, a prioridade é sempre a equipa e foi isso que fizemos durante do ano como duas pessoas educadas», disse em entrevista ao canal do clube, considerando a derrota nessa final «o dia mais triste da carreira».

«Os adeptos não estavam à espera de perder aquela final. Foi um sentimento forte e, tendo em conta a época que o Benfica fez, foi injusto o que ouvi. Mas percebo porque o futebol é paixão e sentimento. No ano passado, o Benfica fez 77 pontos e perdeu um jogo e não foi campeão, este ano fez 74 pontos, perdeu dois e foi campeão. Fomos a melhor equipa a época passada e merecíamos ter sido campeões. Face ao que fizemos, não foi justo.»

Um dos momentos negativos da época foi quando tentou resgatar um adepto das autoridades, em Guimarães: «Vi um ser humano que pediu socorro e cuja principal preocupação era que não lhe roubassem a camisola do Benfica. Tentei socorrer sem perceber a responsabilidade. Hoje, tomaria a mesma decisão sem me expor às autoridades.»

Outro foi o gesto que fez a Tim Sherwood, muito criticado pelo treinador do Tottenham, num jogo da Liga Europa: «Ekle falou para mim com grande arrogância, olhou-me de cima para baixo com autoridade. Tinha na cabeça o que se passou entre ele e o André (Villas Boas) e fui para o meu cantinho. Quando tive a oportunidade para lhe mostrar que ali estava um treinador português que percebe muito mais de futebol do que ele... O jogo estava a correr, fiz aquele gesto e pensei “estás a levar um baile”. Foi a forma como falou em inglês ao meu ouvido...»

Fonte: A Bola