Junho 20 2012
Minuto 62 do Inglaterra-Ucrânia. Minuto da polémica. Devic remata e John Terry afasta a bola quando esta tinha já ultrapassado a linha de golo. 
O húngaro Viktor Kassai mandou jogar e nem o árbitro de baliza, em posição privilegiada, ou o árbitro auxiliar sancionaram o golo que dava o empate à seleção ucraniana.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 00:10

Junho 19 2012
A Itália está nos quartos-de-final do Euro 2012. A seleção italiana venceu a República da Irlanda, esta segunda-feira, por 2-0. Cassano e Balotelli marcaram os golos da Itália.

Foi um apuramento à italiana. Na última jornada, com o resultado do outro jogo à mistura. À entrada para o último jogo, a Itália precisava de vencer os irlandeses e esperar por um resultado favorável no Croácia-Espanha. Assim aconteceu.
Cesare Prandelli deixou os três centrais, voltou a apostar em quatro defesas e dominou por completo a primeira parte. Cassano marcou aos 35 minutos, na sequência de um canto de Pirlo e deu alguma justiça no marcador.

Na segunda parte, a «squadra azzurra» voltou a dominar e podia ter acabado com o jogo mais cedo, tal foi o desacerto dos seus avançados. Mas não o fez. Aos poucos, a República da Irlanda equilibrou e encostou os italianos à sua defesa, com uma aposta frequente no jogo direto. A Itália tremeu e Buffou salvou a equipa quando parou uma bomba de Whelan.
Perto do fim, e já depois da Espanha se adiantar no outro jogo, Balotelli descansou o povo italiano, com um dos melhores golos do torneio, num remate à meia volta ao alcance de poucos.
A festa transalpina só aconteceu depois do final da partida, quando terminou o Croácia-Espanha. Após dois empates, a Itália venceu e conseguiu um apuramento sofrido. Um apuramento à italiana... 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 21:19

Junho 19 2012
A Espanha está nos quartos-de-final do Campeonato da Europa e fica sentada na poltrona à espera do adversário, que sairá do grupo D. Os espanhóis, para quem um empate bastava para seguir em frente, optaram por um jogo cauteloso mas ainda passaram por momentos de tensão. É que um golo croata colocaria a Espanha de fora do Europeu.

A três minutos do final, porém, surgiu um herói improvável. Jesús Navas, que aos 60 minutos tinha entrado para o lugar de Fernando Torres - Del Bosque abdicou novamente de ter um avançado em campo -, marcou o golo espanhol a três minutos do final, que deu o primeiro lugar do grupo à formação do país vizinho, com sete pontos, mais dois que a Itália.

Do outro lado esteve uma Croácia consciente do adversário que enfrentava mas que, com o passar dos minutos, foi perdendo o medo. Depois de uma primeira parte sem qualquer oportunidade de golo e onde, mais uma vez, a Espanha fez da posse de bola (68%) a sua grande arma, a Croácia, sabendo do que se ia passando no jogo entre Itália e República da Irlanda, arriscou mais, subiu o bloco do meio-campo e, aos 59 minutos, teve a melhor oportunidade em todo o jogo. Modric, com um passe de trivela, isolou Rakitic que, de cabeça, não conseguiu desviar a bola de Iker Casillas, que voou para evitar a eliminação espanhola.

Já com três avançados em cunha no ataque, e sem médio defensivo, a Croácia acabou surpreendida pela técnica espanhola quando uma combinação entre Fabregas e Iniesta, no limite do fora-de-jogo, resultou no golo de Jesús... Navas. Não foi divino, longe disso, nem houve milagres, mas a Espanha ficou com um sério aviso de que não há equipas invencíveis, apesar de nos últimos sete jogos em competições internacionais os atuais campeões em título terem sofrido... um golo.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 15:16

Junho 18 2012
A frase ficou célebre pelo inglês Gary Lineker e aplica-se que nem uma luva ao que passou neste domingo em Lviv. 
A Alemanha derrotou a Dinarmarca por 2-1 e carimbou, de forma imaculada, o passaporte para os quartos-de-final da competição.
Três jogos e outras tantas vitórias. Assim se contabiliza, até ao momento, a estadia alemã em terras polacas e ucranianas.

Num jogo equilibrado, a equipa de Joachim Low foi a primeira a abrir as hostilidades. Podolski, ao minuto 19, deu a melhor sequência a um cruzamento de Muller e fuzilou Andersen.

A perder, a abnegada Dinamarca deu as cordas às chuteiras e partiu em busca do empate, que surgiu aos 25 minutos por intermédio de Krohn-Dehli.

Resultado que dava justiça ao que se estava a assistir dentro das quatro linhas. Os vikings porfiavam mas não encontravam argumentos para furar a defesa alemã.
Na segunda parte e sem nada a perder, seleção nórdica esteve a escassos centímetros de dar a volta ao marcador mas o remate de Jakob Poulsen saiu ao lado...
Um sério aviso para a Alemanha, que parecia conformar-se com o perigoso empate. Os minutos iam passando, a apreensão tomava conta das duas equipas - uma parecia não querer ganhar a partida e outra não tinha talento para mais. 

Até que num safamão de Ozil surgiu o golo alemão. Assistência primorosa do génio do Real Madrid e Lars Bender rematou para golo. Estava feito o resultado final.
Minutos antes do golo de Bender ficou uma grande penalidade por assinalar a punir falta de Badstuber sobre Bendtner.
No Final, porém, quem fez a festa foi a Alemanha, que nos quartos-de-final vai jogar com a Grécia de Fernando Santos. Já a Dinamarca está de regresso a casa. 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 19:52

Junho 18 2012
Portugal está nos quartos-de-final do Campeonato da Europa, depois de ultrapassar a Holanda, por 2-1, num jogo onde, enfim, apareceu o génio de Cristiano Ronaldo. Dois golos do capitão, que ainda atirou duas bolas aos ferros, foram decisivos para manter Portugal em competição, defrontando agora a República Checa, na próxima quinta-feira, em Varsóvia, às 19.45 horas.

Uma vitória justíssima da Seleção Nacional que, acrescente-se, até peca por escassa, tantas foram as oportunidades criadas por Cristiano Ronaldo e companhia perante uma formação holandesa perdida no caos tático e que, depois de arriscar com três defesas, abriu os espaços necessários para Portugal decidir o jogo.

A Holanda até foi a primeira equipa a marcar, logo aos 11 minutos, numa jogada pela direita de Robben que assistiu Van der Vaart que, com espaço, rematou em arco sem hipóteses para Patrício.

A resposta portuguesa, porém, não demorou. A Seleção Nacional reagiu bem ao golo sofrido e, aos 28 minutos, aproveitando o espaço que sempre existiu nas costas da defesa holandesa, João Pereira desmarcou Cristiano Ronaldo para o empate.
Ia valendo à Holanda as intervenções de Sketelenburg e a falta de pontaria dos atacantes portugueses, que por cinco ocasiões podiam ter operado a reviravolta. Mas calma... ainda havia Cristiano Ronaldo. Esteve desligado da corrente nos dois primeiros jogos mas hoje, bom, hoje houve capitão em grande para esmagar a laranja. Aos 74 minutos, Pepe corta a bola, Moutinho desmarca Nani e, num centro largo, encontra Cristiano Ronaldo. Depois foi... pura classe. O capitão português sentou um defesa e, na cara de Stekelenburg, rematou a contar para Portugal, quando a Holanda já jogava com apenas três defesas, depois da saída de Willems.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 08:00

Junho 17 2012
gfj
A República Checa está nos quartos de final do Europeu, graças ao golo de Jiracek, que valeu a vitória (1-0) sobre a Polónia, na última jornada do Grupo A. Os anfitriões... vão para casa.

O dia foi complicado, e passado de calculadora na mão, já que o outro jogo do Grupo A, onde a Grécia e a Rússia se defrontavam, também mexia com as contas do apuramento, e a verdade é que com a vitória dos helénicos, tanto polacos como checos estiveram, durante largos minutos, fora do Euro.

A Polónia até começou melhor, mas não soube aproveitar as oportunidades de que dispôs, durante o período de adaptação dos checos à ausência do maestro Rosicky, que ficou de fora por lesão. Os guarda-redes estiveram em bom plano e de mãos seguras, e o empate (fatídico para ambos os lados) começava por isso a escrever-se, mas Jiracek, o novo Herói da República (Checa) não estava para aí virado, e aos 72 minutos fez o único golo da partida, que colocava a sua seleção nos quartos.

Aproveitando a movimentação de Baros, que atraiu os centrais, Jiracek verteu da esquerda para o centro, com um toque tirou Boenish do caminho, ficando apenas com Tyton pela frente, onde não perdoou.
Daí até final foi tentar não deixar cair o coração, que cada equipa levava nas mãos, e tentar dar uma facada mortal no do adversário, mas ninguém se ficou a rir. A Rep. Checa trancou-se, e a Polónia estava sob demasia pressão para encontrar a chave, no meio de tanta vontade e atrapalhação, pelo que voltaram para casa, apesar de já lá estarem. 
Além dos checos, também Fernando Santos se ficou a rir: a Grécia eliminou a favorita Rússia, e continua na competição. E esta, hein?
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 13:38

Junho 17 2012
A Grécia está nos quartos-de-final do Campeonato da Europa. A Rússia não. Quem diria que isto ia acontecer, depois da primeira jornada, em que os gregos empataram com a Polónia e a Rússia goleou a República Checa, por 4-1. Pois bem, os checos ganharam o grupo e a seleção de Advocaat e Izmailov faz as malas para casa.

Os deuses estão loucos? Talvez, mas já não surpreende, depois do que a Grécia fez no Euro-2004. E o herói, esse, foi o mesmo. Karagounis! O experiente médio, que já passou pelo Benfica, fez o golo que deu a vitória diante da Rússia, no dia em que alcançou as 120 internacionalizações pela seleção, alcançando Thodoris Zagorakis como o mais internacional de sempre. Pelo meio, são já nove os golos de Karagounis, que bisou apenas uma vez. Contra Portugal, pois claro.


Quanto ao jogo de hoje, foi a vitória do acreditar contra uma equipa técnica, que trata a bola por tu mas que hoje apanhou uma senhora Grécia.
Os gregos deixaram a Rússia controlar toda a primeira parte e, ao segundo remate, surgiu Karagounis a aproveitar um mau passe e a inaugurar o marcador, dois minutos para lá do tempo regulamentar. Foram 13 remates contra dois no primeiro tempo.
No reatamento, Dick Advocaat lançou desde logo Pavlyuchenko no ataque mas a Rússia nunca conseguiu chegar com real perigo à baliza grega, exceção feita ao cabeceamento de Dzagoev, aos 84 minutos, já com Izmailov em campo.
Os russos atacaram, a Grécia fechou-se numa muralha de raça e conseguiu seguir em frente, quando poucos acreditavam. Houve crença, houve trabalho de casa e há um português já apurado. Fernando Santos é o primeiro selecionador português a vencer um jogo numa fase final de competições internacionais, ao serviço de uma seleção estrangeira.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:10

Junho 16 2012
Uma jornalista ucraniana, um vestido sugestivo e dezenas de adeptos holandeses. Eis os ingredientes de uma mistura que, está bom de ver, não poderia dar bom resultado. Pelo menos, do ponto de vista da repórter...
Tudo aconteceu antes do jogo entre a Holanda e a Alemanha, no passado domingo, que terminou com a derrota da seleção laranja, por 1-2, a segunda em igual número de partidas disputadas no Grupo B do Europeu.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:50

Junho 16 2012
Suécia e Inglaterra não deixaram os seus créditos por mãos e pés alheios e proporcionaram, até ao momento, uma das melhores partidas deste Euro 2012. 

Emoção, incerteza no marcador... e golos. Teve um pouco de tudo o encontro entre suecos e ingleses. 

No final, porém, a vitória (3-2) sorriu à seleção orientada por Roy Hodgson. 

Sob a batuta do maestro Scott Parker, a Inglaterra entrou melhor no encontro e materializou em golos, à passagem do minuto 23, a superioridade que vinha patenteado. O contestado Carroll, com um golpe de cabeça fulminante, bateu o desamparado Isaksson.

A Suécia bem tentava mas não tinha nem arte nem engenho para mais.
Mas na segunda parte tudo foi diferente. Acossado pelo resultado, os suecos puxaram pelos galões e num curto espaço de minutos (49 e 59) – dez para sermos mais precisos – deram a volta ao marcador com um bis de Mellberg.
Festa sueca em Kiev que durou pouco tempo. Theo Walcott, que substituiu Milner aos 62 minutos, empatou o jogo dois minutos após ter entrado e um pouco mais tarde assistiu Welbeck, que carimbou o triunfo inglês e decretou o regresso da Suécia para casa.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:19

Junho 16 2012
Depois do triunfo no arranque, diante da Suécia (2-1), a Ucrânia estreou-se agora... a perder no «seu» Europeu, perante a França e num jogo que durou praticamente três horas. É que a tempestade que se abateu sobre Donetsk levou à interrupção do jogo, logo aos 5 minutos, durante quase 60 minutos.

Moralizados, os homens de Oleg Blokhin até equilibraram as forças numa primeira parte onde Shevchenko testou os reflexos de Lloris, enquanto Pyatov mantinha as redes invioladas perante as ocasiões criadas por Ménez e Mexés.

Na segunda parte, porém, bastaram três minutos para a França decidir a partida. Ménez, aos 53 minutos, aproveitou da melhor maneira uma jogada entre Ribéry e Benzema para inaugurar o marcador. Aos 56 foi a vez de Cabaye, já dentro da área, receber a bola de Benzema e rematar forte para o 2-0.

Com este resultado, a Ucrânia falhou a possibilidade de se apurar já hoje para os quartos-de-final do EURO-2012, deixando deste modo as contas dos quatro grupos para a derradeira jornada.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 08:34

Junho 15 2012
Fácil. Tão fácil. A Espanha venceu a República da Irlanda, por 4-0, esta quarta-feira, em Gdansk e apanhou a Croácia na liderança do grupo C. Foi, até ao momento, o resultado mais desnivelado do torneio.

Vicente Del Bosque, selecionador espanhol, foi bastante criticado durante a semana por não ter jogado com ponta-de-lança com a Itália. Com a Irlanda, o treinador fez à vontade aos adeptos e colocou Fernando Torres a titular. Bastaram quatro minutos para o avançado do Chelsea bater Given pela primeira vez.


Foi fácil, tão fácil. A Irlanda de Trapattoni tentou defender como pôde, mas não encontrou maneira de parar o carrossel espanhol. Xavi, David Silva e Iniesta fizeram o que quiseram, a percentagem de posse de bola rondou sempre os 60 por cento para a Espanha e só Given impediu um resultado maior.

«La Roja» entrou na segunda parte tal como fez na primeira: a marcar. Não foi Torres, foi David Silva, mas o avançado do Chelsea, o jogador mais posto em causa dos últimos anos, bisou e calou os críticos. Perto do final, foi a vez de Fabregas marcar o último golo da noite.

No meio do vendaval de ataque espanhol andou Pedro Proença. Boa arbitragem do árbitro português, numa partida sem casos, embora com um caso caricato, quando Proença chocou com Andrews e acabou, sem querer, por lançar um contra-ataque de Espanha.
O melhor da noite? Não foi a equipa espanhola. O público irlandês é inacreditável. A seleção perdeu por 4-0, mas nunca pararam de cantar...
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 21:15

Junho 15 2012

O árbitro português Pedro Proença teve a infelicidade de chocar contra o internacional irlandês Keith Andrews na partida entre a seleção espanhola e a República da Irlanda. 

Desse incidente, acabou por resultado uma jogada perigosa do ataque espanhol. 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 19:50

Junho 15 2012
A Itália é a rainha dos empates neste Europeu. Frente à Croácia consentiu o segundo em outros tantos jogos, deixando fugir a vantagem que Pirlo tinha construído na primeira parte, num livre sublime.

A Squadra Azzurra até começou bem, pressionante, com Prandelli a manter a aposta em três defesas (sendo um deles De Rossi) e em Mário Balotelli na frente de ataque. O avançado do City entrou determinado em apagar a má imagem deixada no primeiro jogo e quase o fazia, logo aos 11 minutos, com um remate fantástico que Pletikosa defendeu a custo. Depois de várias ameaças (com a Croácia também a todo o vapor) o eternamente jovem Pirlo resolveu... resolver. Através de um livre superiormente marcado deu a vantagem aos transalpinos, já perto do intervalo.


Na segunda parte foi mais do mesmo, com as duas equipas a criarem várias oportunidades mas numa altura em que já se começava a adivinhar a vitória azzurra, surgiu o furacão Mandzukic, que depois de um grande cruzamento de Strinic atirou para o fundo da baliza de Buffon, fazendo o seu terceiro golo em dois jogos. O avançado do Wolfsburgo foi uma dor de cabeça para os italianos durante toda a partida, fazendo a cabeça em água especialmente a Chiellini.

Até ao fim, entre jogadas com mais técnica e outras mais atabalhoadas, não faltaram oportunidades, mas o jogo terminaria mesmo com um empate. Aí pelo menos, a Itália vai reinando. Quanto ao resto terá de esperar pela última ronda, tal como a Croácia, a quem esta quinta-feira chegava uma vitória para garantir a passagem aos quartos de final.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 19:13

Junho 15 2012
A Alemanha tratou de resolver cedo o jogo, com dois golos de Mario Gomez, que já é o melhor marcador deste Campeonato da Europa.
O avançado alemão foi tremendamente letal na primeira parte e depois de já ter marcado o único golo no jogo com Portugal, deu mais três pontos aos alemães, que apesar dos seis pontos já conquistados ainda não garantiram a passagem à fase seguinte.

O encontro desta quarta-feira foi uma nova demonstração de poder de uma Alemanha que por esta altura é a principal candidata ao título, como que querendo dar razão aos que dizem que talvez seja esta a melhor seleção germânica de sempre.

Já a Holanda é a grande desilusão deste Europeu e esperamos que continue assim no último jogo, frente a Portugal. Têm surgido notícias de que o ambiente no balneário holandês é de cortar à faca e a verdade é que em campo tem surgido uma equipa sem alma, com algum talento, é verdade, mas sem grande capacidade de sofrimento.

O golo de Van Persie aos 72 minutos, na sequência de uma jogada individual, ainda deu esperança a esta Holanda que tem muito pouco de Laranja Mecânica, mas depois disso o que se viu foi uma Alemanha com grande maturidade, a conservar a bola, não dando oportunidade ao adversário de chegar ao empate.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 12:19

Junho 15 2012
Durante um treino da seleção sueca, o guarda-redes Johan Wilan perdeu um jogo, onde não podia deixar cair a bola, e os restantes jogadores decidiram aplicar um castigo, onde foi obrigado a baixar os calções. Depois, internacionais suecos começaram a rematar contra o rabo do guardião.
Este incidente está a suscitar grande polémica na Suécia, isto porque é considerado como um mau exemplo. 
O chefe da delegação sueca, Lars Richt, também está ao corrente da situação e considerou que foi uma situação «infeliz».
Por seu turno, os jogadores defendem que apenas se trata de um jogo e que acontece todos os dias. 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:30

Junho 15 2012
A equipa de reportagem de A BOLA foi vítima de extorsão por parte da polícia ucraniana, em Lviv, quando se deslocava na madrugada da passada quinta-feira, após o jogo entre Portugal e Dinamarca, para o hotel. 

A equipa de reportagem de A BOLA acabou o trabalho no Arena Lviv, palco do Dinamarca-Portugal, pouco depois da uma da manhã (menos duas horas em Portugal) e dirigiu-se ao centro da cidade para jantar. No final da refeição, por volta das três da madrugada, dirigiu-se para o hotel, mas o trânsito fechado na zona mais antiga obrigou a um desvio que conduziria a uma operação stop.

Depois de detetado que o tampão da roda direita da viatura de aluguer em que a equipa de reportagem seguia estava partida houve teste de alcoolemia, que na Ucrânia é simplesmente soprar para o agente. Este deu dois passos atrás e começou a dizer vodca, vodca, sugerindo embriaguez. Apenas falando ucraniano, apesar de saber algumas palavras inglesas (que lhe são muito úteis), começou por apontar para o braço. Estava a informar que seriam necessárias análises ao sangue.

Começaram então a falar em «money, money». Chegaram a pedir 500 euros, mas a equipa de A BOLA só tinha 160. Durante mais de uma hora foi conduzida pela cidade, pressionada a levantar dinheiro no multibanco. A coação só acabou quando se tornou difícil para os polícias se dissimularem. Mas levaram o dinheiro...
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 08:13

Junho 14 2012
Portugal venceu a Dinamarca, esta quarta-feira, por 3-2, em Lviv, na segunda jornada do grupo B. Um golo do suplente Varela, aos 87 minutos, salvou a Seleção Nacional, depois de Portugal desperdiçar uma vantagem de dois golos.

Foi um jogo de emoções fortes. Portugal foi quase perfeito, esteve a vencer por 2-0, mas dois golos de Bendtner empataram a partida e deixaram a equipa das quinas com um pé fora do Euro. Aqui apareceu Silvestre Varela. O jogador do FC Porto redimiu-se da oportunidade falhada com a Alemanha e apontou o golo da vitória.


Paulo Bento apostou na mesma equipa que perdeu com a Alemanha e não se arrependeu. A Seleção Nacional dominou na primeira parte, comandada pelas pernas de Nani e pelo coração (e cabeça) de Pepe. O central abriu o caminho ao triunfo, com um golo fulgurante de cabeça, após canto de Moutinho. Dez minutos depois, Nani descobriu Postiga e o avançado, dos mais criticados na equipa, assinou o 2-0.

Tudo corria de feição a Portugal, mas um erro defensivo deixou Krohn-Dehli sozinho na área e Bendtner só teve de encostar.
A segunda parte foi equilibrada, mas com as melhores oportunidades a pertencerem a Portugal Mas não foi o jogo de CR7. O avançado do Real Madrid desaproveitou duas situações incríveis, isolado na cara de Andersen, a segundo um minuto antes do empate de Bendtner.
O golo de Varela acabou por salvar a honra lusa e... o próprio Cristiano Ronaldo. A Seleção continua viva no Euro 2012 e irá discutir o apuramento para os quartos-de-final no domingo, com a Holanda.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 08:14

Junho 13 2012

Polónia e Rússia empataram a uma bola, na 2.ª jornada do grupo A, e adiaram as contas do apuramento para a última ronda, naquele que foi dos melhores jogos até agora do Euro-2012 e que teve, sem dúvida, o golo da competição até agora, marcado por Blaszczykowski.

Os russos, que podiam hoje garantir a passagem para os quartos-de-final, ainda se adiantaram no marcador mas a equipa da casa, graças a uma 2.ª parte de grande nível, justificaram o empate e até partiram para cima do líder do grupo em busca do triunfo, que seria mesmo o primeiro em fases finais de Campeonatos da Europa.

Já os russos, depois da goleada na estreia, diante da República Checa (4-1), entraram na expectativa e, depois de verem a estratégia dos polacos, arrancaram para uns belos 45 minutos, com muita velocidade a meio-campo e com lançamentos longos para o ataque. Ainda assim, seria de bola parada, aos 37 minutos, que Dzagoev, de cabeça, iria inaugurar o marcador, fazendo o terceiro golo da sua conta pessoal neste Campeonato da Europa.

Na segunda parte, porém, tudo foi diferente. A estratégia dos polacos não mudou, é certo, mas a raça e atitude acabaram por ditar leis. E se houve coração polaco em Varsóvia, o golo de Blaszczykowski, capitão de equipa, foi exemplo claro disso: uma arrancada pelo lado direito, aos 57 minutos, derivando para o meio e, à entrada da área, com um remate fortíssimo e bem colocado que não deu qualquer hipótese a Akinfeev.
Aos 79 minutos houve ainda tempo para Izmailov, médio do Sporting, estrear-se na competição, substituindo o esgotado Dzagoev, numa altura em que os russos tentavam manter a posse de bola para ainda dependerem só de si para o apuramento. É que houve Polónia, muito mais Polónia em Varsóvia na segunda parte

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 19:15

Junho 13 2012
A Grécia perdeu esta terça-feira, com a República Checa, em Wroclaw, por 1-2 e comprometeu o apuramento para os quartos-de-final. Depois da goleada contra a Rússia, os checos ganham novo fôlego.

Os primeiros dez minutos foram de autêntico pesadelo para Fernando Santos. Sem o lesionado Avraam Papadopoulos e sem o castigado Papastathopoulos, o selecionador da Grécia colocou Katsouranis a central, mas tudo correu mal.

Jiracek, aos três minutos e Pilár, aos seis, colocaram os checos a ganhar por dois golos, perante a passividade da defesa grega. Uma primeira parte pobre da formação helénica, com uma ténue reação na parte final, marcada por um lance polémico, com um golo anulado a Salpingidis.

Fernando Santos arriscou na segunda parte com a entrada de Gekas e a sorte sorriu-lhe por momentos. Cech falhou uma saída de forma inacreditável e deixou a baliza à mercê de Gekas.
O golo galvanizou a formação grega e levou Fernando Santos a arriscar tudo com a entrada de Mitroglou, acabando com quatro avançados. O jogo direto não resultou e a defesa checa controlou até ao final.
A derrota deixa a Grécia em maus lençóis. A derrocada grega nos primeiros dez minutos deitou tudo a perder e nem o brinde de Cech impediu a tragédia.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 16:31

Junho 13 2012
Finalmente, uma vitória do organizador. Ao nono jogo inaugural de um país que recebe a fase final do Europeu - Polónia incluída -, a Ucrânia deu a volta e venceu a Suécia no derradeiro jogo da jornada inaugural do grupo D, que teve lugar no Estádio Olímpico, em Kiev.

Depois de, na primeira parte, ter sido a equipa mais perigosa, tendo terminado com o dobro de posse de bola e o dobro de passes que a Suécia, a formação orientada por Oleg Blokhin acabou por ver Ibrahimovic a inaugurar o marcador, aos 52 minutos. O avançado sueco aproveitou um lance de insistência de Mikael Lustig, que cruzou por duas vezes,e um passe magistral de Kallstrom para fazer o 1-0.

Dez minutos bastaram, porém, para vir ao de cima outro avançado experiente do futebol europeu. Shevchenko, capitão da Ucrânia, empatou o jogo aos 55 minutos, respondendo de cabeça ao cruzamento de Konoplyanka, naquele que foi o primeiro golo de bola corrida da Ucrânia na fase final de um torneio internacional. Aos 62, estava operada a reviravolta no marcador, novamente por Shevchenko e novamente de cabeça. Desta feita, o experiente avançado do Dinamo Kiev antecipou-se a Ibrahimovic num canto e deu os três pontos à Ucrânia.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:18

Junho 13 2012
As horas que antecedem o Polónia – Rússia estão a ficar marcadas por confrontos entre adeptos, levando a polícia a utilizar canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar a multidão.
De acordo com os relatos de Varsóvia, adeptos das duas seleções envolveram-se em confrontos já perto do Estádio Nacional, o palco do encontro marcado para as 19.45 horas portuguesas.
As autoridades foram obrigadas a entrar em ação, tentando dispersar a multidão, utilizando canhões de água e gás lacrimogéneo. Houve várias detenções, mas desconhece-se o número exato.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 00:44

Junho 12 2012
Eis um ponto curioso após os oito primeiros jogos da primeira fase deste Europeu. Conhecido muitas vezes pela determinação com que encara cada lance, Pepe, central do Real Madrid, lidera uma das listas das estatisticas da UEFA neste primeiros jogos. E qual? Nada mais que o números de faltas... sofridas. Nem mais. O central do Real Madrid foi o jogador que, até ao momento, a par do grego Karagounis, sofreu mais faltas na competição: seis.
Um número que surpreende, tendo em conta que se trata de um defesa-central muitas vezes conotado de um jogador duro. De resto, algumas confirmações, como por exemplo ter a Espanha com maior posse de bola, e outras surpresas e números interessantes a conferir. 
Veja os números:
Jogadores 
Golos: Shevchenko (Ucrânia), Dzagoev (Rússia) e Mandzukic (Croácia) – 2
Assistências: Arshavin (Rússia) - 2
Remates à baliza: Benzema (França) - 5
Remates para fora: Kherzhakov (Rússia) – 7
Faltas cometidas: Dunne (Irlanda) – 6
Faltas sofridas: Pepe (Portugal) e Karagounis (Grécia) – 6

Seleções:
Remates à baliza: França - 15
Remates para fora: Holanda – 20
Posse de bola: Espanha – 39 min
Faltas cometidas: Polônia - 22
Faltas sofridas: Ucrânia e Grécia - 20
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:48

Junho 12 2012
Se se confirmar a previsão do polvo Paulo, que por estes dias faz as delícias de todos quantos visitam o Sea Life, no Porto, a Seleção Nacional vai perder o segundo jogo no Euro-2012, quarta-feira, com a Dinamarca.
O cefalópode, que, segundo consta, é primo do polvo Paul – ficou célebre por ter acertado nos sete resultados da Alemanha no Mundial-2010 e também no vencedor da final, a Espanha - já havia prognosticado a derrota da equipa das quinas com a seleção germânica, na primeira jornada do Grupo B.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 13:47

Junho 12 2012
Se no Euro-2004 venceram os franceses por 2-1, no jogo de hoje acabou por haver equilíbrio total e um empate que acaba por satisfazer tanto gauleses como ingleses. 

O encontro foi jogado a um ritmo louco durante os primeiros 45 minutos, com França mais ao ataque, embalada pelas suas asas Ribéry e Nasry. Mas a verdade é que Inglaterra soube resolver os problemas que eram criados pelos franceses, saiu muitas vezes a grande velocidade para o contra-ataque e conseguiu até colocar-se em vantagem com golo de cabeça de Lescott, que no segundo andar aproveitou um livre tirado com régua e esquadro pelo capitão Steven Gerrard.


Mas não demorou a reação dos franceses, que pouco depois chegavam ao empate graças a um remate colocadíssimo do Nasry, já depois de Diarra ter remate com muita força para a defesa da noite de Joe Hart.
Na segunda parte houve menos velocidade, menos oportunidades de golo e se é verdade que foi a França a equipa mais rematadora poucas vezes as duas seleções conseguiram criar perigo.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:21

Junho 11 2012
A Croácia venceu a República da Irlanda, este domingo, por 3-1, em Poznan e lidera o Grupo C, depois da igualdade entre Espanha e Itália. Mandzukic marcou dois golos e igualou o russo Dzagoev na lista dos melhores marcadores.

A partida de hoje marcava o regresso da República da Irlanda a uma grande competição, algo que não acontecia desde o Mundial 2002. Mas os irlandeses não podiam pedir um pior começo. Mandzukic adiantou a Croácia logo aos três minutos, com um golo de cabeça que surpreendeu Shay Given.


A vantagem madrugadora transmitiu confiança aos croatas, uma seleção que demonstrou ter bastante valor, sobretudo a meio-campo, com Rakitic, Modric e Perisic. Por seu lado, a República da Irlanda mostrou uma equipa organizada, mas com pouca capacidade de criar perigo. Robbie Keane foi uma autêntica desilusão.

A resposta irlandesa surgiu de bola parada, com St. Ledger a empatar para a formação orientada por Trapattoni, mas nem isso impediu o ímpeto croata. A fechar a primeira parte, Jelavic fez o 2-1, numa jogada confusa e em que pareceu aproveitar a posição de fora-de-jogo.
A segunda parte começou com novo golo de Mandzukic, num lance de algum azar para Given, com a bola a bater na cabeça do guarda-redes antes de entrar.
Trapattoni alargou a frente de ataque na segunda parte, mas a Croácia, com maior ou menor dificuldade, foi afastando o perigo.
Na próxima jornada, na quinta-feira, a Croácia joga com a Itália, enquanto a República da Irlanda mede forças com a Espanha.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:39

Junho 11 2012
Espanha e Itália empataram, a uma bola, no jogo de abertura do grupo C. Uma partida jogada com grande intensidade e onde, ao contrário do que se previa, os italianos não jogaram na expectativa.

A formação de Cesare Prandelli teve até as melhores oportunidades de golo durante a primeira parte, onde o futebol rendilhado espanhol raramente teve efeitos práticos na luta titânica a meio-campo. Del Bosque optou por um esquema tático a lembrar o Barcelona de Pep Guardiola, sem uma referência ofensiva mas acabou por nunca conseguir fugir como queria às marcações dos italianos.

Na segunda parte a Espanha entrou com tudo, sempre com Xavi como patrão e com Iniesta, descaído para a esquerda do ataque, como o elemento mais rematador. Foi então tempo de Buffon brilhar e de Balotelli... desperdiçar. O avançado teve o golo nos pés, perdeu demasiado tempo e... deu o lugar a Di Natale.

O melhor marcador da Série A, na primeira vez que tocou na bola, e já depois de ter sido apanhado fora-de-jogo, aproveitou uma bela abertura de Pirlo e, aos 61 minutos, inaugurava o marcador. Era tempo da campeã da Europa em título puxar dos galões. E não foi preciso esperar muito. Três minutos volvidos, o jogo a primeiro toque dos espanhóis deu frutos: Xavi e David Silva construíram a jogada que Fàbregas, já dentro da área e de primeira, transformou na igualdade.
O jogo ganhava nova emoção e a Espanha voltava a acreditar na vitória, dominando em todos os capítulos do jogo e obrigando os italianos a apostar tudo no contra-ataque. Ainda antes do final do encontro, aos 85 minutos, Fernando Torres, que havia substituído Fabrègas, teve nos pés a melhor oportunidade da Espanha: o avançado do Chelsea tentou o chapéu a Buffon, já depois de ter tirado Chiellini da jogada, mas a bola passou poucos centímetros por cima da baliza do guardião italiano.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:42

Junho 11 2012
Mario Mandzukic, avançado de 26 anos do Wolfsburgo, foi figura de proa na vitória da Croácia perante a República da Irlanda por 3-1, que deu aos croatas a liderança do grupo C do Euro-2012.
Mandzukic bisou na partida, marcando aos 3 e 49 minutos, mas também protagonizou o momento mais caricato da partida. Aconteceu ainda durante o primeiro tempo quando, num lance mais intenso com O´Shea, o avançado croata deu um valente encontrão a Giovanni Trapattoni, selecionador da Irlanda do Norte.
Aos 73 anos, o treinador italiano aguentou bem o choque, apesar de ligeiras queixas, e respondeu com fair play.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 01:25

Junho 11 2012
Ruas fechadas ao trânsito, várias viaturas da polícia de intervenção e dos serviços médicos posicionadas em locais estratégicos. Era este o cenário na principal praça de Poznan após o jogo entre Rep. Irlanda e Croácia, que os croatas venceram por 3-1.
Local por excelência da concentração e festejos dos adeptos, o centro histórico de Poznan, cidade que dista 40 quilómetros de Opalenica - onde está instalada a seleção de Portugal -, foi palco de distúrbios provocados por irlandenses e croatas antes do pontapé de saída do encontro da primeira jornada do Grupo C.
As autoridades polacas viram-se, assim, forçadas a montar um apertado dispositivo de segurança no local, de modo a evitar a repetição dos incidentes ocorridos durante a tarde.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 00:21

Junho 10 2012
Não começou da melhor forma o jogo entre a Rússia e a República Checa, esta sexta-feira, com confrontos entre os adeptos russos e alguns stewards.
As imagens captadas por um telemóvel e difundidas pela televisão polaca mostram confrontos entre adeptos da Rússia e, pelo menos, dois assistentes de recinto desportivo. Um dos stewards foi espancado por alguns adeptos da Rússia e necessitou de assistência médica.
De acordo com as autoridades polacas, foram registados distúrbios em Wroclaw, a cidade que recebeu o jogo, com quatro adeptos da Rússia a provocarem uma rixa num bar.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 17:15

Junho 10 2012
Portugal entrou a perder no Campeonato da Europa de 2012. A Seleção Nacional perdeu por 0-1 com a Alemanha, num jogo onde a estratégia de Portugal até deu frutos até... chegarem os postes.

Numa primeira parte onde a formação lusa cumpriu com a estratégia, tapando todos os caminhos para os alemães, que tomaram conta do jogo, acabou por sair dos pés de Pepe a melhor oportunidade de golo. Em cima do intervalo, o central português subiu à área para, na sequência de um canto, rematar à barra da baliza de Neuer. Antes disso, a Alemanha apenas tinha criado real perigo por Muller, aos 40 minutos, apesar de ter tido 61% de posse de bola e rematado enquadrado com a baliza por seis ocasiões, contra as três de Portugal.

Na segunda parte a equipa das quinas entrou mais solta, dividiu todos os capítulos do jogo mas, quando ia em busca do golo, já com Nélson Oliveira em campo, foram os alemães, numa jogada simples, a chegar ao golo. Aos 73 minutos Mario Gomez fugiu à marcação de Pepe e, nas alturas, bateu João Pereira e cabeceou sem hipótese para Rui Patrício.
A partir daí... só deu Portugal! A equipa das quinas partiu para cima dos alemães, Cristiano Ronaldo encostou a Nélson Oliveira na frente, com o irrequieto Varela na ala, e por três ocasiões quase se gritou golo na Arena de Lviv: Coentrão, aos 84 minutos, rematou mas a bola desviou num defesa, no minuto seguinte Nani, num cruzamento largo, acabou por enviar novamente a bola à barra de Neuer e, aos 88 minutos, Varela teve o golo nos pés mas rematou rasteiro para defesa do guardião alemão. Até Rui Patrício pediu para subir à área mas este sábado a sorte não esteve com Portugal. 
Foram onze contra onze, ganhou a Alemanha mas, para Portugal, ficou o travo amargo das bolas na barra.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:57

BENFICA 73
contador grátis
Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...