Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

À coca (Afonso de Melo)

29.10.12, Benfica 73
Não se deixem enganar. Eles andam por aí, à coca, preparando o assalto assassino, o estrago brutal, a vingança sobre aqueles que os denunciam e apontam na rua. Talvez surjam, para começar, mansos como cordeiros, mas por debaixo da lã abrem-se bocas ávidas escorrendo a baba famélica dos lobos. Não acreditem nesta sua súbita bondade. Esta canalha não tem sentimentos que vão além do prato da sopa. Vendem-se por um tacho de lentilhas. E são submissos, servis, reverenciosos a D. (...)

O nojo e a falta dele (Afonso de Melo)

05.10.12, Benfica 73
Inimputável, o Gaseificado tece considerações neurasténicas sobre a vergonha, que é coisa que não tem. Fala, desesperado para que o ouçam, mas a sua voz é entaramelada de mentiras e saliva velha. Os seus acólitos, viciados no jogo e em prostitutas, riem-se mais pela força do hábito do que pela obrigação de untar o chefe. Há já muito pouca gente que lhe preste atenção, (...)

Mais (ou menos) que um Clube (Afonso de Melo)

10.09.12, Benfica 73
Há uns anos já largos, na véspera de um Benfica-Sporting que foi, curiosamente, disputado a 25 de Abril, entrevistei dois capitães, cada um de seu clube. Vasco Lourenço sempre se assumiu sportinguista; Vítor Alves, entretanto falecido, era adepto do Benfica. Cabe dizer, pelo caminho, que se tratam de dois homens de coragem e aparente verticalidade, possíveis de serem objecto (...)

Cuidado! Armadilhas! (Afonso De Melo)

25.08.12, Benfica 73
Tal como tem acontecido ao longo dos últimos trinta anos, o Campeonato desta época está naturalmente armadilhado. Talvez mesmo mais armadilhado do que nunca, visto que há nítida falta de dinheiro para os arredores da Madalena e Contumil e, assim sendo, é preciso não correr riscos desnecessários. Significa isto que nenhum optimismo é válido. Ser melhor não basta, ser mais (...)

Caiu o Abade (Afonso de Melo)

24.08.12, Benfica 73
Abades, bispos, priores e outros senhores costumam ser mais dados aos silêncios do que às palavras. Muitas vezes, acrescente-se, silêncios que escondem graves porcarias humanas capazes de deixar Papas de cabelo arrepiado. Portugal tem um Abade engraçado: fala muito. Traça maldições sobre diabos negros. Perguntem ao nosso Abade o que é um corrupto e ele, de imediato, aponta (...)

O Gaseificado ( Afonso De Melo)

08.08.12, Benfica 73
Corre por dentro do Gaseificado uma corrente de àr fétido. E, infelizmente para a Humanidade, o Gaseificado não consegue manter a boca fechada. Todos sabem que as palavras, como outros sons. são feitas de ar. Por isso, as palavras do Gaseificado cheiram mal. É um tolo com excesso de gás  a incomodar quem preferia cumprir a vida longe de ódios, de violências gratuitas, de (...)

Nos aviões há lugares de cócoras (Afonso De Melo)

04.08.12, Benfica 73
DONETSK- Os aviões aterram cheios. Os aeroportos tornam-se deprimentes lugares de convívio para quem tanto mal faz à verdade do Futebol português. Mas a selecção é desculpa, é motivo. Fatos e gravatas de boa qualidade e de mau gosto. Poses vaidosas. As televisões invadem o átrio das chegadas e peitos estufam como se de perus e pavões se tratasse no mendigar da palavrinha (...)

A Grande Bambochata (Afonso de Melo)

22.07.12, Benfica 73
KIEV - É ridícula de causar aneurismas esta mania de meia-dúzia de funcionários da Nação, eleitos pelo povo, receberam numa casa que não é deles e sim de todos nós um figurão cuja simples chipala  consegue provocar vómitos em catadupa a qualquer pessoa de bem (que são cada vez menos, como está cientificamente comprovado). Podemos encarar essa festarola de estúpidos com (...)

O árbitro arbitrário (Afonso De Melo)

14.07.12, Benfica 73
LVIV- O Azeiteiro-da-cabeça-d'unto ainda não entrou em ação e ainda bem, ninguém parece sentir muito a sua falta, a menos que haja por cá jogadores e treinadores que tenham o mau hábito de gostar que lhe lambam os pescoços. Mas essa figurinha deprimente anda por aí e só isso já é arrepiante. A qualquer momento, como uma bala perdida disparada entre a multidão, abaterá (...)

Coitadinhos! (Afonso De Melo)

06.07.12, Benfica 73
Tenho pena dos 2500 rapazinhos de boas famílias que durante uma hora chamaram nomes às mães dos jogadores e treinador de basquetebol do Benfica. Foram provocados, pobrezinhos. Fizeram bem em atirar paralelipípedos e outras porcarias para dentro do rinque. Assim é que é se faz! E que dizer do coitadinho do Schrek que sofreu a vergonha de um Stewart o mandar «lá para dentro»? Encheu (...)