Outubro 01 2010

Passaram seis jornadas, correspondentes a um quinto da Liga, e o discurso comum a muitos dos jogadores sportinguistas mais parece de Março do que de Setembro – costuma ser pela primavera que aqueles que se adivinham como perdedores partem para o discurso do estereótipo e falam na recusa “em atirar a toalha”, a alternativa poética ao científico “enquanto for matematicamente possível”. Ouvir esta história quando o Outono ainda mal se instalou só pode ter uma explicação: que nada mudou para melhor de uma época para outra. Ora este desgaste faz-se sentir de forma mais rápida e mais intensa na relação dos adeptos com a equipa de futebol e, por inerência, com os corpos dirigentes do clube.

É impossível dissociar o estado das coisas do consulado de José Eduardo Bettencourt. Foi com ele que ouvimos o célebre “Paulo Bento forever”. Foi com ele que os leões viveram as trapalhadas com o contrato falhado com André Villas-Boas. Foi com ele que se assistiu a um indigno isolamento de Carlos Carvalhal. É com ele que Paulo Sérgio anda a tentar perceber se conta ou se nem por isso. Mais: para o posto de director-desportivo, Bettencourt começou por manter um apagado Pedro Barbosa, errou no casting ao escolher Ricardo Sá Pinto, mudou radicalmente ao eleger Costinha, omnipresente, sempre disposto a falar com voz grossa (mesmo quando a prudência e a diplomacia aconselham o contrário), um homem que – para os menos atentos – poderia mesmo passar por patrão do clube.

Bettencourt pecou quase sempre por excesso, desde o episódio em que desdenhou do fundo de jogadores do Benfica (para depois mostrar desejo de criar o seu) até ao outro em que elegeu o FC Porto como “modelo”. Além disso, quanto à política de jogadores, conseguiu a mais radical das trocas – da aposta numa formação que ia chegando para municiar a casa, para mitigar a fome das cofres e até para desperdiçar (Varela no FC Porto e Carlos Martins no Benfica são apenas os exemplos mais recentes e em evidência), quis dar-se o salto para o mercado puro e duro. Foi maior do que a perna, curta pela falta de dinheiro. Hoje, são os próprios sócios e adeptos sportinguistas que questionam a política de aquisições, ficando por apurar se o clube está a servir-se dos empresários ou se são estes que coordenam as aquisições e as vendas de acordo com os respectivos interesses. Basta olhar para o dinheiro gasto e para as contrapartidas apresentadas em campo. Depois, claro está, o mais fácil é culpar o treinador – e assim começam os “cemitérios”.

Acima de todos, não esqueço João Moutinho, que, num ápice, num defeso, passou de capitão e símbolo a proscrito e maçã podre. Tenho a ideia de que nenhum fruto apodrece se a árvore não o deixar cair.

Autor: JOÃO GOBERN
publicado por Benfica 73 às 14:13

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

BENFICA 73
contador grátis
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






subscrever feeds
comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...