Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Benfica – Sp. Braga, 2-1 - Rescaldo e Resumo com Relato

01.04.12, Benfica 73

A precisar de ganhar, a equipa de Futebol profissional do Sport Lisboa e Benfica recebeu, no Estádio da Luz, o Sp. Braga e venceu por 2-1, num jogo referente à 25.ª jornada da Liga portuguesa.

Com Aimar e Emerson ausentes por castigo e Jardel por lesão, o técnico Jorge Jesus viu-se obrigado a fazer algumas mexidas no onze. Assim sendo, os defesas Miguel Vítor e Capdevila voltaram à titularidade, bem como o avançado Rodrigo, escalonando a equipa num 4-4-2 já muitas vezes usado anteriormente.

 

Os “encarnados” arrancaram a “todo o gás”, puxados por um público imenso e ruidoso, e nos primeiros dez minutos criaram duas oportunidades para inaugurar o marcador. Aos três minutos, Gaitán rematou para defesa apertada de Quim, após excelente jogada de entendimento entre vários elementos do Benfica. A formação da casa carregava e aos sete voltou a estar perto do golo. Desta vez, o protagonista foi Bruno César que, após ter recebido o esférico no segundo poste, rematou forte, mas o guardião bracarense, de forma pouco ortodoxa, a evitar o primeiro das “águias”.

 

Não satisfeitos com o zero que se registava no “placard”, os pupilos às ordens de Jorge Jesus continuaram a acercar-se com perigo da baliza do Sp. Braga, encontrando sempre uma defensiva compacta e que não deu espaços para as iniciativas dos atacantes benfiquistas.

 

Antes do intervalo, Maxi Pereira, de trás para a frente, incorporou-se n o ataque e disparou forte para defesa a dois tempos de Quim (43´).

O intervalo chegou com um injusto nulo, pois o Benfica mostrou ser a única equipa que quis marcar.

 

A confirmação do óbvio

Tal como na primeira metade, também no reinício houve mais Benfica do que adversário. Witsel foi o rematador de serviço. Aos 52´ rematou em queda para defesa de Quim e aos 56 disparou ligeiramente por cima após primorosa jogada individual de Gaitán.

 

Os “encarnados” continuavam a carregar e à passagem do minuto 68, Douglão teve uma entrada à margem das leis sobre o belga das “águias”. Já com um amarelo o que se pedia era o segundo amarelo e consequente vermelho ao central, mas João Ferreira perdoou a expulsão. No livre, Bruno César atirou muito perto da baliza. O guarda-redes minhoto não tinha hipóteses de defesa.

 

Aos 74 minutos, Elderson entrou de forma dura sobre o número 8 da Luz. Penálti bem assinalado e amarelo para o nigeriano. Na conversão, Witsel deu justiça ao jogo e fez o 1-0 (77´).

 

A vantagem foi “sol de pouca dura”, pois passados cinco minutos, Elderson correspondeu bem a um livre apontado por Hugo Viana e empatou a partida. Porém, ainda nada estava perdido na luta pelo título e na compensação, o brasileiro Bruno César, após receber o esférico de Gaitán, colocou o Benfica na frente (90+2´), confirmando o triunfo do conjunto da casa.

 

Esta vitória dá um novo ânimo à equipa em vésperas de se deslocar a Londres para defrontar o Chelsea para a 2.ª mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

O Sport Lisboa e Benfica jogou com o seguinte onze: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Miguel Vítor (Matic, 67´), Capdevila; Javi García, Witsel, Bruno César, Gaitán; Rodrigo (Nolito, 79´) e Cardozo (Nélson Oliveira, 63´).

Texto: Marco Rebelo

Fonte: SLB /Bola

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.