Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

P. Ferreira – Benfica, 1-2 - Rescaldo e Resumo com Relato (Vídeo)

12.03.12, Benfica 73

O Benfica ganhou este domingo no recinto do Paços de Ferreira por 1-2, ficando, assim, a um ponto do primeiro lugar da Liga Portuguesa. Foi uma vitória do acreditar e da qualidade do futebol benfiquista.

 

Intensidade, muita intensidade. Foi isso que se viu por parte da equipa benfiquista desde o apito inicial frente ao Paços de Ferreira. Numa partida em que Capdevila, Nolito e Saviola foram as novidades apresentadas pelo treinador Jorge Jesus, o Benfica começou a chegar com perigo junto das redes de Cássio aos três minutos. O remate do espanhol foi travado pelo guarda-redes da formação da casa.

O Benfica continuou a mostrar a sua força ofensiva, obrigando o Paços de Ferreira a recuar no relvado. Aos 15 minutos, Saviola surgiu bem posicionado na área, contudo, o remate foi novamente defendido por Cássio.

 

Sempre com mais iniciativa de jogo e com olhos na baliza contrária, a formação da Luz voltou a estar muito perto de abrir o activo na Mata Real. Bruno César cruzou do lado direito, mas Cardozo não conseguiu chegar a tempo de empurrar o esférico para dentro da baliza (24 minutos).

 

Numa das poucas iniciativas que tinha tido até então, a equipa da casa chegou à área do Benfica e conseguiu, incrivelmente, abrir o marcador. Michel foi o autor do golo adversário (28 minutos).

Um resultado completamente injusto. Se dúvidas houvesse, o Benfica teve 63% de posse de bola contra 37% dos pacenses.


Saltar do banco para ajudar à reviravolta

O treinador Jorge Jesus mexeu ao intervalo, fazendo entrar Gaitán e Nélson Oliveira para os lugares de Nolito e Saviola. E foram precisamente os jogadores que entraram que estiveram na origem do primeiro golo. Nélson Oliveira escapou pelo lado direito e cruzou para o interior da área, onde surgiu Gaitán a concluir ao segundo poste. Cardozo também desempenhou um papel importante, já que deixou passar a bola para o desvio eficaz do argentino (63’).   

Depois de concluir a primeira etapa de chegar ao empate, o Benfica atacou o golo da reviravolta. E foi na cobrança de um livre directo que a equipa alcançou esse objectivo. De forma irrepreensível, Bruno César colocou a bola no fundo das redes de Cássio (68’).

 

Com entradas completamente fora de tempo, o Paços de Ferreira ficou reduzido a nove jogadores (Michel, 75’; Ricardo, 87’). Mas a arbitragem de Bruno Esteves já não esteve tão bem relativamente ao Benfica, pois ficaram pelo menos duas grandes penalidades por assinalar. Se tivesse cumprido o critério de arbitragem, Bruno Esteves teria de ter marcado três castigos máximos a favor do Benfica, um sobre Bruno César (42’) no primeiro tempo e duas sobre Nélson Oliveira (83’ e 90’).

 

Apesar destas situações, o Benfica cumpriu o seu objectivo e somou três pontos. Na próxima jornada, a equipa vai receber o Beira-Mar.

O Benfica alinhou com a seguinte equipa: Artur Moraes; Maxi Pereira, Jardel, Luisão e Capdevila, Javi García, Witsel, Bruno César e Nolito (Gaitán, 45’), Saviola (Nélson Oliveira, 45’) e Cardozo (Rodrigo, 90’).

Texto: Rui Manuel Mendes

Fonte: SLB

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.