Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Objectivamente por João Diogo – Jornal O Benfica

25.08.10, Benfica 73

Na última edição do semanário «Expresso» ninguém pode ficar indiferente a uma entrevista do “ressuscitado” Pinto da Costa falando com todo o desplante da sua «preocupação» pela arbitragem portuguesa, da sua falta de qualidade e das suspeitas de protecção a alguns clubes dando a entender que o Benfica tem sido o mais beneficiado! É preciso não ter ponta de vergonha para dizer certas coisas com a “maior cara de pau” do Mundo. Um indivíduo que só não foi condenado pelos tribunais portugueses porque os juízes não validara as escutas telefónicas que tão claramente o denunciaram como a pessoa que durante anos e anos manipulou a seu bel prazer as arbitragens, os dirigentes dos árbitros, os Conselhos de Disciplina e de Justiça e que, juntamente com o seu aliado Adriano Pinto, já falecido, deram «xitos» atrás de «xitos» como eles diziam a qualquer que ousasse pôr ordem nesse regabofe! Essas declarações, do ainda presidente do FC Porto, indignaram muita gente que ainda acredita na regeneração do Futebol Português, mas preocupou muitos outros que pensavam que o «monstro» já estava morto! Pelos vistos ainda estrebucha!

Jovens de esperança

Durante quinze dias assisti na cidade de Maputo aos Jogos da CPLP, onde participaram cerca de mil atletas de várias modalidades, mas de onde destaco seis jogadores do Benfica no Futebol, contribuindo esses de forma decisiva para a conquista da medalha de ouro para as cores portuguesas. Não poderia deixar de manifestar a minha enorme satisfação por ver tanta qualidade nestes jovens Sub-17 - que foram, sublinhe-se, superiormente dirigidos pelo nosso antigo jogador Emílio Peixe - e que nos dá grande esperança no futuro!

Foram todos eles extraordinários na forma como ultrapassaram dificuldades que nunca imaginariam ter. Campos pouco tratados, adversários duros e de grande fulgor físico, e, sobretudo, o contacto com uma realidade bem diferente da que vivem em Portugal no seu dia-a-dia. Essa experiência nunca a irão esquecer.

Autor: João Diogo

Fonte: Jornal O Benfica