Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Muita alma e coração dão triunfo justo - Rescaldo e Resumo com Relato (VIDEO)

29.01.12, Benfica 73

Feirense 1 - 2 Benfica

O treinador Jorge Jesus já o tinha dito na conferência de imprensa de antevisão à partida e o jogo foi mostrando isso mesmo à medida que os minutos iam passando. Não houve espaço para “nota artística”. Na partida referente à 17.ª jornada que colocou frente-a-frente o Feirense e o Sport Lisboa e Benfica, no estádio Marcolino de Castro, o resultado cifrou-se numa vitória do Clube da Luz por 1-2.

 

Para este desafio, os “encarnados” voltaram a apostar no 4-4-2 losango com Bruno César à esquerda e Witsel à direita nos lugares de Nolito e Gaitán, respectivamente.

 

O relvado foi a prova mais do que certa do velho ditado: “nem tudo o que parece é”. Antes do apito inicial, quem olhava para o relvado, este parecia-lhe em condições para um jogo de futebol organizado pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mas com a presença dos artistas, o tapete verde mostrou ter dupla personalidade e num instante era ver vários tufos levantados um pouco por todo o terreno de jogo.

 

O primeiro emblema a dar o mote foi o Benfica. Aos seis minutos e através de um livre directo, Aimar rematou mas Paulo Lopes segurou o esférico. O encontro era disputado sobretudo no “miolo” e aos 14´, Diogo Cunha tentou o centro, mas levou a bola a embater na barra da baliza defendida por Artur, mostrando que os comandados de Quim Machado são para se ter em conta.

 

A partir desse momento e até ao intervalo só deu Benfica e (quase) só Rodrigo. À passagem do minuto 17, Aimar fez um passe delicioso, Rodrigo, na meia direita, rematou cruzado obrigando Paulo Lopes a fazer uma grande estirada. Não satisfeito, o internacional Sub-20 espanhol continuou a “remar contra a maré” e aos 36 minutos Cardozo desviou de cabeça para o “19”, de primeira, tentar alvejar a baliza, mas a mira estava desafinada.

 

Ainda antes do intervalo de novo Rodrigo a levar perigo à baliza do Feirense. Decorria o minuto 39, Witsel e Maxi Pereira tiveram uma excelente combinação na direita com o belga a centrar com conta e medida para Rodrigo que, de cabeça, permitiu a defesa da noite a Paulo Lopes.

 

A etapa complementar arrancou de forma mexida e com dois golos a colorir o marcador. Primeiro, para o Feirense por Varela aos 49 minutos e após a marcação de um pontapé de canto, e passados quatro minutos o mesmo Varela fez autogolo após lançamento de linha lateral de Maxi Pereira e com desvio de cabeça de Cardozo. O avançado paraguaio estava muito em jogo e aos 66´ centrou para o segundo poste com Gaitán a rematar de cabeça e quase a confirmar a reviravolta. Não foi nessa altura, foi pouco depois.

Antes disso o “20” benfiquista centrou da direita, Rodrigo trabalhou muito bem e Paulo Lopes defendeu por instinto. Um minuto volvido, Varela (sempre ele) fez penálti sobre Rodrigo e Cardozo voltou a facturar de grande penalidade (73´).

 

Daí e até final, os pupilos às ordens de Jorge Jesus controlaram as operações e registo apenas para um remate perigoso de Witsel aos 88 minutos.

 

O Sport Lisboa e Benfica apresentou o seguinte onze: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Emerson; Javi García, Witsel, Bruno César (Gaitán, 60´), Pablo Aimar (Nolito, 60´); Rodrigo e Cardozo (Matic, 90´).

Fonte: A Bola / SLB

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.