Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Maxi grita por descanso

11.01.12, Benfica 73

Esta época ainda vai a meio e Maxi Pereira, que até nem é rapaz de se lamentar, por esta altura já deverá "gritar" no seu interior por algum descanso. Começando por olhar aos factos, o lateral-direito é de longe o jogador do plantel com as pernas mais sobrecarregadas, tendo fechado o ano de 2011 com um total de 5253 minutos, contabilizados ao longo de 64 jogos: 50 pelo Benfica, mais 14 ao serviço do seu país. Para se ter uma ideia, o segundo jogador mais utilizado é Luisão e está a uma distância considerável do lateral-direito uruguaio: 55 jogos e 4750' .

E se Rúben Amorim era quem ainda vinha fazendo as dobras ao internacional uruguaio, a sua iminente saída - está em rota de colisão com Jorge Jesus e também suspenso de toda a actividade na Luz - vem agudizar ainda mais o problema. Para tentar aliviar as costas do camisola 14, a SAD já tratou de fazer regressar o jovem André Almeida do empréstimo ao Leiria, mas também ele não oferecerá a fiabilidade do sul-americano nos jogos "a doer". Na prática, El Mono continua sem uma alternativa ao seu nível e o facto não preocupa apenas os encarnados. Ao longe, os responsáveis da selecção uruguaia receiam que Maxi Pereira gripe o motor um dia destes.

"Seguimos sempre pormenorizadamente o percurso de todos os jogadores, vemos todos os jogos, sabemos a intensidade dos treinos, e o que sempre me preocupou com o Maxi é o facto de ele jogar sempre. Não tem períodos de descanso e isso pode resultar em prejuízo para ele - e para a equipa, claro - a qualquer momento. Sempre tivemos algum receio que ele quebrasse. O Benfica deveria arranjar-lhe uma alternativa. Não só porque a concorrência faz a excelência, mas também para podermos ter o Maxi disponível por muitos mais anos, tanto no Benfica, como na selecção", dispara o preparador-físico da selecção uruguaia, José Herrera, em declarações a O JOGO.

O técnico frisa que Maxi "também tem tido sorte, por não sofrer lesões", mas dessa forma também acaba por estar "sempre à disposição dos treinadores". "Quando veio da Copa América, por exemplo, também mal descansou e pôs-se logo às ordens do treinador do Benfica", lembra. Tal só é possível, explica Herrera, porque o camisola 14 "tem condições excepcionais do ponto de vista físico": "Há muito de genética. Ele nasceu com uma forte componente aeróbica, mas depois conseguiu desenvolvê-la ainda mais em treino. Para além disso, ainda consegue ser rápido. É fisica e mentalmente muito forte."

Muitos perguntarão como é possível, então, Maxi Pereira automotivar-se para manter um rendimento tão linear ao longo dos anos, não tendo a já referida concorrência à altura (desde Patric a Luís Filipe, passando por adaptações de Amorim, Miguel Vítor e até Airton). José Herrera esclarece que tudo passa por "um processo interior, em que o jogador procura sempre transcender-se". "O Maxi tenta colocar constantemente a fasquia mais elevada. Isso, aliado à sua capacidade de sacrifício, ajuda-o nesse capítulo e também a ser um exemplo na selecção uruguaia", remata.

Fonte: O Jogo

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.