Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Roderick: «O início de uma grande carreira»

13.11.11, Benfica 73

RECORD – A experiência no Servette tem sido proveitosa
RODERICK – Sim, estou a gostar bastante. Estou a viver noutra cultura, a aprender a estar sozinho e a jogar noutro campeonato, o que me tem feito crescer. Esperava jogar o mais possível e, felizmente, isso tem acontecido.

R – Após uma época em que jogou pouco, sentiu a diferença de andamento?
R – Inicialmente, senti-me um pouco inadaptado, mais por causa da língua, pois não compreendia os meus companheiros. Mas já consigo comunicar dentro e fora do campo. De resto, devido ao Mundial de Sub-20, já vinha com preparação

R – Como é que surgiu a oportunidade de vir para a Suíça?
R – Antes do Mundial, já se falava do Servette. Quando voltei da Colômbia, entendi que seria a melhor opção. Queria era jogar e, na conversa que tivemos, o míster João Alves, que foi meu treinador nos juniores do Benfica, disse-me que este era o melhor sítio para jogar e evoluir. Foi a decisão acertada.

R – No Benfica, deram-lhe alguma opinião?
R – Deram. Disseram-me que seria mais proveitoso sair, para rodar e evoluir. Falei com António Carraça, que me aconselhou a vir. Ficando no plantel, teria pouco espaço. Nesta fase da carreira, o mais importante é jogar.

R – Em que medida é que o Servette o tem ajudado a evoluir?
R – De jogo para jogo, sinto que estou a evoluir e a aumentar a minha produtividade. O míster e outras pessoas dizem que estou cada vez melhor, errando menos. Sou mais agressivo a jogar, que era uma das minhas lacunas. O bom do empréstimo é poder evoluir, para que no próximo ano, quem sabe, discutir um lugar no Benfica.

Fonte: Record

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.