Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

«Ainda temos uma palavra a dizer» (com vídeo)

21.11.12, Benfica 73

O treinador do Benfica não tem dúvidas que, no jogo desta terça-feira, o Benfica provou ser melhor equipa do que o Celtic e que, por isso, merece seguir em frente na Liga dos Campeões.

«Sentimos que somos mais equipa do que o Celtic, Mostrámos isso nos dois jogos. Temos esperança e vamos para Barcelona a pensar que podemos sair de lá vencedores, vamos com essa convicção. Ainda temos uma palavra a dizer», disse um assertivo Jorge Jesus.

O técnico ainda sofreu um susto quando o Celtic marcou o golo do empate na sequência de um canto. Jorge Jesus explicou o lance com um bloqueio que foi feito ao guarda-redes Artur.

«O Artur foi bloqueado e não teve possibilidades de se fazer à jogada. A partir daí tivemos dificuldades para parar aquela bola. Trabalhámos durante a semana para isso. Nós éramos a única equipa que ainda não tinha sofrido golos contra eles de bola parada, mas acabámos por sofrer hoje», explicou.

Porém o Benfica havia de marcar na segunda parte e selar um triunfo «com justiça», na opinião do técnico.

Segue-se agora uma deslocação difícil e decisiva a Camp Nou.  Jorge Jesus considera que na Liga dos Campeões estão «as melhores equipas do Mundo» e que aqui podem surgir «resultados surpreendentes». Nesse sentido, o técnico considera que o Benfica «pode surpreender o Barcelona» e qualificar-se.

Fonte: Sapo Desporto

«Acreditamos na vitória em Barcelona»

21.11.12, Benfica 73

O lateral direito André Almeida acredita que o Benfica tem equipa para vencer em Barcelona, na última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, e assim conseguir o apuramento para os oitavos de final.

«Claro que acreditamos. É possível. Trabalhamos bem, a equipa está bastante forte e unida. Acreditamos na vitória em Camp Nou», disse o jogador na zona mista após o encontro com os escoceses.

Para o jogador, o Benfica mostrou esta noite que «é uma equipa forte, capaz de vencer em qualquer campo».

Novamente chamado por Jorge Jesus para o onze inicial, André Almeida não se deslumbra e garante que «não há presenças definitivas». «Vou continuar a trabalhar para merecer a oportunidade», frisou.

Com esta vitória, o Benfica parte para a última jornada com os mesmos pontos do Celtic, mas com vantagem no confronto direto.

Fonte: Sapo Desporto

Quem fala assim não é gago!

21.11.12, Benfica 73
O treinador do Benfica garante que a equipa irá apresentar-se em Barcelona, na última jornada do Grupo G, com a mesma mentalidade de sempre com o objetivo de lutar pelo apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões.

«Como vamos apresentar-nos em Barcelona? Com a mesma postura de sempre, não vamos mudar nada. Temos mais do que uma ideia de jogo, que temos vindo a adquirir com o trabalho ao longo dos anos, e não vamos mudar», disse Jorge Jesus, alertando que o Benfica não terá tarefa facilitada se Tito Vilanova decidir rodar a equipa, visto que já tem garantido o apuramento para a próxima fase da competição:

«O Barcelona é a melhor equipa do Mundo. É verdade que há um jogador [Lionel Messi, n.d.r.] que faz a diferença e, sem ele, o Barcelona não é tão forte. Não sei ele se vai ou não jogar, mas, com ou sem Messi, vamos mentalizados para ganhar.»

Sobre a vitória (2-1) sobre o Celtic, que mantém os encarnados na luta por um lugar nos “oitavos”: «Fizemos um bom jogo, dento do que temos vindo a fazer. Vencemos uma equipa que tem tido alguma sorte na Champions. Marcaram de bola parada, fomos apanhados de surpresa mas sabíamos de antemão o que podiam fazer. Mas, a seguir ao Barcelona, somos a equipa mais forte do grupo. O Benfica é mais forte do que o Celtic, apesar de eles terem vencido em Barcelona. O nosso segundo objetivo foi alcançado, que era estar na Liga Europa. O primeiro objetivo, que é passar aos oitavos de final, ainda é possível.»
Fonte: A Bola

«Há que dar crédito ao Benfica» - (com vídeo)

21.11.12, Benfica 73

O treinador dos escoceses estava obviamente desapontado com a prestação da sua equipa, mas continua a acreditar que o seu conjunto seguirá em frente na Liga milionária.

«Não estivemos bem esta noite, mas há que dar crédito ao Benfica que fez um bom jogo. Agora o que temos de fazer é ganhar em casa e esperar que o Benfica não o faça em Camp Nou, que nunca é um campo fácil. Nós devemos é pensar em nós e não nos outros resultados», deixou claro, em conferência de imprensa.

Neil Lennon promete uma equipa a jogar no limite no jogo decisivo com o Spartak, que será disputado no Celtic Park.

O Benfica ocupa, nesta altura, o segundo lugar do grupo G com sete pontos somados, os mesmos que o Celtic Glasgow, porém está em vantagem no confronto direto após o triunfo desta terça-feira. 

Fonte: Sapo Desporto

Benfica vence Celtic (2-1) - Rescaldo e Resumo (vídeo)

21.11.12, Benfica 73

O sonho europeu continua vivo! Com a vitória – justíssima – frente ao Celtic (2-1), o Benfica continua a manter aspirações intactas no que às competições europeias diz respeito. Dia 5, em Barcelona, mais uma vez é o tudo ou nada… e, com esta atitude e ambição, há que acreditar!

Tudo ou nada! Com uma vitória, um empate e duas derrotas no Grupo G da Liga dos Campeões, ao Benfica restava somente uma de duas hipóteses para continuar a sonhar: ganhar… ou ganhar! E, mesmo assim há que aguardar pela última jornada (com o Benfica a viajar até Espanha para defrontar o Barcelona), para aferir com todas as certezas as contas finais.

 

Mas vamos por partes, ou seja, o mesmo que dizer, jogo a jogo! E a primeira batalha, numa guerra que esperamos ainda longa, foi nesta noite de terça-feira.

Benfica e Celtic de Glasgow, frente-a-frente, para mais uma noite europeia, com o Estádio da Luz a ser o palco das emoções. Com o Barcelona já apurado para a fase seguinte, os dois emblemas tinham ainda uma palavra a dizer e, apesar da história contar tantas histórias, o favoritismo prova-se dentro de campo.

Com algumas alterações no figurino, foi um Benfica com a ambição de sempre, aquele que subiu ao relvado da Catedral. Em cima da mesa, neste caso, no tapete verde da Luz, três vectores em disputa: o prestígio desportivo, o cimentar da marca e ainda os importantes euros oriundos da Liga Milionária.

                                                               

Golo madrugador… empate injusto!

Imbuído neste espírito, o Benfica entrou com tudo na partida. Cardozo deu o mote no minuto inicial, com um remate poderoso de fora da área, a passar por cima da trave. O Celtic surgiu em campo com as linhas muito subidas e a equipa “encarnada” agradeceu e não se fez rogada: aos seis minutos a primeira explosão de alegria na Luz. Grande jogada do colectivo, insistência de Salvio, com Ola John a surgir solto no coração da pequena área a rematar de primeira, rasteiro, para o primeiro golo da noite e o seu primeiro de “águia ao peito”.

Em vantagem, o Benfica geria a posse de bola, privilegiando a segurança, face um Celtic completamente amorfo. Consequência? Jogo “mastigado”, pragmático e sem grandes ocasiões.

 

Em cima da meia hora, misto de emoções. Primeiro, agressão a Enzo Perez (cotovelada de Wanyama) a passar impune; depois, Lima assiste Cardozo, mas desta vez a bola sai ao lado do poste, perdendo-se um golo de belo efeito… E veio então a injustiça! Na primeira vez que o Celtic se acercou da baliza de Artur, no primeiro remate que realizou… chegou o empate! Canto cobrado, Samaras, livre de marcação, cabeceia para o golo!

Com a igualdade restabelecida, o Benfica acusou um pouco o tento sofrido, perdendo o controlo de um desafio que, até então, geria a seu belo prazer e arriscando-se a perder definitivamente o comboio da Liga Milionária.

Nos últimos cinco minutos a equipa reagiu, carregou, destacando-se os remates de Ola John, Matic e Salvio, mas sempre inconsequentes. Nota ainda para nova agressão a Enzo Perez, aos 38’, desta feita com Samaras a ser o protagonista… o árbitro húngaro mostrou amarelo! Ao intervalo, o empate castigava os homens da Luz.

 

E da injustiça… fez-se justiça!

À semelhança da primeira metade, o Benfica entrou determinado para os últimos 45’ da partida. Mais do que nunca era o tudo por tudo e era

necessário inverter o rumo dos acontecimentos. Aos 52’, grande jogada pela esquerda do ataque, com Adam Matthews, por duas ocasiões a fazer de bombeiro e a evitar o golo da vantagem. Seguiram-se várias investidas, com os “encarnados” a sufocarem por completo os escoceses. Enzo Perez, Luisão, Matic, Lima e Salvio tentaram a sorte, mas a “redondinha” teimava em não entrar.

Os minutos corriam, a ansiedade aumentava, e o Benfica continuava a produzir ofensivamente… e “tantas vezes vai o cântaro à fonte”: minuto 70’, cruzamento largo para a área e inesperadamente, longe da sua habitual área de intervenção, surge o central Garay que, com um remate poderoso – de primeira – coloca o Benfica em vantagem, uma vantagem, diga-se, há muito merecida.

 

A vencer, os “encarnados” não tiraram o pé do acelerador e, não fosse a sorte madrasta, se é que nestas andanças se pode falar neste factor, o Benfica poderia ter resolvido a contenda a seu favor. É que com um remate surpreendente, a largos metros da área, Salvio acerta direitinho na trave de Forster. Minutos depois foi a vez de Cardozo, na cobrança de um livre, testar os reforços do guardião adversário… e que defesa!

Com cerca de 15’ até ao apito final, Jorge Jesus faz algumas mexidas no onze. Era preciso manter a cabeça fria, gerir de forma inteligente e segurar os três pontos…. E assim foi! Apito final, 2-1, vitória justa do Glorioso!

A decisão final acontece no próximo dia 5 de Dezembro, com o nosso Benfica a viajar até Camp Nou para defrontar o Barcelona, naquela que será a derradeira ronda da Fase de Grupos da Liga dos Campeões, em mais um jogo do tudo ou nada: Rapazes, há ordem para sonhar!

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay e Melgarejo; Matic (Maxi Pereira, 77’), Enzo Perez, Salvio (Jardel, 90’) e Ola John; Lima (Garay, 75’) e Cardozo.

Ver Ficha de Jogo aqui: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=161762

Fonte: A Bola / SLB

Versão feminina de Tiger Woods nos ‘greens’ (veja as fotos)

21.11.12, Benfica 73
A britânica Sophie Horn tornou-se uma celebridade nos campos de golfe de todo o Mundo. Foi campeão três vezes consecutivas num torneio em Norfolk County, na Inglaterra quanto tinha 15 anos (mas competiu com atletas de 21 anos), mas conforme foi evoluindo na carreira e a competir mais a sério os bons começaram a diminuir. Contudo, outras portas se foram abrindo. 
Graças aos seus atributos físicos e beleza, Sophie Horn depressa ingressou no mundo da moda, passou a colaborar com uma revista inglesa especializada na modalidade, a Golf Punk, e até se tornou apresentadora de um programa sobre golfe da TV irlandesa e tem um programa em versão online na Sky Sports.
A atleta até já participou em eventos na famosa mansão da Playboy, a casa de Hugh Hefner e suas coelhinhas. Já foi loira e morena, mas sem saber em qual das versões fica mais bela... 
Fonte: A Bola
Sophie
A
Horn
Beleza
Sophie
Numa
A
Loira
Num
O
Sophie