Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

«Vamos baixar as quotas e os bilhetes até janeiro»

20.10.12, Benfica 73
O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, durante um jantar, com as 12 casas do clube encarnado no Algarve, revelou que pretende uma redução nas cotas e bilhetes para garantir a lotação máxima no Estádio da Luz em todos os jogos.
«Vamos baixar as quotas e os bilhetes até janeiro. Esta medida já estava a ser pensada e não é demagogia. Quero um estádio sempre cheio e não meia casa», afirmou Luís Filipe Vieira.
Fonte: A Bola

Gaitán corre para Moscovo

20.10.12, Benfica 73
Nico Gaitán, a recuperar de um traumatismo na sequência do jogo amigável em Abu Dhabi, no último fim-de-semana, é ainda dúvida para o desafio de terça-feira da Liga dos Campeões, embora exista a possibilidade de ser incluído no grupo que vai viajar para Moscovo, na expectativa de estar a cem por cento para o encontro. 

De fora estará Pablo Aimar. O argentino volta a constituir importante baixa na equipa dirigida por Jesus, que já conta com Melgarejo e também Carlos Martins, este até já jogou com o Freamunde depois de alguns problemas físicos.

Depois de ter falhado o encontro da Taça de Portugal (4-0) frente ao Freamunde, Garay, Enzo Pérez e Maxi Pereira, que estiveram ao serviço das respetivas seleções e só chegaram a Lisboa na última quinta-feira, deverão ser titulares na partida desta terça diante o Spartak, a contar para a terceira jornada do grupo G da Liga dos Campeões

A equipa encarnada viaja este domingo para a capital russa, Moscovo.
Fonte: A Bola

«lei do silêncio»

20.10.12, Benfica 73
O candidato da Lista B às eleições do Benfica, Rui Rangel, manifestou-se esta sexta-feira contra a falta de diálogo da Lista A, de Luís Filipe Vieira, que segundo o juiz desembargador «ofende a memória e história do Benfica e lança um manto de censura sobre a discussão positiva e construtiva que a todos conviria a fim de, mais e melhor, poderem formar a sua opinião e exercerem o seu direito de voto no próximo dia 26 de outubro».
Em comunicado enviado às redações, Rui Rangel questiona como é possível «não promover o debate positivo quando na Lista A entra Manuel Alegre, ex-candidato a Presidente da República e poeta da liberdade, que advoga o livre debate de ideias em nome de um objetivo comum».
O candidato da Lista B deixa o desafio a Luís Filipe Vieira para que haja «um debate público, aberto, democrático e cordial».

O Comunicado de Rui Rangel:
De forma anti-democrática e reveladora de uma postura lesiva dos altos interesses dos associados, e do próprio Sport Lisboa e Benfica, os responsáveis da Lista A, presidida por Luís Filipe Vieira, têm fugido descaradamente à necessária postura de esclarecimento que se lhes exige enquanto actuais titulares e recandidatos aos corpos sociais do nosso Clube.

Face à sistemática recusa em participarem em debates ou encontros públicos e organizados pelos órgãos de comunicação social, a Lista B, presidida pelo juiz desembargador Rui Rangel, vem desta forma manifestar o seu mais vivo repúdio pela inacreditável ‘lei do silêncio’ que ofende a memória e a História do Benfica e lança um manto de censura sobre a discussão positiva e construtiva que a todos conviria a fim de, mais e melhor, poderem formar a sua opinião e exercerem o seu direito de voto no próximo dia 26 de Outubro.

Claro que Luís Filipe Vieira não é o único responsável da Lista A que se tem demarcado do necessário e urgente debate público. Depois da evidência do seu receio em enfrentar Rui Rangel, também Rui Gomes da Silva, por exemplo, se escusou a debater com Francisco da Cunha Leal a vida do Sport Lisboa e Benfica nos únicos moldes que à Lista B – e ao Glorioso – interessava: de forma elevada, esclarecedora e útil para todos!

Perguntamos: como será possível não promover o debate positivo quando na Lista A entra Manuel Alegre, ex-candidato a Presidente da República e poeta da liberdade, que advoga o livre debate de ideias em nome de um objectivo comum, isto é, a defesa de um Clube cada vez mais transparente e próximo dos adeptos?
Mais: como é, em suma, possível que em pleno período eleitoral uma das partes, por sinal, a que está ainda ano poder, não queira efectivamente debater tudo aquilo que interessa ao presente e ao futuro do nosso Benfica?

Por isso, uma vez mais, desafiamos Luís Filipe Vieira e a sua lista, a um debate público, aberto, democrático e cordial.
É tudo isto que o candidato da lista B, o juiz desembargador Rui Rangel, defende e acredita: devolver o Benfica aos Benfiquistas, rumo à vitória!
Fonte: A Bola

Miguel Vítor de saída no final da época

20.10.12, Benfica 73
Fim da linha para Miguel Vítor. O defesa central, de 23 anos, termina contrato no final da época e não vai renovar. A relação entre o jogador, Jorge Jesus e a SAD chegou a um ponto de rotura e a saída no final da época é o cenário que se coloca.

A recente chamada de Sidnei ao onze titular, anteontem, em Freamunde (Taça de Portugal) foi o sinal mais recente de que não entra nas contas. Quando se esperava que Miguel Vítor fosse titular, num jogo propício aos menos utilizados, Jesus decidiu deixá-lo no banco e apostar no brasileiro, que até há bem pouco tempo estava a treinar-se na equipa B, porque o próprio técnico recusou integrá-lo no plantel, no início da época - Sidnei não encontrou colocação durante o defeso e chegou com dez quilos a mais, entretanto já queimados.

Miguel Vítor recusou uma proposta de renovação apresentada pela SAD, no início da temporada. O torriense, que ganha bem menos que Sidnei (contratado em 2008 ao Internacional de Porto Alegre e por quem as águias pagaram, em dois momentos diferentes, um total de sete milhões de euros), não aceitou um novo contrato, de longa duração, para receber o dobro do que aufere atualmente. Ele que, recorde-se, está no fundo da tabela salarial da equipa.

Jorge Jesus nunca escondeu que Miguel Vítor não faz parte das primeiras escolhas. Mas o defesa foi ficando, por ordens de Rui Costa (2009/10) e de Luís Filipe Vieira (2011/12 e 2012/13, depois de um empréstimo ao Leicester, de Inglaterra, em 2010/11). Porque era preciso preencher a quota de portugueses na UEFA e na Liga e também porque os dirigentes sempre viram nele qualidades para representar a política de formação do clube.
Fonte: A Bola