Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

«Patrocínio nas camisolas exclusivo»

13.08.11, Benfica 73

O Benfica não quer partilhar um dos seus principais patrocinadores com o FC Porto e o Sporting.
Segundo apurou o Correio Sport junto de fontes encarnadas, a SAD está disposta a renovar o actual contrato de patrocínio com a Portugal Telecom (que inclui publicidade nas camisolas, naming das bancadas e transmissão do Benfica TV no Meoi), mas pretende que a operadora deixe de estar presente nas camisolas e nos estádios do FC Porto e do Sporting.

Fonte: A Bola / CM

Granada confirma Carlos Martins

13.08.11, Benfica 73

O Granada, clube promovido à principal Liga espanhola, confirmou hoje ter chegado a acordo com o Benfica para o empréstimo do médio Carlos Martins. 
«O jogador é esperado chegar a Granada no domingo. Na segunda-feira vai realizar exames médicos e, de seguida, irá juntar-se ao treino do plantel», pode ler-se no comunicado do clube espanhol.
O acordo de empréstimo é válido por uma época, permitindo a segunda experiência ao jogador no futebol espanhol, depois de ter representado o Recreativo Huelva na época 2007/2008.

Fonte: A Bola

Jesus: «Aimar pediu para sair»

13.08.11, Benfica 73

«O Aimar pediu para sair, porque tinha um problema muscular. A solução foi entrar o Axel [Witsel]. Achei que era melhor que o Axel não jogasse de início, face às viagens que teve. Viu-se na segunda parte que não era o mesmo jogador.» 
[Falta uma alternativa a Cardozo?] «O Cardozo jogou pelo Paraguai e deve estar a chegar hoje a Portugal e por isso não foi convocado. Mas é um jogador que sentimos que é importante para a equipa, que tem uma maneira de jogar diferente dos outros avançados que temos. Mas hoje não estava cá e já vamos ter o Cardozo para terça-feira.»
[Por que não lançou Mora?] «O Rodrigo Mora é um avançado que começou a pré-epoca lesionado. Apesar do empate não achei importante substituir avançado por avançado. Ele está à procura do espaço dele ainda e irá conquistá-lo no futuro.» 

Fonte: MaisFutebol

O terceiro desaire de Jesus

13.08.11, Benfica 73

Com o empate de ontem, em Barcelos, o Benfica elevou para dez os jogos de estreia sem ganhar no novo século. Desde a temporada 2000/01, isto é, em 12 jogos, os encarnados só entraram no campeonato com pé direito sob o comando de Jesualdo Ferreira – vitória sobre o Marítimo (3-0), em 2002/03 – e Giovanni Trapattoni – 3-2 na visita a Aveiro, em 2004/05, numa temporada em que acabaria por conquistar o título nacional. Dos 12 jogos, três foram em casa e nove decorreram fora de portas.

Jesus, único treinador encarnado que inicia a terceira época à frente da equipa desde o início dos anos 90, somou assim o terceiro desaire no arranque da temporada. Foi assim com o Marítimo de Carlos Carvalhal (1-1) e com a Académica de Jorge Costa (1-2), ambos na Luz. Tendo em conta a partida de 2010, é curioso que o responsável pelo desalento encarnado tenha sido o mesmo: Laionel.

Fonte: Record

Witsel: «Os adeptos adoram-me»

13.08.11, Benfica 73

Axel Witsel está impressionado com os primeiros tempos no Estádio da Luz. O médio, de 22 anos, diz-se fascinado com a envolvência do novo clube, com os adeptos e também com as condições que encontrou nesta primeira aventura fora da Bélgica.

“Os adeptos adoram-me. Se acreditar no que diz a imprensa, a minha camisola é a mais vendida, assim como a do Nolito, que chegou do Barcelona. Durante os primeiros jogos, vi muitos cartazes no estádio a pedirem a minha camisola. Portugal é um país de futebol. Há três jornais desportivos, que falam muito do Benfica. Há milhares de pessoas nos treinos abertos e o Estádio da Luz, com 67 mil adeptos, é muito ruidoso”, afirmou em declarações ao jornal “DH”.

Mas não é apenas fora do campo que as coisas estão a correr bem. Isto porque o futebolista considera que o tipo de jogo que se pratica no nosso país está mais de acordo com as suas características. “O futebol é muito mais rápido do que na Bélgica. Joga-se verdadeiramente futebol, a bola está sempre no chão e todos os jogadores são muito técnicos. Isso combina comigo”, frisou.

Fonte: Record

Vieira e Rui Costa no balneário

13.08.11, Benfica 73

Presidente e director-desportivo estiveram com o grupo no final do jogo em Barcelos. Expressões carregadas. 
O empate a dois golos registado em Barcelos foi valente soco no estômago dos benfiquistas e entre a comitiva encarnada não se viu outra coisa senão expressões carregadas na face de todos os protagonistas. 

Os dirigentes do Benfica não foram excepção e no final do encontro o presidente do clube da Luz, Luís Filipe Vieira, não deixou de ir ao balneário falar com o grupo, assim como o director-desportivo Rui Costa, que até se demorou mais do que o líder encarnado.

No final, não se ouviram declarações sobre a situação, mas os rostos dos jogadores e do treinador Jorge Jesus estavam visivelmente carregados e tensos quando abandonaram o balneário reservado à equipa visitante para se dirigirem para o autocarro que conduziria a equipa até Lisboa.

Apesar da frustração de um resultado que pode começar a atrasar a equipa na luta pelo título ainda se sentiu na zona da garagem do Municipal de Barcelos algum apoio aos benfiquistas, que retribuíram como puderam. O guarda-redes Eduardo não deixou de dar alguns autógrafos a jovens adeptos que se encontravam no local e Nico Gaitán posou para a fotografia antes de abandonar o local.

Fonte: A Bola

«Queremos ser campeões» - Rúben Amorim

13.08.11, Benfica 73

Titular em Barcelos no lado direito da defesa, Rúben Amorim diz que o empate com o Gil Vicente não vai desviar o Benfica do objectivo de ser campeão. 

«Perdemos dois pontos mas a pressão é igual. O Benfica tem sempre de ser campeão. Gostaríamos de ter ganho, mas o empate em nada altera a nossa maneira de estar. Queremos ser campeões», afiança.

«Não foi uma noite feliz da nossa equipa. Fizemos dois golos, o Gil Vicente reduziu e galvanizou-se. Há dias assim, temos de perceber o que aconteceu», refere.

Fonte: A Bola

«Empate com sabor a derrota» - Jorge Jesus

13.08.11, Benfica 73

Jorge Jesus lamenta oportunidades de golo desperdiçadas e diz que Franco Jara poderia ter sentenciado o jogo. Aponta ausência de «criatividade técnica» na recta final para lograr o triunfo em Barcelos.
«Entrámos muito fortes, fizemos dois golos e sofremos um a acabar a primeira parte, que deu confiança e crença aos jogadores do Gil Vicente de que seria possível virar o resultado. Na segunda parte criámos várias oportunidades para marcar, o Jara desperdiçou um lance na cara do guarda-redes que poderia ter acabado com o jogo. O Gil Vicente acreditou sempre que poderia empatar e acabou por consegui-lo, com um excelente golo do Laionel. Mantiveram-se depois sempre bem posicionados defensivamente, não nos deixando criar espaços», analisou o treinador dos encarnados, em declarações à TVI.
Jorge Jesus diz que o facto de o Benfica não vencer na primeira jornada há seis épocas - agora sete - não condicionou a prestação dos jogadores.
«Isso poderia acontecer se a equipa estivesse em desvantagem, mas estivemos a vencer por 2-0 e os jogadores tinham margem para gerir. Normalmente, o Benfica não se deixa empatar depois de estar a vencer por 2-0. Depois do empate, os jogadores ficaram um pouco apreensivos e reagiram com o coração. Só com alguma criatividade técnica seria possível fazer melhor nos minutos finais», considerou.
Sobre a ausência de Luisão... «Hoje jogou Jardel. Luisão é determinante até nos lances de bola parada, mas temos de acreditar em todos os jogadores».
Já na conferência de Imprensa, Jorge Jesus reconheceu que o empate com o Gil Vicente «teve sabor a derrota». O deslize, frisou, não vai ter consequências no jogo de terça-feira com o Twente, na Holanda, da primeira mão do play-off de acesso à Liga dos Campeões.
«São competições diferentes, mas é óbvio que uma vitória no jogo de hoje nos daria mais confiança», concedeu.

Fonte: A Bola

«Temos todo o campeonato pela frente» - Saviola

13.08.11, Benfica 73

Autor do segundo golo do Benfica em Barcelos, Javier Saviola não escondeu o desânimo com o empate diante do Gil Vicente. Avançado argentino ressalvou, porém, que o campeonato está apenas no início. 
«Não conseguimos o objectivo a que nos propúnhamos. Lutamos sempre pela vitória, era importante começar a ganhar. Conquistámos um ponto, temos todo o campeonato pela frente. Esperamos melhorar e que as coisas possam correr melhor», disse Saviola, em declarações à TVI.

Fonte: A Bola

Gil Vicente impõe empate (2-2) ao Benfica em Barcelos - Rescaldo e Resumo

13.08.11, Benfica 73

Gil Vicente 2 - 2 Benfica

Gil Vicente e Benfica empataram (2-2) em Barcelos, no jogo inaugural da Liga. Encarnados desperdiçaram vantagem de dois golos, construída nos primeiros 20 minutos. Águias elevam para sete o número de épocas sem vencer a primeira partida do campeonato. 
Entrada de rompante do Benfica traduziu-se em golo logo aos sete minutos. Abertura soberba de Ruben Amorim, Nolito fugiu à marcação e, já no interior da área, atirou de pé direito para o fundo das redes.
O Gil Vicente manteve-se sempre organizado e lançou-se em busca do empate, provocando vários calafrios no último reduto dos encarnados. Luis Carlos e Hugo Vieira testaram a atenção de Artur.
Seria, porém, o Benfica a ampliar a vantagem, à passagem do minuto 20. Saviola encostou para o fundo das redes, após uma combinação perfeita com Jara.
Para os muitos adeptos do Benfica que marcaram presença em Barcelos, o vencedor estaria encontrado. Puro engano. O Gil Vicente abanou mas não caiu, e logrou reduzir por Hugo Vieira, aos 37 minutos, na sequência de um erro cometido por Rúben Amorim.
Luis Carlos, já no período de compensação, poderia mesmo ter devolvido a igualdade ao marcador. Valeu ao Benfica a atenção de Artur.
À semelhança dos primeiros 45 minutos, voltou o Benfica a protagonizar entrada a todo o gás na etapa complementar, ameaçando o golo por Saviola e Jara. Este último deverá estar ainda a interrogar-se como conseguiu falhar o que parecia ser um golo certo. 
O jogo perdeu a intensidade e dinamismo que pautara os 45 minutos iniciais e só voltou a proporcionar algum frisson aos 73 minutos, com um remate de Nolito que fez a bola passar a escassos centímetros do poste direito da baliza defendida por Adriano.
Não marcou o Benfica, marcou o Gil Vicente no lance imediato. Momento de inspiração de Laionel – leia-se remate fulgurante de fora da área - valeu a igualdade aos gilistas. Repetiu a façanha da época passada o brasileiro, quando marcou um grande golo ao Benfica no Estádio da Luz, então com as cores da Académica, também na jornada inaugural da Liga.
O disparo colocado de Laionel acabaria por ditar o resultado final.

Fonte: A Bola / SLB

A minha análise individual à equipa

13.08.11, Benfica 73

Artur - Muito seguro, um dos melhores em campo sem culpas nos golos.

 

Rúben Amorim - Razoável atacar e um desastre autêntico a defender, com culpas no primeiro golo, um erro inacreditável …

 

Jardel – Jogo mediano de um jogador também ele mediano, sem categoria para estar num plantel de um clube como o Benfica, no entanto não foi

por ele que o Benfica empatou.

 

Garay – Bom jogo de um jogador com classe.

 

Emerson – Não se pode comparar este jogador com Fábio Coentrão. Neste jogo pareceu sempre ansioso e hesitante. Para já não convence.

 

Javi Garcia – O mesma entrega de sempre, um jogador que não sabe jogar mal, bom jogo.

 

Aimar – 45 minutos em campo, onde se viu muito pouco para o que estamos habituados.

 

Gaitán -  Camisola 20 em campo mas o atleta “não esteve”. Nenhuma entrega ao jogo, as vezes que tocou na bola, o fez sempre mal, ora a finta não saía ora o passe era errado.

 

Nolito – Mais uma vez um dos melhores senão o melhor jogador do Benfica esta noite. Dá impressão que o Benfica só marca se a bola passar por ele. Fez o primeiro golo do Benfica e o primeiro do campeonato, até por isso já fica para a história.

 

Jara – Uma noite, um jogo para esquecer, como é possível falhar tanto, nem sozinho com a baliza escancarada consegue acertar. Para qualificar esta exibição de Jara teria de utilizar todos os adjectivos negativos que existem. À semelhança de Gaitán, os dois piores em campo.

 

Saviola – Bom jogo do argentino, coroado com um golo.

 

Witsel – Entrou para o lugar de Aimar, fez um bom jogo. Está aqui um jogador que promete fazer uma grande época.

 

Perez – Entrou bem no jogo, o Benfica passou a jogar melhor, pena ter entrado muito tarde, pois Gaitán já devia ter sido substituído há muito mais tempo.

 

Jorge Jesus – Apenas uma coisa tenho apontar, como é possível ter deixado estar Gaitán tanto tempo em campo quando toda a gente viu que andava ali arrastar-se.

Nota Final – Quando um Gil Vicente que tem um orçamento de 3 milhões de euros, consegue bater-se de igual com o Benfica, que mais posso dizer… apenas que o Benfica devia ter vergonha pelo jogo que realizou. Se os jogadores do Benfica tivessem a garra, a vontade e o querer dos jogadores do Gil Vicente de hoje à noite, o Benfica lutaria não só para ganhar o campeonato, como lutaria para ganhar todas as provas onde está inserido.