Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Salvio é o melhor depois de Simão

01.03.11, Benfica 73

Números do argentino são superiores aos dos outros alas que têm passado pela Luz. Só um é capaz de se aproximar: Nico Gaitán.
Chegou tímido mas hoje é um «jogador nuclear» da equipa, conforme Jorge Jesus já assumiu publicamente. Eduardo Toto Salvio, 20 anos, marcou pelo terceiro jogo consecutivo frente ao Marítimo - depois de Alvalade, também para a Liga, e Estugarda, para a Liga Europa, sendo que nos três casos o seu golo foi sempre o primeiro da equipa - e ascendeu assim ao terceiro lugar no ranking de melhores marcadores da equipa esta época, em todas as provas: Cardozo tem 15, Saviola soma 11.

Mais do que isso, os números de Salvio colocam-no como o melhor ala a vestir a camisola encarnada desde Simão Sabrosa, que partiu para Madrid, rumo ao Atlético, no Verão de 2007.

O internacional português, que hoje defende as cores do Besiktas mas que foi companheiro de Salvio durante seis meses (Janeiro a Junho de 2010), no Atlético, ambos sob o comando de Quique Flores, deixou a Luz com números avassaladores - 230 jogos e 95 golos, o que dá uma média de 0,41 tentos por encontro - mas o arranque de Salvio é igualmente muito prometedor - 31 partidas e 8 golos, o que representa uma média de 0,25 remates certeiros por jogo.

Na sua primeira época na Luz (2001/02, em que o Benfica não esteve nas competições europeias), Simão marcou 11 golos em 28 jogos (média de 0,39 golos por jogo), e na última (2006/07) apontou 17 em 39 presenças (média de 0,43 golos por jogo), o que confirma a sua regularidade ao longo dos seis anos em que representou as águias.

Desde que Simão deixou a casa encarnada, por lá passaram outros alas que mostraram talento e deixaram marca, casos de Di María, Rodriguez, Reyes ou Ramires - além de outros que passaram despercebidos, como Fábio Coentrão, então na condição de extremo, Urreta ou Balboa - mas nenhum conseguiu melhores números numa época inteira (no caso dos jogadores que estiveram na Luz mais do que um ano foi levada em conta a primeira temporada) do que Salvio em sete meses.

Fonte: A Bola

Lucro de 528 mil euros no 1.º trimestre

01.03.11, Benfica 73

A Benfica, SAD apresentou um resultado líquido consolidado positivo de 528 mil euros, no primeiro semestre do exercício de 2010/2011.

Em comunicado enviado à CMVM (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários), a SAD encarnada dá conta de uma melhoria significativa face ao período homólogo, no qual o referido resultado correspondeu a um prejuízo de 13,8 milhões de euros.

Para a variação positiva dos resultados concorreram a participação na Liga do Campeões em 2010/2011, que originou receitas de 10,1 milhões de euros, bem como a alienação dos direitos desportivos de Ramires e Halliche para o Chelsea e Fulham, respectivamente, que gerou um resultado líquido de 9,7 milhões de euros.

A SAD informou ainda que a comparação do primeiro semestre de 2010/2011 com o período homólogo se encontra afectada pela inclusão da totalidade das acções da Benfica Estádio no perímetro de consolidação da Benfica SAD, por via da sua aquisição no final do mês de Dezembro de 2009.
Veja aqui o conteúdo do comunicado remetido ao mercado pela SAD encarnada.

Fonte: A Bola

Discurso do Presidente na Gala do 107.º aniversário Luís Filipe Vieira: “Sem memória não existimos”

01.03.11, Benfica 73

O presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, destacou esta segunda-feira a importância de celebrar a história e a identidade do Clube, na Gala do 107.º aniversário, que decorreu no Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Leia o discurso na íntegra.

“Este é o dia em que celebramos a nossa história, a nossa identidade, os nossos valores. O dia em que devemos homenagear o esforço e a memória daqueles que, sem o seu empenho e a sua dedicação, não estaríamos a celebrar o Clube que hoje somos.

Sem memória não existimos, por isso temos a responsabilidade de cuidar dessa memória. Somos o Maior Clube do Mundo porque uma das nossas principais riquezas é a nossa história.

É por isso que devemos ser gratos com aqueles que a escreveram. É por isso que tenho feito questão em homenagear, ao longo dos meus mandatos, as nossas referências, porque este é um Clube com memória e grato com todos aqueles que com o seu esforço construíram a grandeza do Benfica.

Permitam-me, por isso, a iniciar esta cerimónia que faça referência a um dos maiores símbolos do Clube, a um homem em cujo exemplo e acção me reconheço, a um homem que viu muito para além do seu tempo, a um homem que ousou sonhar há 107 anos atrás o maior Clube do Mundo.

Como sabem, estive esta manhã no Cemitério dos Prazeres, no jazigo de Cosme Damião, numa homenagem simples, a alguém cuja simplicidade o impediu – sendo o mais carismático dos nossos fundadores – de ocupar o lugar da presidência.

Este é um Clube grato e também, por isso, é que é um Clube diferente de outros.

Queria, a iniciar esta intervenção, dizer-vos que vou propor à Direcção do Sport Lisboa e Benfica que o futuro museu do Sport Lisboa e Benfica leve o nome de Cosme Damião.

Honrar o nosso passado dignifica o nosso presente, é por isso que este dia tem significado. Mas este é, igualmente, o dia em que temos de assumir os desafios e as dificuldades que estão para chegar e que exigem de nós uma enorme capacidade de resposta e uma grande unidade interna.

A melhor homenagem que podemos prestar à nossa história é continuá-la, com optimismo, com confiança e com a vontade de mudar o que tivermos de mudar.

Uma pessoa tem convicções, vive com elas. Eu tenho as minhas e foi com elas que cheguei até aqui. Sempre falei verdade aos benfiquistas, nunca iludi as dificuldades, nem prometi mais do que podia. Aliás, o único que sempre prometi foi trabalho, e foi assim que chegamos aqui.

É preciso rigor na preparação do futuro e realismo na gestão do presente. Nem tudo pode ser feito ao mesmo tempo e nem tudo sairá sempre bem.

É por isso que, neste dia, quero repetir algo que tenho dito ao longo dos últimos anos: Não é possível resolver todos os problemas ao mesmo tempo, nem podemos satisfazer todas as expectativas. Temos de ter paciência e não nos desviar do caminho proposto.

O Benfica da última década mudou profundamente. Durante anos lutámos por ideias, projectos, reformas desportivas. Continuamos a lutar contra certos comportamentos que ainda resistem no nosso futebol. E tudo isto só foi possível porque, pouco a pouco, o Sport Lisboa e Benfica recuperou a sua força e a sua credibilidade.

Houve debate, muitas vezes divergimos, mas sempre que foi necessário o Benfica uniu-se.

Foi de tudo isto, de debate, de consenso e de discussão que se construíram as bases deste novo Benfica, porque este Clube sempre foi democrático, é um Clube que vive bem na diferença, que não silencia aqueles que discordam ou pensam de forma diferente.

Olhando para trás, podemos dizer que perdemos alguns anos da nossa história. Anos em que, independentemente das razões, não conseguimos aumentar o nosso património desportivo, chegando mesmo a um ponto em que a nossa continuidade enquanto instituição esteve ameaçada.

Mesmo sem ganhar, desportivamente, nunca perdemos a noção dos nossos valores. Foi isso que fez a nossa mística.
A nossa mística fundou-se, e reforça-se a cada dia que passa, numa coisa simples: respeito.
Mesmo sem ganhar, desportivamente, nunca perdemos o país, porque sempre respeitámos o futebol, os adeptos e os adversários.

Sempre cumprimos as regras, nunca tivemos qualquer complexo e, principalmente, nunca precisámos de omitir o nome do adversário ou de não mostrar a sua bandeira. Isso são manobras de quem não tem ética, de que não percebe o futebol, mas, principalmente, de quem não percebe a dimensão da própria instituição que dirige.

Nós temos outra grandeza e outra alma. Temos outra forma de pensar e de agir e é por isso que somos o Maior Clube Português.

O Benfica tem a ver com pessoas. Tem a ver com determinação, com ambição! Tem a ver com trabalho, com empenho, mas tem, essencialmente, a ver com dignidade!
É esse o segredo do Benfica: é um clube que soma, que agrega, é um clube dos seus sócios e adeptos, mas é, sobretudo, um Clube de Portugal.

Uma das minhas principais preocupações quando cheguei ao Sport Lisboa e Benfica, pela mão do meu amigo e Presidente Manuel Vilarinho, foi delinear uma estratégia de recuperação e valorização do Clube.

Volvidos três anos, quando assumi a Presidência do Benfica, dei continuidade a esse pensamento estratégico, assumi a prioridade de profissionalizar toda a estrutura do Benfica, de crescer na sua base: os sócios. De avançar com o nosso Centro de Estágio, de apostar e reforçar o nosso investimento nas modalidades, de avançar para um projecto tão inovador e tão ousado em Portugal, como a Benfica TV. Enfim, é uma história longa que – vista hoje – parece fácil, parece simples, mas não foi.

Creio que hoje, sem falsas modéstias, posso assumir que parte do trajecto está cumprido. Mas como é próprio do Sport Lisboa e Benfica, este Clube aspira sempre a tudo, por muito difícil que pareça. Não somos – porque nunca fomos – de desistir, e assim continuaremos!

O que orienta a nossa acção nos dias de hoje são os mesmos valores de quem em 1904 iniciou esta caminhada. Temos o dever e a obrigação de honrar esse compromisso.
Temos a ambição e a ilusão de corresponder àquilo que Cosme Damião ambicionou.”

Fábio Coentrão eleito melhor futebolista do ano

01.03.11, Benfica 73

O esquerdino Fábio Coentrão foi eleito melhor futebolista do ano do Benfica, vencendo o prémio a que concorriam todos os jogadores do plantel da época transacta.

«Quero agradecer a todos os que votaram em mim e também ao grupo de trabalho, pois sem ele este prémio não seria possível», disse Coentrão, que recebeu o galardão das mãos de Luís Filipe Vieira.

O lateral dirigiu-se ainda a Jorge Jesus, que momentos antes havia sido distinguido com o prémio de melhor treinador:
«Quero agradecer ao mister Jesus por toda a confiança que me tem dado».

Fonte: A Bola

Jorge Jesus vence prémio para melhor treinador do ano

01.03.11, Benfica 73

O treinador da equipa de futebol sénior do Benfica, Jorge Jesus, venceu esta segunda-feira o troféu para a categoria de melhor treinador do ano. André Lima no Futsal e Henrique Vieira no Basquetebol eram os outros nomeados.

Depois de receber o galardão, Jesus fez questão de destacar os outros treinadores pelo sucesso alcançado, assim como, partilhar o prémio com a sua equipa de trabalho e jogadores.

«Quero destacar os outros nomeados, porque venceram nas outras modalidades e nesta casa todos os treinadores têm de perceber que temos de andar á frente, porque no Benfica só se tem um pensamento que é sermos vencedores. Por outro lado, queria partilhar este prémio com toda a estrutura que trabalha comigo, principalmente com os meus jogadores. Eles foram os obreiros da brilhante época que fizemos o ano passado, voltamos a dar ao Benfica um sentimento de paixão, e temos muita honra de todos os domingos proporcionarmos, aos nossos adeptos, os espectáculos que ultimamente temos vindo a apresentar, porque isso tem sido o lema do Benfica desde sempre», declarou Jorge Jesus.

Fonte: A Bola

«Benfica é favorito para toda a gente» - Rui Costa

01.03.11, Benfica 73

Rui Costa aceita o favoritismo atribuído ao Benfica para a meia-final da Taça da Liga com o Sporting, mas avisa que o «derby» não será um passeio para os encarnados.

«O Benfica para toda a gente é o favorito, atendendo àquilo que estão a fazer as duas equipas durante a temporada. Agora todos sabem da importância do derby. Num derby o favoritismo fica fora do relvado», alerta Rui Costa, destacando ainda que este tipo de jogos «serve também para as equipas que estão menos bem saírem dessas situações».

«Vamos respeitar isso, mas vamos fazer tudo para estarmos na final. Conquistámos as duas últimas taças da Liga, temos uma meia-final em casa e queremos chegar à final», afiança.

Fonte: A Bola

Benfica igual a... Benfica

01.03.11, Benfica 73

Equipa de Henrique Vieira cumpre na Suécia tantos jogos (38) como a de futebol. E até tem mais empates: um... Despedida da EuroChallenge permite pensar em exclusivo na Liga.
O Benfica (1 vitória e 4 derrotas) despede-se hoje da EuroChallenge, defrontando, pelas 19 horas locais, na Suécia, o Norrköping Dolphins (1/4), numa partida cujo vencedor assegura o terceiro lugar do Grupo K dos oitavos-de-final da prova europeia. Já estão apurados os franceses do Gravelines (5/0) e os letões do Ventspils (3/2), formações que também se encontram na sexta e última jornada da série.
Os bicampeões nacionais sentiram os efeitos de se dividirem por várias frentes - em duas ocasiões jogaram para a EuroChallenge após um dia apenas de descanso, o qual se seguiu a uma sequência de três jogos em três dias - e estão a somar mais derrotas do que o habitual. Mesmo assim, desde início de Outubro, o palmarés do clube ficou enriquecido com mais uma Supertaça e uma Taça Hugo dos Santos, em desafios discutidos frente ao rival FC Porto.
Norrköping é ponto de partida
A Suécia será, assim, o ponto de partida para o que resta da época, com o técnico Henrique Vieira a ter possibilidade de pensar em exclusivo na Liga, o principal objectivo da temporada.
Terá, até, a hipótese de conceder folgas extras ao grupo no fim-de-semana de 12 e 13 de Março, por via da ausência na Final Oito da Taça de Portugal. Será uma espécie de último momento de relaxamento e de recuperação de energias até à meta.
Com o encontro desta tarde, a equipa de basquetebol soma a 38.ª partida oficial da época... tantas como a de futebol, a mais profissional do clube. Inclusivamente, tem mais compromissos realizados no estrangeiro (7) que o conjunto orientado por Jorge Jesus (4).
Sobra uma curiosidade: numa modalidade em que o empate é um resultado de excepção (provas europeias), o basquetebol ainda soma mais uma igualdade do que o futebol:... um.

Fonte: A Bola

Pág. 52/52