Novembro 12 2010

A recepção do Benfica ao Sp. Braga, para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal, foi alterado de 20 de Novembro para 12 de Dezembro, devido a uma informação da Direcção Nacional da PSP que alertou para o facto de a primeira data coincidir com a Cimeira da NATO, que se realiza em Lisboa

A Direcção Nacional da PSP recorda que o encontro tem carácter de “Alto Risco”, o que obriga “à utilização de um número muito substancial de elementos policiais”, e sublinha as “fortes restrições rodoviárias existentes que irão condicionar, indubitavelmente, o acesso de adeptos ao Estádio da Luz”, em função da realização da Cimeira da NATO, nos dias 19 e 20 de Novembro.

Face ao exposto e ao consagrado na Lei nº 39/2009 do Regime Jurídico do Combate à Violência, a Federação Portuguesa de Futebol decidiu cancelar o jogo agendado para 20 de Novembro e marcar a realização do mesmo para o dia 12 de Dezembro de 2010, data escolhida em função do calendário de provas nacionais e dos compromissos dos dois clubes.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 20:08

Novembro 12 2010

O plantel do Benfica prosseguiu esta sexta-feira a preparação para o encontro com a Naval, a contar para a 11.ª jornada da Liga ZON Sagres, agendado para as 18H15 de domingo, no Estádio da Luz.

Fábio Coentrão e Javi García voltaram a trabalhar de forma condicionada, à imagem do treino do dia anterior. O esquerdino continua a recuperar de uma mialgia na coxa esquerda, enquanto o médio espanhol está a contas com um traumatismo na perna direita.

Carlos Martins voltou a realizar tratamento a uma contusão na coxa esquerda e Ruben Amorim treinou-se sob vigilância médica, ainda a braços com uma tendinite rotuliana nos joelhos.

O paraguaio Oscar Cardozo, ainda recupera da entorse no joelho com lesão no ligamento lateral interno, tendo feito apenas corrida, tratamento e trabalho de ginásio.

O plantel encarnado prossegue a preparação no sábado, com um treino à porta fechada agendado para as 10H30, no Seixal.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 17:13

Novembro 12 2010

Benfica e Sp. Braga vão defrontar-se no sábado, 20 de novembro, em jogo da quarta eliminatória da Taça de Portugal, anunciou esta sexta-feira a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

O encontro entre os encarnados e os arsenalistas, que se joga ás 20H15, é um dos três da quarta ronda que terão transmissão televisiva na SportTV.

O detentor do troféu, FC Porto, vai visitar o Moreirense, da Liga Orangina, no domingo (18 horas), enquanto o Sporting recebe o Paços de Ferreira no mesmo dia, às 20H15.

Os horários para os restantes encontros da quarta eliminatória ainda não foram anunciados.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 16:23

Novembro 12 2010

SE o Benfica persistir nas comparações com a última época, em vez de melhorar o seu desempenho nesta, vai ter dificuldades em atingir os objectivos que ainda tem nesta temporada, e são muitos e importantes.

Embora a reconquista do título já tenha ficado comprometida na fruta servida na sobremesa da homenagem a Olegário que antecedeu a deslocação a Guimarães, a verdade é que o Porto tem sido uma equipa tacticamente evoluída e o seu treinador é merecedor de elogios. Já aqui escrevi, na altura contra a corrente, que no último ano a Académica nos jogos contra o Benfica jogou do futebol mais positivo e conseguido que tinha visto. Tenho pena que haja quem prefira elogiar aqueles que conseguem um pontinho com o autocarro em frente da baliza, muito antijogo e muita sorte em vez daqueles que arriscam a praticar bom futebol. Eu quero uma vez mais reiterar o apreço por Villas Boas como treinador.

Jorge Jesus não esteve feliz nas opções tomadas no último jogo, mas foi Jorge Jesus quem nos deu o melhor Benfica dos últimos 10 anos e será ele que ainda esta época nos trará vitórias e títulos. Evitar a sportinguização do Benfica parece prioritário para quem leu os jornais desta semana. Urgente por agora é ganhar à Naval.

Não são capas panfletárias, nem psis de pacotilha que farão o clube chegar aos seus objectivos. Vinte jogos de campeonato, uma Taça de Portugal, uma Taça da Liga e a mais importante competição europeia de clubes parece suficiente como caderno de encargos.

Compro e leio todos os dias A BOLA, a partir de amanhã sem a crónica de Ricardo Araújo Pereira tiraram-me o meu garantido sorriso de sábado, fiquei privado de ler um amigo que admiro, mas sobretudo perdeu o Benfica e os nossos leitores um dos seus mais brilhantes e talentosos advogados. Que seja um parêntesis, que volte o sorriso da leitura e as vitórias com brevidade que nós merecemos.

Autor: Sílvio Cervan

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 12:19

Novembro 12 2010

QUANDO o Benfica decidiu estar presente nas celebrações do 35.º aniversário da Independência de Angola, muitos torceram o nariz a um jogo que ia obrigar a equipa de Jorge Jesus, entre duas jornadas da Liga Zon-Sagres, a uma viagem-relâmpago a Luanda.

Porém, na ressaca da derrota no Dragão, poucas coisas poderiam ter um efeito tão regenerador como uma mudança de ares. Os encarnados recuperaram a auto-estima em Angola, onde foram embaixadores de excelência de Portugal, ao mesmo tempo que carregaram baterias para o resto da temporada.

Há uma semana, no Dragão, a Lei de Murphy aplicou-se ao Benfica: tudo o que podia correr mal, correu pior. Depois de um início de época atribulado, entre exibições menos conseguidas e arbitragens penalizadoras, a goleada sofrida frente ao FC Porto representou o ‘bater no fundo’ do Benfica. Agora, na Luz, é tempo de cerrar fileiras e atacar todas as competições com a convicção de que, depois da tempestade, vem sempre a bonança.

Os 20 jogos que faltam disputar na Liga, a Taça de Portugal, a Champions e a Bwin Cup constituem um desafio global que nunca será superado com êxito só por jogadores, ou técnicos, ou dirigentes, ou sócios ou adeptos… Só um clube unido, sem brechas nas fileiras, estará à altura de tão exigente demanda.

PS – Em 1986/87, a 16 jornadas do fim, o Benfica foi goleado por 7-1 em Alvalade. Os encarnados sobreviveram à humilhação e sagraram-se campeões. E nem as vicissitudes de um acto eleitoral (João Santos derrotou Fernando Martins)que teve lugar na recta final do Campeonato corromperam a coesão do clube ou minaram o balneário.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 12:11

Novembro 12 2010

Saviola acredita na revalidação do título, «embora esteja mais difícil». Vê um Benfica mais forte «depois de ultrapassar esta tempestade». Confia num grupo «de qualidade e com carácter».

Javier Saviola, um dos mais emblemáticos jogadores do Benfica, revelou, em declarações a A BOLA, qual o estado de espírito dos campeões nacionais depois do pesado desaire do último domingo no Estádio do Dragão. «Temos consciência da frustração dos benfiquistas, depois do que aconteceu no passado fim-de-semana. Mas acreditem que ninguém o lamenta mais do que nós», disse.

Para El Conejo, «de nada adianta aos jogadores ficarem a lamentar-se e a olhar para trás», traçando como objectivo de curto prazo «levantar a cabeça e olhar em frente».
O internacional argentino não procurou esconder a cabeça na areia relativamente à situação em que os encarnados estão quanto à revalidação do título nacional, reconhecendo que «é evidente que as coisas estão mais difíceis». No entanto, longe de atirar a toalha ao chão, Saviola assegurou que o grupo «continua a acreditar» e que «os objectivos ainda podem ser cumpridos».

Sobre a noite do Dragão, em que nada correu bem à equipa de Jorge Jesus, a interpretação de Javier Saviola é de quem já conhece o clube da Luz. «O Benfica é demasiado grande para ficar preso ao que se passou num mau dia», disse.

A três dias do jogo com a Naval, El Conejo garantiu que o conjunto encarnado vai reagir. «Tenho a certeza de que ficaremos mais fortes depois de ultrapassarmos esta tempestade», afirma.

Quanto ao valor da equipa, a mesma convicção de sempre: «Temos um grupo de qualidade, com carácter para conseguir superar este momento e com vontade de voltar a dar alegrias aos adeptos.»

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 11:20

Novembro 12 2010

As receitas de bilheteira mais do que duplicaram em 2009/10. Nos cofres da Luz entraram mais de 12,3 milhões de euros, em contraste com os 5,9 milhões registados no exercício anterior.

O maior contributo veio do campeonato, a que não é alheia a campanha da equipa comandada por Jorge Jesus, que culminou com a conquista do título. O encaixe passou dos 3,2 milhões de euros para os 6,8 milhões. Considerável foi ainda o incremento proporcionado pela estreia na Liga Europa – 4,1 milhões de euros, contra os 1,5 milhões de 2008/09.

A vitória no campeonato e o consequente apuramento para a Liga dos Campeões também já estão a render. Como pode ler-se no documento, o Benfica garantiu “receita mínima” de 10,1 milhões de euros, já contabilizadas as duas vitórias obtidas, verba que será considerada no primeira semestre de 2010/11. As águias ainda podem embolsar mais 4,6 milhões de euros, se ganharem os últimos dois jogos da fase de grupos e se qualificarem para os oitavos-de-final.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:12

Novembro 12 2010

Luís Filipe Vieira explicou ontem, em comunicado enviado à CMVM, o resultado negativo de cerca de 19 milhões de euros do exercício de 2009/10, através de um relatório e contas que vai a discussão no próximo dia 29, na assembleia geral da Benfica SAD.

A manutenção do plantel e a renovação da equipa técnica foram alguns dos pontos apreciados pelo líder das águias, de 61 anos. O título nacional, bem como “a campanha positiva conseguida a nível europeu”, e ainda a “segunda Taça da Liga conquistada” e o “trabalho de desenvolvimento das camadas mais jovens” estão em destaque, apesar de, na atual conjuntura, os caminhos serem “mais estreitos” do que o pretendido.

O resultado negativo era também “esperado”, embora seja consideravelmente mais baixo do que o registado no exercício anterior (34,9 milhões). Para o presidente da águia, “o mais fácil seria desbaratar toda a estrutura do ano passado, apresentando seguramente outras contas, mas isso significaria hipotecar o futuro”.

“A estratégia apresentada sempre passou por privilegiar o investimento e os resultados desportivos, sem que isto implicasse comprometer a solidez das nossas contas, mas sabendo de antemão que as mesmas iriam refletir, negativamente, o sentido da nossa aposta. Estou convencido do acerto das opções tomadas. Foi assim que conseguimos transformar o plantel num dos mais seguidos e valorizados do futebol europeu”, referiu.

Integração do estádio

Refira-se que o passivo da SAD é, agora, de 373,973 milhões de euros, contra os 178,636 milhões registados em 2008/09. Este aumento é explicado, sobretudo, pela integração na SAD da Benfica Estádio e do seu passivo de 161,2 milhões de euros. Mas nem tudo são más notícias: esta junção permite também que o ativo da SAD tenha passado para 381,23 milhões de euros, contra os 160,81 milhões de euros do anterior exercício.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:06

Novembro 12 2010

Sete milhões de euros. É este o valor que os clubes interessados em Éder Luís vão ter de pagar ao Benfica se quiserem adquirir o passe do jogador a título definitivo. Luís Filipe Vieira estabeleceu esta quantia como base de negociação, tendo mesmo sido apresentada a um clube japonês, que tentou saber quais as condições para contratar o brasileiro. O emblema asiático fez chegar à Luz uma proposta de 4 milhões, prontamente recusada pelo presidente dos encarnados, por considerar que o valor não corresponde à qualidade do atleta.

Chico Bento, como é conhecido em terras brasileiras, deixou a capital portuguesa neste verão e regressou ao seu país para representar o Vasco da Gama. A opção não podia ter sido mais acertada. Éder Luís assumiu a titularidade quase de forma imediata, está a ter uma preponderância na equipa do Rio Janeiro a todos os títulos assinalável, e valorizou-se muito. Já apontou 8 golos no Brasileirão e o técnico Paulo César Gusmão considerou-o em várias ocasiões um dos jogadores mais influentes da equipa.

O empréstimo do jogador ao Vasco da Gama acaba no mês de dezembro, altura em que termina o campeonato, e interessados não faltam. O jogador tem muito mercado no Brasil, mas clubes do Médio Oriente e do Japão também são destinos possíveis. Regressar ao Benfica é um cenário que não se coloca e, por isso, os campeões nacionais estão a tentar encontrar uma solução vantajosa e que possa rentabilizar o investimento feito. Recorde-se que as águias pagaram ao Atlético Mineiro 4 milhões de euros pelo jogador canarinho no último mês de janeiro e agora pedem mais 75 por cento desse valor.

Jorge Jesus pediu a contratação de Éder Luís mas o atleta, de 25 anos, acabou por não corresponder às expectativas. Nunca se conseguiu impor nos encarnados e nos jogos em que foi chamado não impressionou. Realizou apenas dez encontros com a camisola das águias, mas em apenas quatro foi titular. No defeso, o Benfica contratou mais jogadores para o ataque, o que levou Éder Luís a ver reduzido o já pouco espaço que tinha no grupo. O regresso ao Brasil tornou-se inevitável e revelou-se uma boa solução.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:26

Novembro 12 2010

Jorge Jesus vai voltar a tirar El Conejo da cartola para o embate com a Naval no próximo domingo à noite, no Estádio da Luz. O internacional argentino ficou, de forma surpreendente, no banco de suplentes na partida com o FC Porto e nem chegou a ser utilizado, sendo substituído no onze pelo compatriota Salvio. Agora, o técnico vai promover o regresso do camisola 30 ao onze para fazer dupla com Alan Kardec na frente de ataque das águias e, assim, tentar desfeitear a defensiva navalista, equipa que ocupa o último lugar do campeonato. Aliás, Saviola já foi utilizado de início na partida frente a Angola, em Luanda, que funcionou como uma espécie de aquecimento para o jogo de domingo e demonstrou vontade em regressar à boa forma que patenteou no ano passado. Esteve interventivo, recuou muitas vezes na procura da bola e entendeu-se na perfeição com Aimar, fazendo inclusive a assistência para o golo de El Mago. Note-se que esta sintonia entre os dois internacionais alvicelestes foi uma das armas dos encarnados nas conquistas da época passada.

Saviola tem sido um dos atletas do plantel encarnado que ainda não conseguiu repetir a forma da última temporada, altura em que foi uma das peças-chave para o bom futebol praticado pelas águias. O argentino tem estado algo apagado e a sua veia goleadora também ainda não apareceu. Até esta altura, o antigo atleta do Real Madrid, de 28 anos, apontou apenas um golo na Liga, diante do V. Guimarães, na quarta jornada, e outro na Taça de Portugal, na goleada imposta ao Arouca.

Na época passada, por esta altura, em meados de novembro, Saviola já tinha apontado 10 golos, distribuídos pelas várias competições oficiais. Então já tinha apontado 4 tentos para o campeonato, 5 na Liga Europa e 1 na Taça de Portugal.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:18

Novembro 12 2010

O Benfica gastou, no exercício de 2009/10 e já no de 2010/11, 64,2 milhões de euros em contratações, reforço de direitos económicos e investimento no futebol de formação.

Como pode ler-se no Relatório e Contas, entre 1 de julho de 2009 e 30 de junho deste ano, os encarnados desembolsaram 37,1 milhões de euros. Esta verba refere-se às contratações de Júlio César, Fábio Faria, César Peixoto, Airton, Javi García, Felipe Menezes, Weldon, Kardec, Éder Luís, Alípio e Rodrigo e aquisição de 20 por cento do passe de David Luiz (os direitos económicos pertencem, na totalidade, às águias). Também estão contabilizadas aquisições e celebrações de contratos profissionais na área da formação – Diego Lopes, Ivanir Rodrigues, Miguel Rosa, Andrei Silva, Douglas Pires e Ruben Pinto.

Para se chegar aos 64,2 milhões de euros, é necessário adicionar-se os 27,1 milhões referentes a Gaitán (8,4), Jara (5,5), Roberto (8,5) e (1) Oblak, cujas contratações só se refletirão nas contas de 2010/11, como pode ver-se no capítulo “factos ocorridos após o termo do período”. Isto apesar de a aquisição dos argentinos ter sido garantida com a época passada em curso. Naquele valor, apurou Record, estão incluídos 3,7 milhões de custos de transação (prémio de assinatura, compensação de formação, fundos de solidariedade).

Transferências

A aposta no reforço do plantel obrigou a SAD a abrir os cordões à bolsa. Mas a sociedade também teve retorno: as transferências de Edcarlos (Cruz Azul), Sepsi (Timissoara) e Di María (Real Madrid) totalizaram 29,4 milhões de euros, “tendo gerado mais-valias de aproximadamente 18 milhões”. De referir que as saídas Ramires (Chelsea), Halliche (Fulham) e Makukula (Manisaspor) vão ter impacto positivo de 12,6 milhões de euros nas contas do primeiro trimestre de 2010/11.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:10

Novembro 12 2010

O mercado requer antecipação e o Benfica poderá antecipar-se aos concorrentes, nomeadamente a clubes como o Mónaco, Spartak Moscovo, Panathinaikos e Fiorentina, citando apenas alguns dos emblemas que já se posicionaram para contratar o espanhol Manuel Agudo Duran, conhecido por Nolito (diminutivo de Manolito).

O extremo de 24 anos, do Barcelona B, termina contrato com o emblema catalão em Junho e não deverá renovar. Isso mesmo já foi assumido pelo próprio, há dias, a uma rádio local.

«Se tivesse 20 anos assinaria por mais cinco mas tenho 24 anos e aí a situação já é diferente», afirmou o extremo/avançado natural de Sanlúcar de Barrameda, província de Cádis, a propósito das dificuldades em poder discutir a titularidade, na próxima época, com Messi, Pedro Rodríguez, Bojan Krkic ou mesmo o também canterano Jeffren.
É aqui que surge o Benfica. Sabe A BOLA que os encarnados estão muito bem posicionados para resgatar Nolito, a custo zero, já em Janeiro, data a partir da qual o jogador é livre para assinar por qualquer clube - e não será accionada a cláusula de rescisão que ainda o prende ao Barcelona, no valor de 10 milhões de euros.

A confirmar-se este cenário, ficará garantida a primeira aquisição para a próxima época (2011/12), à semelhança do que aconteceu, por exemplo, com Franco Jara: a contratação do avançado argentino ao Arsenal Sarandí ficou praticamente oficializada com a temporada 2009/10 em curso.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 09:35

Novembro 12 2010
publicado por Benfica 73 às 09:26
Tags:

Novembro 12 2010

Os comentários de Luís Nazaré à exibição do Benfica no Dragão causaram pasmo. Porque quebraram o “não se fala mais nisso” recomendado na Luz. E no entanto, o que o presidente da assembleia geral do Benfica fez foi pensar como gestor. Um clube não é uma empresa mas assim deve ser gerido. Nazaré, apesar da experiência política e paixão desportiva, não é “boy” socialista nem boi de manada. É um economista e gestor e é nessa perspetiva que devemos discordar ou concordar com o que diz. Não por quebrar o tabu da não autocrítica sistemática.

Nazaré não criticou propriamente Jorge Jesus, apesar deste o merecer – pelas opções táticas desastrosas e aterrorizadas e pela incapacidade de suster a goleada. Ao contrário, Nazaré protegeu o treinador das expectativas que não poderá cumprir.

O Benfica é melhor do que mostrou no Dragão mas o FC Porto não é pior do que ali foi. Não são apenas pontos o que separa as duas equipas, é a dimensão competitiva. Em linguagem de gestão, o Benfica não tem os mesmos recursos. Daí que não possa ter as mesmas ambições à chegada do Natal que tinha à saída do verão. Compete para o segundo lugar, para a Taça e para passar à próxima fase da Champions. Ouvi-lo será odioso para os benfiquistas, mas dizê-lo é nivelar as expectativas – e, nisso, é proteger o treinador.

Jesus já demonstrou que é um grande treinador e líder, apesar do vexame destas “cinco batatas”. Como Villas-Boas está a provar que o é, para desgraça do Sporting, que o perdeu para um Carvalhal que não tem unhas para tocar (nem grande guitarra, diga-se). A diferença está na capacidade de liderança e nos recursos de cada um – a equipa. Nazaré disse o que diz o anúncio: uns têm, outros não. E, nisso, os treinadores são muito mais parecidos com os gestores do que supõem.

Autor: PEDRO S. GUERREIRO
publicado por Benfica 73 às 01:16

Novembro 12 2010

O Benfica já não sabe se precisa de Jesus. Sem trocadilhos: o Sporting precisa de Jesus. O Benfica precisou de Jesus no ano I da sua anunciada revolução. O Benfica precisou de Jesus, conseguiu impedir que ele fosse integrar a estrutura do FC Porto, contando com ele para quebrar a hegemonia do rival. O Benfica andou com Jesus ao colo e Jesus andou com o Benfica no regaço. Colo paga-se com colo. O Benfica marcou golos, somou vitórias, encheu estádios e alimentou o sonho de Luís Filipe Vieira – estugar o passo do incansável Pinto da Costa, senhor de muitas vidas. O Benfica ganhou o título. O Benfica convenceu-se então da “imortalidade” de Jesus. Convenceu-se de que, depois do ano I, seria a imposição definitiva, porque duradoira, da “era d.J” (“depois de Jesus”).

A verdade é que, a 10 pontos do líder, e sobretudo depois de encaixar 5-0 no Dragão, a “nação benfiquista” dividiu-se. Há quem ache que “Jesus II” é o mesmo “Jesus I” e há quem entenda que “Jesus II” nunca mais se assemelhará a “Jesus I”. Há mesmo quem não perdoe a Jesus ter sorrido a Pinto da Costa e lhe ter apertado a mão, num momento em que a “guerra” havia sido declarada.

Jesus nada poderia fazer perante as saídas de Di María e Ramires. A convicção de os substituir sem qualquer dano para a equipa foi pública e notória. Jesus estava convencido de que, com as alterações produzidas, iria ter “mais Benfica” e não “menos Benfica”. A águia ia continuar a voar, quiçá até mais alto, em função das declarações que fez em torno do sonho de conquistar, até, a Liga dos Campeões.

Estava convencido... A expressão é essa mesmo. Jesus é um homem de convicções. Puro, generoso, afetivo, mas aparentemente arrogante e fanfarrão. Por isso, há muito que desenvolvi a ideia, ao primeiro sinal de fratura sísmica, que era preciso não perder Jesus. Não o perder como ele é. Respeitar a inestética e a pastilha elástica. Respeitar os modos rudes e a histeria técnico-tática. Criticar em surdina o lado “flinstoneano” de Jesus era concorrer para a sua desagregação. E, com ela, provocar ruturas importantes no relacionamento com os jogadores. A memória é cada vez mais curta, mas da mesma forma que defendi a ideia de que Jesus é um dos treinadores com mais conhecimento tático (chamei-lhe o “mestre da pressão alta”), fui avisando, quando me pareceu pertinente, que uma liderança de ferro, cultivada até ao tutano, superdemocrática, isto é, sem olhar a nomes e a estatutos, poderia ter os seus custos.

Também o futebol é um jogo de conjunturas. A conjuntura mudou. Dá a sensação de que Jesus também mudou. Nada de mais falso. É por isso que, no plano da forte diplomacia que caracteriza o tecido da bola indígena, se houver a convicção de que Jesus está esgotado na Luz (no ano II do seu magistério de influência), então, com todo o respeito por Paulo Sérgio, que se faça uma ponte (pacífica) para Alvalade, com a licença da fanfarronice de Rogério Alves. Se o Benfica não precisa de Jesus (por não ter sido... preciso no Dragão), o Sporting precisa. Já que o FC Porto dispensa-o, mesmo estando guardado no coração.

Autor: RUI SANTOS

publicado por Benfica 73 às 01:10

Novembro 12 2010

O Benfica ganhou em Angola um jogo que do ponto de vista do clube da Luz só poderá ter sido motivado por interesses financeiros.

Luis Filipe Vieira falou em laços de afetividade que o seu emblema não poderia ignorar, é verdade, mas obviamente nunca seria só por isso que aceitaria um encontro em Luanda numa altura da época que coincide com um ciclo decisivo para o Benfica.

Sendo assim, uma verba superior a 1 milhão de euros e eventualmente a perspectiva de outros negócios, fizeram o Benfica passar por uma longa viagem (15 horas de voo no total) um choque climático (dos 17 graus de Lisboa para os 33 de Luanda) e correr riscos desnecessários (lesões, nomeadamente).

Acresce o facto da deslocação a África seguir-se ao maior vexame desportivo que o Benfica sofreu nos últimos anos. A coincidência até pareceu castigo.

E talvez também por isso não se viram sorrisos encarnados no relvado do 11 de Novembro. Nem a alegria do povo angolano os contagiou, nem os golos marcados ou a entrada e saída de campo de Mantorras no jogo da despedida no seu país animaram o estado de espírito de uma equipa que vai demorar a sarar as feridas do Dragão que abriram outras que estavam disfarçadas.

Vieira ainda não se pronunciou sobre o desastre do Porto, mas não é difícil imaginar o que lhe vai na alma. Relatos de quem lhe é próximo dão conta do duro golpe que sentiu. Sair humilhado do Porto era tudo aquilo que Vieira não admitia.

Mas se o presidente encarnado esconde a vergonha, há quem não consiga calar o desconforto pela situação. Luis Nazaré, ao criticar a estratégia de Jesus para o clássico – por muita razão e autoridade que tenha – devia saber que neste meio (e especialmente no clube que representa como figura máxima) a crítica nos momentos maus é sempre interpretada de forma enviesada por quem vive com códigos de honra que não toleram ingerências. Na linguagem de Mourinho, de certeza que alguém já lhe marcou uma cruz.

Autor: António Magalhães

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 01:02

Novembro 12 2010

Hoje é um dia negro para o jornalismo desportivo português.

 

 

“A Bola”, que eu tinha como referência desde os meus 8 anos, que me habituei a ver como o jornal desportivo, que devotamente comprava dia após dia, deitou por terra anos e anos de história, tomando uma atitude que só pode envergonhar quem a dirige, e quem lá trabalha.

Sinceramente, tenho vontade de remeter para a casa de banho as páginas sobre os jogos do centenário (que fui guardando), repletas de magníficos textos sobre a democracia, sobre a liberdade e sobre a luta anti-fascista no desporto.

Tudo aquilo deixou de fazer sentido num jornal que, 36 anos após o 25 de Abril, não resistiu à mais reles censura.

Pior que uma censura política, uma censura de amigalhaços, uma censura saloia, uma censura que desrespeita milhares de leitores e o legado que homens como Ribeiro dos Reis, Cândido de Oliveira ou Vítor Santos edificaram na Travessa da Queimada.

 

Ricardo Araújo Pereira (que eu tenho o prazer de conhecer pessoalmente, e por quem tenho a mais profunda admiração enquanto humorista, cronista desportivo e cidadão português), e José Diogo Quintela (com quem nunca falei, mas, embora sportinguista, sempre respeitei, porque também ele, mesmo defendendo o seu clube, e atacando por vezes o meu, sempre se soube dar ao respeito), foram afastados do jornal.

Sim, foram afastados, pois quando se corta o texto de alguém, está-se a apontar-lhe a porta da saída.

 

Tanto um como outro desmontaram perspicazmente, nos últimos meses, a colecção de incoerências, disparates e superficialidades que Miguel Sousa Tavares se entretém a escrever às terças-feiras nas mesmas páginas, e a reacção deste (que não sabe fazer mais nada na vida além de ser polémico e arvorar-se em dono de uma razão que quase sempre desconhece, vivendo, provavelmente bem, destas suas intervenções mediáticas, e dos medíocres romances que vai escrevendo) passou rapidamente da resposta para a calúnia, da reacção para o insulto, da discussão para a má educação (chegando a chamar-lhes cães rafeiros, entre outros vitupérios), nada ao nível daquilo que a sua mãe, e também o seu pai, nos habituaram enquanto pertenceram ao mundo dos vivos.

Esperava que, mais dia, menos dia, o próprio MST, em coerência com as ameaças que foi fazendo, ou pelo menos envergonhado com a forma como não soube encaixar as suas próprias insuficiências, abandonasse o jornal – afinal de contas o que fez Rui Moreira, num programa de televisão que também não lhe agradou.

 

Mas esperava em vão, pois, ao contrário deste último, MST vive daquilo, e obviamente nunca iria largar o osso.

O que nunca me passou pela cabeça é que fosse “A Bola” a dirimir este conflito, e a fazê-lo da forma mais canhestra possível, premiando a mais rasteira má educação, em nome sabe-se lá de quê – amizades pessoais? vendas da terça-feira? outra coisa qualquer?

Envio um forte abraço de solidariedade para com a dupla de comentadores atingida por este acto censório, na certeza de que não demorarão muito tempo a encontrar um espaço mais merecedor do seu talento e da sua criatividade, onde, de imediato, estarei pronto para os voltar a ler.

E lanço o desafio a Sílvio Cervan, Fernando Seara e Leonor Pinhão, para que reflictam sobre a sua presença num jornal que se prostitui desta forma, tornando-se, ele próprio, num jornal rafeiro.

 

Lamento, mas não vou voltar a comprar “A Bola”. Para Vítor Serpa (ou lá quem foi a alma que tomou esta estúpida decisão) não será importante perder um leitor. Mas para mim, é importante deixar de o ser.

Luís Fialho in 'Vedeta da Bola'

 

Fica o texto, censurado, de Quintela, no qual, diga-se, não chama "rafeiro" a ninguém:

 

"Na 3ª feira, Miguel Sousa Tavares insinuou que eu e o Ricardo Araújo Pereira costumamos corrigi-lo por ele ter sido o único convidado, além do Presidente da República, a não ter vindo ao “Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios”.

O Ricardo desmentiu ontem essa tese de vendetta e julgo não ser necessário voltar a referir as inúmeras pessoas que também não aceitaram o nosso convite, pessoas que não costumamos corrigir.

Talvez porque não tenham por hábito defender teses absurdas e incoerentes sobre o Apito Dourado. Por outro lado, há muita gente sobre quem costumo escrever e que foi ao programa. José Sócrates e Passos Coelho, por exemplo.

 

Deve ser para lhes pagar o favor de terem aceite o convite. Acha MST que hoje diremos que o convite foi um erro e que não sabemos porque o convidámos. Acha também que sabe bem porque é que não aceitou. Engana-se.

Para já, não foi erro nenhum, sabemos bem porque o convidámos: para ele fazer o que faz aqui, mas na televisão, que é mais espectacular. Depois, palpita-me que ele já não sabe porque recusou: aquilo passou-se há um ano, tempo mais que suficiente para MST entretanto ter mudado a sua convicção.

Entretanto, pela segunda vez num ano, MST tenta intimidar-me por causa do que escrevo nestas crónicas. Em Janeiro pediu a Pinto da Costa para que me processasse.

 

Desta vez, vitimiza-se e ameaça abandonar a sua crónica n’A BOLA, pretendendo que o Ricardo e eu sejamos responsabilizados pela sua saída. Depois das queixinhas, uma ameaça de amuo. Que birra se seguirá? Suster a respiração? Que outras traquinices tem MST em carteira para me sensibilizar?

Não gostava que MST deixasse de escrever aqui. Gosto de o ler. Quero que, entre outras coisas, continue a dizer que, quando Porto lhe pagou uma viagem, Calheiros estava reformado (a sério, não sei mais o que faça para desmentir isto.

Trazer cá o homem? Se lhe pagar a viagem, de certeza que vem…). r isso, deixo-lhe um pedido. Faça às nossas crónicas o mesmo que faz com as fontes que cita: não as leia. Ignore-as.

 

Finja que não existem, não responda. É um direito que o assiste. Olhe, até vem consagrado na 5ª emenda (que faz mesmo parte da Constituição, não é como a Declaração de independência). MST pode invocá-la.

Evitará auto-incriminar-se.”

José Diogo Quintela

 

Copiado do blog Coluna D'Águias Gloriosas

publicado por Benfica 73 às 00:22

BENFICA 73
contador grátis
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





subscrever feeds
comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...