Novembro 06 2010

O Benfica conquistou o segundo triunfo na Liga em casa, diante do Lusitânia, por 73-61, mas a equipa treinada por Henrique Vieira teve de puxar dos galões para levar de vencida a formação açoriana nesta 3.ª jornada da prova. A perder por 24-34, os insulares conseguiram encostar o resultado (49-50) e chegaram a provocar calafrios nos encarnados. Valeu às águias a pontaria da linha de lance livre e o desacerto do Lusitânia na parte final do jogo.

O bicampeão vinha de uma derrota na Liga (na última ronda claudicou frente ao V. Guimarães) e nesta partida frente com o Lusitânia chegou a apanhar um susto, do qual só conseguiu recuperar no terceiro período.

A equipa chegou ao intervalo com uma vantagem de 10 pontos (34-24), mas uma reentrada fulgurante levou os insulares a aproximarem-se perigosamente no marcador e no final do terceiro período a vantagem dos da Luz era de apenas 1 ponto (50-49).

Mas no derradeiro período os ânimos no Benfica voltaram a serenar, a equipa começou a tirar partido dos erros do Lusitânia e aproveitou a maioria das ocasiões que dispôs da linha de lance livre para voltar a adiantar-se no marcador.

Miguel Minhava (12 pontos, 8 ressaltos e 4 assistências), Sérgio Ramos (19 pontos, 5 ressaltos e 2 assistências), juntamente com Heshimu Evans (18 potnos, 2 ressaltos e 4 assistências) foram os elementos mais produtivos na equipa do Benfica.

No Lusitânia, Daniel Monteiro (14 pontos e 2 ressaltos), Terrence Hundley (10 pontos e 3 ressaltos) e Mohamed Camara (10 pontos e 5 ressaltos) não conseguiram evitar o desaire.

Consulte aqui todos os resultados da ronda e a classificação.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 23:58

Novembro 06 2010

Valter Neves não escondeu no final da partida a tristeza por a equipa do Benfica não ter conseguido dar uma alegria ao público que esteve na Luz. "Falhámos muitos livres diretos, com os quais podíamos ter dado a volta à questão. O FC Porto aproveitou os que dispôs e acabou por vencer... Tenho pena que não tivessemos oferecido uma vitória a todos estes adeptos, mas espero que continuem a vir apoiar-nos."

O capitão dos encarnados garantiu que a equipa dará a volta por cima e que vai, inclusivamente, acabar com o reinado do FC Porto no campeonato. "Vamos tentar melhorar o que hoje não correu bem. Agradeço mais uma vez em nome da equipa o apoio dos benfiquistas e peço-lhes para que continuem a vir ao pavilhão porque nós vamos conquistar o campeonato nacional este ano", prometeu, em declarações à Benfica TV.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 23:41

Novembro 06 2010

O FC Porto venceu o «clássico» com o Benfica (7-5), que marcou a sexta jornada do Nacional da I Divisão de hóquei em patins. Emoções a rodos no Pavilhão da Luz até ao último instante, altura em que Emanuel Garcia fechou o marcador para os «azuis-e-brancos».
Benfica e FC Porto entravam para este derby igualados no topo da classificação, sem ainda conhecerem a derrota. Os «encarnados», fortemente apoiados pelo seu público, marcaram primeiro, mas logo surgiu forte reacção dos campeões nacionais, que viriam a chegar ao intervalo a vencer por 1-3.
No reatamento, o Benfica voltou a entrar por cima e ainda chegou a igualar o marcador a três, mas a forte eficácia dos portistas nos lances de bola parada viria a ditar leis. Ainda assim, a quatro minutos do final, Cacau ainda reduziu para a diferença mínima, levando a forte pressing final em busca do empate, só que o golo viria a surgir já nos derradeiros segundos na baliza «encarnada», por intermédio de Emanuel Garcia, selando o resultado final.
Com esta vitória, o FC Porto passa a liderar com 18 pontos, agora acompanhado pela Oliveirense. O Benfica cai para a terceira posição, com 15.
Resultados:
Benfica-FC Porto, 5-7
Valongo-Juv. Viana, 4-4
Sp. Tomar-Oliveirense, 2-7
Cascais-O. Barcelos, 4-6
Cambra-Física, 5-5
Porto Santo-Gulpilhares, 4-3
Ac. Espinho-Limianos , 6-3
Candelária-HC Braga, mais tarde

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 22:41

Novembro 06 2010

Desde o início da época que se ouvem algumas vozes defender que, para o Benfica, este campeonato está perdido. E se partirmos do pressuposto de que, este ano, o principal adversário do Benfica tem sido o Benfica da época passada, estou disposto a concordar com o diagnóstico. Em rigor, o Di María, o Ramires e o Saviola de 2009/10 – hoje em dia, todos eles a jogar em clubes de dimensão mundial – não dão, por enquanto, qualquer tipo de hipótese ao Peixoto, ao Salvio e ao Saviola de 2010/11. Se, pelo contrário, olhámos para os nossos adversários reais, a conversa é outra.

Aos poucos, Jorge Jesus vai começando a fazer o luto da equipa do ano passado e a tomar-se mais pragmático. Até há bem pouco tempo, os leigos só concebiam duas variantes na utilização de Fábio Coentrão e César Peixoto na ala esquerda: Coentrão ataca mais/ Peixoto defende mais, ou Coentrão defende mais/ Peixoto ataca mais. Em boa hora, Jorge Jesus optou por uma alternativa, que não ocorrera a mais ninguém: Coentrão ataca mais e defende mais/ Peixoto ataca menos e defende menos. Se, à primeira vista, a opção parece ter uma ligeira natureza burlesca, não me parece, contudo, que os franceses do Lyon estejam nesta altura em casa a rir-se do facto de terem saído da Luz com quatro “baguettes”.

Ora, esta estratégia implica, como António Tadeia observou, que Coentrão passe variadíssimas vezes por Peixoto: à ida para a grande área adversária (e, como se viu contra o Lyon, Peixoto é só o primeiro de muitos por quem Coentrão passa, a caminho da baliza adversária) e no regresso para a sua grande área. Ou seja, Peixoto faz, em campo, o papel de pai do Coentrão: como já não tem idade para aquelas correrias, diz-lhe que ele pode ir brincar com os outros meninos na relva, mas que não se afaste muito, e que volte à hora combinada. Pode ser o início de uma bonita amizade.

Autor: Miguel Góis

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 17:24

Novembro 06 2010

Benfica e FC Porto vão apresentar-se no estádio do Dragão na máxima força. Quem o diz é Jorge Jesus, treinador das águias, que considera não ter vantagem pelo facto de a sua equipa ter tido mais dias para descansar depois desde os jogos europeus.
«O FC Porto vai lançar no jogo uma equipa que, penso eu, metade dela não jogou quinta-feira. A equipa do FC Porto teve horas de recuperação para se apresentar nas melhores condições, tal como o Benfica», justifica o treinador dos campeões nacionais.
Comparando o jogo do Benfica com o Lyon, terça-feira, a contar para a Liga dos Campeões, com o FC Porto-Besiktas de quinta, a contar para a Liga Europa, Jesus prefere não contar apenas as horas de recuperação: «Temos mais dias, de terça para quinta, mas o Benfica jogou em intensidade muito alta e o FC Porto jogou com apuramento quase garantido, pelo que geriu a intensidade. O FC Porto vai estar na máxima força».

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 17:21

Novembro 06 2010

O plantel encarnado deixou há momentos o Estádio da Luz rumo ao Porto. O autocarro onde segue toda a comitiva benfiquista está acompanhado por 'Spotters' para prevenir alguns distúrbios que possam ocorrer durante a viagem que deverá durar cerca de três horas.
A lista de convocados apenas será divulgada amanhã de manhã, sendo, porém, crível que Jorge Jesus inclua na lista todos os jogadores disponíveis, tal como Rúben Amorim, que se apresentou esta manhã na Luz, sendo, ao que tudo indica, uma das armas a lançar no clássico de amanhã.

Fonte: A Bola

IMAGENS RELACIONADAS





publicado por Benfica 73 às 17:15
Tags:

Novembro 06 2010

Determinado, Jorge Jesus não tem dúvidas: o Benfica está mais forte que quando defrontou o FC Porto no jogo da Supertaça, no início da temporada, e, assegura, está preparado para fazer frente ao líder do campeonato.
«O Benfica mudou muito em relação ao jogo da Supertaça. Estamos com níveis muito mais altos em todos os aspectos, os jogadores têm mais horas de treino. Alguns estavam muito limitados em relação a tempo de treino, algo que agora não sucede. Somos uma equipa mais diferente da de então que o FC Porto. Isso dá-me a convicção que no Dragão podemos recuperar mais três pontos». É desta forma que Jorge Jesus projecta o reencontro com o FC Porto, adversário que lidera o campeonato com mais 7 pontos que as águias.
O treinador do Benfica espera «encontrar um adversário forte» e destaca que «o FC Porto, no Dragão, é uma equipa intensa, com dinâmica de jogo muito alta». Ainda assim, mostra-se confiante: «Estamos preparados para confrontar essas situações e vamos, com certeza, dar boa resposta».
Jorge Jesus reconhece que as cinco vitórias consecutivas alcançadas pela sua equipa na Liga, sem sofrer golos, são um importante tónico: «É um factor muito importante. Temos vindo nestes últimos jogos a evoluir em todos os aspectos, logo também no aspecto defensivo, o que é sinónimo de não sofrer golos e de a equipa assumir cada vez melhor as ideias trabalhadas durante a semana. Depois, as cinco vitórias dão-nos confiança para chegarmos ao dragão e sermos uma equipa capaz de ter qualidade e capacidade para vencer».

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 16:28

Novembro 06 2010

No discurso proferido durante almoço-convívio no âmbito da inauguração da nova imagem da Casa do Benfica de Lousada, Luís Filipe Vieira enalteceu a obra feita desde que está à frente dos encarnados, mas salientou que o clube não é o presidente, mas sim todos os adeptos.
Deixando o clássico desde domingo com o FC Porto completamente à parte, o presidente do Benfica foi claro: «Se há uma mensagem clara que hoje gostaria de deixar aqui em Lousada é esta: o Benfica precisa de todos, sem excepção. Ninguém é dispensável quando se trata de construir o futuro do Benfica. Acreditem, o Benfica não é o seu presidente, não é da figura A ou B, por mais notável que seja, o Benfica somos todos nós! É isso que torna o Benfica diferente.»
Perante cerca de três centenas de adeptos, Vieira não deixou de fazer uma viagem pelos mais recentes projectos implementados no clube, «projectos emblemáticos, difíceis de executar, mas que arrancaram com sucesso e que representam a melhor prova da nossa capacidade empreendedora», disse, apontando os exemplos da Benfica TV, da Fundação do clube, do Centro de Documentação e do Departamento de Restauro. «Olhando para trás – para tudo quanto foi feito a partir do ano 2000 - podemos dizer que a estratégia resultou, que o clube recuperou a credibilidade do passado e que agora estamos em condições de perseguir novas metas e novos desafios», sublinhou.
O «fair-play» de um portista
Presente neste almoço-convívio estiveram, entre outros, o presidente da Casa de Lousada, José Ferreira, que disse sentir «grande orgulho por estar na frente do projecto neste dia de inauguração oficial». Já o presidente da vila, Jorge Magalhães, admitiu ser adepto do FC Porto, mas deu provas de fair-play ao salientar que o importante é, sobretudo, o gosto pelo Desporto.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 16:23

Novembro 06 2010

Consciente das dificuldades que esperam o Benfica no Dragão, confiante na sua equipa, ambicioso para o clássico. Eis o retrato rápido de Jorge Jesus, deixado pelo próprio na antevisão ao jogo deste domingo, frente ao FC Porto.

O treinador das águias sabe que não há margem de erro, mas também garante que mesmo que não vença a sua equipa pode voltar a ser campeã.

À partida para o jogo no Estádio do Dragão, este domingo às 20.15 horas, Jorge Jesus depara-se com um cenário complicado: o Benfica está a sete pontos do FC Porto, equipa que lidera a prova e que ainda não sofreu qualquer derrota. Como lida o técnico com a pressão? Com calma: «Ter sete pontos de atraso não coloca mais pressão, mas não temos muita margem para falhar. Temos a consciência de que não temos crédito de pontos, pelo que temos de ir à procura da diferença de pontos para o primeiro».

O técnico do Benfica vai mais longe e não tem problemas em admitir que apesar de estarem apenas três pontos em jogo, estes fazem mais falta à sua equipa: «Temos a consciência de que é um jogo muito mais determinante para o Benfica que para o FC Porto».

Apesar de admitir a importância da partida e de saber que em caso de derrota o Benfica fica a 10 pontos do FC Porto, Jesus garante que a história do campeonato não ficará definida nesta partida: «Estamos no primeiro terço do campeonato. Ninguém ganha campeonatos no primeiro terço. A diferença pontual é significativa, mas no futebol tudo pode acontecer e a pontuação que o FC Porto tem pode ser anulada, independentemente do resultado que acontecer no Dragão».

Jorge Jesus recusa a ideia de uma das equipas se apresentar como favorita no clássico do Estádio do Dragão. Afinal, diz, «não há favoritos nos clássicos». Para o técnico campeão nacional, «ambas as equipas podem vencer o jogo», até porque, explica «nestes jogos a classificação não é determinante».

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 16:07

Novembro 06 2010

No último treino antes da viagem para o Porto, Aimar voltou a trabalhar de forma condicionada, ainda devido à gastroenterite que o afastou do encontro com o Lyon, disputado na passada terça-feira. Ainda assim, acredita-se que o médio argentino será opção para Jorge Jesus para o clássico deste domingo.

O técnico dos «encarnados», segundo informação prestada pelo clube, apenas não contou na sessão de trabalho com o paraguaio Cardozo, pelo que o avançado paraguaio parece assim estar irremediavelmente afastado da partida com o FC Porto.

À imagem do que aconteceu com Aimar, Rúben Amorim esteve integrado no treino, mas trabalhou sob vigilância médica, permanecendo a dúvida se entrará nas contas para o clássico.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 15:56

Novembro 06 2010

Luís Filipe Vieira já chegou a Lousada onde foi recebido na Câmara Municipal pelo autarca Jorge Magalhães. A aguardar o dirigente encarnado estava uma pequena fanfarra e perto de uma centena de adeptos do Benfica.

Dentro de alguns momentos seguir-se-á um almoço convívio com cerca de 300 adeptos benfiquistas inscritos, na Quinta da Ponte, onde Luís Filipe Vieira fará o discurso oficial, norma comum sempre que é inaugurada uma nova casa do Benfica. Ainda assim, á chegada, o presidente encarnado foi surpreendido com o convite da Câmara para os encarnados inaugurarem o futuro Estádio Municipal.

«Se o calendário permitir virá a equipa principal. Se não, virá sempre uma equipa do Benfica», disse Luís Filipe Vieira, que se mostrou satisfeito com a recepção: «É com grande alegria que visito Lousada e todos sabem o que significa para mim visitar uma casa do Benfica. Lousada é uma terra simples de gente determinada, são valores em que me revejo e valores que procuramos levar para o Benfica.»

A terminar, Luís Filipe Vieira não escondeu o orgulho na nova filial lousadense.
«Cada vez mais me dá mais gozo estar na liderança deste projecto. É uma marca da nossa política dar visibilidade às casas do Benfica. Elas são o braço armado do clube», finalizou.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 15:34

Novembro 06 2010

Mário Wilson vai ser um espectador atento à partida de amanhã entre FC Porto e Benfica. O antigo treinador encarnado, em declarações a A BOLA, desejou, sobretudo, que seja um bom espectáculo entre as duas equipas, com muitos golos e emoção até aos últimos instantes.
Desejando a vitória do Benfica, Mário Wilson, porém, não hesitou quando questionado qual deverá ser a fonte de maior preocupação para equipa de Jorge Jesus no clássico de amanhã. «Sem dúvida o Hulk. Está numa forma impressionante. Por vezes faz-me lembrar Eusébio a um nível diferente. Penso que Hulk e Fábio Coentrão vão ser as figuras deste jogo. Ambos têm momentos de eleição», destacou o antigo técnico encarnado, lembrando o ambiente de outros tempos:
«São sempre jogos electrizantes. A mentalidade, essa, é sempre a mesma. Em clubes com a dimensão do Benfica só se pode pensar em ganhar. Além disso, pela minha experiência, nestes jogos quem está a jogar melhor melhor normalmente... perde. Neste caso será bom, dado que será sinal que o Benfica irá ganhar. Espero que assim seja...»

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 15:26

Novembro 06 2010

O presidente da Direcção do Benfica inaugura dentro de, sensivelmente uma hora, mais uma casa do clube da Luz, desta feita em Lousada. Luís Filipe Vieira será recebido na Câmara Municipal da cidade nortenha pelo líder da edilidade Jorge Magalhães, recepção à qual se seguirá a cerimónia de inauguração do novo espaço.
Na agenda está, também, um almoço de confraternização com adeptos benfiquistas, às 13 horas, na Quinta da Ponte, onde se registará o momento mais esperado da deslocação de Luís Filipe Vieira ao norte do país, pois, como é habitual nestas circunstâncias, haverá discurso e, neste caso, a pouco mais de 24 horas do tão esperado clássico de amanhã em casa do eterno rival FC Porto.
As palavras do presidente benfiquista são aguardadas com enorme expectativa por parte da massa adepta do campeão nacional.
A nova Casa do Benfica de Lousada ficará localizada em frente à escola secundária, na Avenida Dr. Mário Soares.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 15:12

Novembro 06 2010

O atraso pontual do Benfica para o líder FC Porto (sete pontos) obriga as águias a vencerem no Dragão para relançarem a discussão pelo título - no mínimo, a equipa da Luz tem de empatar para pelo menos não ver alargada a distância para o rival - mas o clássico encerra ainda um outro significado especial para Jorge Jesus, pelo facto de nunca ter vencido em casa do FC Porto.
Pelo Benfica teve apenas uma oportunidade de o conseguir, na 29.ª jornada do campeonato da época passada (o empate chegava para o Benfica se sagrar campeão), mas saiu do Dragão com um sabor amargo, vergado a uma derrota (1-3) que adiou por uma semana a festa do título.
Visitante por oito clubes
Jorge Jesus visitou dez vezes o recinto dos azuis-e-brancos, sempre para compromissos da Liga e ao serviço de oito clubes diferentes: Felgueiras (pelo qual teve a derrota mais expressiva, 2-6), E. Amadora, V. Setúbal, V. Guimarães, U. Leiria, Belenenses, SC Braga e, finalmente, Benfica.
O melhor que conseguiu foram dois empates, ambos por 1-1, primeiro ao serviço do Belenenses, em 2007/08, depois no comando técnico do SC Braga, em 2008/09. Seria então o desaire com o Benfica, já referido, a interromper essa sequência animadora, mesmo que sem registo de qualquer triunfo para o seu histórico pessoal.
Contas feitas, são oito derrotas em dez visitas ao terreno dos dragões, com apenas sete golos marcados e 25 encaixados.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 15:06

Novembro 06 2010

O jogo já estava nos descontos e com o Benfica a vencer, por 2-1. Mas o Estádio da Luz ainda teve tempo para “explodir” com aquele que viria a ser o último golo de Mantorras com a águia ao peito. A 23 de maio do ano passado, o angolano, de pé direito, marcou o 3.º golo dos encarnados no jogo que encerrava o campeonato frente ao Belenenses. Dificilmente acreditaria que não voltaria a dar tamanha alegria aos adeptos encarnados.

Foram muitas as vezes em que só o facto de Mantorras saltar do banco para aquecer motivava estrondosa ovação. Essa foi mais uma das ocasiões que provaram a enorme ligação afetiva com os adeptos, numa temporada na qual jogou apenas cinco encontros, todos na condição de suplente utilizado.

Mas foi também em 2008/2009 que ofereceu a vitória ao Benfica de Quique Flores frente ao Rio Ave, numa partida realizada a 31 de janeiro, também na Luz: entrou aos 66 minutos e apontou o único golo dos encarnados.

Pelo menino pobre que comprou os primeiros sapatos já em Lisboa e que fizeram com que parecesse “um jogador de hóquei em patins” – “Aquilo escorregava muito. A sola não tinha pitons, era lisa, de couro, do melhor para patinar na carpete”, recordou no seu livro – já passaram muitos anos. E também por aquele que deixou o Sporting “pendurado”, depois de uma conversa com Luís Filipe Vieira. “Treinava em Alverca convencido de que seria apresentado às sete horas da tarde em Alvalade. Ia ganhar 70 mil euros por mês.” Do emblema ribatejano saiu, sim, mas para a Luz, onde foi fortalecendo uma anormal relação com as bancadas. Um fenómeno.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 14:57

Novembro 06 2010

MANDA o desportivismo felicitar o adversário quando ganha, e eu aproveito para me antecipar. No jogo de amanhã, tudo está a favor do Porto. O Benfica vai, provavelmente, apresentar a sua segunda equipa. Creio que a inteligente estratégia inaugurada pelo Leiria pode ter feito escola, e não me surpreenderia que todos os clubes passassem a jogar no Dragão com as reservas. Dizem que poupar jogadores no Dragão é duplamente saudável: refresca os titulares, que descansam, e também revigora os clubes. Quando se sabe gerir o esforço é outra coisa.

Além disso, o árbitro será Pedro Proença, que é benfiquista (como Vale e Azevedo), e é o célebre inventor do penalty inexistente de Yebda sobre Lisandro López, há dois anos. Talvez Proença e Villas Boas possam, no fim do jogo, trocar algumas impressões acerca da actividade de detectar penalties que mais ninguém vê, da qual são ambos orgulhosos praticantes. De acordo com o jornal Semanário Privado de 26 de Agosto de 2009 (que só li para não ser excluído da discussão pública), Pedro Proença é também referido na escuta de uma conversa entre Pinto da Costa e Pinto de Sousa. Pinto da Costa pergunta ao amigo quem vai ser o árbitro de determinado jogo do Porto, e Pinto de Sousa responde, referindo-se a Pedro Proença: «É o que a gente combinou». O futebol pode ter muitos defeitos, mas do ponto de vista da organização é irrepreensível: quase tudo está combinado.

Mais: o Benfica tornou a preparar-se de forma deficiente para o jogo. Como se viu em Coimbra, bola na mão na área do Porto é bola na mão; bola na mão na área do adversário é penalty, o que constitui uma vantagem inestimável para os portistas. A única maneira de contrariar esta vantagem do Porto é reforçar o plantel com jogadores manetas, e o Benfica teima em não o fazer. Por outro lado, a equipa volta a apresentar-se no Dragão apenas com onze jogadores, e não com onze jogadores e onze caddies. É indigno que tenham de ser os próprios futebolistas a apanhar as bolas de golfe.

 

ACADÉMICA e Porto encontraram-se na semana passada para jogar uma modalidade desconhecida, e o resultado final foi a vitória do porto. Surpreendentemente, os três pontos obtidos contaram para o campeonato de futebol.

Foram várias as pessoas que disseram que o jogo não se deveria ter realizado, mas compreende-se a decisão de não adiar. Se o jogo tivesse sido adiado, o Porto chegaria ao encontro com o Benfica com apenas quatro pontos de avanço. Se se realizasse na data prevista, poderia chegar com sete. Valia a pena arriscar.

 

MIGUEL SOUSA TAVARES insiste que «a Declaração de Independência dos Estados Unidos é parte integrante da Constituição americana, escrita oito anos depois». Lamento, mas é falso. A Declaração de Independência não é – repito, não é – parte integrante da Constituição americana, que por sua vez não foi – repito, não foi – escrita oito anos depois, mas mais de dez anos depois. Não é bem uma questão de opinião, é um facto que pode ser comprovado por qualquer leitor, por exemplo no sítio da biblioteca do Congresso. Os leitores interessados podem ainda consultar Os Lusíadas, o Pantagruel e o Kama Sutra e verificar a curiosa coincidência de todas essas obras terem em comum com a Constituição americana o facto de a Declaração de Independência não ser - repito, não ser – parte integrante delas. Creio que, após ter confundido a Constituição com a Declaração de Independência, MST confunde agora a Declaração dos Direitos do Cidadãos (a chamada Bill of Rights), que contém as primeiras dez emendas à Constituição. Começam a faltar documentos históricos importantes para MST confundir com a Declaração de Independência, pelo que tomo a liberdade de sugerir para confusões futuras, os seguintes: a Magna Carta, o Tratado de Tordesilhas e os Estatutos do Clube Desportivo Arrifanense. Resumindo: como tenho vindo a dizer, a frase que MST citou como sendo da Constituição é da Declaração de Independência – e atribuí-la à Constituição é, aliás, um erro comum. Mas não é grave. É sem dúvida menos grave do que a incapacidade de admitir erros.

MST gaba-se de ter sido, juntamente com Cavaco Silva, «o único de todos os convidados a recusar o convite» para ir ao Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios. Lamento, mas é falso. Confesso que desconheço como é que MST, sem recurso a poderes mediúnicos, julga saber quem é que foi ou não convidado por nós, mas esta nova mistificação tem um objectivo claro: sugerir que os textos de MST são de tal modo excelentes que a mais pequena crítica que lhes seja feita ó pode ser produto de uma mesquinha vingança. No entanto, ao contrário do que MST pretende, recusaram ir ao programa Cavaco Silva, Jorge Sampaio, Pinto Monteiro, Manuel Pinho, Maria José Morgado, Belmiro de Azevedo, José Mourinho, Cristiano Ronaldo, Azeredo Lopes, Maria de Lurdes Rodrigues, Alberto João Jardim, Manuel Alegre, Pacheco Pereira, José Eduardo Moniz, Manuela Moura Guedes, Medina Carreira e Miguel Sousa Tavares. Faça-se justiça: MST, não tendo sido o único a recusar, foi, sim, o único a pedir 24 horas para pensar. Todos os outros decidiram mais depressa. Quanto a nós, nem retaliamos contra quem recusa nem premiamos quem aceita. Basta lembrar que Rui Moreira aceitou participar num programa nosso e leva o mesmo tratamento. Mas, tal como MST, também eu me tenho lembrado, por estes dias, do Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios. Era um programa cuja estratégia humorista principal consistia em apresentar declarações de determinado político a defender uma dada posição, seguidas de outras declarações do mesmo político a defender a posição oposta. A incoerência, quando é assim flagrante, tem graça. E, como vivemos em democracia, apontar as incoerências dos mais altos (e também de alguns dos menos altos) dignitários da nação é legítimo. Fazer o mesmo com as doutas opiniões de comentadores desportivos é que parece ser intolerável.

Autor: Ricardo Araújo Pereira

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 11:43

Novembro 06 2010

Atrevi-me a prever a vitória do Benfica, no Dragão, pela margem mínima, no prognóstico semanal que entrego ao Record. No entanto, confesso que estou cheio de receio. O impulso inicial foi apontar para um empate, mas o irracional e sempre inexplicável apelo clubístico, associado à absoluta necessidade que o Benfica tem de pontos, levou-me a correr o risco de acreditar na possibilidade de um resultado favorável. A dose de falibilidade é enorme perante o comportamento das duas equipas.

A dinâmica, a coesão e a confiança que se sente nos atletas proporcionam ao FC Porto uma solidez e uma segurança que o Benfica, pelo menos até agora, não conseguiu evidenciar. Os encarnados estão longe do que fizeram na época passada, sem a segurança defensiva que representava uma primeira muralha; sem o meio-campo combativo e dotado da criatividade que desmoronava resistências e com um ataque menos habilitado a rasgar e a acertar na baliza.

A equipa tem sido capaz de tudo, do muito bom ao muito mau, parecendo comprazer-se num sádico exercício de desregulação dos batimentos cardíacos dos seus adeptos. O último jogo, frente ao Lyon, certifica a inconstância dos jogadores, a intranquilidade que, por vezes, os diminui e a vulgaridade com que, aparentemente sem justificação, ofusca a qualidade que chega a ser espraiada no relvado.

Na lógica de que o futuro é que interessa, espero que Jorge Jesus consiga incutir nos atletas a crença de que a vitória é possível, ainda que muito complicada. André Villas-Boas forjou uma equipa que se transfigurou em relação à última época e inoculou-lhe uma ambição notável. Enfrentá-la é, hoje em dia, um combate difícil, tanto em Portugal como lá fora. Só um Benfica humilde, trabalhador, criativo e sagaz poderá aspirar a pontuar no Dragão ou, mesmo, a ganhar.

Fazendo parte da equipa mais cara do futebol nacional, aos jogadores exige-se que defendam os seus pergaminhos, indiferentes ao ambiente e ao poder de fogo do adversário, que é terrível. Mas, acima de tudo, independentemente da preferência pela cor de uma das camisolas, importa ter em conta o interesse do campeonato: se o Benfica perder no Porto, a prova, na prática, pode considerar-se terminada. Hulk e seus companheiros limitar-se-ão a passar pelos campos de futebol, a partir daí, como cão por vinha vindimada. Será mau para todos, em especial, para a competitividade futebolística portuguesa e para a emoção que a enobrece.

Autor: JOSÉ EDUARDO MONIZ

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:36

Novembro 06 2010

Tentar parar Hulk e as suas investidas pode ser uma das chaves para o Benfica conseguir sair do Dragão com os três pontos e abrir perspetivas para relançar a luta pelo título. É certo que o ataque dos dragões conta também com Varela e Falcão, mas é o brasileiro, que já tem 8 golos na Liga e atravessa um grande momento, quem requer mais cuidados.

Jorge Jesus está ciente desta realidade e debate-se com algumas dúvidas sobre a forma como travar o Incrível. Fábio Coentrão e César Peixoto são as hipóteses mais óbvias mas, a derivação de David Luiz para a lateral esquerda, também pode ser equacionada pelo técnico das águias. Se assim for, Coentrão avança para a zona média e o ex-Sp. Braga senta-se no banco de suplentes.

Apesar de ser invulgar esta medida, não é virgem no reinado de JJ nos encarnados. Na temporada passada, diante do Liverpool, no encontro da 2.ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa, o técnico optou por colocar o camisola 23 no lado canhoto, entrando Sidnei para o eixo defensivo. A opção acabou por não surtir muito efeito, já que as águias foram goleadas por 4-1 no desafio que marcou o adeus às competições europeias.

Amanhã, a medida pode repetir-se embora o cenário mais tradicional com Coentrão atrás e Peixoto (ou Gaitán) no miolo também não seja de excluir.

Dilema

À primeira vista David Luiz e Coentrão são jogadores que, pelas suas características, são mais indicados para enfrentar o portista. Ambos detêm velocidade, são fortes nos duelos individuais e têm uma grande fibra competitiva. No entanto é preciso não esquecer que Peixoto desempenhou bem a missão na época passada no jogo da Luz e, praticamente, secou o brasileiro do FC Porto. Jesus tem mais umas horas para definir o onze que vai tentar vencer na Cidade Invicta.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:24

Novembro 06 2010

O angolano encontrava-se na crista da onda em 2001, ano da chegada ao Benfica. As exibições de gala sucediam-se e despertavam a cobiça dos maiores colossos financeiros da Europa. O corrupio era tanto à volta do jovem de 19 anos que Filipe Vieira, à altura gestor do futebol das águias, lançou um aviso à navegação.

“A transferência de Mantorras é superior à de Figo. Mantorras vale 18 milhões de contos [90 milhões de euros]. É muito cobiçado na Europa e não sai por menos de 18 milhões de contos”, assegurou o dirigente, procurando afugentar o Milan [oferecia 8 milhões] e a Juventus [5 milhões]. Refira-se que, em 2000, Figo trocara o Barcelona pelo Real Madrid numa operação de 12 milhões de contos [60 milhões de euros].

Mantorras esteve mesmo quase a vincular-se ao Milan, que lhe oferecia um contrato chorudo e a camisa 9. “O salário era de 375 mil euros por mês e o cheque estava ali à frente dos meus olhos”, confessaria, anos mais tarde, o angolano na respetiva biografia. O negócio... não se consumou.

Aquele a quem, em 2001, Eusébio apelidou de “diamante” efetuou um estágio no Barcelona em 1999, ou seja, antes de rumar ao Alverca, clube que o acolheu em Portugal. A visita de Mantorras ao Barcelona levantou muita polémica em Angola, pois o jogador abandonou o estágio dos Palancas Negras em vésperas do jogo com a Zâmbia de qualificação para o Mundial. Mantorras encabeçava a lista preferencial do holandês Louis Van Gaal, que orientava os culés. Segundo o africano, a transferência não se efetivou porque o Progresso do Sambizanga inflacionou o passe. Todavia, a relva do Camp Nou marcou-o para sempre: “Nunca tinha pisado nada tão confortável, nem mesmo os tapetes que adquirira para o meu quarto novo.”

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:21

Novembro 06 2010

Pedro Mantorras vai colocar um ponto final na carreira na próxima quarta-feira, apurou Record junto de fonte próxima dos encarnados. A comunicação oficial deverá ser realizada, em conferência de imprensa, logo após o final do jogo entre a selecção angolana e o Benfica, sendo esta a última vez que o avançado africano vai vestir a camisola da águia.

A despedida vai ocorrer no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, tal como o jogador sempre tinha sonhado e a partir daí aquele que chegou a ser um verdadeiro fenómeno no futebol português não voltará a calçar as chuteiras.

Aos 28 anos, Mantorras decide assim terminar com o verdadeiro calvário que foram os últimos anos da sua carreira devido a problemas físicos que não lhe permitiam treinar-se e jogar como os outros colegas. O abandono dos relvados há muito que está a ser analisado entre o jogador angolano e a SAD benfiquista. Ao que o nosso jornal apurou, o avançado irá receber uma indemnização da seguradora numa valor que se situará entre os 250 e os 350 mil euros, mais uma verba mensal por incapacidade, tal como aconteceu nos últimos anos com o ex-guarda-redes Brassard. Este valor ainda não foi definido pela entidade seguradora.

Da parte da Benfica, SAD está igualmente a ser analisada a possibilidade de ficar a pagar ao angolano uma verba mensal, igualmente vitalícia. Certo é que a ligação de Mantorras às águias não terá um ponto final. O avançado ficará com um cargo de representação do clube junto de alguns países africanos. O jogo de quarta-feira será, porventura, um dos momentos mais emocionantes da carreira de um jogador que tão cedo não será esquecido pela massa associativa das águias.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:18

Novembro 06 2010

Coentrão vai voltar amanhã ao seu palco preferido nestes últimos anos. Isto porque um terço dos golos do jovem das Caxinas no campeonato foi apontado no Estádio do Dragão, embora nenhum tenha sido com a camisola dos encarnados.

A estreia a marcar na Invicta aconteceu na temporada 2007/08 ao serviço do Nacional da Madeira. Os insulares venceram de forma surpreendente por 3-0 e o esquerdino, de 22 anos, bisou.

Na época seguinte, já ao serviço do Rio Ave, Coentrão voltou a fazer das suas mas festejou de uma forma muito mais exuberante. Os vila-condenses perdiam por 1-0 até o internacional português arrancar uma grande jogada individual e atirar em arco para o fundo da baliza de Helton.

Nos festejos do golo o jovem mandou silenciar os adeptos portistas numa celebração efusiva.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:13

Novembro 06 2010

Roberto revelou que nunca pensou desistir «nem voltar para casa», depois de um início de época marcado por muitos erros.
«Quando assinei contrato de cinco anos, disse que era para cumprir. E quando alguém assina por um clube tão grande tem de estar preparado para tudo, tanto de bom como de mau. O início não correu como gostaria, mas isso também serviu para aprender», afirmou o guarda-redes espanhol, em declarações à TVI.
Roberto lembrou, ainda, o jogo com o V. Setúbal, no qual entrou para substituir Júlio César e defender um penalty: «Pode parecer estranho mas foi o momento em que estive mais tranquilo em toda a época porque tinha as coisas claras e sabia o que fazer. Tudo aconteceu da melhor maneira e a partir daí o Benfica também começou a fazer as coisas muito melhor.»

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 09:05

Novembro 06 2010

O plantel do Benfica foi, efectivamente, alvo de uma visita, anteontem à tarde, no Caixa Futebol Campus, no Seixal, onde se treinava, por parte de uma brigada de controlo anti-doping.
Não ao serviço da Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), como esta entidade esclareceu, ontem, em comunicado, mas sim por iniciativa da UEFA, embora entre a equipa que se deslocou à margem Sul do Tejo constasse um médico que divide funções entre a ADoP e a Unidade de Controlo Anti-Doping da UEFA.
Quem o confirmou a A BOLA foi Domingos Gomes, ex-clínico do FC Porto e actual membro da referida unidade ao serviço da entidade que tutela o futebol do Velho Continente.
«Não fui chamado para este controlo, mas sei que um médico que trabalha para a ADoP e para a unidade de controlo anti-doping da UEFA acompanhou outro médico de origem estrangeira. A UEFA é sempre muito rigorosa em relação a este tipo de situação, denominada de controlo fora da competição», começou por explicar Domingos Gomes, que admite que os resultados poderão ser apurados «em Lisboa ou em Madrid» e que, consoante o acordo feito com o laboratório escolhido, «os resultados poderão demorar entre 24 e 48 horas ou entre 8 e 10 dias».
O motivo da visita dos vampiros - termo adaptado, sobretudo, do ciclismo, onde as investidas em busca de doping são mais frequentes - escapa, no entanto, a Domingos Gomes. «Não sei a razão, há um grupo restrito de três ou quatro pessoas que tomam a decisão em relação ao clube a visitar e ao momento da recolha. Sei apenas que pode abranger entre sete e dez jogadores e não é obrigatório sorteá-los», acrescentou.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 08:33

Novembro 06 2010

Fábio Coentrão tem a Europa a seus pés. Agora é o Barcelona que se junta à imensa lista de emblemas que o perseguem, e tudo porque Guardiola pretende um jogador capaz de assumir no lado esquerdo o mesmo papel que o eléctrico Daniel Alves desempenha no flanco oposto.

O técnico do campeão espanhol procura um jogador capaz de explorar todo o flanco e de desequilibrar no ataque e entende que Fábio Coentrão pode ser uma solução, segundo avança a Imprensa espanhola.

O Barcelona já observou por diversas vezes o camisola 18 do clube da Luz, que integrou a equipa da semana da Liga dos Campeões, fruto dos dois golos ao Lyon, e os relatórios dos olheiros da formação catalã são bastante positivos. Por isso, o internacional português é, a par de Gareth Bale, ala-esquerdo do Tottenham, um dos nomes que seduzem tanto o treinador do Barça como os responsáveis pelo departamento de futebol.

Guardiola contratou no início da época o brasileiro Adriano, que pode actuar tanto a defesa ou a médio, mas o ex-Sevilha, assim como Maxwell, que chegou em 2009/10 do Inter, não convenceram totalmente o treinador espanhol, que conta ainda com Abidal, utilizado várias vezes a central.

A corrida promete ser intensa, pois os blaugrana - que receberam já há algum tempo referências do jogador por parte do seu empresário, Jorge Mendes - integram uma lista que conta com clubes como Bayern de Munique, Real Madrid, Inter, Chelsea ou o Liverpool, cujo treinador ainda há muito pouco tempo reconheceu a O JOGO seguir atentamente o futebolista.

Fonte: O Jogo

publicado por Benfica 73 às 08:22

Novembro 06 2010
Jorge Jesus tem em mente a estratégia que vai aplicar no clássico de amanhã com o FC Porto, mas terá ainda algumas dúvidas em relação aos intérpretes. E as figuras centrais do dilema do treinador são Gaitán e César Peixoto, embora sejam previsíveis outros retoques no meio-campo.

Se optar por manter o onze habitual, com um jogador mais forte em termos ofensivos, Jesus deverá chamar Gaitán à equipa inicial - não jogou com o Lyon por castigo. Se, pelo contrário, optar por tentar dar mais consistência ao meio-campo e elevar o controlo das movimentações de Hulk, apostará em César Peixoto. O jogador português actuaria no vértice esquerdo do losango aberto, ajudando Fábio Coentrão (lateral-esquerdo) a parar o diabólico extremo do FC Porto. Ainda na partida contra o Lyon, recorde-se, Jesus teve a preocupação de "secar" o extremo brasileiro Michel Bastos, usando e abusando da qualidade de Coentrão na defesa e colocando César Peixoto à sua frente. Um teste para o Dragão? Se foi, a solução está aprovada.

De regresso à equipa estará também Pablo Aimar. O internacional argentino não fez parte das contas do treinador no jogo com o Lyon devido a uma indisposição de última hora, mas está praticamente recuperado (ver página 14) e será um dos trunfos para o Dragão. El Mago irá assumir a condução da equipa, actuando na sua posição natural, no apoio a Saviola e Kardec. A entrada do 10, vai implicar o regresso de Carlos Martins ao vértice direito do losango, ele que tão bem jogou na Champions (quatro assistências para golo), no meio.

Da Luz para o Dragão, ou seja, do jogo com o Lyon para o clássico com o FC Porto, Jesus irá mexer apenas no meio-campo, pois Maxi Pereira, Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão não deixam espaço para a entrada de outro colega na defesa. O mesmo se passa em relação ao ataque, onde Saviola e Kardec têm o lugar bem seguro. Na baliza, Roberto é dono e senhor das redes, mesmo depois do erro no terceiro golo do Lyon - mais uma saída fora de tempo.

Fonte: O Jogo

publicado por Benfica 73 às 08:13

Novembro 06 2010

publicado por Benfica 73 às 07:58
Tags:

Novembro 06 2010
O "clássico" entre FC Porto e Benfica joga-se domingo, a partir das 20h15, no Estádio do Dragão. Os "dragões" são líderes, com sete pontos de vantagem sobre os "encarnados". Mário Jardel e Nené fizeram a antevisão do encontro para Bola Branca.

Mário Jardel foi um dos marcadores de serviço do FC Porto frente ao Benfica, durante as quatro épocas que esteve nas Antas, entre 1996 e 2000.

Agora, "Super-Mário" coloca as "fichas todas" num êxito portista. No desafio de domingo mas também no campeonato.

"O grande favorito é o FC Porto, está confiante. Apesar de ser um clássico, aposto no FC Porto. Tem um bom treinador. Vou torcer por um jogo bom entre as duas equipas. O campeonato ainda não acabou, é muito cedo para dizer que fica decidido, mas na minha opinião o FC Porto é campeão", considerou, destacando Hulk do lado "azul-e-branco".

"Ele está confiante, num grande momento, com vários clubes interessados nele e precisa de manter essa toada, para dar alegrias ao FC Porto", salientou Jardel, que confessou não ter ficado surpreendido com a ausência de Hulk na última convocatória de Mano Menezes, o seleccionador brasileiro.

"A selecção é um tema mais complicado, porque há muitos jogadores de enorme qualidade. Isso também aconteceu comigo, e ele terá que ter paciência porque terá a sua oportunidade", atirou.

Outro ponta-de-lança de elevado nível jogou do outro lado, no Benfica. O seu nome, Tagmanini Nené, ouvido esta sexta-feira por Bola Branca, projectou desta forma o clássico:

"Com a distância pontual que o Benfica tem do FC Porto, o mínimo que poderá acontecer para continuar na luta pelo título é empatar. Mas o Benfica joga sempe para ganhar. Se perder, fica um pouco mais longe, mas com tantas jornadas pela frente, ainda poderá vir a ser campeão".

Ao Benfica falta Cardozo, mas Nené considera que a equipa terá de adaptar-se: "O Cardozo é um goleador, mas o Benfica tem que se adaptar a todos os jogadores que não possam jogar em alguns jogos e colmatar com a vinda de outros que possam dar condições ao Benfica de ganhar".

Alan Kardec tem sido o substituto de Cardozo e o antigo internacional luso tem esperança no jovem ponta-de-lança: "O Kardec é um jovem avançado que se está ainda a adaptar ao futebol português. Já deu mostras de ser goleador e esperemos que, no domingo, possa voltar a fazer valer essa veia goleadora".

Fonte: Rádio Renascença

publicado por Benfica 73 às 02:39

Novembro 06 2010

publicado por Benfica 73 às 01:45

Novembro 06 2010

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, inaugura este sábado, às 12.30 horas, mais uma Casa do Benfica, desta vez em Lousada.
Antes, a comitiva encarnada será recebida nos Paços do Concelho da localidade. A cerimónia culmina com a realização de um almoço em restaurante local.
A nova Casa do Benfica de Lousada ficará localizada em frente à escola secundária, na Avenida Dr. Mário Soares.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 00:39

Novembro 06 2010
O Comando Metropolitano da Polícia de Segurança Pública (PSP) do Porto anunciou, na tarde desta sexta-feira, o plano de segurança para o "clássico" entre FC Porto e Benfica deste domingo, um jogo com lotação esgotada, logo, de risco elevado.

Para esta partida, que marca a 10ª Jornada da Liga Zon Sagres, o subintendente José Henriques Fernandes assegurou que as autoridades terão "tolerância zero" para com os adeptos que pretendam causar "desacatos".
"A política de segurança da PSP será de tolerância zero para qualquer desacato que se pretenda cometer", afirmou o responsável, que não deixou de abordar a principal preocupação para a PSP: a segurança do autocarro que transporta a equipa do Benfica.

"Atendendo ao que aconteceu no último jogo (último FC Porto-Benfica no Dragão), foi aquilo a que tivemos que readaptar o nosso policiamento", confessou.

A PSP realça pela positiva uma semana sem declarações que pudessem aumentar a temperatura do clássico. De resto, ficou o apelo ao fair play dos protagonistas.

"Esta semana não tem havido declarações de nenhum dos lados e, se ocorrerem, espero que incentivem ao respeito pelo adversário e pelos adeptos", apelou.

A PSP não revelou o número de efectivos envolvidos na operação de segurança que irá rodear o clássico, mas deixou ainda os habituais conselhos aos adeptos, que domingo vão estádio do Dragão assistir ao jogo.

Fonte: Rádio Renascença


publicado por Benfica 73 às 00:27

BENFICA 73
contador grátis
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





subscrever feeds
comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...