Junho 16 2010

Os adeptos do Benfica podem dormir descansados. A sucessão de Angel Di María está garantida com a contratação de Nicolas Gaitán, jogador por quem a SAD encarnada pagou 8,4 milhões de euros.

A opinião é de Ramón Maddoni, caça-talentos argentino que descobriu, entre outros, estrelas como Redondo, Tevez, Cambiasso, Riquelme, Sorín, Gago, Insúa e... o reforço benfiquista. Autoridade na matéria, Maddoni não tem dúvidas quanto à qualidade daquele que assinou pelas águias contrato válido por cinco anos.

"Dentro de dois a três anos, Nico vai valer 40 milhões", refere, numa alusão ao valor da cláusula de rescisão de Di María. "Ele tem todas as condições para dar alegrias aos adeptos do Benfica, da mesma forma que Di María o fez", acrescenta.

Maddoni até considera que o Canhoto Maravilha, como é conhecido, deve jogar na esquerda, no lugar que pertenceu a Angelito, não obstante o seu "menino" preferir atuar nas costas do ponta-de-lança. As comparações são inevitáveis, mas as diferenças também. "Nico é um pouco mais franzino e leve do que Di María." Mas de uma coisa este veterano treinador tem a certeza: o reforço encarnado vai estar "ao mesmo nível de Di María". "Imprime mudanças de velocidade e é muito inteligente."

Da infância à Europa

A relação com Gaitán é antiga. Antigo técnico do Club Parque, de Buenos Aires, vocacionado para o que os argentinos chamam de "baby [bebé] futebol", uma espécie de futsal, Maddoni assumiu depois as funções de diretor-geral do futebol jovem do Argentinos Juniors, onde permaneceu 16 anos. Em 1996 transferiu-se para para o histórico Boca Juniors, desempenhando as mesmas funções. Nunca perdeu a ligação Club Parque, espécie de antecâmara para os candidatos a craques.

Num país onde os talentos nascem com grande frequência, Gaitán não escapou ao olho de lince de Maddoni, num torneio de futsal. Jogava, então, num clube de José Paz, arredores da capital argentina. O Club Parque deitou-lhe a mão, mas aos 8 anos transitaria para o Boca Juniors, clube que Maradona também representou. Era um miúdo fisicamente frágil, mas com muito talento, a principal qualidade que as crianças têm de apresentar. "Depois, trabalha-se os fundamentos e, sobre isso, o ritmo e a agressividade. São as quatro palavras que procuro incutir nos jovens", explicava em agosto de 2008.

Em 1999, com 11 anos, Gaitán venceu a Danone Cup. Nessa altura, o seu pé esquerdo começava a encantar, o que lhe valeu a alcunha de Canhoto Maravilha. O resto da história é conhecida. Há dois anos estreou-se pela equipa principal do clube "xeneize". "Foi um dos melhores jogadores este ano." O Benfica abre-lhe as portas da Europa. Maddoni augura-lhe futuro risonho.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 22:05

Junho 16 2010

Dois dos reforços já contratados para a nova temporada do Benfica, o médio ofensivo Nicolás Gaitán (ex-Boca Juniors) e o avançado Franco Jara (ex-Arsenal de Sarandí), vão apresentar-se em Lisboa uma semana antes do início da época dos encarnados (agendado para segunda-feira, 28 de Junho) para começarem a trabalhar sob as ordens da equipa técnica liderada por Jorge Jesus.

A fazer-lhes companhia estará o também médio ofensivo argentino Pablo Aimar, que acabará as férias mais cedo do que os companheiros da época passada de maneira a preparar a sua condição física.

Esta medida aplica-se a futebolistas que não marcaram presença no Campeonato do Mundo e que tiveram assim uma boa dose de descanso. No caso dos reforços, chegar mais cedo permitirá também uma mais rápida adaptação.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 20:17

Junho 16 2010

«Tenho de estar optimista! O Benfica foi campeão com um recorde de pontos: equipa alguma conseguira, até agora, somar 76 pontos no Campeonato disputado em 30 jornadas! Com uma qualidade de jogo, em muitos dos jogos, com direito a nota artística. Para quem gosta e quem aprecia futebol espectáculo, o Benfica transmitiu isso durante o ano. Neste momento, face ao que, até agora, hoje [ontem], sucede, ou seja, jogador algum foi transferido do plantel, isso faz-me acreditar que a nova época vai ser ainda com um Benfica mais forte! Não só com os jogadores que já adquirimos, casos do Nicólas Gaitán, do Fábio Faria e do Franco Jara, mas também pela evolução do Alan Kardec e do Airton, dois jovens. Tudo somado faz-nos acreditar que vamos ficar mais fortes! O Benfica, na próxima época, vai estar muito mais forte.»

 

«Temos, novamente, grandes objectivos para conquistar. Não é o termos sido já vencedores uma vez que nos vai acomodar. Isso é o princípio do nada. Difícil não é chegarmos ao topo, é mantermo-nos lá em cima. Queremos voltar a ser campeões! Temos muitos motivos não só para acreditarmos mas também para nos motivarmos.»

 

«O presidente é a pessoa responsável. Melhor do que ninguém, sabe o que está a fazer, é um homem seguro e negoceia como ninguém. Não é por acaso que os jogadores do Benfica têm procura em todo o Mundo e ainda nenhum saiu! Acredito que poderei contar com Di María, David Luiz ou o Cardozo na próxima época porque até hoje [ontem] nenhum dos três saiu.»

 

Di María: «No Argentina-Nigéria, ficou um pouco na sombra de Messi, que ocupou o seu lugar habitual. Foi obrigado a defender mais do que o normal, jogou mais longe da baliza. Perdeu-se no espaço mas vai melhorar, certamente no próximo jogo.»

 

Cardozo «Jogou 14 minutos no Itália-Paraguai e tentou ajudar. Mostrou-se preparado, em termos mentais, para isso. Procurou não ter só capacidade ofensiva: vi-o correr muito a defender. Está com espírito de selecção. E ainda bem!»

 

Urreta: «É uma possibilidade fazer a pré-época cá, pois há jogadores que estão no Mundial que voltarão mais tarde e precisam de unidades para a pré-época, para os esquemas de treino. Mas pode não suceder, pois o Peñarol quer que Urreta fique no Uruguai.»

 

Oblak: «É para os juniores. Jan Oblak é um miúdo que a nossa prospecção descobriu, com margem para crescer. Como a baliza é um lugar específico e em apenas 17 anos, achou-se por bem investir nele. No plantel haverá lugar para três guardiões.»

publicado por Benfica 73 às 18:29

Junho 16 2010

Jorge Jesus e Paulo Sérgio, técnicos de Benfica e Sporting, foram ontem os comentadores do jogo de estreia da Seleção a convite da Rádio Renascença. Ambos se mostraram críticos em relação à prestação de Portugal e Jorge Jesus chegou mesmo a fazer destaques pela negativa, designadamente em relação a Deco. "A gasóleo e com esta velocidade não precisa de ser marcado", afirmou ao intervalo.

De início, no entanto, as perspetivas eram boas. Paulo Sérgio salientava o valor da Costa do Marfim "com jogadores explosivos", enquanto Jorge Jesus não tinha dúvidas. "Portugal é muito melhor. As equipas de África estão a quilómetros das europeias." Ambos consideraram uma vantagem "Drogba não jogar", apesar de o técnico leonino ter manifestado o desejo de o ver em campo.

Expectativas furadas

O otimismo foi-se desvanecendo com o tempo. Jorge Jesus e Paulo Sérgio viam o jogo sem grandes manifestações, enquanto o resto do auditório raramente tinha motivos para entusiasmo.

Durante a primeira parte, só o remate de Ronaldo ao poste criou empolgamento, mas foi sol de pouca dura. "Portugal está agarrado ao sistema. Há pouca profundidade. Os nossos laterais não entram no processo ofensivo. Temos de rever o nosso posicionamento. Deco e Danny não têm lugar fixo e não conseguiram organizar. Estiveram fora do jogo", sublinhava Jorge Jesus. Paulo Sérgio pedia também "mais dinâmica", mostrando-se igualmente, crítico. "Quando perdemos a bola não nos mantemos juntos. Ainda não vimos movimentos de rutura. Nenhuma das equipas fez por marcar", sustentava o técnico leonino. No segundo tempo, nada se alterou.

No final, Jorge Jesus considerou "melhor o resultado do que a exibição", e classificou a Costa do Marfim como "a melhor seleção africana". Paulo Sérgio referia "não ter existido uma ideia de jogo padronizada". Os dois consideraram imperioso "mudar" frente a uma Coreia do Norte "que pode ser surpreendente".

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 16:13

Junho 16 2010

 

“Caros benfiquistas,

Este é sempre um momento importante na vida do Clube, uma vez que os Orçamentos definem uma direcção, traçam um rumo, permitem, que os sócios entendam e validem as opções que se pretendem tomar.

Este Orçamento escolhe, mais uma vez, o caminho da exigência e do rigor.

Vivemos tempos que não nos permitem outra opção.

Mas assumindo o rigor como critério fundamental, sabemos que podemos continuar a investir, se o fizermos bem, se o fizermos de forma pensada.

O ano que agora termina foi um tempo feliz por várias razões.

Evidentemente por aquilo que tivemos oportunidade de viver no futebol, por aquilo que conhecemos no basquetebol, por aquilo que ambicionamos no futsal, mas apesar de menos mediático - não menos importante e decisivo - foi a racionalização de recursos que nos impusemos na maneira de gerir aquilo que aos sócios pertence.

Este é um caminho que queremos seguir.

Todos conhecem o cenário económico que se vive a nível internacional e que se reflecte, de forma mais acentuada, no nosso país.

Não tenham dúvidas que vamos enfrentar dificuldades, mas devemos estar optimistas porque sabemos que é nos momentos de maiores dificuldades que surgem também as melhores oportunidades.

Já provamos no passado que sabemos inovar, que sabemos encontrar as melhores soluções para os maiores desafios. É esta a tarefa que mais uma vez se nos pede.

Este Orçamento escolhe o caminho da exigência, sem que isso, no entanto, possa comprometer o nosso crescimento e o reforço da nossa marca a nível global.

Esta mesma exigência não deve comprometer a justiça social e o nosso compromisso – através da Fundação Benfica - com aqueles que são mais carentes e necessitados.

À satisfação de quem sabe o caminho que foi percorrido, junta-se o inconformismo de quem sabe o muito que ainda temos para fazer.

Vamos seguramente continuar a apostar no reforço das nossas modalidades.
Elas fazem parte da nossa história e devem merecer toda a nossa atenção.

Vamos continuar a investir, pedindo, seguramente, resultados, mas sabendo que temos critérios e fronteiras de que não prescindimos, nem ultrapassamos.
E sabendo também que a cada investimento vamos pedir o seu retorno, responsabilizando assim todos aqueles que lideram os nossos atletas nas diversas modalidades.

Vamos continuar a apostar no reforço dos nossos meios internos de comunicação, nomeadamente da Benfica TV.

Um Clube que é global deve contar com um canal de televisão que chegue a qualquer parte do Mundo onde há portugueses, onde existam benfiquistas.

O nosso esforço continuará a passar por internacionalizar a Benfica TV como instrumento fundamental para a consolidação do Benfica como referência principal do país além fronteiras.

Das promessas eleitorais que submeti à votação dos sócios, há duas que de uma forma ou de outra, sinto já ter correspondido: A aposta nos resultados desportivos e a revisão dos nossos estatutos.

Falta o Museu do Benfica, algo em que continuamos a apostar diariamente e que até final do presente mandato será – estou certo – uma realidade.

Não podemos ter futuro se não cuidarmos do nosso passado. E a força do nosso passado exige um Museu com a mesma dimensão, exige um Museu que possa transmitir aos mais novos a realidade e a dimensão de um Clube que é centenário. É uma tarefa prioritária deste mandato.

Quanto ao Centro de Documentação, os trabalhos estão mais adiantados e espero nos próximos meses poder inaugura-lo.

O Orçamento proposto para 2010-2011 tem, como já o disse, como trave mestra o rigor, e reflecte – como não podia deixar de ser – a conjuntura menos positiva da economia nacional, mas não deixa de ser um orçamento que permite atingir todos os objectivos traçados.

É necessário assegurar rigor na identificação dos problemas e das respectivas soluções.

Temos de saber gerir com maior eficácia os recursos disponíveis. É para isso que todos os profissionais do Sport Lisboa e Benfica trabalham diariamente.”

Fonte: Sport Lisboa e Benfica

publicado por Benfica 73 às 12:08

Junho 16 2010

«Quero ficar no Benfica. Quero jogar na Liga dos Campeões pelo Benfica e fazer o melhor que puder nessa prova. Só penso no Benfica e não numa saída esta época».

 

«Eu acredito que se ficar mais uma época na Benfica isso será bom para mim e para o clube. Será bom para mim ficar mais um ano a ser treinado por Jorge Jesus. Ele tem-me mudado muito como jogador, adoro ser treinado pelo ‘mister’ Jesus. E por isso quero ficar este ano. Penso e quero ficar este mais ano no Benfica».

 

«Penso sempre alto e quero estar sempre no onze, seja na Selecção seja no Benfica. Neste momento só penso na Selecção. Agora é aqui que quero sorrir e na próxima época sorrir também no Benfica».

publicado por Benfica 73 às 12:03

Junho 16 2010

publicado por Benfica 73 às 08:47
Tags:

BENFICA 73
contador grátis
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





subscrever feeds
comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...