Maio 29 2010
publicado por Benfica 73 às 22:00

Maio 29 2010

A ser verdade, o que é que se passa?
Alguém percebe?
O Benfica não procura um guarda-redes de top, daqueles que garantam muitos pontos?

publicado por Benfica 73 às 14:28

Maio 29 2010

As duas selecções com mais capacidade para ganhar o mundial falam castelhano: Espanha e Argentina. Mais a Espanha que a Argentina, já que tem maior equilíbrio entre talento individual e organização colectiva (por via do contingente made in Barcelona) e um treinador experimentado. A Argentina reúne no ataque o mais incrível lote de talentos. Tem Messi mas também Aguero, Higuaín, Diego Milito, Tevez e Di Maria. Só perante este enunciado de génios se percebe que não façam parte do grupo Lisandro, Saviola ou Lavezzi. E chamo a atenção para um médio ofensivo, também genial, Pastore, do Palermo, que o mundo irá descobrir se Maradona não insistir sempre em Verón. Maradona até pode ser, como muitos, dizem, o ponto débil argentino, mas um bom seleccionador não tem de ser necessariamente um grande treinador. Não raras vezes alicerça mais o seu trabalho na motivação que propriamente na qualidade do treino. E nesse aspecto Maradona pode ser tão bom como os melhores. Até porque deve ser confortável para os jogadores olhar para o banco e ver uma divindade, alguém que por definição é infalível.

O Brasil surge na linha seguinte, como Itália e Inglaterra. A favor do escrete está o talento de Kaká e Robinho, além da camisa amarela que parece dar alma nova a quem a veste. Contra está uma mentalidade de combate (que me lembra Parreira em 94), em que a organização defensiva (sempre com dois médios de contenção) prevalece sobre a criatividade. Foi com os grandes talentos que o Brasil se tornou a selecção mais ganhadora de sempre. Não entendo que Dunga esqueça Pato (o melhor avançado) e Ganso (o novo génio do Santos). E tenho saudades de Ronaldinho.

A Itália está menos forte mas promete ser coesa, depois de deixar em casa os avós Toni, Totti ou Del Piero (Canavarro é exceção) e os génios rebeldes Cassano, Balotelli e Miccoli. E tem Lippi, que é um ganhador. Como Capello, numa Inglaterra assente em grandes campeões (Terry, Ferdinand, Lampard, Gerard e Rooney) e no trio de extremos mais rápido do mundo (Walcott, Lennon e Wright-Phillips).

Se não ganhar nenhum destes, há-de ser a França, apesar de Domenech, a Alemanha, em que desta vez não acredito, ou o Portugal de Ronaldo. Se for alguma das outras 24 selecções será mesmo uma grande surpresa, e o mundo estará para acabar se a Nova Zelândia ou a Coreia do Norte conseguirem uma surpresa que seja, já que me parecem os conjuntos mais débeis.

De volta a quem pode ganhar, sublinho essa Espanha que tem na base da melhor equipa do mundo, com Puyol, Pique, Busquets, Xavi, Iniesta, e Pedro Rodriguez, mais Fábregas e David Silva que também conhecem o tiki-taka. Na frente falta Messi, mas com excepção da Argentina ninguém apresenta uma dupla de bombardeiros como Torres e Villa. É a melhor equipa. Aquela que temos de evitar nos oitavos-de-final. Até porque mais que um duelo de hermanos nessa fase, o que tinha mesmo graça era uma final ibérica. Já agora com uma vitória ainda mais surpreendente que a de Aljubarrota. E dos mesmos.

Autor: Carlos Daniel

Fonte: Jornal Record

publicado por Benfica 73 às 14:22

Maio 29 2010

Autor: Ricardo Araújo Pereira
Fonte: Jornal A BOLA

 

Junto a minha voz à daqueles que se indignam por o hino oficioso da Selecção não ser uma canção portuguesa. Não por patriotismo, mas por coerência com a realidade: creio que a música mais apropriada para este nosso conjunto seria um fado. Antigamente, todas as janelas do País tinham de ostentar uma bandeira portuguesa, mesmo que tivesse pagodes no lugar de castelos. Agora, ninguém vai aos chineses comprar uma bandeira nem que tenha sido bordada à mão pela padeira de Aljubarrota e tingida com sangue de D. Afonso Henriques.

A verdade é que há sacas de batatas mais entusiasmantes do que Carlos Queiroz. Mais facilmente um brasileiro nos faz sentir portugueses do que ele. E, em certa medida, devemos estar-lhe gratos por isso. Com Scolari, o povo português andaria agora entretido a bufar nas vuvuzelas até ficar com as beiças em carne viva. Estaríamos a viver tempos insuportáveis. Elefantes viriam da Índia atraídos pelo barulho, julgando ter ouvido o grito de acasalamento de fêmeas gigantes, e procurariam fazer criação com os portugueses mais volumosos que encontrassem. Com Queiroz, a população da Covilhã em peso organiza-se para lhe comunicar que gostaria de o ver com uma vuvuzela, mas a sair do orifício errado. Compreende-se: por exemplo, Scolari tentou bater num estrangeiro, o que sempre galvaniza o bom povo. A única vez que Queiroz esteve tentado a dar uns bananos, escolheu um português. Isso tem sido uma espécie de imagem de marca: como se tem visto nos jogos, esta selecção não tem agressividade nenhuma frente aos estrangeiros.

 

Ora até que enfim que José Mourinho tem, em Portugal, o reconhecimento que lhe é devido. Não sei se ainda se lembram mas, há uns anos, alguns dos que agora rejubilam com a façanha do treinador português e só lhe vêem virtudes estavam a ameaçá-lo de morte. Um vice-presidente do clube ao serviço do qual ele ganhou a sua primeira Liga dos Campeões foi ao seu quarto na véspera da final passar-lhe o telefone, para que ele pudesse ouvir de viva voz uma mão cheia de insultos e ameaças. Parece que, desta vez, tal não sucedeu. Parabéns a José Mourinho pela sua segunda Taça dos Campeões, e a primeira que ele teve vontade de festejar. Sentiu-se que ele prefere assim.

 

“Nós vamos a partir de hoje aqui solenemente dizer-lhe (…) que nós queremos este ano dedicar a vitória do campeonato a si. A si, que vai ser campeão”.

Pinto da Costa

À conversa com ma fotografia de José Maria Pedroto

7 de Janeiro de 2010

 

“Eu não sou prometedor de títulos nem de nada, que não uso esse tipo de conversa”.

Pinto da Costa

27 de Maio de 2010

 

Este ano não tem sido fácil para quem já foi treinador do Porto. José Maria Pedroto, ao contrário do prometido, não ganhou o título deste ano, e Jesualdo Ferreira já sabe que não ganha o do próximo. Na origem de ambas as desfeitas está Pinto da Costa. Diz-se que o desnorte tem a ver com a má época do Porto, mas deve reconhecer-se que não foi tão desastrosa como se tem dito. Por exemplo, é mentira que os jogadores do Porto não vão disputar a Liga dos Campeões na próxima temporada. O Rentería, em princípio, vai.

publicado por Benfica 73 às 09:42

Maio 29 2010

Ontem, publicámos a 9.ª e 10.ª posições do Top Ten das Piores Decisões de Pinto da Costa na época 2009/10. Aqui ficam as restantes:

8 - Declara que no Porto não há petróleo. Quinze dias depois, compra 60% do passe de Rúben Micael por 3 milhões de euros, e tenta ainda contratar Kléber, conhecido como "O Gladiador", por 6 milhões.

7 - Falha a contratação de Kléber. Os sócios suspiram. Um gladiador era a única coisa que faltava para, nesta época, as Antas se assemelharem ainda mais a um circo.

6 - Elege Tomás Costa como "um verdadeiro reforço de Inverno". Algumas semanas depois, contra o Arsenal, Jesualdo Ferreira deixa-o por opção na bancada, em detrimento de Nuno André Coelho.

5 - Em Janeiro, afirma estar "feliz por saber que havemos de ter Bruno Alves por muito tempo". Em Maio, todos os jornais fazem saber que o símbolo do FC Porto está à venda. Nessa altura considera a hipótese de mudar o título da sua biografia para "Largos dias têm 5 meses".

4 - Promete a Pedroto dedicar-lhe o título nacional. De seguida, ainda pondera dedicar a conquista da Liga dos Campeões a Bobby Robson, mas os outros administradores da SAD demovem-no.

3 - Demite Jesualdo Ferreira, no ato mais irracional e inexplicável da história do clube: se esta foi a "liga dos túneis", sem os quais o FC Porto teria vencido o campeonato, então porquê despedir um treinador que merecia ter sido campeão?

2 - Empresta Rentería ao Braga, que agradece encarecidamente o segundo lugar. Faz lembrar aqueles alunos que deixam o colega do lado copiar, e mais tarde descobrem que ele teve melhor nota.

1 - Opta, no final da época passada, por não assinar com Jorge Jesus. Como forma de homenagear o responsável por ter encontrado Jesus, Luís Filipe Vieira passa a referir-se ao presidente do FC Porto como "o Pastor Jorge Nuno".

Autor: Miguel Góis

Fonte: Jornal Record

publicado por Benfica 73 às 09:38

Maio 29 2010

publicado por Benfica 73 às 08:13
Tags:

Maio 29 2010

publicado por Benfica 73 às 08:04

BENFICA 73
contador grátis
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





subscrever feeds
comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...