Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Surpresa! Porto afastado do título

24.04.10, Benfica 73

 

Autor: Ricardo Araújo Pereira
Fonte: Jornal A BOLA

 

Recordar é viver: «Ao fim da 2ª jornada da I Liga, podem tirar-se já algumas conclusões. Uma: que o FC Porto é, dos três grandes, a equipa mais consistente. (…) Outra: que, perante equipas mesmo inferiores à sua no papel, o Benfica de Jorge Jesus não vai lá. (…) Aimar, Saviola e Di Maria não são, como já o vêm demonstrando há muito, jogadores (digamos assim) de campeonato.»

António Tavares-Teles, 25 de Agosto de 2009.

 

«(…) parece que (…) vira o disco e toca o mesmo: o FC Porto continua a ser o grande favorito a dominar a nova época que aí vem, a nível interno.»

Miguel Sousa Tavares, 21 de Julho de 2009.

 

«Eu sei que ainda é cedo para tirar conclusões. E não é meu timbre embandeirar em arco, mas gosto da nova equipa do FC Porto. Quer-me parecer que temos uma equipa muito lutadora, e na boa tradição das velhas equipas portistas, com jogadores que dão tudo o que podem e que se esfarrapam para conseguirem ganhar cada bola, cada duelo. (…) pelo que me foi dado a ver, chegou mais um lote de jogadores com essas características. Teremos, pois, nesta época, uma equipa de combate, com diversas alternativas (…)»

Rui Moreira, A Bola, 31 de Julho de 2009.

 

«O Porto conseguiu três vitórias e (…) a equipa dá sinais de ter amadurecido e começa-se a esquecer Lucho e Lisandro».

Rui Moreira, 9 de Outubro de 2009.

 

«Ao contrário do que alguns dão a entender, o grande adversário do FC Porto no campeonato é o Braga e não o Benfica»

Pinto da Costa, Outubro de 2009.

 

« (…) o facto de o Porto estar mais forte, ter tantas opções e parecer mais à vontade fora de casa é muito animador (…).»

Rui Moreira, 11 de Dezembro de 2009.

 

«Nós vamos a partir de hoje aqui solenemente dizer-lhe, interpretando o pensar dos treinadores aqui presentes, dos jogadores aqui presentes, que nós queremos este ano dedicar a vitória do campeonato a si. A si, que vai ser campeão.»

Pinto da Costa, dirigindo-se a uma fotografia de José Maria Pedroto, e interpretando vários pensares, 7 de Janeiro de 2010.

 

«Caiu bem a promessa de Pinto da Costa de oferecer este campeonato a Pedroto.»

Miguel Sousa Tavares, 12 Janeiro de 2010.

 

«Todos os anos têm-me dado gozo ganhar, mas este ano vai dar ainda mais. Confesso que esta época vai dar-me claramente mais gozo ganhar.»

Jesualdo Ferreira, 13 de Fevereiro de 2010.

 

«Somos Porto e vamos continuar a ganhar.»

Nuno Espírito Santo, 20 de Fevereiro de 2010. Oito dias antes de ganhar 3 do Sporting, 17 dias antes de ganhar 5 ao Arsenal e um mês antes de ganhar 3 do Benfica.

 

« (…) o autoproclamado maior candidato ao título deste ano (…)»

Miguel Sousa Tavares, 16 de Dezembro de 2009. Referindo-se, surpreendentemente, ao Benfica.

 

« Na sequencia das negociações encetadas, a Futebol Clube  do Porto – Futebol, SAD vem comunicar (…) ter finalmente chegado a um princípio de acordo com o Cruzeiro Esporte Clube, para a inscrição desportiva do jogador Kleber.»

Comunicado oficial do Porto, 29 de Janeiro de 2010.

 

«Hulk (…) não sabe jogar de costas para a área (…). Além disso, parece ter entendido mal os recados do treinador e o mais que dele se viu foi que se entreteve a adornar as jogadas, a tentar ‘quaresmices’ e a simular faltas.»

Rui Moreira, 25 de Setembro de 2009. Cerca de três meses antes de Hulk passar a ser o melhor jogador do mundo, depois de galardoado com a expulsão na Luz.

 

«Gostei de ver Hulk sentado no banco. (…) talvez lhe devessem ter explicado que fora preterido por causa dos seus tiques e individualismo, das suas inócuas simulações. Talvez assim tivesse optado por uma outra atitude, logo que surgisse a oportunidade de jogar. Em vez disso, e como tem sido costume, Hulk foi de pequena utilidade quando entrou.»

Rui Moreira, 27 de Novembro de 2009. 23 dias antes de Hulk passar a ser absolutamente indispensável e decisivo na equipa de Porto.

 

«Uma desilusão. (…) Desconcentrado, desconsolado, conflituoso.»

« (…) esperava-se (…) que criasse embaraços à defesa benfiquista.»

« (…) a inspiração jamais foi a desejada, sendo que, aqui e ali, até abusou do individualismo.»

A Bola, O Jogo e o Record, respectivamente, apreciam a prestação de Hulk no dia em que castigado e passou a ser uma espécie de mistura entre Ronaldo e Messi, mas para melhor. 21 de Dezembro de 2009.

 

«Sempre achei e sempre o disse que, em minha opinião, as equipas verdadeiramente vencedoras não perdem tempo a discutir árbitros nem a queixar-se de arbitragens.»

Miguel Sousa Tavares, 3 de Novembro de 2009.

 

« (…) atentem no golo que todos concordam ter sido mal anulado ao FC Porto(…)»

Miguel Sousa Tavares, 3 de Novembro de 2009.

 

«O que valeu ao Benfica em Olhão foi (…) um fiscal de linha desatento à posição de Nuno Gomes no golo do empate e um árbitro atento ao facto de domingo haver um Benfica-Porto, quando se encaminhou para Cardozo, depois de expulsar Djalmir, e pelo caminho mudou o vermelho a Cardozo para amarelo.»

Miguel Sousa Tavares, 15 Dezembro de 2009.

 

« (…) antes haviam sido anulados dois golos ao FC Porto, um dos quais duvidoso e o outro claramente mal anulado (…); havia sido validado o primeiro golo do Leiria, também em posição duvidosa, mas com diferente critério de apreciação».

Miguel Sousa Tavares, 19 de Janeiro de 2010.

 

«Façam o choradinho que quiserem, esta é a minha opinião: futebol assim, com (…) árbitros que protegem o anti-jogo e os sarrafeiros, não vale a pena esperar por público nas bancadas.»

Miguel Sousa Tavares, 16 de Fevereiro de 2010.

 

 

«Segundo ‘A Bola’, o Benfica ganhou no Funchal ‘à campeão’. (…) sinceramente, não sei se o teria conseguido sem o que me pareceram dois erros de arbitragem em dois minutos (…).»

Miguel Sousa Tavares, 16 de Março de 2010.

 

« (…) já lá vão quatro golos limpinhos anulados ao Falcão,»

Miguel Sousa Tavares, 16 de Março de 2010.

P.S. Mesmo correndo o risco de, em termos humorísticos, não conseguir fazer melhor do que os intervenientes anteriores, gostaria de acrescentar o seguinte: ao que parece, Jesualdo Ferreira obteve grandes vitórias no Porto, foi importantíssimo na história do clube, mas este ano demonstrou quem o seu tempo no Dragão chegou ao fim. Já Pinto da Costa obteve grandes vitórias no Porto, foi importantíssimo na história do clube, e este ano demonstrou que o seu tempo no Dragão ainda agora está a começar. O anúncio da sua recandidatura à presidência deve, por isso, ser saudado com entusiasmo. Por um lado, permite-lhe acabar de cumprir o castigo de dois anos de suspensão por tentativa de corrupção, que seria uma pena não levar até ao fim na posse da funções nas quais foi castigado; por outro, é evidente que o máximo responsável por ter apetrechado o plantel do Porto com Prediguer, Guarín, Tomás Costa ou Valeri, e o plantel do Braga com Luís Aguiar, Alan e Renteria, é o portista mais bem colocado para liderar o clube nos próximos anos. Além disso, o Porto ainda pode fazer história nesta época: a manter o terceiro lugar, é a primeira vez que um tetracampeão acaba o campeonato atrás do Braga. A boa gestão dá muitas alegrias.

 

Weldon (Antevisão)

23.04.10, Benfica 73

Quais são as suas expectativas para o jogo com o Olhanense, que tem grande importância na luta pelo título?

- É um jogo difícil, sabemos que é assim quando se joga com o Olhanense, e toda a gente está concentrada, pensando no encontro. Faltam três finais, espero que possamos fazer um bom jogo e conquistar os três pontos.

Depois do jogo da primeira volta, que terminou empatado, que tem o Benfica que fazer para chegar à vitória?

- Tem de ter tranquilidade e paciência, o jogo será difícil para nós, pois sabemos que o Olhanense vai jogar no nosso erro, com toda a gente a atrás. Quando tivermos oportunidade, temos de fazer golos e sair com a vitória.

Preferia festejar o titulo domingo que vem ou no Dragão?

- Prefiro ganhar no sábado [amanhã] e que o Sp.Braga perca ou empate para conseguir ser campeão no domingo.

Teria um sabor especial ser campeão no Dragão?

- Não...Quero ser campeão no domingo, se Deus quiser. Respeitamos a equipa do Olhanense, mas queremos fazer um bom jogo e ganhar, para ficar depois à espera que o Sp.Braga empate ou perca e conseguir o título no domingo.

Sente que teve grande responsabilidade neste título, atendendo aos golos que marcou nas visitas à Naval e à Académica?

- Não, o grupo é bom. Tenho trabalhado e o treinador optou por mim, entrei e consegui ajudar a equipa a chegar ao objectivo que é a vitória. Estou preparado e tranquilo se o treinador me chamar para jogar. Se jogar com o Olhanense vou entrar e tentar dar o máximo para conseguir a vitória.

Considera que merecia mais oportunidades?

- Estou tranquilo, pois isso depende do treinador. Estou sempre a trabalhar para que no momento em que surja uma oportunidade possa entrar e ajudar os companheiros.

Depois de ter feito dois golos à Académica considera que merece ser titular com o Olhanense?

- Não sei...isso também depende do treinador. Mas estou com a cabeça boa, bastante concentrado e se jogar vou dar o máximo.

Passou-lhe em algum momento pela cabeça que podia ser tão importante para a conquista do título?

- Não, limito-me a trabalhar bastante, mas em conversa com a minha esposa ela disse-me sempre que a minha hora ia chegar. Sempre dizia: Felizmente, chegou a minha oportunidade.

Esta recta final em grande garante-lhe a continuidade no plantel para a próxima época?

- Não sei, mas tenho mais um ano de contrato, pois assinei dois anos. Vou continuar a trabalhar, espero ser campeão e poder ficar aqui mais um, dois ou três anos.

Já discute a renovação?

- Não, tenho mais um ano, ainda não conversei com a Direcção, nada sei. Quero ser campeão e o resto fica para depois.

Como está o espírito da equipa?

- Tranquilo. Na primeira volta foi difícil, 2-2, mas espero fazer um bom jogo e com a ajuda dos adeptos somar três pontos. Toda a gente está ansiosa.

Que pede aos adeptos?

- Espero que encham o estádio e façam a festa.

Torcer por Saviola

Fico feliz por ele, é um excelente atacante, pena a lesão que teve no pé. Mas, graças a Deus, está voltando e espero que regresse bem para que possa ajudar a conseguir o objectivo de ganhar este jogo.

Dedicatórias:

David Luiz [fez ontem] 23 anos, a minha mulher também comemorou aniversário e quero ganhar para dedicar-lhes a vitória. Nada prometo, mas se puder vou fazer golos.

Descida do Belém

Fico chateado se o Belenenses cair para a segunda divisão, pois tenho lá vários amigos e gostava que ficasse na Liga. Pode ser que no próximo ano consiga subir de novo para a I Liga.

Espero uma noite mágica

23.04.10, Benfica 73

No jogo contra o Olhanense, na primeira volta, o Benfica não conseguiu ir além de um empate, um jogador expulso e muitos amarelos, casos e provocações.

O meu desejo para este jogo seria tudo o inverso, um jogo bem mais conseguido, uma arbitragem bem melhor, os três pontos e um titilo à distância de um pontinho.

Jorge Jesus, com a sua experiencia, sabe muito bem que gerir a ansiedade de estar tão perto de um objectivo nem sempre é muito fácil, mas um Benfica pressionante e com os seus principais jogadores disponíveis será seguramente capaz de ganhar e fazer uma exibição de Campeão. Na segunda volta ganhamos todos, repito todos os jogos com excepção daquele em Setúbal que no último minuto falhámos um penalty. Não confiar, não acreditar, não encher o estádio a gritar e apoiar a equipa seria de uma total ingratidão. Por isso, espero uma noite mágica e uma vitória convincente.

Amanhã não seremos campeões no final do encontro da Luz, mas uma Vitória dá-nos o direito de ter cinco jogos para o conseguir, três do Braga que não tem falhado, e dois nossos. Ganhar com esta consistência e com esta réplica do nosso adversário torna o campeonato ainda mais saboroso. Depois de ganharmos ao Olhanense só ficará a faltar o ‘ponto final’.

Os adeptos do Real Madrid podem somar à tristeza de não ganhar o título espanhol, a estranheza de ver os seus dispensados decidirem triunfos por essa Europa fora. Em Portugal, Saviola e Javi Garcia são decisivos para a força deste Benfica, no Inter o dispensado Sneijder ajudou e muito a pôr o primeiro pé na final do Barnabéu, Robben foi decisivo na vantagem do Bayern de Munique, enquanto na Liga Europa Van Nistelrooy leva o Hamburgo ao colo.

O Ral Madrid pode não ganhar nada esta temporada, mas clubes e adeptos agradecidos, isso o Real tem garantido um pouco por toda essa Europa.

Autor: Sílvio Cervan

Fonte: Jornal A Bola

Ao David Luiz

22.04.10, Benfica 73

As chuteiras que me calças

 

Por tua causa., assumo, a imprensa desportiva passou a fazer parte do meu “café da manhã”.

O jornal Record citou-te há poucos dias após mais uma vitória do nosso clube: “ É preciso manter a humildade e os pés bem assentes no chão”. Resumi-te na tua própria frase. Este és tu, sem tirar nem pôr. O equilíbrio entre a gratidão pelo que é e a fé inabalável no que há de ser. Assim és tu: o homem seguro e menino sonhador. O fiel de uma balança entre o de onde vieste e o onde estás agora. Este és tu, que não me deixas transformar-te num ídolo.

Exiges ser em mim tão somente o David, sem a coroa de rei e sem a força sobrenatural que derrota os “Golias” do futebol.

Mas por muito que te esquives do estatuto de especial, na simplicidade que acima de tudo te caracteriza tão bem, não vou inibir-me de te dizer obrigada publicamente pelas “chuteiras” com que me calças cheias de garra e de serenidade, ao mesmo tempo, neste que é o meu caminho aparentemente condenado à condição permanente de não poder chutar uma bola.

“Calças-me” com as certezas de que o meu propósito é muito maior do que eu.

“Calças-me” de motivação para ultrapassar todos os obstáculos intrínsecos ao facto de uma pessoa com mobilidade reduzida ir a um estádio de futebol.

“Calças-me” cada vez mais de orgulho em ser benfiquista. As chuteiras que me calças são invisíveis aos olhos dos comuns mas são elas que também dão significado aos meus pés pequeninos e frágeis para suportar o meu corpo.

Fazes hoje o mesmo número de anos que o número que te identifica no Benfica: 23. E ainda tens tanto para voar… Numa época em que o Mundo fala de ti, eu preferi fazer diferente e falar para ti. Agradecer-te por me assentares os pés tantas vezes num chão que não piso. Trazendo-me à realidade de que o desafio não é chegar a lado algum mas sim mantermo-nos lá, fiéis ao que nos foi sempre fiel. Tu faze-lo na perfeição.

Podias ser o meu irmão mais novo, mas o líder e o cuidador és quase sempre tu. Numa proteção que nunca sufoca e numa entrega de que há alguém que providencia a minha e a tua vida. Aí também és diferente, de tanta gente que – como que a compensar-me do que não posso fazer – transforma-me numa espécie de heroína, aspirina anímica ou exemplo a seguir.

Reconheces-me pela alma que nada tem a ver com a minha condição física. É que o teu foco nunca será colocado nas pessoas, por isso dás-me sempre muito mais do que alguma vez eu julgarei que te dou. Quando empurras a minha cadeira de rodas desenhas-me asas nas costas. Quando me pegas ao colo mostras-me que a minha visão do Mundo não é limitada pela minha altura. E é a partir do teu colo que consigo percepcionar uma canção da Ala dos Namorados: “ Pelo céu às cavalitas, escondi nos teus caracóis, a estrela mais bonita, que eu já vi”.

Tu sabes que essa estrela estará sempre lá, contigo. Brilhará nos ataques e nas defesa, nos cortes e nos golos, nos penáltis e nos lances de bola parada, nos livres e nos cantos. No campo e na vida. Na tua e na minha.

“Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira

Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis”.

Autor: Mafalda Ribeiro

Fonte: Jornal Record

 

Parabéns David Luiz. És o meu Ídolo (:
Helena Isabel ( minha filha )

Ou é de inveja ou é de mágoa

22.04.10, Benfica 73

 

Há canções que ficam no ouvido. Acontece quando a letra embala a música, ou vice-versa. Há canções que são como uma espécie de casamento feliz de tão bem que ficam juntas as palavras e a melodia. E, por isso mesmo, nos fazem sorrir. Por exemplo, fazem-nos sorrir, e muito, os versos daquele hino da nossa colectividade:

 

«Benfica, eu sou do coração.

Benfica, até debaixo de água…»

 

Custa até compreender como é que o departamento de marketing do Benfica nunca comercializou guarda-chuvas vermelhos com a inscrição da frase maravilhosa «Benfica, até debaixo de água» para as tardes e para as noites de chuva no Estádio da Luz. Também é verdade que os tempos são outros. Não que tenha deixado de chover, mas o estádio é agora inteiramente coberto e não cai pinga sobre o público.

Há versos felizes e «Benfica, até debaixo de água», sendo um deles, empresta toda uma dimensão superior à já referida obra musical. Aparentemente é um absurdo, uma imagem disparatada, excessiva e com maior pendor meteorológico do que futebolístico. Depois, continuando a escutar a canção logo se entende a sua razão de ser.

É uma simples questão de rima brilhantemente resolvida pelo autor. Ora oiçamo-la:

 

«Benfica, eu sou do coração.

Benfica, até debaixo de água!

Quem fala mal do clube campeão,

Ou é de inveja ou é de mágoa.»

 

Devo confessar que esta canção não me sai do ouvido. Sendo já muito antiga parece que foi escrita de propósito para a corrente temporada de 2009/2010, ainda que o Benfica não seja campeão, embora para lá caminhe. E caminha com muita oposição, como se viu no domingo à tarde. E não por força da chuva, porque no jogo com a Académica o céu apresentou-se sempre azul e não foi «debaixo de água» que o Benfica teve de jogar.

Explicando melhor: Entenda-se o verso «Benfica, até debaixo de água» como uma metáfora sobre as dificuldades que nos apresenta, pela frente e a que soubemos, sabemos e saberemos dar a melhor e a única resposta, isto é, vence-las. Debaixo de água, neste campeonato, jogou o Benfica contra o FC Porto, em Dezembro, na Luz e a vitória surgiu com naturalidade, clareza e limpeza.

Já em Coimbra, em terreno seco, o Benfica teve de se haver com uma Académica que joga um bonito futebol, o que é bom para o espectáculo, mas teve de se haver, principalmente, com uma arbitragem à antiga portuguesa que, isso sim, constituiu um autêntico dilúvio, felizmente sem consequências práticas. O primeiro golo da Briosa, precedido de mão do seu autor, e aquele livre perigoso marcado contra o Benfica, já em tempo de descontos, castigando uma falta que Maxi Pereira não cometeu foram, de facto, duas valentes cargas de água.

De facto, temos aqui um problema poético. É que se «água» rima como «mágoa», como na canção, francamente, Xistra há-de rimar com o quê?

Com administra, com sinistra, com listra? Listra, sinónimo de lista e de risca… Mas pouco sentido faz uma rima destas e a canção perdia muito em beleza e em embalo. Quem se lembraria de interpretar uma canção com a palavra listra? Só a Carmen Miranda que imortalizou uma coisa parecida num samba de enredo que ficou para a história. Este:

 

«Vestiu uma camisa listrada e saiu por aí

Em vez de tomar chá com torrada ele bebeu parati

Levava um canivete no cinto e um pandeiro na mão

E sorria quando o povo dizia:

Sossega leão! Sossega leão!»

 

Impecável, não é?

Por falar em canções…Aproxima-se Junho e com Junho chegam os Santos Populares. Cá vai, portanto, uma Marcha de Lisboa, das antigas, das boas:

 

«Vai de coração ao alto nesta lua

E a marcha segue contente!

As pedrinhas da calçada cá da rua

Nem sentem passar a gente»

 

Vem esta canção também a propósito de um facto recente e muito curioso. A Policia de Segurança Pública e o DIAP fizeram uma busca nas sedes das claques do Sporting antes do jogo com o Vitória de Setúbal. Mas o que vem para o caso é que, em Alvalade, para além de diverso material apreendido, e que em nada difere do material do material muitíssimo bem apreendido noutras rusgas a outras claques, os cerca de cem agentes policiais confiscaram, de acordo com a informação oficial, «um balde grande com pedras da calçada».

Lamentavelmente, PSP e o DIAP não especificaram as dimensões de grande do «balde grande». Admitamos, porém, que é maior do que um balde pequeno e mais pequeno do que um contentor.

Adiante…

Nestas ocasiões ninguém sabe muito bem que destino dão as forças da autoridade aos materiais apreendidos, Também não é assunto que desperte grande interesse ou curiosidade, quer por parte do público, quer por parte da comunicação social.

No entanto, no que diz respeito ao «balde grande com pedras da calçada» seria da maior conveniência, em nome da verdade desportiva, que a PSP e o DIAP fizessem o grande favor de o enviar para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol que tão prontamente atribuiu o título nacional de juniores ao Sporting ao não duvidar, por um momento sequer, que o festival de pedrada que manchou o último derby dos jovens rivais teve origem única e exclusivamente do lado da calçada benfiquista.

E que assim possa o título ganho na secretaria ser honestamente reconfirmado depois de uma análise mineralógica do volume de calhau apreendido pela polícia às claques do Sporting. Porque, de certeza absoluta, que é o mesmíssimo calhau que voou pelos ares no tal jogo decisivo do último campeonato nacional de juniores.

Poderá também a policia dividir o número de pedras da calçada apreendidas pelo número de conselheiros do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol e faze-las chegar à sede do referido organismo em baldes individuais, mais pequenos e convenientemente acomodados em papel de embrulho.

Sempre ficavam todos com uma recordação. E com uma melodia no ouvido:

 

«Vai de coração ao alto nesta lua

E a marcha segue contente!»

 

E segue mesmo, a marcha segue contente! Tenham lá paciência!

 

Autor: Leonor Pinhão

Fonte: Jornal A Bola

Caro Pedroto

22.04.10, Benfica 73

Boa Noite, Pedroto. Eu sei que lhe prometi, em Janeiro, que este ano lhe ia dedicar a vitória no campeonato. Acontece que depois desta última jornada se tornou matematicamente impossível o FC Porto ser campeão esta época. Por isso, Mister, a minha pergunta é muito simples: dá para trocar pela Taça de Portugal? Não precisa de responder, já sei no que está a pensar – “E de o Desportivo das Chaves decide fazer uma gracinha no Jamor? Bom, nesse caso, marca-se um triangular de pré-época com o Arrifanense e o Febres Sport Clube, e esse eu garanto que não nos foge.

O que importa é que aqui estou eu, Mister, a assumir o meu lapso. Podia perfeitamente resolver este problema da mesma maneira com que resolvemos os nossos conflitos com a comunicação social, e entrar em blackout com o Além. Bastava colocar aquela senhora inglesa do programa da Júlia Pinheiro a fazer de segurança à porta da sala de imprensa das Antas. Mas não, prefiro estar aqui, num sincero acto de contrição, a falar consigo. E isto não é nada fácil para mim, até porque esta situação faz-me lembrar o clube lampião. Esta época, se quiser falar com o Benfica, também tenho que olhar para cima.

Uma das coisas que mais me entristecem é o facto de muita gente ter considerado de mau gosto eu ter usado a memória de um falecido, com o objectivo de lançar recados para o interior e o exterior de FC Porto. Mas, peço que acredite, eu não tinha remédio: é que cada vez que falo com pessoas que estão vivas, as conversas vão parar ao You Tube. Resta-me despedir e esperar que um dia nos voltemos a encontrar. Se bem que não estou muito confiante que consiga juntar-me a si, aí em cima. Tenho a sensação de que o Purgatório não funciona como a comarca de Gondomar: lamentavelmente, lá as escutas são admissíveis.