Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Benfica 1 - 1 Marselha

12.03.10, Benfica 73

 

Boa exibição traída por golo sofrido no fim

O Benfica fez esta quinta-feira uma boa exibição frente ao Marselha, mas consentiu o empate mesmo no final do jogo da 1.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa. Fica tudo em aberto para a partida da próxima quinta-feira, dia 18 de Março, no Vélodrome.
Para a recepção ao Marselha, o treinador Jorge Jesus procedeu a algumas alterações relativamente ao jogo do campeonato nacional com o Paços de Ferreira. Desde logo, o argentino Pablo Aimar voltou para ocupar a posição de médio-ofensivo, ficando Carlos Martins no banco de suplentes. Fábio Coentrão, que vinha a ocupar o lado esquerdo da defesa nos últimos encontros, foi substituído por César Peixoto no jogo desta noite. Depois de ter cumprido dois encontros de castigo para a Liga portuguesa, o espanhol Javi Garcia também regressou à titularidade. O jovem Airton foi “sacrificado” para a partida da 1.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa. Ramires recuperou de um traumatismo no joelho direito e regressou, igualmente, ao onze “encarnado”.
O adversário do Benfica assentou a sua estratégia na clara queima de tempo em todas as reposições de bola, tentando chegar ao golo num lance esporádico de ataque. Lucho, aos 15 minutos, e Brandão, aos 20, tentaram bater Júlio César, mas felizmente os remates não levaram a melhor a direcção.
A equipa de Jorge Jesus também tentou chegar à baliza contrária num remate de David Luiz (5’) e num cabeceamento de Cardozo (16’), mas o verdadeiro perigo começou a partir dos 29 minutos. Depois de uma fase de equilíbrio na partida, o Benfica começou a desequilibrar a balança com o seu habitual pendor ofensivo. Com combinações de grande nível entre os seus jogadores, os “encarnados” dispuseram de várias oportunidades para abrir o activo no Estádio da Luz. Di María começou com um remate de fora da área aos 29, tentando em jeito fazer o golo aos 44 minutos. Numa jogada de grande entendimento entre Saviola e Aimar, este último entrou na área e só não marcou devido à defesa do guarda-redes do Marselha (40’). Aos 43, foi a vez de Cardozo ver um defesa contrário desviar o seu remate para canto.
Foi só no final da primeira parte que o Marselha voltou a reaparecer, o que demonstra os intuitos com que o adversário veio a Lisboa. Valeu, mais uma vez, o pouco acerto de Lucho (45’).
A segunda parte foi ainda de domínio mais acentuado do Benfica. Ramires foi um dos jogadores mais em foco com várias tentativas de remate (49’) e 69’), mas foi Maxi Pereira que colocou em delírio os 46.635 espectadores que estiveram na Luz. Após um cruzamento de Di María, Cardozo não acertou bem na bola e esta sobrou para o uruguaio no interior da área, rematando para o fundo das redes “encarnadas” (76’).
O Benfica ainda esteve perto de fazer o 2-0 num remate de Ramires, mas este embateu com estrondo na barra (86’).

Injustiça no final
O Marselha, que conseguiu ainda fazer menos durante a segunda parte, foi bafejado pela sorte num lance no final do desafio. Após um cruzamento do lado direito de Bonnart, o recém-entrado Ben Arfa cabeceou com êxito para o fundo das redes de Júlio César (90’).
Este lance não mancha, no entanto, a boa exibição efectuada pelos “encarnados” no encontro frente ao Marselha. Pelo que se viu na partida desta noite, o Benfica tem todas as condições para seguir em frente na competição. O desafio da 2.ª mão é já na quinta-feira da próxima semana.

O Benfica apresentou o seguinte onze: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz e César Peixoto (Fábio Coentrão, 77’); Javi Garcia, Ramires, Di María e Aimar (Carlos Martins, 64’); Saviola (Éder Luís, 87’) e Cardozo.

Texto: Rui Manuel Mendes