Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Tanta Luz sobre a Naval

09.11.09, Benfica 73

                                                                                                                                                                       Há uma semana, depois de o Benfica ter perdido em Braga e antes de ter confirmado os 5-0 da Luz em Goodison Park, algumas vozes levantaram-se alvitrando o princípio do fim da era de Jesus, uma espécie de Apocalipse anunciado, que lançaria os encarnados numa catástrofe de proporções bíblicas. À colação vieram também as contas negativas da SAD encarnada da época anterior – aliás exaustivamente explicadas e contextualizadas poucos dias antes… - várias directas e indirectas sobre a aquisição do que ainda não estava na posse do Benfica do passe de Pedro Mantorras e muitas dúvidas sobre a natureza de algumas operações em curso, nomeadamente o Fundo de Jogadores e a transferência da Benfica Estádio para a SAD. Ou seja, ante o desaire de Braga e a perspectiva de novo insucesso em Liverpool, a quinta coluna (desta feita praticamente destituída de benfiquistas, o que é assaz sintomático) agitou-se, organizou-se e posicionou-se, tentando fazer rebentar aquilo que supunham ser apenas um balão já demasiado cheio para o seu gosto.

 

 Porém, como Deus dispõe e quem ostenta o nome do Seu filho dispõe, o Benfica chegou a Goodison Park, inspirou-se nos aplausos dedicados a Eusébio e, Trigo Limpo, Farinha Amparo, venceu e convenceu os Ingleses, calou os cépticos e projectou novamente a face ganhadora que tem sido a sua imagem de marca em 2009/10.

 

Não sabiam ainda, porém, os benfiquistas, que o Sp. Braga ia ser travado em Guimarães; nem que o FC Porto ia perder no Caldeirão; muito menos que o Sporting já pós-Bento ia deixar fugir os dois pontos que teve na mão nos Arcos.

 

Por tudo isto, a partida de hoje do Benfica com a Naval, na Luz, assumiu, de repente, para os encarnados, uma importância quase de jogo do título, 90 minutos capazes de deixar o FC Porto a cinco pontos e o Sporting a onze. Mas o futebol não é como a pescada, que antes de o ser já o era. Falta ganhar…