Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Magnífica recta

07.09.11, Benfica 73

O Benfica entra hoje em palco para a 3.ª jornada da Liga. A Choupana não é fácil, e jogar repetidamente como jogámos contra o Twente também não. Mas com dois pontos cedidos logo no pontapé de saída, não há margens para erro. Hoje só os três pontos interessam.

No derradeiro jogo do playoff da Champions provámos que podemos ir longe. Temos obstáculos. Vejamos. A basculação ofensiva potente que os pupilos de Jesus emprestam ao jogo é desgastante, é um esforço físico que pode levar ao cansaço absoluto na dobra do campeonato. Depois, o poder atacante necessita de maior objetividade: contra o Twente fizemos 16 remates à baliza na primeira metade do jogo – na tentativa de evitar o individualismo os jogadores passavam inconscientemente a bola em detrimento do remate, e nem um golito. À direita Gaitán está em baixo de forma e dá cabo da vida a Maxi Pereira, porque não desce a acompanhar os ataques do adversário e tantas vezes Maxi vê-se a mãos e pés com três adversários e acaba por ser Artur a salvar. E Jesus, quando quer chocalhar a equipa aos já célebres 60 minutos de jogo – Jesus faz sempre substituições aos 60’ –, vê-se confrontado com alguns dilemas: tirar Aimar é pecado, mas até quando é que a condição física do genial maestro aguenta? Contra o Twente optou por mexer nas alas. Só que a criatividade da equipa perdeu muito com a saída de Nolito e até de Gaitán, que gostam de ir ao miolo, ao encontro da construção de jogo da magnífica reta Artur, Javi, Witsel e Aimar.

Estes obstáculos e dilemas não podem ser desconsiderados. Mas depois do Twente e dos 7 M€ da Champions, há que louvar a equipa. Não fomos perfeitos nem atingimos o apuro na finalização, mas fomos grandes. A magnífica recta constrói jogadas de ataque de génio. Witsel é um jogador de duas mãos cheias e o Rei Artur segura o castelo como há muito não se via no Glorioso. Agora é agarrar a Liga e a Champions como se não houvesse amanhã. E com Nélson Oliveira lá à frente, sff.

Autor: MARTA REBELO

Fonte: Record

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.