Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

benfica73

Toda a informação sobre o Glorioso

Benfica-Feirense, 3-1 (destaques)

21.08.11, Benfica 73

A figura: Nolito
Nem em sonhos teria projectado um início tão bom de águia ao peito. Vai poder dizer aos filhos e aos netos que fez o mesmo que Eusébio: marcar nos primeiros cinco jogos oficiais pelo Benfica. Atravessa um momento de grande felicidade, e os golos parecem ir ao encontro dos seus pés. O rendimento não é muito regular, mas a eficácia anda mais do que certinha.
A desilusão: Gaitán
Está no plano inverso ao de Nolito, rubricando mais uma exibição fraca. O golo ao Trabzonspor terá sido a única coisa magnífica que fez na nova época, até ao momento. Há uma atenuante, ainda assim: o facto de estar a jogar sobre a direita. Tem natural tendência para fazer movimentos interiores, o que é prejudicial para si e para a equipa.
O momento: minuto 75
O golo de Rabiola tinha intranquilizado a Luz. O Benfica ia dominando, mas estava a pagar a falta de inspiração colectiva. O cenário de mais um empate pairava na cabeça de Jesus, mas «Tacuara» conseguiu apagar mais uma má nota artística com o tento da vitória. «Cardozo é golo», já disse o treinador. Neste caso Cardozo foi vitória. Mas seria injusto falar do momento decisivo do jogo sem dar mérito a Maxi Pereira, o principal responsável pelo mesmo.
O estreante: Capdevila
Não tem a intensidade de Emerson, mas oferece outras virtudes à equipa. A experiência permite-lhe evitar calafrios nas tarefas defensivas, e para o ataque contribui com uma boa qualidade de passe, aparecendo na segunda vaga. Raramente entrega mal a bola.
Bruno César
Aí está o primeiro golo de águia ao peito, a confirmar a sua principal credencial: o remate forte. Uma boa dose de moral para o brasileiro, que após a saída de Carlos Martins terá de se afirmar como alternativa a Aimar (e Witsel).

Fonte: MaisFutebol