Maio 02 2011

O técnico completa hoje 623 dias desde que comandou o Benfica, pela primeira vez, num jogo oficial – 16 de agosto de 2009, frente ao Marítimo (1-1), na Luz. Por outras palavras, Jesus detém o recorde de longevidade nas últimas duas décadas: desde a saída Sven-Goran Eriksson, em 1992, que ninguém aguentava tanto tempo no banco, ininterruptamente.

JJ, que se prepara para completar a segunda época como treinador das águias (o sueco foi o último a cometer tal proeza), já ultrapassou Toni. A 31 de outubro de 1992, aquele que também foi médio, adjunto e diretor-desportivo do clube, sentou-se no banco como técnico principal, substituindo Tomislav Ivic. Em 579 dias, conquistou uma Taça de Portugal e um campeonato. António Conceição Oliveira voltaria ao Benfica como treinador, rendendo José Mourinho, em dezembro de 2000 – sairia um ano depois.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:34

BENFICA 73
contador grátis
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





comentários recentes
Do You Need A Loan To Consolidate Your Debt At 1.0...
Here is a good news for those interested. There is...
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...