Maio 15 2014

O sonho da Liga Europa acabou esta quarta-feira nas grandes penalidades, mas o percurso deste grupo terá de ser lembrado para sempre. Foram verdadeiros guerreiros e dignos representantes das cores do Sport Lisboa e Benfica. Houve que não fosse digno representante de um determinado sector, mas desta vez essas adversidades não foram ultrapassadas.

De Amesterdão para Turim. Um ano e um dia depois, o Benfica entrou novamente em campo para disputar uma final da Liga Europa. O pesadelo da temporada anterior esvaneceu-se ao longo dos jogos que a equipa foi realizando durante a presente época e o sonho de ganhar foi crescendo semana após semana. A dinâmica de vitória voltou a ser uma realidade e o espírito de grupo ficou mais fortalecido do que nunca.

No regresso a Turim, após ter eliminado a Juventus nas meias-finais, o Benfica encontrou, mais uma vez, um ambiente carregado de simbolismo, com o apoio de princípio ao fim de uma massa adepta única.

No relvado, o Benfica surgiu fiel à linha orientadora da temporada, com Sulejmani a ser o eleito para a posição normalmente ocupada pelos suspensos Markovic e Salvio. Já Ruben Amorim foi chamado para o onze, ficando com a posição seis do campo, enquanto André Gomes fez o papel do castigado Enzo Perez.

O adversário, para anular as principais peças do Benfica, começou por recorrer muito ao contacto físico, com algumas a entradas a excederem os limites. De tal forma que Sulejmani acabou por sair lesionado aos 24’ (entrou André Almeida para o seu lugar), após ter sofrido uma entrada dura de Moreno aos 13’. Após essa falta, o Benfica dispôs de uma boa situação por intermédio de Garay. O argentino viu o seu remate cortado por um jogador do Sevilha (14’).

A equipa espanhola procurou responder com bolas nas costas da defesa benfiquista, mas a verdade é que nunca criou um lance muito iminente de perigo. Aliás, as grandes oportunidades pertenceram ao conjunto orientado por Jorge Jesus. No período de descontos, Maxi Pereira e Rodrigo só não marcaram devido às defesas do guarda-redes Beto. O fim do primeiro tempo ficou ainda marcado por um lance muito duvidoso na área dos espanhóis. Gaitán isolou-se, entrou na área e caiu após a presença de Fazio. O árbitro alemão Felix Brych decidiu não marcar grande penalidade.

Quando o Benfica estava claramente no seu melhor período de jogo, o intervalo chegou e o Sevilha suspirou por conseguir manter o nulo.

Alta rotação
A entrada na segunda parte foi simplesmente demolidora por parte do Benfica. Várias sequências de remate junto à baliza de Beto e a bola a teimar não entrar (48’)…A primeira delas é após um remate de Lima, sendo salvo na linha de golo por Pareja. Incrível!

Com o segundo tempo a ser muito mais aberto, o adversário também teve uma oportunidade para marcar, mas Reyes rematou ao lado (52’).

Seguiram-se mais dois lances muito polémicos na área do Sevilha. Lima foi derrubado aos 56’ por Moreno – já tinha amarelo – e depois, aos 59’, foi a vez de Daniel Carriço cortar a bola com o braço dentro da área. Duas grandes penalidades por assinalar, a condicionar o jogo.

A rotação do encontro foi alta de parte a parte e os desequilíbrios foram acontecendo, com a defesa benfiquista a segurar o ímpeto espanhol. No ataque, o Benfica também colocou o adversário em sentido e, mais uma vez, o guarda-redes Beto, que defendeu um grande pontapé de Lima (84’). A pressão final do conjunto da Luz foi intensa e só por manifesta falta de sorte é que o Sevilha segurou, uma vez mais, o empate sem golos.

Veio o prolongamento e um livre de Lima defendido por Beto (98’). Com o Benfica com mais pendor ofensivo, o Sevilha quase marcou numa saída rápida para o ataque. Bacca foi quem falhou.

O marcador teimou sem sofrer alterações e o vencedor da Liga Europa saiu mesmo das grandes penalidades. O Sevilha revelou-se mais certeiro e conquistou o troféu.

Os jogadores do Benfica mereciam mais após um jogo em que foram prejudicados por umas algumas decisões do árbitro. Mas a época não acaba aqui. Domingo há a final do Jamor, frente ao Rio Ave.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com a seguinte equipa: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Siqueira (Cardozo, 98’); Ruben Amorim, André Gomes, Gaitán (Ivan Cavaleiro, 118’) e Sulejmani (André Almeida, 24’); Rodrigo e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=189820

Fotos:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154134407405716&set=a.10154134401595716.1073742047.212504785715&type=1&theater
publicado por Benfica 73 às 09:55

Maio 02 2014

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica garantiu a presença na final da Liga Europa após ter empatado a zero na Juventus Arena, onde houve muito coração e raça, pois os portugueses terminaram com nove atletas.

Os comandados por Jorge Jesus entraram personalizados, com mais posse de bola, mas a elevada pressão da Juventus acentuou-se com o decorrer dos minutos, com o Benfica a sentir dificuldades para sair em transições como tanto gosta.

 

“Empurrado” pelo público que lotou os 40 mil lugares da Juventus Arena, Pirlo efectuou o primeiro remate aos oito minutos para defesa de Oblak. Aliás, o esloveno voltou a mostrar total segurança aos 28’ a um remate de Liechsteiner.

O Benfica tentava bascular o seu ataque através dos flancos, mas a defensiva italiana dava poucos espaços para as “águias” manobrarem o seu futebol. O lance mais perigoso acabou por surgir aos 45’+1 quando Arturo Vidal cabeceou e Luisão tirou a bola em cima da linha de golo, mantendo o nulo no marcador até ao intervalo.

Tal como na primeira parte, também no reatamento, o Benfica entrou bem e com bola. Tal astúcia quase dava em golo aos 50 minutos, quando Rodrigo atirou por cima depois de um lançamento de linha lateral. A Juventus respondeu aos 61 minutos quando Pirlo num livre directo em posição frontal obrigou Oblak a nova intervenção com qualidade.

 

Se o trabalho do Benfica já não era fácil, mas complicado ficou com a expulsão de Enzo Perez aos 67 minutos por

acumulação de cartões amarelos. As linhas italianas subiram no terreno e aos 70’, Tevez rematou para Oblak agarrar com segurança.

A postura do Benfica foi de inteligência, as linhas desceram e foi defender com todo o coração e a presença é mais do que merecida.

Na final da Liga Europa, em Turim, o Benfica vai enfrentar o Sevilha, a 14 de Maio.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Siqueira; Ruben Amorim, Enzo Perez, Gaitán (Salvio, 76’), Markovic; Rodrigo (André Almeida, 68’) e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=189336

Fotos:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154086477050716&set=a.10154086476660716.1073742032.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 09:21

Abril 25 2014
Mais uma quinta-feira europeia, mais uma noite de emoção e entusiasmo na Catedral do Futebol Português. Sport Lisboa e Benfica e Juventus encontraram-se na 1.ª mão das meias-finais da Liga Europa, com o Glorioso a vencer, por 2-1. Garay e Lima fizeram os golos de uma vantagem que pode ser crucial para a decisão da eliminatória
A romaria, como tem sido habitual, começou cedo (apesar de ser um dia de semana e do tempo frio e ventoso na capital) e o Estádio da Luz vestiu-se com perto de 60 mil adeptos nas bancadas em apoio ao Glorioso.

Em jogo, nada mais nada menos que a 1.ª mão das meias-finais da Liga Europa, com o Sport Lisboa e Benfica a receber a Velha Senhora de Itália, a Juventus.
Com mais uma Final à vista, o Campeão Nacional entrou com tudo – repita-se, mesmo com tudo! – e não podia ter sonhado um começo melhor.
Dois minutos decorridos, canto na esquerda, Sulejmani cruza e, no coração da área, surge o “goleador” Garay que, nas alturas, não deu hipóteses a Buffon. Estava feito o primeiro golo, o Benfica entrava na partida a vencer, e primeira grande explosão de alegria na Catedral.
Em vantagem, e a jogar como tanto gosta, o Benfica partiu para cima do adversário, adversário esse completamente surpreendido e assoberbado pela pressão e qualidade do futebol “encarnado”.
Só em cima da meia hora, e através de contra-ataques extemporâneos, a Juventus pareceu acordar, com Tévez, o mais inconformado neste período, contudo, sem consequências de maior.
Ao intervalo, 1-0 para o Benfica, com o Glorioso a ser sempre mais perigoso, a ter mais oportunidade… a ser mais equipa!

Manter o foco nas Finais
Reatar e desafio mais equilibrado, com as duas equipas a olharem-se nos olhos. Aos 55’, nota para uma grande defesa de Artur, a
cabeceamento de Pogba.
No mesmo minuto lance polémico na Catedral: grande penalidade, sem sombra para qualquer dúvida, sobre Enzo Perez. O árbitro não marcou… porque não quis marcar!
A precisar de povoar o meio-campo, face ao atrevimento dos italianos e ao desgaste dos seus pupilos, Jorge Jesus colocou André Almeida no terreno, em detrimento de Sulejmani; para refrescar o ataque, entrou Lima para o lugar de Cardozo.
As alterações não surtiram o efeito desejado e com a Juventus a crescer o golo acabou por surgir: minuto 72 e Tévez fez o empate a uma bola.
O Benfica foi buscar forças à camisola que veste e Lima, com um remate poderosíssimo, faz o 2-1 e coloca o Glorioso novamente em vantagem.
Até final, destaque para um par de preciosas intervenções de Artur a fechar todos os caminhos para a sua baliza.
Nota para uma Arbitragem má, muito má, sem critério ou identidade, no fundo, sem qualidade, e em claro prejuízo do Benfica.
Dentro de uma semana, na próxima quinta-feira, dia 1 de Maio, o Sport Lisboa e Benfica viaja até Turim, onde vai disputar a 2.ª mão destas meias-finais. Está tudo em aberto e há ainda 90 minutos para disputar.
Entretanto, já no Domingo, pelas 18h15, o chip muda, com o Glorioso a deslocar-se até ao Estádio do Dragão, onde, em partida a contar para as meias-finais da Taça da Liga, irá defrontar o FC Porto.
O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Artur Moraes; Maxi Pereira, Garay, Luisão e Siqueira; André Gomes (Ivan Cavaleiro, 82’), Enzo Perez, Sulejmani (André Almeida, 60’) e Markovic; Cardozo (Lima, 62’) e Rodrigo.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo:http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=189334

Fotos:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154059372785716&set=a.10154059372145716.1073742030.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 09:59

Abril 23 2014

Lotação esgotada. Os bilhetes para o jogo da segunda “mão” das meias-finais da Liga Europa entre Juventus e Benfica, em Turim, esgotaram poucas horas depois de terem sido colocados à venda.

Numa nota publicada no site oficial, o clube italiano confirmou que o Estádio da Juventus, com capacidade para 41.250 espetadores, estará cheio para a receção ao Benfica, no dia 1 de maio, naquele que será o derradeiro teste para a final da competição, 14 dias depois.

A primeira “mão” está agendada para esta quinta-feira (20.05 horas), no Estádio da Luz.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:09

Abril 11 2014
O Benfica irá defrontar o Juventus nas meias-finais da Liga Europa. A primeira mão irá decorrer no Estádio da Luz, no dia 24 de abril, estando o segundo jogo marcado para 1 de maio.
A outra meia-final será espanhola, com o Valência a receber o Sevilha, que afastou o FC Porto.
A final da Liga Europa está marcada para 14 de maio, em Turim.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 19:36

Abril 11 2014

O Estádio da Luz engalanou-se para receber mais uma noite europeia. À medida que a hora de jogo se aproximava, o corrupio de pessoas aumentou, visão típica de dia de jogo na Catedral. Equipados a rigor, os benfiquistas responderam “presente!”, deram um colorido bonito a umas bancadas bem compostas.

Tal dedicação não saiu defraudada, pois a superioridade benfiquista viu-se no relvado e no marcador, com um triunfo por 2-0, com golos de Rodrigo.

 

O Clube da casa começou a um bom ritmo e a explanar o seu futebol mais perto da área holandesa. À passagem do minuto oito, André Gomes “inventou” uma boa jogada individual, deixou para Cardozo que rematou de primeira, num misto de força e técnica, mas uma estirada de Esteban evitou o primeiro do jogo.

Com o decorrer dos minutos, o AZ Alkmaar equilibrou as contas no relvado, tentou levar perigo à baliza de Artur, mas de forma improfícua. Com espaço, os comandados por Jorge Jesus eram extremamente perigosos, como atentou o minuto 32. Triangulação entre Siqueira e Rodrigo, com o hispano-brasileiro a centrar para Cardozo, mas o remate do paraguaio voltou a esbarrar em Esteban.

Cheirava a golo na Luz e foi isso mesmo que aconteceu aos 39 minutos. Salvio arrancou um “slalom” pela direita, deixou três adversários pelo caminho num pleno de velocidade e técnica, assistiu Rodrigo com peso e medida para a primeira explosão de alegria nas bancadas da Catedral.

 

Animado pelo golo, o Benfica aumentou a velocidade da partida e Esteban voltou a estar em bom plano a um remate

de Salvio a poucos minutos do descanso. Na etapa complementar veio a confirmação daquilo que tinha ficado como suspeita da primeira parte, o AZ Alkmaar fez muito pouco para dar a volta à eliminatória. Com pouco poder de fogo, os holandeses acabaram por ser presa fácil.

Perante tamanhas facilidades, o Benfica decidiu resolver a eliminatória. Decorria o minuto 71, Salvio teve uma recepção de bola fenomenal, foi à linha de fundo centrar para Rodrigo bisar. Dick Advocaat desistia do jogo e as “águias” poderiam ter chegado à goleada com facilidade não fosse a displicência de Salvio e de Cardozo na altura de serem felizes.

O Benfica confirmou a presença nas meias-finais que lhe assentam que nem uma luva. O sorteio é na sexta-feira, em Nyon.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; Sílvio (André Almeida, 3’), Luisão, Garay, Siqueira; Fejsa (Enzo Perez, 64’), André Gomes, Sulejmani (Markovic, 69’), Salvio; Rodrigo e Cardozo.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=188992

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154006453755716&set=a.10154006453525716.1073742019.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 08:59

Abril 04 2014

O Sport Lisboa e Benfica defrontou esta noite de quinta-feira a formação holandesa do AZ Alkmaar, em partida alusiva à 1.ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa. Salvio fez o único golo da vitória “encarnada”. 45 anos depois o Benfica venceu na Holanda, numa noite em que, em terra de Tulipas, foram as “Papoilas Saltitantes” quem dominaram.

 

Frente a frente duas formações com ambição mas a fazerem caminhadas distintas. Se, por um lado, o Benfica está na linha da frente de todas as competições que disputa, por outro lado, o AZ dá o tudo por tudo nesta Liga Europa, depois da eliminação na Taça e de um humilde 7.º lugar actual no Campeonato Holandês.

 

Na antevisão à partida, e face à hiperbolização de Dick Advocaat, conferindo total favoritismo e supremacia aos “encarnados”, Jorge Jesus não foi em cantigas e manteve-se firme no discurso de ambição, mas com prudência… e fê-lo muito bem!

Se dúvidas existiam, os primeiros quinze minutos da partida explicaram o porquê, com a equipa holandesa a entrar com tudo, a explanar o seu futebol de forma muito perigosa, trocando as voltas à estratégia benfiquista.

Quinze minutos volvidos e o Benfica estabilizou, começando então a pegar no jogo… e foi precisamente nesta conjuntura que surgiram dois dos lances mais perigosos do AZ, com o regressado Artur a fazer duas grandes defesas e a manter a baliza inviolada.

Até ao final da primeira metade, jogo morno, domínio repartido, com um par de boas ocasiões para cada lado, mas todas elas inconsequentes.

Nota ainda dos primeiros 45’ para a lesão de Ruben Amorim, aos 38’, obrigando a substituição, com André Almeida a saltar do banco.

 

Vantagem curta… para ampliar na Luz

No reatar foi o Benfica quem entrou dominante e os frutos dessa postura não tardariam… 48 minutos, jogada de entendimento, Cardozo remata forte,

Esteban defende de forma instintiva, com Salvio – na ressaca e com um pontapé de moinho – a fazer mexer pela primeira vez as redes adversárias.

 

O AZ reagiu, lutou, mas, face a um Benfica inteligente, mais pragmático e que sabe cada vez mais aquilo que quer e do que é capaz, pouco ou nada conseguiu fazer.

Até ao apito final, mais Benfica, com destaque para um remate poderosíssimo de Rodrigo (67’) que, por escassos centímetros, não fez mexer as redes holandesas pela segunda vez. Também Lima e André Gomes estiveram muito perto de dilatar a vantagem, mas Esteban mostrou-se à altura.

Vitória curta, por 0-1, mas muito importante. Há 45 anos que o Sport Lisboa e Benfica não vencia na Holanda, mas nesta noite, em terras de Tulipas, foram as “Papoilas Saltitantes” de Luís Piçarra que dominaram.

Na próxima segunda-feira todas as atenções tornam a centrar-se no Campeonato Nacional, com a recepção na Luz, pelas 20 horas, do Benfica ao Rio Ave, uma partida a contar para a 26.ª jornada da prova… mais uma final!

A Liga Europa regressa na próxima quinta-feira, dia 10 de Abril, com a realização da 2.ª mão dos quartos-de-final. Desta vez na Catedral, com apito inicial às 20h05, onde o apoio de todos os benfiquistas será determinante.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Artur; Maxi Pereira, Garay, Luisão e Siqueira; Ruben Amorim (André Almeida, 38’), Gaitán, André Gomes e Salvio; Cardozo (Lima, 64’) e Rodrigo (Markovic, 77’).

Fonte: SLB

Fotos: http://www.slbenfica.pt/Fotos/detalhealbum/tabid/2803/cat/2776/language/pt-PT/Default.aspx

Veja aqui a ficha do jogo

 

publicado por Benfica 73 às 15:15

Março 21 2014

A equipa principal do Sport Lisboa e Benfica discutiu, esta quinta-feira, no Estádio da Luz, com o Tottenham, o acesso aos quartos-de-final da Liga Europa. A vantagem trazida de Londres, 1-3, foi gerida com um empate por 2-2 e os quartos-de-final aguardam a presença do Benfica Europeu.

Um Estádio da Luz bem composto viu um jogo que arrancou numa toada morna – conforme convinha ao Benfica – onde ambas as equipas acabaram por não procurar a área contrária. Estranhamente, o Tottenham era quem tinha essa obrigação, mas foi o conjunto da casa quem teve mais bola, gerindo-a no meio-campo adversário.

 

Tal passividade inglesa quase resultava em golo benfiquista criado pelos defesas centrais. Garay assistiu Luisão que, também de cabeça, atirou por cima. Tinham decorrido nove minutos. O susto mexeu com o Tottenham (que não contou com Tim Sherwood no banco de suplentes) e os londrinos começaram a acercar-se com maior assertividade da área benfiquista. Apesar de várias combinações interessantes, o lance de maior “frisson” surgiu aos 14’ por intermédio de Soldado, que solto na área atirou ao lado da baliza defendida por Oblak.

Tal atrevimento foi “sol de pouca dura”, pois o Benfica voltou a controlar a partida, a ter mais bola e construir ataques através dos flancos, onde Salvio e Sulejmani eram chamados a intervir com frequência. No “miolo” Ruben Amorim e André Gomes iam dando para as encomendas.

Gerir com bola pode dar em golo e foi isso mesmo que aconteceu aos 33 minutos. Salvio tirou um cruzamento e Garay, de trás para a frente, cabeceou de forma fulminante perante um desamparado Brad Friedel.

Apesar de jogado a um ritmo abaixo do que costuma ser normal, a verdade é que a vantagem “encarnada” era incontestada ao intervalo. No recomeço viu-se mais do mesmo. O Benfica manteve a tendência da primeira metade.

 

Teve mais bola e esteve mais tempo instalado no meio-campo do Tottenham. Os londrinos mostravam-se

descrentes, pela desvantagem e pela melhor qualidade futebolística que os da Luz evidenciavam no jogo, tal como em White Hart Lane.

Mesmo a vencer, os comandados por Jorge Jesus carburaram mais e até criaram algumas oportunidades para aumentar a contenda. O velho ditado diz que quem não marca, sofre e foi o que se passou nos derradeiros 15 minutos do encontro, quando Chadli, aos 77’ e 79’, bisou e colocou o Tottenham na frente do marcador.

Os tentos sofridos de rajada colocaram o Benfica em sentido que foi atrás do empate cpm algumas transições ofensivas. Numa delas, Sulejmani cruzou da esquerda e Salvio rematou à figura de Friedel (85’). Nos descontos foi Oblak a brilhar com duas excelentes intervenções que asseguraram os quartos-de-final para os da Luz.

Aos 90’+4, Lima sofreu e converteu a grande penalidade que garantiu o empate e os quartos-de-final. O sorteio é às 12 horas desta sexta-feira, em Nyon.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Siqueira; Ruben Amorim, André Gomes, Sulejmani (Markovic, 90’+2), Djuricic (Enzo Perez, 70’), Salvio e Cardozo (Lima, 75’).

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153935081985716&set=a.10153935080635716.1073742009.212504785715&type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 10:14

Março 14 2014

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica disputou, esta quinta-feira, em White Hart Lane (Londres), o jogo referente à 1.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa, onde venceu por 1-3, com golos de Rodrigo e de Luisão por duas vezes que levaram ao júbilo os 3000 benfiquistas presentes no estádio.

Quem acompanhou os primeiros minutos da partida pode ter pensado que se tratava de um jogo da Premier League, tal o ritmo imposto na partida pelos protagonistas. Bola cá, bola lá, o jogo teve poucas interrupções e começou por ser bastante disputado.

 

O Tottenham jogava em casa e, naturalmente tentou pegar no jogo, ter mais bola, mas as saídas do Benfica em contra-ataque deixou a defesa londrina em alerta. Numa dessas saídas, Ruben Amorim fez um passe de rotura a rasgar a defesa que apanhou Rodrigo em velocidade, este entrou na área e de pé esquerdo bateu Lloris aos 29 minutos.

Com o Benfica na frente, o jogo acalmou o seu ritmo. A equipa portuguesa percebeu que a gestão teria de ser feita com inteligência e assim foi até ao apito de Jonas Eriksson para o descanso. No reatamento, a emoção regressou a White Hart Lane. Aos 48, Eriksen decobriu Adebayor sozinho na área, mas o remate do togolês saiu ao lado da baliza de Oblak.

Os da Luz voltaram a mostrar ao que vinham e responderam por Rodrigo no minuto seguinte ao tentar desfeitear Lloris de novo, desta feita, num chapéu que saiu de aba larga. Da ameaça passou-se à acção com muita alma e coração de um barco que levou os lusitanos a bom porto. Ruben Amorim comandou a embarcação que atirou o Tottenham ao fundo. No mesmo minuto (57’), o camisola 6 tem dois lances que identificam o jogador que é. Primeiro, recuperou a bola no meio-campo contrário, combinou com Rodrigo e rematou obrigando o guardião contrário à defesa da noite. Na sequência do pontapé de canto, Ruben Amorim colocou com peso e medida para Luisão que teve cabeça para o golo.

 

A turma da Luz pouco tempo teve para saborear o 0-2, pois aos 63’, Eriksen reduziu num livre directo

superiormente marcado. Este tento fez Jorge Jesus mexer na equipa, colocando-a  a jogar num 4-3-3 que remete para maior ponderação e calculismo sem ser com o famoso cinismo “à italiana”.

O conjunto da casa mostrou que não tinha armas para lograr a reviravolta no marcador, sentiu dificuldades em construir o ataque e o Benfica explanou no relvado toda a sua experiência e trabalhou o seu Futebol a bel-prazer no meio-campo dos “spurs”. Tanto Futebol teria de resultar em mais um golo. Quem mais se não o capitão a fazer o 1-3 aos 83 minutos com um remate fulminante a recarga a um cabeceamento de Garay.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Oblak; Sílvio, Luisão, Garay, Siqueira; Fejsa, Ruben Amorim, Markovic, Sulejmani (Enzo Perez, 65’); Rodrigo (Lima, 87’) e Cardozo (Gaitán, 65’).

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=188116

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153909607050716&set=a.10153909605735716.1073742007.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 08:31

Fevereiro 28 2014

Quinta-feira europeia no Estádio da Luz! Benfica trouxe de Salonica a vantagem de um golo e cabia ao PAOK ir atrás do prejuízo. Na antecâmara, à entrada das equipas no relvado, uma enorme tarja na bancada MEO abriu-se para homenagear Mário Coluna, falecido, esta terça-feira, aos 78 anos. Obrigado Capitão era a mensagem da nação benfiquista ao Monstro Sagrado.

 

Se motivação fosse preciso tinha sido dado o mote a um Benfica que estava lançado para os oitavos-de-final e que confirmou com um claro 3-0. O PAOK tinha dado a entender que iria arriscar, mas a verdade é que não colocando o “autocarro atrás da baliza” estiveram longe de pegar no jogo e de ser um real perigo para os da casa.

O Benfica teve sempre mais bola, tomou conta do jogo e o perigo veio através da referência ofensiva, Cardozo. Sempre atento ao jogo – mesmo parecendo, por vezes, alheado do jogo – camisola 7 teve nos pés o 1-0 aos dez minutos, quando contornou o guarda-redes e atirou à rede lateral. Pouco ofensivos, esperando o erro das “águias”, o PAOK, de forma fortuita, quase chegou ao golo aos 14’, quando um remate de Lucas levou calafrios à baliza de Artur que defendeu a dois tempos.

 

Sem jogar a uma velocidade vertiginosa, o Benfica sabia que estava na frente da eliminatória e que teria de ser o PAOK a tentar inverter o resultado desfavorável. Não parecia ter capacidade de o fazer e o avançado paraguaio “voltou” ao jogo aos 33 minutos num livre directo. Remate meio em força, meio em jeito e uma defesa do tamanho do Mundo de Glykos. 

Até ao intervalo, a bola voltou a rondar a baliza helénica num contra-ataque de Gaitán que Salvio concluiu com um bom remate. O intervalo chegou com um nulo, mas no reatamento a Catedral viu mais do mesmo.

O Benfica voltou a entrar mais “mandão” apesar de o protagonista na turma de Salonica ter sido Katsouranis, primeiro pelos bons momentos, remate de cabeça aos 52’ e depois pelos piores, aos 68’, por derrubar Lima à entrada da área quando este ia isolado para o golo. Realce para o facto de a Luz ter aplaudido o antigo jogador do Clube de pé.

 

Desse livre, o marcador foi colorido com um golo de mestre de Gaitán. Livre superiormente marcado e Glykos nem esboçou a defesa. Estava

feito o 1-0 e os “oitavos” cada vez mais perto. A confirmação – se dúvidas houvessem – surgiu aos 77 minutos. Lima de grande penalidade aumentou a contagem após mão de Maduro na área em lance com Djuricic.

Os contornos de goleada pairavam pela Luz quando aos 79 minutos,Markovic fez o 3-0. Os minutos seguintes não trouxeram mais do que a confirmação da vitória europeia.

Jogo muito bem conseguido em noite de homenagem ao Monstro Sagrado e nos oitavos-de-final fica marcado um encontro com o Tottenham.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; Maxi Pereira, Garay, Luisão, Sílvio; Ruben Amorim, André Gomes, Djuricic (Rodrigo, 78’), Salvio (Markovic, 59’), Gaitán e Cardozo (Lima, 59’).

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153860509490716&set=a.10153860507780716.1073742002.212504785715&type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 10:24

Fevereiro 21 2014

Poucos dias depois de perfazer nove meses da Final de Amesterdão com o Chelsea, o Sport Lisboa e Benfica regressou à Liga Europa diante do PAOK em jogo a contar para a 1.ª mão dos 1/16 avos-de-final. Venceu por 0-1 com tento de Lima.

Face à última partida a contar para o Campeonato Nacional, Jorge Jesus operou uma série de alterações no onze. Umas por lesão, outras por opção, a verdade é que o 4x3x3 voltou a subir ao relvado com Lima a ser o farol referencial para a equipa chegar a bom porto.

 

Cerca de 30 mil encheram o estádio Toumba, em Salonica, e foram ensurdecedores, mas apanharam pela frente um Benfica imune a ambientes adversos e que, desde o minuto inicial, tomou conta das rédeas da partida.

Linhas bem subidas, com pressão alta sobre o portador da bola, a equipa da Luz mostrou ao que ia e não recusou o favoritismo que, aqui e ali, lhe foi atribuído.

O PAOK, por sua vez, tentava sair em contra-ataque aproveitando os erros do Benfica, nomeadamente na zona central do terreno. O Benfica não se atemorizou, rondou sempre a área contrária e o lance mais perigoso foi criado por Sílvio que tirou o adversário do caminho com uma finta curta e rematou forte, ligeiramente por cima.

Até ao intervalo, não se viu muito mais, mas no reatamento notou-se mais vida na partida. Lazar deu o mote para os helénicos aos 48’ com um remate cruzado que assustou. O disparo não passou de um ameaço e o Benfica voltou à carga de seguida.

Tal atrevimento resultou no golo benfiquista. Aos 59 minutos, Enzo Perez descobriu Djuricic na área, o sérvio assistiu Lima de peito com o avançado a disparar de primeira.

 

Salvio de regresso

Após o golo, Jorge Jesus começou a mexer na equipa e um dos que entrou foi Salvio. O argentino não jogava desde Novembro e voltou à competição em Salonica. Colou-se no corredor preferido, o direito e foi também um colega que veio do banco que esteve perto do 0-2. Markovic, após centro de Maxi Pereira, rematou para grande intervenção do guardião grego.

O triunfo deixa um bom prenúncio para a Luz. O jogo está marcado para as 20h05 do próximo dia 27 de Fevereiro.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Sílvio; Ruben Amorim, André Gomes (Markovic, 66’), Enzo Perez (Fejsa, 63’), Sulejmani (Salvio, 75’), Djuricic e Lima.

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153836160165716&set=a.10153836159740716.1073741998.212504785715&type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 09:28

Dezembro 16 2013
Conheça o resultado do sorteio dos 16 avos de final da Liga Europa, que colocou Eintracht Frankfurt e PAOK no caminho de FC Porto e Benfica, respetivamente.
Eis o sorteio:
16 AVOS DE FINAL (20 e 27 de fevereiro)
Jogo 1: Dnipro - Tottenham
Jogo 2: Bétis - Rubin
Jogo 3: Swansea - Nápoles 
Jogo 4: Juventus - Trabzonspor
Jogo 5: Maribor - Sevilha
Jogo 6: Viktoria Plzen - Shakthar Donetsk 
Jogo 7: Chornomorets - Lyon
Jogo 8: Lazio - Ludogorets
Jogo 9: Esbjerg - Fiorentina
Jogo 10: Ajax - Salzburgo
Jogo 11: Maccabi Telavive - Basileia
Jogo 12: FC PORTO - Eintracht Frankfurt
Jogo 13: Anzhi - Genk
Jogo 14: Dínamo Kiev - Valência
Jogo 15: PAOK - BENFICA 
Jogo 16: Liberec - AZ Alkmaar

OITAVOS DE FINAL (13 e 20 de março)
Liberec/AZ - Anzhi/Genk
Lazio/Ludogorets – Dínamo Kiev/Valência
FC PORTO/Eintracht Frankfurt - Swansea/Napoles
Chornomorets/Lyon - Plzen/Shakhtar Donetsk
Maribor/Sevilha - Betis/Rubin
Dnipro/Tottenham - PAOK/BENFICA
Macabi Telavive/Basileia - Ajax/Salzburgo
Juventus/Trabzonspor – Esbjerg/Fiorentina
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:53

Dezembro 16 2013
O PAOK, onde milita o defesa português Miguel Vítor, será o adversário do Benfica nos 16 avos de final da Liga Europa, ditou o sorteio realizado esta segunda-feira na sede da UEFA.

Como cabeças de série, os encarnados jogarão primeiro na Grécia, a 20 de fevereiro, ficando a partida no Estádio da Luz marcado para dia 27.
Atual segundo classificado do campeonato da Grécia, a oito pontos do líder Olympiakos, que não boas recordações deixou já esta época ao Benfica, o PAOK entrou nas competições europeias logo em julho, uma vez que participou nas eliminatórias de qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

Viria a ser eliminado pelo Metalist (derrota em casa por 0-2 e 1-1 na segunda mão), mas foi depois repescado para o play off na sequência do castigo aplicado pela UEFA ao clube ucraniano, por manipulação de resultados em 2008. Porém, o PAOK voltou a ser eliminado, desta feita diante do Schalke (empate fora a uma bola e derrota em casa por 2-3), transitando para a Liga Europa.

A equipa onde milita o jogador formado no Benfica viria então a somar três vitórias e três empates, ficando no segundo lugar do Grupo L com os mesmos pontos que AZ Alkmaar (primeiro).
Além de Miguel Vítor destaca-se ainda na equipa a presença de Katsouranis, que também passou pelo Benfica, assim como do brasileiro Lino (jogou na Académica e no FC Porto).
Caso ultrapasse o PAOK, o Benfica terá pela frente nos oitavos de final o vencedor do embate entre Dnipro e Tottenham.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:25

Dezembro 13 2013
Estão definidos os 32 participantes nos 16 avos de final da Liga Europa, entre os quais estão Benfica e FC Porto, que transitam para a competição provenientes da Liga dos Campeões.

O Benfica será mesmo cabeça de série no sorteio, agendado para a próxima segunda-feira, podendo ter como adversários qualquer um dos não cabeças de série, excluindo o FC Porto. Ou seja, Swansea, Chornomorets, Esbjerg, Maribor, Dnipro, Maccabi Telavive, Dínamo Kiev, Liberec, Bétis, Lazio, Anzhi, PAOK, Juventus, Viktoria Plzen e Ajax serão os possíveis adversários.

O FC Porto, estando fora do lote de cabeças de série, poderá então ter pela frente adversário mais cotado, ou seja, qualquer um dos cabeças de série, excetuando o Benfica. A saber: Valência, Ludogorets, Salzburgo, Rubin, Fiorentina, Eintracht Frankfurt, Genk, Sevilha, Lyon, Trabzonspor, Tottenham, AZ Alkmaar, Nápoles, Shakthar Donetsk ou Basileia.

Cabeças de série:
Valência
Ludogorets
Salzburgo
Rubin
Fiorentina
Eintracht Frankfurt
Genk
Sevilha
Lyon
Trabzonspor
Tottenham
AZ Alkmaar
BENFICA (*)
Nápoles (*)
Shakthar Donetsk (*)
Basileia (*)

Não cabeças de série:
Swansea
Chornomorets
Esbjerg
Maribor
Dnipro
Maccabi Telavive
Dínamo Kiev
Liberec
Bétis
Lazio
Anzhi
PAOK
FC PORTO (*)
Juventus (*)
Viktoria Plzen (*)
Ajax (*)
* provenientes da Liga dos Campeões
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:09

Maio 16 2013

Noite mágica em Amesterdão, ambiente arrepiante, duas grandes equipas a respeitarem-se, enorme espectáculo de Futebol e milhares, milhares de corações a bater. O Benfica foi muito, muito superior, superou um golo mal invalidado, uma injusta desvantagem, mas ao cair do pano, já em tempo de compensação, tal machada final, o Chelsea fez o 2-1… Injusto, tão injusto! Por tudo o que fizeste: Obrigado, meu querido Benfica!

Vinte e três anos depois o Sport Lisboa e Benfica regressou a uma Final europeia. Os protagonistas foram outros, a ambição a mesma de sempre. O caminho benfiquista rumo à Final foi praticamente imaculado: seis vitórias, um empate e uma derrota.

 

Tal como a equipa comandada por Jorge Jesus, o Chelsea começou o percurso europeu na Liga dos Campeões. Ao não passar a Fase de Grupos, a equipa londrina mudou o chip para a Liga Europa. O Sparta Praga, da República Checa, foi o primeiro adversário superado no trajecto para a Final, seguindo-se o Steaua Bucareste da Roménia, o Rubin Kazan da Rússia e o Basileia da Suíça. Em oito jogos, o conjunto orientado por Rafael Benítez venceu por cinco ocasiões, empatou um e perdeu dois. Nesta caminhada, destaque para as derrotas nos recintos do Steaua e do Rubin Kazan.

Caminho percorrido, ultrapassados vários obstáculos, Benfica e Chelsea encontraram-se oficialmente pela terceira vez na sua história. Na memória recente os jogos da época passada para os quartos-de-final da Liga dos Campeões. Depois de ter perdido na Luz por 0-1, o Benfica foi até Londres com a ambição de conseguir a reviravolta. Os deuses… e não só (!) não estiveram com a equipa. O resultado final foi favorável (2-1) para o Chelsea, que acabaria por conquistar o troféu. História contada… e havia contas para ajustar!

Domínio avassalador

19h45, hora portuguesa, e o árbitro holandês, Björn Kuipers, apitava para o início do encontro. Já ouviu falar dos famosos “quinze minutos à Benfica”? Pois bem… foram mais, muitos mais!

Logo aos 2´, Cardozo, de cabeça, tira as medidas à baliza defendida por Peter Cech e iniciar-se-ia aqui um verdadeiro recital de futebol atacante, futebol espectáculo. Primeiro aos 10’, depois aos 11’… esteve tão perto o golo inaugural, não fosse a ansiedade natural do momento e alguma cerimónia na hora de matar o lance, cerimónia essa grande culpada do não avolumar do marcador… mas já lá vamos!

 

Aos 14’, livre cobrado por Cardozo, lance estudado e nova excelente oportunidade de golo desperdiçada. O Benfica carregava, carregava, empurrado por uma ArenA de Amesterdão vestida de vermelho rubro, palpitante e saltitante… tais papoilas! Uma onda vermelha aglutinadora que vive, sente e respira Benfica!

O domínio “encarnado” era de tal forma avassalador que, imagine-se, só à passagem do minuto 24 é que Artur (seguro) foi chamado a intervir! E por falar em Artur, gigante defesa, aos 37’, a remate de Lampard.

E do Chelsea… foi apenas isto que se viu! É que do lado oposto, personalidade, raça, entrega, blocos cerrados, pressão altíssima mas sempre muito bem compensada… que enorme Benfica este que, diga-se sem facciosismos, merecia claramente a vantagem não fosse a malvada cerimónia.

 

Injusto! Injusto! Injusto!

Reinício e mais do mesmo! Entrada “à Benfica” com a baliza de Cech a sofrer enormes calafrios!

Aos 50’ Cardozo faz o 1-0, mas mal, muito mal, o árbitro a invalidar o lance ao assinalar um fora-de-jogo inexistente. Até na Europa… Injustiça atrás de injustiça, e sem nada o ter feito para o merecer, aos 60’, o Chelsea chega à vantagem num lance de futebol directo, com Torres a colocar o esférico no fundo das redes de Artur.

Jorge Jesus mexe de imediato na equipa e no lance seguinte grande penalidade (claríssima) com Cardozo, frio, a fazer o empate.

Aos 81’, grande lance… e aguenta coração! Cardozo rematou forte e em arco, já se gritava golo, mas Cech arranca uma defesa espectacular. Do outro lado, já ao cair do pano, foi a vez da barra devolver um remate, também ele espectacular, de Lampard.

Minutos finais do tempo regulamentar impróprios para cardíacos… e quando já nada o fazia prever, Ivanovic, na sequência da marcação de um canto, selou o resultado final em 2-1. Que injustiça!

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com a seguinte equipa: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay (Jardel, 77’) e Melgarejo (Ola John, 62’); Matic, Enzo Perez, Salvio e Gaitán; Rodrigo (Lima, 62’) e Cardozo.

Texto: Sónia Antunes e Rui Manuel Mendes

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=168226

publicado por Benfica 73 às 08:20

Maio 13 2013
A UEFA nomeou o árbitro holandês Björn Kuipers para a final da Liga Europa, que esta quarta-feira coloca frente a frente Benfica e Chelsea, em Amesterdão.
Internacional desde 2006, Kuipers é árbitro de má memória para o Benfica: esteve na derrota dos encarnados em Liverpool (1-4), nos quartos de final da Liga Europa, na época 2009/10 e no desaire (2-3) em Nápoles na primeira ronda da Taça UEFA, em 2008/09.
Dirigiu mais quatro jogos com equipas portuguesas: a Supertaça Europeia, em 2011, que terminou com a vitória (2-0) do Barcelona sobre o FC Porto e a goleada (5-1) dos portistas nas meias-finais da Liga Europa na época 2010/11; e os empates do SC Braga com a Udinese (1-1), nos play-offs da Champions (2012/13), e com o Dínamo Kiev (1-1), nos quartos de final da Liga Europa (2010/11).
O Benfica-Chelsea será a primeira grande final europeia dirigida por Kuipers, 40 anos, que será auxiliado pelos compatriotas Sander van Roekel e Erwin Zeinstra (auxiliares), Pol van Boekel e Richard Liesveld (assistentes). O quarto árbitro será o alemão Felix Brych.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:12

Maio 06 2013
A UEFA anunciou que será o Benfica a ter a condição de equipa visitada quando no próximo dia 15 disputar com o Chelsea a final da Liga Europa. 
A condição tem efeito apenas para questões administrativas, conforme pode ler-se no anúncio feito pelo organismo que rege o futebol europeu, uma vez que o jogo será disputado, como há muito é sabido, na ArenA de Amesterdão, Holanda.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 17:07

Maio 03 2013

Lisboa parou no fim de tarde do dia 2 de Maio para ver o jogo das meias-finais da Liga Europa. Todos os caminhos iam dar ao Estádio da Luz, contrariando o velho ditado que diz que todos os caminhos vão dar a Roma.

Com um ambiente avassalador, as bancadas da Luz revestiram-se de vermelho para receberem os artistas que não deixaram os créditos por mãos alheias e venceram por 3-1, garantindo a presença na Final de Amesterdão.

 

O Benfica entrou forte nos primeiros 20 minutos, marcou e criou uma série de oportunidades para ampliar a vantagem. A primeira foi logo aos 7’ através de uma jogada de Gaitán que cruzou para Cardozo com este a amortecer para um Lima que cheirava o golo que não foi.

Não foi ali, foi logo de seguida. O “placard” da Catedral ganhou cor com o tento de Gaitán, que em antecipação, disse “sim” a um excelente cruzamento de Lima. Os cachecóis estavam ao alto!

 

Com uma elevada pressão – o Fenerbahçe nem passava do seu meio-campo – os jogadores do Benfica recuperavam várias vezes a bola e numa delas, aos 17 minutos, logrou um ataque rápido conduzido por Enzo Perez, deixou para Maxi Pereira e este centrou para cabeceamento de Cardozo ao lado.

 

Percebia-se que a formação turca não ia ter tarefa fácil, mas o árbitro Stéphane Lannoy deu uma “ajudinha” ao assinalar uma grande penalidade disparatada contra o Benfica. O holandês, Dirk Kuyt não se fez rogado e empatou a partida (22’).

A turma da Luz não sentiu o golo e continuou na sua filosofia de jogo: ofensiva, sufocante, organizada. Decorria o minuto 31 quando Salvio serviu Cardozo. O paraguaio rematou de primeira, de forma vistosa, mas o esférico saiu ligeiramente por cima. Era um tento de bandeira!

 

A maior avalanche ofensiva redundou em golo aos 35 minutos. Enzo Perez marca um livre de forma rápida, Cardozo recebeu e atirou certeiro.

Estava feito o 2-1 e, de novo, festa nas bancadas muito bem compostas.

Empolgados pelo golo, os futebolistas à guarda de Jorge Jesus foram atrás de mais um. Lima trabalhou bem, assistiu Salvio com este a rematar, mas Demirel defendeu.

Pelo meio, o juiz Stéphane Lannoy fez “vista grossa” a falta passível de grande penalidade para o Benfica, por falta sofrida por Gaitán.

Ao intervalo, o 2-1 sabia a pouco para os portugueses.

 

Na etapa complementar foi mais do mesmo. O Benfica com muita posse de bola e a jogar no meio-campo adversário, somando as melhores oportunidades para marcar. Aos 62’, Gaitán serpenteou na esquerda, viu Lima, mas o avançado atirou ao lado depois de se antecipar a Demirel. Quatro minutos depois, o Estádio da Luz quase ia abaixo de alegria! Salvio efectuou um lançamento de linha lateral, a bola sobrou para Cardozo e este não se fez rogado e bisou.

 

Cada vez mais Benfica e aos 71’ houve “nota artística” com Gaitán a assistir Lima de calcanhar. Este isolado permitiu a defesa de Demirel.

Com o apito final foi o jubilo dos adeptos, pois marcam a presença na Final da Liga Europa que terá lugar em Amesterdão a 15 de Maio frente ao Chelsea.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay e André Almeida; Matic, Enzo Perez, Salvio e Gaitán (Roderick, 90’); Cardozo (Urreta, 87’) e Lima.

Fonte: A Bola/SLB

Ver Fotos Aqui: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152787858530716&set=a.10152787856360716.1073741873.212504785715&type=1&theater

Ver Ficha de Jogo Aqui: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=168194

publicado por Benfica 73 às 08:43

Abril 26 2013

A equipa de Futebol profissional do Sport Lisboa e Benfica perdeu esta quinta-feira no campo do Fenerbahçe, mas o resultado deixa tudo em aberto para a segunda-mão das meias-finais da Liga Europa. O encontro está marcado para o dia 2 de Maio, no Estádio da Luz.

Para o jogo na Turquia, além das entradas esperadas de Maxi Pereira (substituiu o castigado André Almeida), Jardel (no lugar do lesionado Luisão) e André Gomes (ocupou a posição do castigado Enzo Perez), o treinador Jorge Jesus apresentou o argentino Pablo Aimar no apoio ao avançado paraguaio, Óscar Cardozo.

 

Com os seus processos de jogo bem definidos, a equipa da Luz entrou bem ciente das suas capacidades, colocando o adversário em sentido desde início. Nem o alegado ambiente infernal do estádio do Fenerbahçe afectou o grupo, aliás, como seria de esperar, tendo em conta experiência dos jogadores que fazem parte do plantel. 
As primeiras oportunidades pertenceram mesmo ao conjunto “encarnado”, com Salvio a estar muito perto de marcar aos quatro minutos, após uma assistência de Cardozo. O guarda-redes Volkan Demirel saiu da baliza e evitou o pior para a formação da casa.

O argentino Aimar ajudou a construir jogadas no ataque e, numa dessas situações, rematou com algum perigo (12’). O número 10 tentou colocar a bola demasiado e o esférico não levou a direcção desejada.
Numa primeira parte controlada pelo Benfica, o adversário só assustou verdadeiramente aos 18 minutos, através de um cabeceamento de Sow. A bola bateu na trave.
O perigo só voltou para a baliza de Artur nos descontos, onde o árbitro decidiu assinalar uma grande penalidade a favor do Fenerbahçe. Os ferros voltaram a estar com a equipa “encarnada”, já que Cristian Baroni rematou ao poste.

 

O segundo tempo começou com o Fenerbahçe a tentar procurar surpreender com remates de fora da área, situação

que Artur Moraes parou muito bem (47’ e 48’). Dirk Kuyt, aos 51’, rematou depois ao poste da baliza benfiquista, com o Benfica a responder na mesma moeda. Gaitán, que tinha entrado ao intervalo para o lugar do compatriota Aimar, viu o seu remate em arco bater no poste de Demirel (54’).
Numa altura em que o jogo estava equilibrado, sem perigo junto das balizas adversárias, o conjunto turco chegou à vantagem. Após um pontapé de canto que não existiu, Melgarejo teve um alívio infeliz que permitiu a Egemen Korkmaz colocar a bola nas redes de Artur (71’).

O Benfica manteve-se fiel aos seus processos, ou seja, consciente da capacidade em construir jogadas de perigo. Numa iniciativa individual, André Gomes entrou na área e só um defesa perturbou a acção do médio benfiquista (75’).

A equipa bem procurou alcançar pelo menos um golo, no entanto, isso não foi possível. Todas as decisões estão marcadas para o próximo dia 2 de Maio, na Luz.
O Sport Lisboa e Benfica alinhou com a seguinte equipa na Turquia: Artur Moraes; Maxi Pereira, Garay, Jardel e Melgarejo; Matic, André Gomes (Carlos Martins, 80’), Pablo Aimar (Gaitán, 45’), Ola John (Rodrigo, 64’) e Salvio; Cardozo.

Fonte: A Bola/SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152767506070716&set=a.10152767502360716.1073741869.212504785715&type=1&theater

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=168192

publicado por Benfica 73 às 08:24

Abril 23 2013
O sérvio Milorad Mazic foi o árbitro escolhido pela UEFA para dirigir o Fenerbahçe–Benfica, partida a contar para a 1.ª mão das meias-fianais da Liga Europa. 
O juiz sérvio será auxiliado por Milovan Ristic, Igor Radojcic, Danilo Grujic e Miodrag Gogic.
Esta época o árbitro de 40 anos esteve no Man-United–SC Braga, da fase de grupos da Liga dos Campeões (Grupo H), que os red devils venceram por 3-2. Mazic dirigiu também o triunfo da seleção portuguesa de sub-19 sobre a Geórgia (3-0), em 2010.
O encontro entre turcos e encarnados tem início marcado para as 20.05 horas desta quinta-feira. 
Na outra meia-final da Liga Europa, entre os suíços do Basileia e do ingleses do Chelsea, a UEFA nomeou o checo Pavel Kralovec.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 13:27

Abril 12 2013
Os turcos do Fenerbhace, de Raul Meireles, são os adversários do Benfica nas meias-finais da Liga Europa.
A equipa encarnada irá jogar a primeira mão das meias-finais na Turquia e depois irá receber o adversário no Estádio da Luz.
A outra meia-final coloca frente a frente o Basileia e o Chelsea.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:45

Abril 12 2013

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica disputou, esta quinta-feira, em St. James Park, o jogo da 2.ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa, onde empatou a uma bola e carimbou a passagem para as meias-finais da Liga Europa.

Apesar de trazer uma vantagem de dois golos, o Benfica começou mais ameaçador e aos três minutos, Lima esteve perto do golo. Jogada entre Salvio e André Almeida, com o último a centrar para Lima que, de calcanhar, quase surpreendeu Tim Krul.

 

De forma autoritária, o Benfica apossou-se do meio-campo do Newcastle e aos 4’, Melgarejo arrancou pelo seu corredor e tirou um centro-remate que obrigou o guardião holandês a estirada estupenda.

Passada a pressão inicial, o Newcastle tentou equilibrar a contenda, mas o conjunto português continuou a controlar as operações e aos 28’, Lima insistiu, tirou a bola ao guarda-redes, assistiu Gaitán que, com Tim Krul fora da baliza, atirou, mas um defesa dos ingleses cortou em cima da linha de golo. O jogo era de sentido único e aos 35 minutos, Ola John fugiu a Simpson pela esquerda, cruzou, mas Salvio, de cabeça, atirou muito perto do poste.

 

O intervalo chegou com sentido de injustiça sobre um Benfica atacante, controlador e, sobretudo, ameaçador.

A etapa complementar começou de forma mais equilibrada, com os “magpies” mais atrevidos, mas o Benfica nunca deixou de espreitar as saídas para o ataque com perigo. Aos 62’, uma jogada 100% argentina poderia ter dado golo. Salvio e Enzo Perez fizeram trocas de bola na direita, com o camisola 35 a assistir Gaitán que, na passada, atirou muito perto do poste.

Com um jogo sempre muito directo e um pouco atabalhoado, o golo do Newcastle teve de surgir de forma pouco ortodoxa. Desentendimento entre Matic e Garay, Ameobi aproveitou e serviu Cissé que atirou a contar.

 

Empolgados pelo golo, os “magpies” forçaram o 2-0 logo de seguida, mas o Benfica aguentou com maturidade e aos

poucos voltou a subir no terreno e a acercar-se da baliza de Tim Krul, sempre com Gaitán como protagonista.

Ao cair do pano foi feita alguma justiça com o tento de Salvio. Rodrigo assistiu da esquerda e Salvio antecipou-se e bateu o guarda-redes holandês.

Este golo confirmou a passagem do Benfica para as meias-finais da Liga Europa, onde esta sexta-feira vai ficar a conhecer o adversário.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur; André Almeida, Garay, Luisão, Melgarejo; Matic, Enzo Perez, Salvio (Jardel, 90’+2), Ola John (Rodrigo, 76’), Gaitán e Lima (Cardozo, 71’).

Fonte: A Bola/ SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=167565

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152730111395716&set=a.10152730106620716.1073741858.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 08:13

Abril 05 2013

O Benfica recebeu e venceu, esta quinta-feira, o Newcastle por 3-1, na primeira-mão dos quartos-de-final da Liga Europa. Apesar de ter sofrido um golo algo cedo, a formação da Luz reagiu muito bem e deu a volta ao marcador no segundo tempo, alcançando uma vantagem importante para abordar a deslocação da próxima semana.

Naquele que foi o primeiro confronto entre as duas equipas, o treinador Jorge Jesus apresentou como principais novidades a inclusão de André Almeida no lado direito da defesa e de André Gomes no miolo do meio-campo. A frente de ataque ficou entregue, desta vez, a Rodrigo e Cardozo.

Os ingleses entraram em campo com as suas linhas muito subidas, não permitindo que os jogadores do Benfica tivessem muito tempo para pensar quando tinham a posse de bola. A equipa da Luz libertou-se dessa teia montada pelo conjunto visitante a partir dos cinco minutos, com André Gomes a tentar o primeiro remate às redes de Tim Krul. O guarda-redes holandês começou a dar nas vistas e, aos oito minutos, defendeu um remate de Gaitán.

Quando já não parecia ser uma equipa tão perigosa no terreno, o Newcastle surpreendeu e chegou, assim, à vantagem no marcador, através de Cissé (12’). 

A formação orientada por Alan Pardew só voltou a ameaçar aos 23 minutos, com Artur Moraes a desviar uma bola para o poste.
A partir desse lance só deu literalmente Benfica. É que, um minuto depois, Cardozo disparou uma autêntica bomba para a baliza de Krul, com este a não conseguir segurar à primeira, algo que Rodrigo aproveitou para facturar na recarga.

Passaram três minutos e assistiu-se a um autêntico sufoco na área inglesa, com os remates de André Gomes e Ola John a serem defendidos, mais uma vez, por Tim Krul. A bola voltou a ainda a sobrar para André Gomes, com a sua segunda tentativa na jogada a esbarrar, aparentemente, no braço de um opositor, no entanto, o árbitro Antony Gautier não assinalou nenhuma infracção.

A pressão benfiquista continuou a ser intensificada, com Rodrigo (35’) e Matic (40’) a verem mais uma intervenção do guardião visitante.

O segundo tempo começou com um susto para o Benfica, já que Cissé fugiu com perigo para a baliza de Artur Moraes, desviando a bola para o poste da baliza deste. 
O perigo passou e o Benfica apontou baterias às redes de Tim Krul. Na sua última acção de relevo em campo, Rodrigo solicitou Cardozo, no entanto, o paraguaio não conseguiu desviar com êxito.

Dois golos para a vitória
Com o marcador a não sofrer alterações, Jorge Jesus decidiu proceder a duas substituições aos 61 minutos, com um dos jogadores que entrou a

dar cartas logo quatro minutos volvidos. Falamos de Lima. O brasileiro aproveitou um mau atraso de Santon para contornar Krul e fazer, assim, o 2-1.

A vantagem não demorou muito a ser ampliada. Steven Taylor cortou a bola com o braço aos 68 minutos e o árbitro assinalou a respectiva grande penalidade. Cardozo converteu o castigo máximo logo à primeira, no entanto, o juiz mandou repetir, algo que o número sete das “águias” não acusou nem por sombras. O relógio marcava já 71 minutos e o Benfica alcançava já uma boa vantagem na eliminatória.

A equipa “encarnada” manteve o pé no acelerador e quase marcou por Matic (80’) e Gaitán (81’).
Com este triunfo por 3-1, o Benfica irá com boas perspectivas para o encontro da próxima quinta-feira, dia 11 de Abril, em Inglaterra.

O Sport Lisboa e Benfica apresentou a seguinte equipa: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay e Melgarejo; Matic, André Gomes (Enzo Perez, 61’), Ola John e Gaitán; Rodrigo (Lima, 61’) e Cardozo (Maxi Pereira, 77’).

Fonte: A Bola /SLB

Fotos: https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=167561

publicado por Benfica 73 às 08:34

Março 15 2013
Está encontrado o próximo adversário do Benfica na Liga Europa. Os encarnados vão ter pela frente o Newcastle, de Inglaterra, nos quartos de final da competição.
A primeira mão será disputada na Luz, a 4 de abril e a segunda ronda em St. James Park, a 11 do mesmo mês.
Para chegar a esta fase, o Newcastle deixou pelo caminho o Anzhi, da Rússia, nos oitavos de final, e o Metalist, da Ucrânia, nos 16 avos de final.
Na fase de grupos, curiosamente, os ingleses ficaram atrás do Bordéus, que os encarnados eliminaram ontem. Também o Marítimo fazia parte do mesmo grupo, o D, tendo ficado em terceiro lugar.
O Newcastle ocupa a 13.ª posição da tabela classificativa na Premier League.
Campanha do Newcastle na Liga Europa:
Oitavos de final:
Newcastle 1 – 0 Anzhi
Anzhi 0 – 0 Newcastle
16 avos de final:
Newcastle 0 – 0 Metalist
Metalist 0 – 1 Newcastle
Fase de grupos:
Marítimo 0 – 0 Newcastle
Newcastle 3 – 0 Bordéus
Newcastle 1 – 0 Club Brugge
Club Brugge 2 – 2 Newcastle
Newcastle 1 – 1 Marítimo
Bordéus 2 – 0 Newcastle
Play-off de acesso:
Newcastle 1 – 0 Atromitos
Atromitos 1 – 1 Newcastle
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 16:51

Março 15 2013

A equipa do Sport Lisboa e Benfica disputou, esta quinta-feira, em Bordéus, o jogo da 2.ª mão dos oitavos-de-final. Diante dos gauleses, os “encarnados” triunfaram por 2-3 com um “bis” de Cardozo e outro de Jardel.

A jogarem em casa, os franceses entraram mais expeditos e acercaram-se da baliza benfiquista durante os primeiros 20 minutos, com o Benfica a controlar os ritmos de jogo, tentando trocar o esférico no meio-campo contrário.

 

Sacudida a postura mais ofensiva do Bordéus, o Benfica tem uma oportunidade flagrante aos 21’. Gaitán assistiu Salvio e este, descaído para a direita, rematou, mas Carasso sacudiu para canto.

A ameaça passou a realidade aos 29 minutos. Canto marcado por Ola John e Jardel, nas alturas, fez o 0-1 para o conjunto luso.

A ter que marcar para ter alguma esperança, o Bordéus lançou-se ao ataque e aos 34 minutos, Diabaté obrigou Artur a defesa apertada. Porém, até ao intervalo, as “águias” controlaram as operações, indo para o descanso na frente (0-1).

 

O início da etapa complementar foi tirado a “papel químico” da primeira parte, com o Bordéus a ter mais posse de

bola nos minutos iniciais, mas sem criar reais ocasiões de golo.

Defensivamente irrepreensíveis, os jogadores do Clube da Luz foram cortando os lances, não permitindo veleidades aos comandados de Francis Gillot. Todavia, aos 74’, Diabaté marcou o empate após Jardel ter tido azar no lance, pois a bola bate-lhe nas costas e sobre para o avançado maliano.

O Benfica respondeu logo de seguida através de Cardozo. Aos 75’, Gaitán assistiu o paraguaio, que depois de um excelente trabalho individual, fez o 1-2. A vencer, os franceses empataram a dois através de um autogolo de Jardel (90’), mas Cardozo bisou no minuto seguinte.

Não contente, o Benfica ainda poderia ter feito o 2-4 através de Enzo Perez aos 90’+3.

 

Este triunfo permitiu ao Sport Lisboa e Benfica passar para os quartos-de-final da Liga Europa e, esta sexta-feira, ficará a conhecer o próximo

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur; André Almeida, Jardel, Roderick e Melgarejo; Matic e Enzo Perez; Salvio (Maxi Pereira, 88’), Gaitán e Ola John (Carlos Martins, 83’); Rodrigo (Cardozo, 66’).adversário na competição.

Ficha do Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=166982

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152654921680716&set=a.10152654915490716.1073741836.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 08:20

Março 08 2013

O Sport Lisboa e Benfica recebeu e venceu, esta quinta-feira, o Bordéus por 1-0, em jogo a contar para a primeira-mão dos oitavos-de-final da Liga Europa.

A equipa da Luz encontrou um adversário fechado desde os minutos iniciais, o que fez com que tivesse mais posse de bola e as primeiras situações de perigo, com Rodrigo ameaçar aos 13 minutos, após um cruzamento de Cardozo.

 

Foi mesmo depois de um remate de Rodrigo que o Benfica abriu o activo na Luz. O número 19 disparou de forma colocada, no entanto, a bola entrou depois de bater no guarda-redes Carrasso (20’).

Empolgados pelo golo marcado, os “encarnados” procuraram pressionar mais o conjunto francês que, entretanto, ganhava confiança em alguns momentos do encontro. Aos 22 minutos, Cardozo rematou para defesa complicada do guardião forasteiro.

Do lado contrário, o Bordéus quase marcou perto do intervalo (44’), ao obrigar Artur Moraes a uma intervenção mais difícil.

O segundo tempo prometeu com mais uma tentativa de Cardozo, mas Carrasso voltou a evitar o pior para o

adversário (47’).
Vieram depois as substituições por parte de Jorge Jesus, de maneira a refrescar a equipa. Melgarejo, aos 67’, galgou terreno e ameaçou a baliza do Bordéus. 

Sem mais situações concretas até final, o Benfica parte agora com uma vantagem de um golo para o encontro da segunda-mão. O jogo está marcado para 14 de Março.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com a seguinte equipa: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay e Melgarejo;Roderick, Carlos Martins (Enzo Perez, 63’), Gaitán e Ola John (Lima, 73’); Cardozo (Salvio, 63’) e Rodrigo.

CLIQUE AQUI PARA VER OS INCIDÊNCIAS DO ENCONTRO

Ficha de Jogo aqui: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=166973

publicado por Benfica 73 às 08:20

Fevereiro 19 2013
A UEFA nomeou o árbitro checo Pavel Kralovec para dirigir o jogo entre Benfica e Bayer Leverkusen, da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, agendado para quinta-feira, no Estádio da Luz.
Trata-se da segunda vez que o ´juiz` checo, de 35 anos, se cruza com as águias, tendo dirigido a vitória frente ao Paris Saint-Germain, por 2-1, nos oitavos-de-final da mesma competição em 2010/11.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:16

Fevereiro 15 2013

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se à Alemanha para disputar a 1.ª mão dos 1/16 avos-de-final da Liga Europa. Diante do Bayer Leverkusen, os “encarnados” triunfaram por 0-1 e seguem em vantagem para 2.ª mão.

Jorge Jesus optou por colocar a titular uma equipa um pouco diferente do que é habitual, muito por razão de comandar um conjunto que está inserido em quatro competições e a gestão é necessária.

 

A partida começou numa toada de estudo mútuo, mas foi um Benfica de cabeça levantada que se apresentou no BayArena e aos 14 minutos, Urreta, descaído para a esquerda, entrou na área, rematou mas Leno defendeu.

Os pupilos à guarda de Jorge Jesus estavam tacticamente irrepreensíveis, obrigavam os germânicos a jogar no erro dos “encarnados” e aos 24’, Garay lançou Ola John, este trabalhou bem, assistiu André Almeida que, na passada, rematou forte bem perto do alvo.

O intervalo chegou no BayArena e apesar de o empate se aceitar, ficou-se com a ideia que o Benfica era a formação mais penalizada com este resultado, pois fez mais que o seu adversário.

 

A partida reiniciou-se da mesma forma como se tinha iniciado, as duas equipas não arriscavam muito, mas à entrada do minuto 60, tudo mudou. Aos 60’, os alemães poderiam ter marcado depois de um pontapé de canto, em que, depois de alguma confusão na área, Artur defendeu para novo canto. Na sequência desse pontapé de canto, surge o golo benfiquista.

Que jogada espectacular do Benfica! André Almeida centrou da direita, Gaitán simulou, deixou o esférico rolar até

Cardozo que só com Leno pela frente fez-lhe um chapéu (61’).

 

Quatro minutos depois, de novo Artur em evidência. Bender disparou, mas o guardião opôs-se muito bem. À passagem do minuto 68, Hegeler obrigou Artur a nova intervenção e um minuto depois, num contra-ataque, o Benfica voltou a estar perto do golo. Gaitán assistiu Ola John e este tentou um chapéu, mas este saiu com aba larga.

Depois de alguma insistência do Bayer Leverkusen que o conjunto luso segurou, o Benfica mostrou maturidade para trazer para a Luz uma vantagem importante.

O Benfica – Bayer Leverkusen está marcado para as 20h05 do dia 21 de Fevereiro.

O Sport Lisboa e Benfica iniciou o jogo com o seguinte onze: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay, Melgarejo; Matic, André Gomes (Enzo Perez, 41’), Urreta (Urreta, 57’), Gaitán, Ola John e Cardozo (Lima, 72’).

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=165277

publicado por Benfica 73 às 08:14

Fevereiro 14 2013

Benfica: Artur; André Almeida, Luisão, Garay, Melgarejo; Matic e André Gomes; Gaitán, Urreta e Ola John; Cardozo

publicado por Benfica 73 às 17:13

Fevereiro 14 2013
O treinador do Benfica reconheceu que fará no jogo da Liga Europa com o Leverkusen a gestão que achar necessária com vista ao duelo com a Académica, no domingo, para o campeonato. 

«Temos um jogo no domingo com a Académica. Vou partir para este jogo com esse pensamento, porque o encontro de domingo é tão ou mais importante que este», disse na antevisão ao duelo em Leverkusen, sublinhando que a conquista do campeonato continua a ser o principal objetivo para esta temporada:

«O Benfica está em quatro frentes, queremos discuti-las todas, mas temos prioridades. E nunca escondemos que a nossa prioridade é o campeonato. É com esta ideia que vamos partir para o jogo de amanhã. Neste aspeto, a Liga Europa é pior que a Champions, porque joga-se à quinta-feira e depois volta-se a jogar no domingo. Não dá para recuperar a 100 por cento.»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:05

BENFICA 73
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


comentários recentes
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...
Tanto quanto narra a história a Cinderela saiu ven...
Fosse eu a tratar deste assunto e se este está a d...

contador visitante