Março 17 2016

«Cinderelas». Foi este o termo escolhido pelo diário `Marca´ para definir o estatuto de Benfica e Wolfsburgo no sorteio dos quartos de final da Liga dos Campeões, agendado para sexta-feira (11 horas), em Nyon.

«Os grandes da Europa suspiram por defrontar Benfica ou Wolfsburgo, as teóricas cinderelas do sorteio», pode ler-se na edição online do jornal sediado em Madrid.

O catalão Mundo Deportivo afina pelo mesmo diapasão, escrevendo que «Benfica e Wolfsburgo serão os rivais desejados pelas outras seis equipas.»

O jornal da cidade Condal descreveu, de forma sucinta, cada um dos potenciais adversários do Barcelona na próxima ronda da Liga dos Campeões.

Sobre o Benfica, pode ler-se: «Líder da Liga portuguesa, perdeu o primeiro lugar da fase de grupos para o Atlético na última jornada mas desenvencilhou-se do Zenit nos oitavos com facilidade. É incómodo e muito ordenado taticamente, mas está dependente de figuras como Jonas, líder da Bota de Ouro. Grimaldo, culéaté janeiro, é suplente.»

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 12:48

Março 10 2016

capture-20160310-102513.png

Sport Lisboa e Benfica e Zenit disputaram esta quarta-feira a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões. Depois do 1-0 na 1.ª mão, com golo de Jonas, o Estádio Petrovsky foi o palco do desafio da 2.ª mão dos ”oitavos”.

Com um golo de vantagem na bagagem levada até São Petersburgo, ao que se juntou uma enorme determinação e ambição, foi uma equipa personalizada – apesar das muitas mudanças no figurino – que se apresentou em campo.

 

Na baliza, o jovem brasileiro Ederson; Samaris surgiu adaptado a central, ao lado de Lindelof, com as alas entregues a Eliseu e Nélson Semedo. Meio campo com Fejsa a fechar, reforçado com Renato Sanches, Pizzi e Gaitán; na frente, duas setas apontadas à baliza de Lodygin, Jonas e Mitroglou.

Primeira metade equilibrada, mas com um Benfica com sinal mais, muito ciente daquilo que tinha de fazer… Carácter, inteligência, qualidade e muito coração!

Aos 5’, primeira oportunidade de golo, com Jonas a converter um livre muito perigoso, para defesa atenta de Lodygin; o mesmo Jonas que aos 12’ tentou novamente a sorte, só que desta vez o remate saiu ao lado.

Aos 7’, primeiro remate dos russos, com Dzyuba a atirar ao lado; aos 19’, grande jogada do coletivo “encarnado”, com Renato Sanches a afinar a pontaria, pontaria que não faltou a Nélson Semedo (31’) mas à figura do guardião adversário.

Ainda nos primeiros 45’, mais uma oportunidade de inaugurar o marcador, só que Ederson foi enorme! Hulk serve Dzyuba, mas o jovem guardião “canarinho” saiu com coragem e disse não. Ao intervalo o nulo mantinha-se!

 

A justiça por vezes tarda… mas não falha!

Segunda metade a começar com equilíbrio, contudo, com o Zenit em desvantagem, a pressão russa intensificou-se, com os comandados de André Villas-Boas a darem o tudo por tudo, perante umas “águias” que, de forma pragmática e muito coração, resolveram.

À passagem da hora de jogo, o encontro partiu-se… com o Zenit, primeiro por Smolnikov, depois através de Dzyuba a ter soberanas oportunidades. Jonas respondeu… mas aos 69’ foi o árbitro húngaro, Viktor Kassai, quem se tornou o protagonista maior!

Zhirkov atropela Nélson Semedo, vai à linha e cruza para Hulk cabecear para o empate! Golo irregular, precedido de falta claríssima, com o árbitro a validar. Inacreditável!

Eliminatória empatada… e Lindelof, minutos depois, de cabeça, por muito pouco não colocava as “águias” novamente em vantagem…. Não colocou o sueco, colocou argentino!

Minutos 85’, Raúl dispara de longe para defesa incompleta, com Gaitán – oportuno – a cabecear para o golo da justiça, para o golo que coloca o Bicampeão português na fase seguinte da prova.

Havia dúvidas de quem merecia seguir em frente? Talisca, no último minuto do tempo de compensação respondeu taxativamente com o 1-2.

O SL Benfica conhecerá o adversário dos quartos de final da mais prestigiante prova de Clubes do Velhinho Continente na próxima sexta-feira, dia 18 de março, num sorteio que terá como palco Nyon (Suíça).

O Glorioso iniciou a partida no Estádio Petrovsky com Ederson; Nélson Semedo, Lindelof, Samaris e Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Pizzi (Salvio,73’) e Gaitán; Jonas (Talisca, 90+1’) e Mitroglou (Raúl, 67’). 

Segue-se nova jornada da Liga NOS! O Bicampeão Nacional, líder da classificação geral, tem encontro marcado com o Tondela para a próxima segunda-feira. Este desafio é referente à 26.ª jornada da competição e tem início marcado às 20h00 no Estádio da Luz.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:18

Março 09 2016

Numa prova habituada a distribuir autênticas fortunas aos seus participantes – só o Benfica já amealhou 22,5 milhões de euros, aos quais pode somar mais seis se alcançar aos quartos-de-final – o Zenit tem hoje, quarta-feira, motivos adicionais para seguir em frente.

De acordo com o jornal Record, a ‘gigante’ do gás natural Gazprom quer dar um chorudo incentivo aos jogadores do emblema russo: nada mais, nada menos, do que um prémio de cinco milhões de euros a distribuir pelo plantel caso sejam capazes de eliminar o Benfica.

O número ganha proporções ainda superiores se tivermos em conta que é mais do triplo daquele que o clube da Luz irá oferecer aos seus atletas, na ordem dos 1,5 milhões de euros.

O motivo por detrás de tão elevada quantia tem a ver com a possibilidade dos jogadores do Zenit fazerem história caso sejam capazes de deixar os ‘encarnados’. Isto porque, em mais de 80 anos de história, o clube nunca foi capaz de chegar aos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Fonte: Noticias ao Minuto

publicado por Benfica 73 às 10:36

Novembro 28 2015

O avançado Jonas está determinado em ajudar o Benfica a realizar uma excelente campanha na Liga dos Campeões, onde já estão apurados para os oitavos-de-final da Champions.

«É um privilégio estar na Champions, porque são pouco jogadores que estão nesta competição. Estamos aqui fruto do nosso trabalho na época passada», afirmou Jonas, em declarações à «Adidas Magazine».

Sobre os objetivos na participação na Liga dos Campeões.
«Temos de desfrutar desta competição, que é a mais bonita em termos europeus. Queremos fazer uma grande campanha em 2016.»

Jonas está a utilizar um novo modelo da Adidas e revelou que espera que as botas também façam a diferença nas suas exibições.
«Espero fazer muitos golos e ajudar o Benfica a vencer jogo. Espero que estas botas ajudem na finalização.»

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 12:28

Novembro 25 2015

O frio extremo que se faz sentir no Cazaquistão é já habitual para os homens do Astana, mas o mesmo não se pode dizer dos jogadores do Benfica. E o emblema cazaque quis mesmo ‘aproveitar-se’ desse fator extra… só que a UEFA não deixou.

Segundo o jornal A Bola, o Astana pediu à organizadora da Liga dos Campeões para que o jogo fosse realizado com a cobertura do estádio aberta, obrigando a que a partida se realizasse sob uns gélidos dois a quatro graus negativos.

A UEFA não aceitou o pedido, exigindo que o jogo decorresse nas mesmas condições em que decorreram os confrontos com o Galatasaray e com o Atlético de Madrid – ambos terminaram com um empate – ou seja, com a cobertura fechada e com uns mais agradáveis 15 graus positivos no interior do recinto.

Fonte: Notícias ao Minuto

publicado por Benfica 73 às 11:22

Novembro 24 2015

O plantel do Benfica realizou o treino de adaptação ao Arena Astana, onde na quarta-feira joga com a equipa local para a quinta jornada do Grupo C da Liga dos Campeões.
Os jogadores subiram ao relvado protegidos por colãs e luvas mas a temperatura no estádio, coberto, ronda os 15 graus – ambiente bem mais agradável em relação ao que se faz sentir no exterior do recinto.
A esta sessão, aberta nos primeiros 15 minutos, assistiram cerca de duas dúzias de adeptos encarnados

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 11:57

Novembro 04 2015

capture-20151104-092230.png

O SL Benfica venceu, esta terça-feira, o Galatasaray por 2-1 na 4.ª jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões. Depois do empate a zero entre Astana e Atlético, os “encarnados” são líderes isolados do Grupo C.

Poucas foram as mexidas de Rui Vitória relativamente ao onze que alinhou em Istambul há 15 dias – quando a formação comandada por Hamza Hamzaoglu venceu por 2-1. Talisca, que entrou para o lugar do castigado Samaris, foi a única alteração.

 

Esta noite, no Estádio da Luz, entrou melhor o SL Benfica com um remate de Nico Gaitán logo aos 3’. Jogada de classe do argentino que, após uma roleta, tentou o remate mas acabou por sair ao lado.

Com os Bicampeões Nacionais a mandarem no jogo e à procura do golo, Raúl viu Muslera negar-lhe aquele que poderia ter sido o primeiro da noite, aos 5’, e, na recarga, Gaitán atirou pertíssimo do poste!

Aos 21’, primeira ameaça do Galatasaray, com um remate perigoso de Podolski. Aos 25’, canto a favor da equipa turca batido por Kisa, com a bola a sobrar para Sneijder, que, fora da área, rematou para defesa de Júlio César.

A fechar o primeiro tempo, Milorad Mazic mostrou o cartão amarelo a Nico Gaitán. Burak Yilmaz devia ter sido expulso por mão na bola mas o árbitro sérvio mostrou antes o amarelo a Gaitán por protestos…

Empate a zero numa primeira parte que começou bem, sobretudo devido à boa entrada dos “encarnados” que já mereciam estar na frente do marcador.

 

45 minutos e... três golos!

Aos 52’ a Luz fez-se ouvir. Dois anos depois, Jonas voltou a marcar na Liga dos Campeões. Estava feito o 1-0. Uma vantagem que durou apenas cinco minutos. Aos 57’, o alemão Podolski rematou e restabeleceu a igualdade.

Aos 67’, Luisão voltou a colocar o SL Benfica na frente do marcador. Após um canto batido por Nico Gaitán, a bola sobrou para Jiménez que conseguiu desviar para o capitão que não deu hipótese a Muslera.

A cinco minutos do final, segundo cartão amarelo para Nico Gaitán que falha, por isso, o jogo com o Astana.

Com este resultado, o SL Benfica é líder isolado do Grupo C - com nove pontos, mais dois do que os espanhóis do Atlético - e está mais perto da qualificação para os oitavos de final da competição.

No outro encontro do Grupo C, Astana e Atlético de Madrid empataram a zero num jogo realizado no Cazaquistão. E é precisamente para o Cazaquistão que o SL Benfica viaja na próxima jornada, a 5.ª. O Astana – SL Benfica está marcado para o dia 25 de novembro.

Antes disso, há compromissos do Campeonato Nacional. E o próximo é já no domingo (16h00), diante do Boavista na 10.ª jornada da Liga NOS.

Rui Vitória fez alinhar o seguinte onze inicial: Júlio César; Sílvio, Luisão, Jardel e Eliseu; Gonçalo Guedes (73’ Carcela), André Almeida, Talisca (90' Cristante) e Gaitán; Jonas (80’ Pizzi) e Raúl.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:02

Novembro 02 2015

 

O Galatasaray vem a Portugal, esta terça-feira, jogar com o Benfica para a quarta jornada da Liga dos Campeões, mas pode ter uma surpresa. É que os turcos deverão ver uma dupla inédita no meio-campo das ‘águias’: Fejsa e André Almeida devem ser os titulares na Luz.

Com o castigo de Samaris (viu o terceiro cartão amarelo no jogo em Instambul), Rui Vitória vê-se obrigado a mexer na equipa. Desta forma, abre uma vaga no meio-campo, que deve ser aproveitada por Fejsa. Por conhecer as rotinas de um dos setores mais determinantes da equipa, o médio sérvio de 27 anos surge em primeiro lugar para substituir o grego no onze inicial.

Até aqui, nada de novo. O inédito será mesmo o seu companheiro no meio-campo. André Almeida deve ser a outra aposta de Vitória para o encontro de amanhã, o que fará com que surja uma dupla inédita no miolo ‘encarnado’, pelo menos em jogos oficiais.

Mesmo não sendo André Almeida o escolhido para iniciar o jogo, quer jogue Pizzi, Talisca, Cristante ou até Renato Sanches, será sempre uma nova dupla no meio-campo do Benfica.

Mas não serão só estas alterações que o treinador das 'águias' tem de promover. Sílvio deverá regressar à lateral direita, tendo em conta que Clésio não está inscrito na Liga dos Campeões e, por sua vez, Eliseu deve também voltar ao lado esquerdo da defesa 'encarnada'.

Fonte: Noticias ao Minuto

publicado por Benfica 73 às 09:39

Outubro 01 2015

capture-20151001-094638.png

Sport Lisboa e Benfica e Atlético de Madrid defrontaram-se esta quarta-feira à noite. Os dois líderes do Grupo C até então (ambos com 3 pontos fruto das vitórias na 1.ª ronda) disputaram a 2.ª jornada da Champions, num Vicente Calderón lotado, com três mil Benfiquistas nas bancadas a fazerem-se ouvir de princípio a fim. Que orgulho!

 

Empate deu a tranquilidade… para a “remontada”

Naquele que foi o primeiro duelo entre as duas equipas nas competições europeias, os “colchoneros” entraram fortíssimos e, em casa, quiseram desde muito cedo mandar no jogo.

Muito desse domínio foi consentido inicialmente pelo Benfica que, estrategicamente, aproveitava o erro do adversário para saídas rápidas e viperinas.

Jonas (6’) rematou ao lado; aos 14’, Gonçalo Guedes tentou o chapéu depois de uma saída em falso de Oblak, mas Filipe Luís evitou o golo; ao 16’, Raúl Jiménez disparou fortíssimo, mas a bola foi para fora.

Os anfitriões continuaram a crescer, a pressionar e, aos 23’, o golo acabou por surgir, com Ángel Correa a sentenciar uma belíssima jogada atacante ao primeiro toque.

O Benfica, é certo, acusou – e muito! - o golo, mas conseguiu, com enorme entrega, suster as investidas adversárias, foi buscar forças e raça ao E Pluribus Unum e Gaitán (36’), com um golaço – remate de primeira, forte e cruzado – fez o empate! O argentino foi, aliás, considerado o melhor em campo pela UEFA.

Foi então altura dos madrilenos acusarem o tento sofrido e foi mesmo um Benfica mais sereno aquele que até ao intervalo poderia ter tornado a fazer mexer o marcador!

 

A liderança fica-nos tão bem!

E se não mexeu na altura, não tardaria muito mais a fazê-lo! Minuto 50’. Nico Gaitán “dança” na esquerda, cruza para a área onde surge o jovem de apenas 18 anos, Gonçalo Guedes, a desviar de Oblak para colocar o Benfica a vencer por 1-2.

Até ao apito final a equipa de Diego Simeone tentou o tudo por tudo, encontrando do outro lado da barricada um Júlio César, qual imperador, a dizer não à igualdade, corolário de um coletivo onde a coesão e entrega, embalados pelos cânticos vibrantes de três mil Benfiquistas nas bancadas do Calderón fez história e trouxe na bagagem para a Luz mais três preciosos pontos na Champions.

No outro desafio do Grupo, o Galatasaray foi ao Cazaquistão empatar a duas bolas com o FC Astana.

Com estes resultados, o SL Benfica lidera o Grupo C, com seis pontos, seguido do Atlético de Madrid, com três, em 3.º e 4.º lugar surge Galatasaray e FC Astana, ambos com um ponto.

O SL Benfica iniciou o jogo com Júlio César, Nélson Semedo, Luisão, Jardel, Eliseu; André Almeida, Samaris (73’, Fejsa), Gonçalo Guedes, Gaitán; Jonas (79', Pizzi) e Raúl Jiménez (71’, Mitroglou).

 

 

O que se segue?

Abre-se agora novamente a janela competitiva da I Liga, com o SL Benfica a viajar até à Pérola do Atlântico onde vai defrontar a formação do União da Madeira. Este desafio está agendado para as 16h00 de domingo e terá a arbitragem de Cosme Machado.

A Liga dos Campeões regressa no dia 21 de outubro (quarta-feira, às 19h45) com os “encarnados” a terem uma deslocação à Turquia, ao terreno do Galatasaray, relativa à 3.ª ronda da competição; o Atlético de Madrid recebe o FC Astana.

Fonte: SLB

Fotos

Ficha de Jogo


Setembro 28 2015

O Benfica defronta o Atlético de Madrid, esta quarta-feira, em jogo da segunda jornada do Grupo C da Liga dos Campeões. O zerozero.pt apresenta-lhe de seguida cinco razões que podem "motivar" os encarnados para levarem de vencida os colchoneros.

Em muitas das conversas que Rui Vitória tem com os jornalistas, quer seja antes ou depois dos jogos, o técnico foca o seu discurso na palavra acreditar. Daí que o zerozero.pt tenha partido da palavra e tentado encontrar cinco motivos que, não sendo utópicos, permitem à família encarnada acreditar no sucesso da viagem à capital espanhola.

Naquele que será um duelo com caras que se conhecem bem, algumas das quais já envergaram as duas camisolas, será de esperar um encontro emocionante, digno de Champions.

1 - Vontade de melhorar na Champions

Depois de nas últimas campanhas a prestação do Benfica ter ficado aquém na Liga milionária (nas últimas três Champions ficou sempre pela fase de grupos), a entrada a vencer, com vitória sobre o Astana, poderá catapultar as águias para um voo mais alto nesta Champions

2 - Sem pressão

O Atlético de Madrid é favorito, uma vez que joga em casa e tem unidades de topo do futebol mundial; casos de Griezmann, Jackson e Fernando Torres, por exemplo. A turma da Luz poderá entrar em campo sem pressão, olhando até que pela frente estará uma equipa com recente tradição na prova: finalista vencido em 2014.

3 - Apoio da onda encarnada

O Benfica anunciou que foram vendidos todos os bilhetes a que o clube da Luz tinha direito para o duelo do Vicente Calderón. Apoio não faltará aos comandados de Rui Vitória.
4 - Primeira vitória longe da Luz
 O Benfica ainda não venceu fora de casa, esta época. Em mais uma saída da Luz, a turma de Rui Vitória tentará somar o primeiro triunfo da temporada. Em três jogos fora da Luz, três derrotas (Supertaça contra o Sporting, Aveiro contra o Arouca e Dragão contra o FC Porto). Os pupilos de Vitória irão tentar um desfecho diferente agora.
5 - Magia de Gaitán
No último mercado de transferências, o argentino esteve na rota colchonera mas a transferência acabou por não se concretizar. O atacante, que atravessa um bom momento de forma, deverá ser uma das unidades em maior destaque no relvado do Vicente Calderón. Os focos mediáticos também estarão nele e quererá carregar o Benfica para uma noite de glória.
Fonte: Zerozero
publicado por Benfica 73 às 11:54

Setembro 18 2015

O argentino Nicolas Gaitán, do Benfica, integra a equipa ideal da Liga dos Campeões, eleita pelos utilizadores do site da UEFA, na qual se destaca ainda a presença do internacional português Cristiano Ronaldo
Gaitán foi determinante ao abrir caminho para o triunfo do Benfica (2-0) sobre o Astana, na primeira jornada do Grupo C. Além do golo marcado – Mitroglou fez o 2-0 -, o argentino continua a revelar-se peça fundamental na manobra ofensiva da equipa.
Cristiano Ronaldo, que se destacou com hat-trick no triunfo do Real Madrid sobre o Shakhtar Donetsk (4-0), também entra no melhor ‘onze’ da Champions, num ataque composto ainda pelo ex-portista Hulk (Zenit).
O ex-benfiquista Angel di María (PSG) também está entre os eleitos.

Eis o onze ideal da semana:
Guarda-redes: Buffon (Juventus)
Defesas: Florenzi (Roma), Dante (Wolfsburgo), Bonucci (Juventus) e Pivaric (Dínamo Zagreb)
Médios: Gaitán (Benfica), Hakan Calhanoglu (Leverkusen) e Di María (PSG)
Avançados: Ronaldo (Real Madrid), Hulk (Zenit) e Griezmann (Atlético Madrid).

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 17:02

Setembro 16 2015

download (1).jpg

O SL Benfica venceu o FC Astana e conquistou os três primeiros pontos na Champions, num jogo em que foram necessários vários predicados… 

Noite de chuva e frio na capital Lisboa, Catedral com meia casa (32 799 nas bancadas) para acolher a entrada do Glorioso em mais uma edição da Liga dos Campeões.

 

Prestígio Desportivo, reforço Histórico do emblema e os muitos euros em disputa na competição… ingredientes mais do que saborosos para uma caminhada que se espera longa e de sucesso.

E Sport Lisboa e Benfica e FC Astana foram os protagonistas de mais um desafio histórico! É que pela primeira vez uma equipa portuguesa e outra cazaque se defrontaram nas competições europeias, aliás esta foi, de resto, a estreia de uma equipa oriunda do Cazaquistão na Liga Milionária.

Noite de estreia na Champions também para o treinador Rui Vitória e para os jovens da Formação do Clube Nelson Semedo e Gonçalo Guedes, que surgiram no onze, aliás, o mesmo que goleou o Belenenses na última sexta-feira na Luz.

 

Primeira metade com pouco para dizer, escrever, neste caso! Jogo mastigado, com a equipa do FC Astana a adotar uma postura super defensiva, no erro do adversário, com o Benfica, pouco imaginativo, a não conseguir encontrar o caminho mais eficaz para as redes contrárias.

Apenas dois lances a merecer honras de destaque e ambos com o mesmo protagonista: Jonas. Meia hora de jogo com o brasileiro a rematar forte para uma grande defesa de Eric; em cima do intervalo, lance individual, com o avançado a permitir nova intervenção ao guardião dos visitantes.

 

Na segunda metade a história foi outra!


Paciência e muita entrega dos jogadores aos comandos de Rui Vitória para nunca perderem o foco no objetivo, num jogo em que a postura cazaque complicou e enervou… Depois, surgiu em campo o virtuosismo individual em prol do coletivo e a partir daí o Benfica soltou-se e carregou para a vitória. Mas vamos a factos!

Entrada inesperada, com o FC Astana muito perto do golo, com Aleksey Shchetkin a enviar a bola ao poste… e a partida finalmente animou!

 

Aos 51’, Gaitán, acelera, deixa tudo para trás e arranca rumo à baliza adversária, rematando cruzado – sem hipótese – para o golo da vantagem “encarnada”.

Estava feito o primeiro tento da noite… e o nó (bem atado do FC Astana) desatado finalmente!

A partir daqui, só deu Benfica e foi com naturalidade que os “encarnados” aumentaram a vantagem.

Minuto 62’, Gaitán abriu na ala, Eliseu foi à linha cruzar e Mitroglou, à ponta de lança, encostou para o 2-0.

Até ao final, gestão inteligente... Vitória justa!

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; Nelson Semedo, Jardel, Luisão e Eliseu; Samaris (Fejsa, 86'), Talisca (Raúl Jiménez, 76’), Gaitán e Gonçalo Guedes; Mitroglou e Jonas (Pizzi,71’).

No outro desafio do Grupo C, na Turquia, o Atlético de Madrid venceu o Galatasaray (0-2). Com este resultado, espanhóis e portugueses assumem a liderança.

Segue-se o clássico para o Campeonato Nacional. O Sport Lisboa e Benfica desloca-se ao estádio do Dragão às 19h15 do próximo domingo, numa partida relativa à 5.ª jornada da competição.

Já a Liga dos Campeões regressa no dia 30 de Outubro, com os “encarnados” a viajarem até Espanha para defrontar o Atlético de Madrid, na 2.ª ronda do Grupo C da prova.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:24

Setembro 15 2015

O treinador do Benfica, Rui Vitória, decidiu manter a equipa que utilizou frente ao Belenenses para o jogo, desta terça-feira, frente ao FC Astana, no jogo inaugural da Fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Benfica apresenta o seguinte onze:
Júlio César, Nélson Semedo, Luisão, Jardel, Eliseu, Samaris, Talisca, Gonçalo Guedes, Gaitán, Jonas e Mitroglou.

Suplentes:
Ederson, Sílvio, Fejsa, Pizzi, Victor Andrade, Nuno Santos e Raúl Jiménez.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 18:50

Maio 19 2015

O bicampeão nacional (Benfica) irá integrar o pote um da próxima edição da Liga dos Campeões.
O primeiro pote será formado pelo Barcelona, Bayern, Benfica, Chelsea (José Mourinho), Juventus, Paris Saint-Germain, PSV Eindhoven e Zenit (André Villas Boas).
Deste modo, equipas como o FC Porto, Real Madrid ou Arsenal vão ficar noutros potes.

Fonte: A Bola

 

publicado por Benfica 73 às 10:52

Novembro 05 2014

10655378_10154791065875716_8365026635576405528_o.j

A equipa principal de Futebol do Sport Lisboa e Benfica disputou, na noite desta terça-feira, a 4.ª ronda do Grupo C da Liga dos Campeões. Vitória por 1-0, golo de Talisca e tudo em aberto para o que falta na Fase de Grupos da Liga dos Campeões.

Na Luz, a noite fria foi colmatada por uma entrada quente e prometedora da formação da casa. Em cinco minutos, duas oportunidades que vaticinavam algo de bom. Aos três, Gaitán testou a atenção de Subasic após boa iniciativa individual e no minuto seguinte foi a vez de Salvio, servido por Talisca numa transição rápida – como o Benfica gosta de jogar –, rematar cruzado mas ao lado.

 

A esperança crescia nas bancadas mas não foi acompanhada por golos. Depois de 20 minutos muito positivos por parte das “águias”, o adversário cresceu no terreno, subiu as linhas e colocou Júlio César e o sector defensivo em sentido. Prova disso foi o cruzamento “venenoso” aos 23 minutos que o guardião brasileiro sacudiu com mestria.

O Benfica sentia dificuldades a sair a jogar com a bola dominada, como gosta de fazer, fruto de um “miolo” monegasco que tinha vantagem numérica. Apercebendo-se desse facto, Leonardo Jardim encetou uma pressão alta a toda a largura do terreno, com o Benfica, aqui e ali, a sacudir através das alas (Gaitán e Salvio estavam muito em jogo).

 

Muito perto do intervalo, aos 45’, Gaitán trabalhou bem na área e rematou com Subasic já batido. O

desvio do esférico nas pernas de Raggi negou um golo certo. No recomeço, o Mónaco entrou melhor e Júlio César confirmou as credenciais de um dos melhores do Mundo. Kurzawa, aos 49’, cabeceou perto, respondeu o Benfica aos 52’ com remate de Talisca para estirada de Subasic.

Entre os 57 e 59 minutos, os monegascos obrigaram Júlio César a brilhar através dos disparos de Traoré e de Ferreira-Carrasco. A equipa da casa respondia. Lima, recém-entrado, na área, rematou com perigo. À passagem do minuto 73, o árbitro teve um lapso ao cortar a lei da vantagem do Benfica num contra-ataque em que tinha superioridade numérica. Nunca se sabe o que poderia sair daqui… Dois minutos depois nova má decisão após marcar pontapé de baliza num lance em que era canto para os da Luz. Destaque para a jogada estudada que antecedeu o lance com Lima a estar perto de ser feliz.

O Benfica crescia no jogo, os Benfiquistas percebiam o esforço da equipa e correspondiam com apoio incansável vindo das bancadas. O “frisson” na área antevia algo de bom e foi isso mesmo que aconteceu! Pontapé de canto, desvio e Talisca, ao segundo poste, a levar ao júbilo as hostes “encarnadas”.

A vantagem no marcador ficou segura até ao apito final e as “águias” passam a somar quatro pontos na classificação.

O Sport Lisboa e Benfica iniciou a partida com Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e André Almeida; Samaris (Lima, 62’), Gaitán (Tiago, 90’), Salvio, Enzo Perez e Talisca; Derley (Cristante, 86’).

Fonte: SLB

Fotos:https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica/photos/a.10154791064810716.1073742111.212504785715/10154791065985716/?type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 09:55

Outubro 23 2014

limamonaco322214820.jpg

Divisão pontual no Principado, num relvado mau demais para ser verdade. Primeira metade fraquinha, segunda metade com sinal mais do SL Benfica que, pelo fez nos últimos 45´e – a jogar com menos um nos últimos 15’ – merecia mais do que o empate. Há noites assim… Matematicamente, tudo é possível e a ambição mantém-se!

Frente a frente Mónaco e SL Benfica, duas equipas com aspirações idênticas, mas com percursos completamente diferentes.

Na antecâmara desta partida, enquanto os monegascos lideravam o Grupo C da Champions, estando em maus lençóis nas provas internas; os “encarnados” têm-se deparado com dificuldades na Europa, mas nas provas lusas a caminhada tem sido excelente.

Três pontos, prestígio desportivo (e não só!) e muitos euros em disputa esta quarta-feira à noite no Stade Louis II, com dois treinadores portugueses em cada um dos lados da barricada…

E foi a equipa de Leonardo Jardim quem começou melhor, com os primeiros 20’ a serem de domínio, com Artur a passar por alguns sustos. Valeu a ineficácia do adversário.

O SL Benfica de Jorge Jesus respondeu e começou a sacudir a pressão. Uma primeira iniciativa de Gaitán, com Salvio e Lima a seguirem-lhe o exemplo, equilibraram as hostilidades.

Aos 39’, grande oportunidade de golo para os “encarnados”. Cruzamento perfeito de Talisca, o esférico encontra Lima bem no coração da pequena área, mas o guardião, Subasic, disse não ao brasileiro.

Ao intervalo, o nulo mantinha-se, numa primeira metade marcada por um futebol bem aquém do esperado, muito por culpa de um relvado em condições quase deploráveis…. Embora isso não explique tudo!

Expulsão de Lisandro condicionou estratégia

Segunda metade e mais Futebol! As duas equipas entraram com atitude renovada e o espectáculo ganhou com isso.

Equilíbrio e oportunidades a rondarem as duas balizas nos momentos iniciais, domínio benfiquista a partir dos 60’.

Gaitán (58’), Salvio (66’), André Almeida (67’) e Enzo Perez (70’), tiveram oportunidades para inaugurar o marcador, mas

quando a redondinha não quer… não há volta a dar!

A 15’ do apito final, num momento em que os “encarnados” carregavam, contrariedade para o SL Benfica, com a expulsão de Lisandro Lopez.

A partir daí, pragmatismo, inteligência, entre-ajuda e muita entrega para segurar um ponto extremamente importante no Principado.

Final da primeira volta, matematicamente, tudo é possível… e nós acreditamos!

No próximo fim-de-semana o chip muda, com os “encarnados” a centrarem atenções no Campeonato Nacional e logo com uma deslocação à Cidade dos Arcebispos para defrontar o SC Braga. Esta partida está agendada para domingo, às 20h15, e é relativa à 8.ª jornada da prova.

A Champions regressa no início do mês de Novembro, com a recepção ao Mónaco agendada para dia 4 de Novembro, pelas 19h45, na Catedral. Um desafio alusivo à 4.ª jornada da Liga Milionária e que assume contornos de decisivo.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou de início com Artur; Maxi Pereira, Luisão, Lisandro López e Eliseu; André Almeida, Gaitán (César, 79’), Salvio, Enzo Perez (Samaris, 87’) e Talisca (Tiago,68’); Lima.

Fonte: SLB

Fotos:https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica/photos/a.10154744489810716.1073742104.212504785715/10154744489940716/?type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 10:44

Outubro 02 2014

 

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica regressou, esta quarta-feira, à BayArena, local onde já foi feliz em 1993/94 (na altura como Ulrich Haberland) e em 2012/13. Desta feita não teve a mesma sorte e perdeu por 3-1. A jogar em casa e fazendo jus ao pendor ofensivo que se previra antes do apito inicial, o Bayer Leverkusen entrou a exercer uma pressão forte, alta e que dificultou a primeira zona de construção do Benfica. O guarda-redes Júlio César fez duas defesas de bom nível antes do remate de Bender ao poste (14’).

 

Nessa fase a equipa portuguesa sentiu algumas dificuldades, mas a partir do meio da primeira parte tentou equilibrar a contenda, saindo a jogar em transições rápidas, mas a pressão alta teve resultados práticos aos 24 minutos com o golo de Kiessling que aproveitou uma abordagem menos positiva de Júlio César a um remate de Son Heung-Min.

Motivada pelo golo, a turma germânica continuou a carburar e chegou ao 2-0, aos 33’, através de Son Heung-Min que recebeu o esférico de Bellarabi da direita. Este golo teve efeito despertador imediato nos da Luz com o remate de Enzo Perez por cima da baliza de Leno aos 38 minutos. Porém, a última oportunidade foi do Bayer Leverkusen por intermédio de Son Heung-Min aos 45’+1.

Ao intervalo, o resultado teria de se aceitar perante a incapacidade do Benfica em parar a avalanche ofensiva do adversário, bem como a pressão alta exercida. No reatamento, Hakan Çalhanoğlu não marcou aos 51 minutos por milagre. Deu mal no esférico com a baliza escancarada. Este lance foi, contudo, lance cada vez mais raro, pois o Benfica subiu as suas linhas, teve mais bola e procurou com maior assertividade a baliza de Leno.

 

Os comandados por Jorge Jesus reduziram mesmo aos 61’ por Salvio após uma boa jogada de Gaitán e de Maxi Pereira. Dois minutos

depois, o árbitro Martin Atkinson assinalou mal uma grande penalidade para os da casa e Hakan Çalhanoğlu concretizou no 3-1. Ao minuto 86, a bola vai à mão de um jogador alemão após livre marcado por Gaitán com desvio de cabeça de Jardel, mas aí já nada foi assinalado. Nos descontos, após um pontapé de canto, Luisão foi agarrado na área e uma vez mais nada foi marcado.

Com esta derrota, o Benfica continua com zero pontos ao cabo de dois jogos no Grupo C da “Champions”.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Júlio César; André Almeida, Luisão, Jardel e Eliseu; Cristante (Maxi Pereira, 46’), Enzo Perez (Samaris, 76’), Gaitán, Salvio e Talisca (Lima, 46’); Derley.

Fonte: SLB

Fotos:https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica/photos/a.10154655439190716.1073742096.212504785715/10154655448180716/?type=3&theater

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodireto/ficha.aspx?id=196753

 

publicado por Benfica 73 às 10:18

Setembro 29 2014
A UEFA nomeou o inglês Martin Atkinson para apitar o Leverkusen-Benfica, da segunda jornada do Grupo C da Liga dos Campeões.
Atkinson, 43 anos, volta a cruzar-se com os encarnados depois de ter dirigido a segunda “mão” da meia-final da Liga Europa com o SC Braga, que terminou com o triunfo 1-0 e apuramento dos arsenalistas para a final de 2011.
Será assistido pelos compatriotas Michael Mullarkey e Darren Cann, tendo Stephen Child como quarto árbitro e Anthony Taylor e Kevin Friend como auxiliares assistentes.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:59

Setembro 16 2014
O Estádio da Luz deverá receber esta noite entre 35 a 40 mil pessoas para assistir ao jogo com o Zenit, que marca o arranque do Benfica na fase de grupos da Liga dos Campeões.
A chuva prevista para esta terça-feira pode prejudicar a venda de bilhetes para a receção à equipa de São Petersburgo.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:02

Setembro 04 2014
Franco Jara ficou fora da lista de 24 jogadores inscritos pelo Benfica na Liga dos Campeões.
Além do extremo argentino, também Steven Vitória e Sulejmani não figuram entre as opções de Jorge Jesus para a participação dos encarnados na Liga milionária.
Rúben Amorim e Fejsa, ambos a recuperar de lesão, poderão ser inscritos em janeiro, noticia A BOLA.

Lista de jogadores inscritos:
Guarda-redes: Júlio César, Paulo Lopes e Artur;
Defesas: Sílvio, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Lisandro López, César, Eliseu e Benito;
Médios: Salvio, André Almeida, Pizzi, Talisca, Cristante, Gaitán, Ola John, Enzo Pérez e Samaris;
Avançados: Bebé, Nélson Oliveira, Lima e Derley.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 12:08

Dezembro 11 2013

Foi um Benfica digno e de raça, aquele que venceu esta noite, na Luz, o Paris Saint-Germain, com golos de Lima e Gaitán. Apesar da vitória (amarga!), uma vez que na Grécia o Olympiacos assegurou a vaga em aberto na “Champions”, o Glorioso segue para a Liga Europa.

Última jornada da Liga dos Campeões, Estádio da Luz com cerca de meia casa, Benfica e Paris Saint-Germain frente-a-frente, com objectivos bem distintos. Os franceses há muito com a liderança do Grupo assegurada, já os “encarnados” com um lugar nos oitavos da “Champions” à espreita e a Liga Europa garantida.

 

A milhares de quilómetros, na Grécia, disputava-se o outro desafio do Grupo C: Olympiacos e Anderlecht, numa conjuntura semelhante. Os belgas afastados das competições europeias, os helénicos, tal como o Benfica, à espreita da Fase seguinte da Liga Milionária… ou um posto na Liga Europeia.

Resumindo, para seguir em frente na Champions o Benfica teria sempre de fazer um resultado melhor que o Olympiacos…

Cientes deste objectivo e de toda a sua contextualização/importância, os “encarnados” entraram com tudo na partida e, logo aos 4’, primeiro “bruac” na Catedral: lance ofensivo rapidíssimo, Enzo Perez remata forte ao ângulo da baliza adversária, para defesa espectacular de Sirigu. Na sequência, dois cantos perigosos, e Sílvio, na esquerda, a chamar novamente Sirigu ao serviço. 

 

Na resposta, foi Artur Morais quem esteve em destaque, defendendo com eficácia um remate perigoso de Ménez.

Um início interessante que acabaria por dar o mote para o que se seguiria.

Golos… e más notícias da Grécia!

Meia hora de jogo, partida agradável de seguir, com sinal mais do Benfica, na maior parte do tempo em organização e com oportunidades flagrantes de golo incrivelmente desperdiçadas; do outro lado, um Paris Saint-Germain em gestão, mas sempre que possível a espreitar o contra-golpe. Só faltavam os golos…

Aos 36’ eles apareceram… para os franceses, com Cavani a fazer o 0-1, num lance de difícil explicação.

 

Aos 42’, grande penalidade cometida sobre Sílvio. Na cobrança, Lima, eficaz e frio, faz o empate e repõe justiça no marcador. Na Grécia, tal como em Lisboa, empate a uma bola.

E a segunda metade começou como a primeira, com o Benfica a carregar. Primeiro Lima, depois Gaitán, a terem oportunidade de desfeitear as redes de Sirigu. Aos 55’, nova oportunidade clamorosa, desta feita com Luisão a cabecear por cima da trave.

O Benfica carregava, carregava com os gauleses a praticamente não passarem do meio-campo. Finalmente, aos 58’, golo do Benfica… Grande jogada de envolvimento ofensivo, com Gaitán a colocar a equipa em vantagem.

Na Grécia, o Olympiacos também se colocava na frente do marcador, com os “encarnados” a terem de manter a vantagem na Luz e a aguardar por um golo belga… que acabou por não acontecer.

Apito para o final, com a vitória, escassa para tamanhas oportunidades, a ter um sabor amargo na Luz. O Benfica despede-se, com brio, da Champions e carrega agora todas as expectativas para a Liga Europa.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay, e Sílvio; Matic, Fejsa, Gaitán (Sulejmani, 76’) e Enzo Perez (André Gomes, 89’); Lima e Markovic (Ivan Cavaleiro, 69’).

Fonte: SLB

Fotos:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153584433985716&set=a.10153584433855716.1073741963.212504785715&type=1&theater

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=179912

publicado por Benfica 73 às 07:39

Novembro 28 2013

O Benfica até começou a perder, mas Matic e Gaitán deram a volta ao resultado. Contra a corrente, o Anderlecht acabou por empatar a partida, mas Rodrigo, em lance individual, garante os três pontos. Com a vitória em Bruxelas o Glorioso garante, desde já, a Liga Europa… e o sonho da “Champions” está difícil mas vivo.

Foi com vários cenários em perspectiva e com todas as possibilidades em aberto na Europa que o Benfica viajou até à Bélgica para, em Bruxelas, defrontar o Anderlecht, em desafio relativo à 5.ª jornada do Grupo C da Liga dos Campeões.

 

Com quatro pontos acumulados, fruto de uma vitória, um empate e duas derrotas, o Benfica subiu ao relvado do estádio Constant Vanden Stock com ambições reforçadas… a derrota deitava tudo a perder, o empate garantia a Liga Europa, e a vitória permitiria sonhar com os oitavos da prova milionária… mas era sempre necessário “deitar um olho” ao resultado do Paris Saint-Germain - Olympiacos.

Cenários explicados, vamos à partida… Em casa, o último classificado do Grupo C entrou melhor, contudo, os “encarnados” rapidamente sacudiram a pressão, com André Almeida, aos 2’, e Lima, aos 11’, a tirarem as medidas da baliza de Proto.

Mas a iniciativa benfiquista foi sol de pouca dura, num primeiro quarto de hora marcado por um jogo de luta (o que não significou intensidade!) e com poucos lances de interesse.

 

Aos 17’, Massimo Bruno remata poderosamente para a primeira grande defesa da noite. Ainda se suspirava de alívio, quando, na sequência, canto, grande confusão nas zonas de marcação da linha da pequena área e eis que surge M'bemba, na cara de Artur, a fazer o tento inaugural.

Estava bem mais complicada a noite benfiquista em Bruxelas… mas Matic, tal como fizera frente ao SC Braga, descomplicou. 34 minutos, falta sobre Gaitán, livre marcado e, nas alturas, surge o sérvio a empatar a partida. O sonho nascia novamente!

Até ao intervalo o resultado não se alterou, mas nota para um Benfica que, galvanizado pelo golo, cresceu, subiu e encurtou as linhas, aumentou a intensidade e parecia decidido a fazer mais.

 

Equipa ambiciosa e solidária

E se assim parecia… assim o fez! Avalancha “encarnada” com as vozes dos muitos benfiquistas presentes a dar o mote, jogada inventada por

Gaitán, a bola sobrou para Enzo Perez que a endossou de novo ao camisola 20 que tira da cartola um lance de magia, um pouquinho de sorte à mistura, com a bola a tabelar em M'bemba e a acabar bem aninhada no fundo das redes de Potro. Ao minuto 52 estava feita a reviravolta… e agora sim, sonhava-se!

Com o golo sofrido, o Anderlecht desmoronou, abriu fendas enormes entre sectores e tardou em encontrar-se; do outro lado, em vantagem numérica e anímica, o Benfica tomou conta das operações para jogar como tanto gosta e foram várias as oportunidades de golo… como quem não marca, sofre, contra a corrente o Anderlecht empata à passagem do minuto 77’, através de Massimo Bruno.

Mas depois de tantas voltas e reviravoltas a história não ficaria por aqui. Num último suspiro, já mais com o coração do que com a cabeça, Rodrigo (89’), num remate certeiro, garante os três preciosos pontos.

Tudo é ainda possível! Dia 10 é dia de grandes decisões!

Nesta partida alinharam pelo Sport Lisboa e Benfica: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay, André Almeida; Fejsa, Matic, Enzo Perez (Rodrigo, 87’); Gaitán (Sulejmani, 72’), Markovic (Ivan Cavaleiro, 89’) e Lima.

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153532580465716&set=a.10153532580200716.1073741956.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 06:16

Novembro 06 2013

Faltou eficácia ao melhor Benfica da época! Os “encarnados” foram melhores, tiveram mais oportunidades de golo mas acabaram penalizados ao serem derrotados por um Olympiacos que pouco ou nada fez para o merecer. Venceu o cliché: “Quem não marca… sofre!”

O Benfica começou bem a partida, pressionante e firme, conseguindo logo nos minutos iniciais mostrar ao que ia. Aos 5’, e já depois de Markovic ter tentado a sua sorte, brilhante triangulação entre Ruben Amorim e Gaitán, com Cardozo, de primeira, a testar os reflexos do guardião da equipa grega. Três minutos depois, nova grande – e flagrante! – oportunidade de golo. O jovem sérvio é isolado por Ruben Amorim, contudo, permitiu a mancha a Roberto. Caindo no cliché, não se pode falhar golos desta maneira, e quem não marca, sofre!

 

Primeiro, Mitroglou tira as medidas à baliza “encarnada”, depois, aos 12’, e contra a corrente da partida, o Olympiacos chega à vantagem. Lance de bola parada, com Manolas, de cabeça, e sem qualquer marcação, a encostar para o fundo das redes de Artur Moraes. Uma oportunidade, um golo… e nada mais se veria desta equipa!

O Benfica não acusou o tento e depois de algum desnorte momentâneo reorganizou-se. As oportunidades foram escasseando com o decorrer dos minutos, mas aos 26’, Luisão teve na cabeça a oportunidade de repor a igualdade. Foi por centímetros que a bola, cabeceada pelo capitão, na sequência de um canto, não se aninhou nas redes helénicas. Ao intervalo era um Benfica castigado pela ineficácia, aquele que descia aos balneários.

 

Ineficácia vs pragmatismo

Reatar da partida… e mais Benfica, aliás, o melhor Benfica da época! Markovic, novamente, teve nos pés flagrante

oportunidade, mas foi Roberto quem brilhou na defesa ao pontapé acrobático do sérvio. De seguida foi Sílvio quem tentou a sorte… mas o remate foi à figura. O Benfica crescia, crescia… Aos 58’, “slalom” espectacular de Markovic, com Enzo Perez a rematar para enorme defesa de Roberto. E por falar em enorme defesa… que dizer da estirada monumental a remate poderoso de Djuricic.

Até ao final da partida a toada manteve-se, com o Benfica, com muito mais coração do que cabeça, a ter mais do que oportunidades para sair da Grécia com um resultado positivo… e até dilatado. A equipa pecou na eficácia, é certo, mas teve pela frente um guardião que, na noite de terça-feira, valeu por toda uma equipa. E Artur Moraes não fez qualquer defesa de registo…

 Vamos a factos: O cenário na Europa complicou-se. Matematicamente é possível? É!

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Sílvio; Matic, Enzo Perez e Gaitán; Ruben Amorim (Ivan Cavaleiro, 78’), Markovic (Djuric, 73’) e Cardozo (Lima, 70’).

Fonte: SLB

publicado por Benfica 73 às 08:23

Novembro 05 2013
Jorge Jesus promove algumas novidades no onze inicial para a partida da Liga dos Campeões frente ao Olympiakos.
Em relação ao último jogo, frente à Académica, entram no onze Sílvio, que jogará à esquerda, Rúben Amorim e Markovic.

Benfica: Artur, Maxi Pereira, Luisão, Garay, Sílvio, Matic, Rúben Amorim, Enzo Perez, Markovic, Gaitán e Cardozo.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 18:53

Outubro 09 2013

Quem gosta de futebol reconhece-o ao primeiro acorde. E quem gosta de futebol há muito tempo ficará particularmente deliciado com esta versão do hino da Liga dos Campeões. 
Uma versão 8-bits, minimalista, tal como se ouvia o som nas primeiras consolas. 

Fonte: Maisfutebol
publicado por Benfica 73 às 12:09

Outubro 03 2013

A equipa principal de Futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se a Paris para disputar, ante o Paris Saint-Germain, a 2.ª ronda da Fase de Grupos da Liga dos Campeões, onde perdeu por 3-0.

No Parc des Princes, o Benfica foi surpreendido com a entrada retumbante da equipa da casa que aos quatro minutos fez o seu primeiro golo por Ibrahimovic. Porém, o golo deveria ter sido anulado, pois o avançado sueco estava claramente adiantado no momento em que lhe é endossado o esférico.

 

Apesar do golo sofrido cedo, o Benfica tentou reagir, subiu as suas linhas, pressionou mais à frente com Siqueira a rematar forte, por cima, aos 18 minutos. 

A eficácia francesa estava difícil de travar e Marquinhos concluiu à boca da baliza uma triangulação criada por Ibrahimovic, Verratti e Matuidi (24’). Seis minutos depois, o Paris Saint-Germain fez o 3-0. Ibrahimovic, de cabeça, aumentou a vantagem.

Ainda antes do intervalo, aos 42 minutos, Garay, de longe, tentou alvejar a baliza de Sirigu, mas sem sucesso. Ao intervalo, o 3-0 era castigo demasiado pesado e Garay, aos 47’, mostrou num livre directo que o Benfica ainda não estava morto. O remate obrigou Sirigu a defesa apertada.

 

Com um Paris Saint-Germain que trocava a bola no meio-campo sem atacar a defesa de Artur, o Benfica tentava

chegar ao seu golo através de Cardozo que, aos 63 minutos, tentou surpreender o guardião italiano dos gauleses. 

O sérvio, Sulejmani entrou aos 66’ e um minuto depois recebeu a bola de Cardozo, arrancou pela esquerda e rematou para nova defesa de Sirigu. Via-se mais Benfica no jogo, mas a entrada de Lucas voltou a inverter a tendência. Aos 72 minutos, Lucas rematou, Artur defendeu e Ibrahimovic, na recarga, atirou por cima. Dois minutos depois foi Cavani a testar a atenção de Artur após nova incursão de Lucas pela direita.

Nos últimos minutos, o jogo foi decorreu com as duas equipas a perceberem que o mesmo estava resolvido. No dia 23 de Outubro, o Olympiacos visita a Luz no encontro da 3.ª jornada da Liga dos Campeões.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay, Siquiera; Fejsa (André Gomes, 28’), Matic, Enzo Perez, Gaitán (Sulejmani, 66’), Djuricic (Markovic, 45’) e Cardozo.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=179904

publicado por Benfica 73 às 08:19

Março 21 2013
Aí está mais um caso que promete fazer correr muita tinta. Ahmet Cazar, antigo árbitro turco, foi a um canal de televisão denunciar a manipulação no sorteio da Liga dos Campeões.
O facto do Galatasaray ter saído em sorte ao Real Madrid, com o Barcelona a defrontar o PSG (teoricamente, adversários favoráveis aos principais favoritos) levou o antigo juíz a denunciar todo o caso.
O vídeo que segue abaixo explica em concreto como tudo se processa: bolas que vibram, ao invés das tradicionais bolas quentes, que chamam a atenção a quem as tira... em sorte.
Fonte: A Bola
 
Clique aqui para ver o vídeo
publicado por Benfica 73 às 13:33

Dezembro 20 2012
Galatasaray-Schalke 04
Celtic-Juventus
Arsenal-Bayern Munique
Shakthar Donetsk-Borussia Dortmund
AC Milan-Barcelona
Real Madrid-Manchester United
Valência-PSG
FC Porto-Málaga CF
publicado por Benfica 73 às 12:23

Dezembro 06 2012
Barcelona, Manchester United, Bayern, Málaga, Dortmund, Schalke, Juventus terminaram os respetivos grupos no primeiro lugar e são possíveis adversários do FC Porto nos oitavos de final da Liga dos Campeões.
Os dragões, única portuguesa a seguir para a fase a eliminar da Champions depois de o Benfica ter empatado (0-0) em Barcelona, ficaram no segundo lugar do Grupo A atrás do Paris Saint Germain, ficando o reencontro com a equipa francesa excluída do sorteio que está agendado para 20 de dezembro.
Para os “oitavos” seguem ainda Arsenal, Milan, Real Madrid, Shakhtar, Valência, Celtic e Galatasaray, que terminaram a fase de grupos no segundo lugar.
Transitam para a Liga Europa todos os terceiros classificados: Benfica, Dínamo Kiev, Olympiakos, Zenit, Ajax, Chelsea, BATE Borisov e Cluj.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:10

Dezembro 06 2012

O Benfica empatou esta quarta-feira a zero no recinto do Barcelona e não conseguiu, assim, o apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Foi uma noite em que a bola teimou em não entrar, penalizando o bom futebol praticado em Camp Nou. Agora é olhar para a próxima etapa em termos europeus, ou seja, a Liga Europa.

 

Foi a depender de si próprio que o Benfica rumou a Barcelona para o jogo da 6.ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões. Com a deslocação a Camp Nou a não ser fácil por natureza, a situação complicou-se ao nível das opções, nomeadamente para o miolo de terreno, já que Carlos Martins, Enzo Perez e Pablo Aimar não viajaram devido a lesão. Eduardo Salvio juntou-se às ausências e foi mais uma baixa a ser colmatada por Jorge Jesus no lado direito do ataque. A escolha do treinador recaiu em André Gomes para o centro do meio-campo, enquanto Nolito, bem conhecedor da casa catalã, entrou para o lugar de Salvio.

 

A estratégia da equipa benfiquista foi bem clara desde o início, pressionar bem alto os jogadores do Barcelona, de forma a que estes não tivessem tempo para colocar em prática as ideias do treinador Tito Vilanova. Ao pressionar, o Benfica conseguiu ganhar muitas bolas a meio-campo, criando inúmeras oportunidades de golo junto das redes espanholas.

A primeira grande chance surgiu aos 11 minutos, altura em que Rodrigo escapou em direcção da baliza contrária, falhando apenas no capítulo do remate.

 

O caudal ofensivo continuou e, após um domínio extraordinário e respectivo passe por parte de Nolito, a bola foi desviada perigosamente, de cabeça, por Lima. Estavam decorridos 20 minutos. O brasileiro voltou a estar muito perto de facturar aos 32’, mas o remate foi defendido pelo guarda-redes Pinto para o poste da sua baliza.

 

A sorte estava do lado do conjunto da casa e a história repetiu-se pouco tempo depois, com o guardião a defender um remate de Ola John (34’).

O resultado era claramente injusto ao intervalo para o Benfica, tal foi o seu poderio ofensivo. 

O segundo tempo foi mais equilibrado, com a equipa da Luz a ter uma atenção mais redobrada em termos defensivos. Mas isso não significou uma menor produção por parte dos “encarnados”, com Nolito (46’) e Maxi Pereira (51’) a estarem perto da vantagem.

 

Final impróprio para cardíacos
O Barcelona teve de fazer entrar Messi para tentar desequilibrar a contenda a seu favor, mas a equipa soube dar uma resposta positiva. O jogador argentino saiu lesionado antes do tempo regulamentar por lesão e, como o Barcelona já tinha feito as três substituições, o Benfica jogou com mais uma unidade durante cerca de sete minutos.  

O Benfica intensificou a procura da baliza contrária e o final foi mesmo de impróprio para cardíacos, com Maxi Pereira a atirar por cima da barra no último lance do desafio.

Foi uma despedida de pé da equipa comandada por Jorge Jesus, mas uma despedida com um sabor amargo, não só pela produção da equipa no jogo com o Barcelona, mas também pelo que se passou na outra partida do grupo. É que o Celtic ganhou ao Spartak Moscovo com uma grande penalidade inexistente.

 

Mas o caminho em termos europeus do Benfica não fica por aqui, já que o terceiro lugar do Grupo G dá entrada na Liga Europa, competição onde o Benfica atingiu as meias-finais na edição 2010/11.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com a seguinte equipa: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Melgarejo; Matic, André Gomes, Nolito (Bruno César, 62’) e Ola John; Lima (Cardozo, 74’) e Rodrigo (André Almeida, 74’).

Fonte: A Bola/ SLB

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 08:33

BENFICA 73
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


comentários recentes
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...
Tanto quanto narra a história a Cinderela saiu ven...
Fosse eu a tratar deste assunto e se este está a d...

contador visitante