Maio 09 2016

maritimobenficaLUSA1.jpg

Em inferioridade numérica, exibição solidária e de entrega. Três pontos fulcrais. Bicampeão sai dos Barreiros líder. Falta uma Final!

O SL Benfica disputou esta noite de domingo a 33.ª jornada da Liga NOS. No Estádio dos Barreiros, em plena Pérola do Atlântico, o Bicampeão defrontou e venceu o Marítimo na penúltima Final da competição.

Entrada morna, com Mitroglou (11’) e Jonas (12’), ambos de cabeça, a sacudirem um jogo a pedir maior rapidez, criatividade e intensidade.

Aos 21’, primeiro bruac nos Barreiros, com Dirceu quase a trair Salin. A bola passou a rasar a barra…

O SL Benfica começou a pegar no desafio e, aos 28’, decisão escandalosa de Fábio Veríssimo. Grande penalidade claríssima de Plessis sobre Renato Sanches, transformada em simulação e cartão amarelo para o médio!

Os “encarnados” carregavam e, no espaço de cinco minutos, duas flagrantes oportunidades de golo. Primeiro Jonas (29’), a ver o ferro a dizer não a um remate que levava selo de golo, depois Carcela, na recarga, com Salin a defender… o mesmo Salin que, em cima da meia hora, arranca a defesa da noite após cabeceamento do artilheiro brasileiro do SL Benfica.

Aos 37’, Renato Sanches faz falta sobre Djoussé e recebe ordem de expulsão (acumulação de amarelos), com o Bicampeão a ficar reduzido a dez…

Em cima do apito para o intervalo, Mitroglou tira as medidas à baliza adversária, mas a redondinha não quis entrar.

Mitroglou e Talisca colocaram o “Caldeirão” em ebulição!

Não quis entrar aos 44’… mas aos 48’ entrou!!! Espetacular trabalho de Miotroglou, a combinar com Jonas, com o grego a isolar-se e a rematar para o 0-1 e a loucura nas bancadas dos Barreiros.

Aos 53’, viveram-se momentos de pânico, com Maurício a cair inanimado no relvado, abandonando o estádio sete minutos depois de ambulância, para o Hospital.

De regresso ao jogo (69’), o SL Benfica continuou à procura de aumentar a vantagem, com Jonas, primeiro, e Pizzi na recarga, a permitirem Salin brilhar mais uma vez!

Aos 83’ o “Caldeirão” dos Barreiros entrou em ebulição! Fransérgio faz falta sobre Samaris. Conversão primorosa, confiante (tão bonita!) de Talisca para o 0-2.

O resultado não mais se alterou, mas Raúl ainda teve tempo de enviar a “redondinha” ao ferro…

Vitória de raça, entrega e entreajuda! #Juntos seja onde for e contra quem vier!

No próximo fim de semana é conhecido o Campeão Nacional 2015/16! Com dois pontos de vantagem sobre o 2.º classificado, o líder e Bicampeão recebe a formação do Nacional da Madeira.

Este desafio aguarda ainda dia e hora… mas o Estádio da Luz já tem lotação esgotada garantida!

O SL Benfica alinhou de início com o seguinte onze: Ederson; André Almeida, Lindelöf, Jardel e Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Carcela (Talisca, 65’) e Pizzi; Jonas (Samaris, 78’) e Mitroglou (Raúl, 85’).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:48

Abril 30 2016

13082708_10156838352945716_1096576741771560647_n.j

60 351 carregaram o Bicampeão para um triunfo difícil mas justo. Faltam duas Finais…

Noite de sexta-feira, noite de romaria à Catedral, com a “maré vermelha” a lotar as bancadas da Luz de ambição, fervor clubístico, crença e uma enorme paixão.

Sport Lisboa e Benfica e Vitória de Guimarães abriram a jornada 32 da Liga NOS, na primeira de três finais que faltam para o culminar da competição.

Rui Vitória anteviu uma partida difícil, decisiva por ser a próxima, do outro lado, Sérgio Conceição assumiu uma equipa vimaranense a dar tudo à procura de pontos… mas que não se viu na Luz!

SL Benfica na luta pelo Tricampeonato, Vitória de Guimarães tranquilo na tabela com a manutenção garantida e já sem hipóteses de um lugar europeu.

Onze “encarnado” sem alterações face ao último desafio, numa primeira metade de nervos, lenta, com poucas oportunidades de golo e muitas paragens de jogo face ao recorrente anti jogo do adversário.

Aos 14’, Jonas faz o primeiro remate à baliza, movimento seguido por André Almeida (17’), de forma acrobática e Mitroglou (19’) à meia volta, sempre sob o olhar atento de João Miguel.

O grego voltaria a estar em destaque, primeiro aos 27’, num remate de longe que saiu ao lado, depois, dez minutos volvidos, numa grande oportunidade de golo. Livre cobrado na esquerda, Lindelof amortece para trás e Mitroglou surge de trás a rematar forte, mas a bola saiu a centímetros.

Pelo meio, aos 33’, resposta dos comandados de Sérgio Conceição (já expulso por Bruno Paixão), com Henrique Dourado a rematar para defesa segura de Ederson.

Os primeiros 45’ culminariam sem golos e com um lance muito duvidoso, aos 43’, com Mitroglou a cair na pequena área…

Jardel desatou o nó!

Início de segunda parte… e golo do Benfica! Livre cobrado primorosamente na direita por Gaitán, com Jardel a subir mais alto e a cabecear sem hipóteses para João Miguel. Estava feito 1-0 com a Luz em delírio!

Em vantagem, os “encarnados” soltaram-se, carregaram em busca de aumentar o score, frente a um adversário que pouco ou nada quis fazer, manteve as linhas recuadas, um futebol mastigado, “pequenino”, somente à espreita do erro…

Aos 66’ esse erro surgiu na defensiva das “águias” e André Almeida, em duas ocasiões, salvou o empate em cima da linha de golo! Aguenta coração…

Emoções ao rubro na Luz… O 2-0 esteve muito perto, aos 76’, num livre cobrado por Gaitán a rasar o poste esquerdo da baliza do Vitória; aos 78’, quase o empate, com Ederson a dizer não a Hurtado. Raúl, aos 80’ e aos 83’ (no ferro), Salvio e Jonas também estiveram muito perto mas a “redondinha” não tornou a entrar!

Com esta vitória, as “águias” somam 82 pontos (27V1E4D), com 82 golos marcados e 21 sofridos. Faltam duas finais…

O SL Benfica alinhou de início com Ederson; André Almeida, Lindelöf, Jardel e Eliseu; Fejsa, Renato Sanches (Samaris, 84’), Gaitán e Pizzi (Salvio, 61’); Jonas e Mitroglou (Raúl, 70’).

Segue-se mudança de chip. Já na próxima segunda-feira o Bicampeão torna a entrar em campo, desta feita para as contas da Taça CTT (Taça da Liga). A meia final da prova está marcada para as 19h45, no Estádio da Luz, e terá arbitragem de Tiago Martins.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:15

Abril 25 2016

capture-20160425-103152.png

O Sport Lisboa e Benfica viajou este domingo até Vila do Conde onde perante o Rio Ave disputou a 31.ª jornada da Liga NOS. Num Estádio dos Arcos pintado de vermelho com a maré vermelha, o líder partiu em busca de mais três pontos, face a um adversário na luta por um lugar na Europa. E conseguiu-o! Mais três pontos… e faltam três finais!

Entrada fortíssima do Bicampeão, com Jardel, logo no primeiro minuto, a tirar as medidas à baliza de Cássio. Canto cobrado por Gaitán, com o central brasileiro a cabecear certeiro e Pedrinho, em cima da linha de golo, a desviar por cima da trave.

 

As equipas encaixaram, ambas em pressão alta, com poucos espaços para jogar, não obstante a intensidade e a entrega dos jogadores.

Aos 15’, Renato Sanches remata ao lado do poste, movimento repetido aos 32’ por Gaitán, com Cássio a controlar ambas as investidas.

Primeira metade morna em termos de oportunidades de golo, com o intervalo a chegar e o nulo a manter-se.

Segunda parte a começar com o Benfica a impor o ritmo, com o coletivo a crescer. Gaitán (53’), Jonas (54’) e Mitroglou (55’) tiveram soberanas oportunidades para inaugurar o marcador mas a “redondinha” teimava em não entrar…

 

Jogo de nervos em Vila do Conde! Os comandados de Pedro Martins baixaram as linhas e o Benfica começou a carregar com tudo.

Minuto 73’ e loucura nas bancadas do Estádio dos Arcos. Cruzamento largo para a área, André Vilas Boas alivia de forma defeituosa com o esférico a beijar a trave e a ser devolvida… Raúl, recém-entrado no desafio, surge oportuno e cabeceia para o 0-1.

Três pontos... faltam três Finais!

Com este resultado, as “águias” são líderes isoladas da classificação geral, com 79 pontos (26V1E4D), com 81 golos marcados e 21 sofridos!

O SL Benfica alinhou de início com Ederson; André Almeida, Lindelöf, Jardel, Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Gaitán, Pizzi (Salvio, 58’); Jonas (Samaris, 85') e Mitroglou (Raúl, 67’).

O Bicampeão torna a entrar em ação já na próxima sexta-feira, com a receção ao Vitória de Guimarães. O desafio com os vimaranenses, referente à 32.ª jornada da Liga NOS, está agendado para as 19h00, no Estádio da Luz.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:30

Abril 19 2016

capture-20160419-102442.png

A 30.ª jornada da Liga NOS encerra no Estádio da Luz com um Benfica-V. Setúbal. André Claro inaugurou o marcador aos 14 segundos: Jonas empatou aos 19 minutos e Jardel deu a volta ao marcador aos 23'. 

As "águias" voltam a jogar perante os seus adeptos depois da energia bastante positiva sentida aquando do jogo com o Bayern de Munique, para a Liga dos Campeões. Uma vez mais espera-se uma excelente atmosfera na Catedral para "empurrar" a equipa até à vitória que a conduza para a liderança isolada na tabela classificativa.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:18

Abril 02 2016

capture-20160402-110949.png

O Bicampeão Nacional regressou esta noite de sexta-feira às competições internas, isto depois de cerca de duas semanas de paragem face aos compromissos das Seleções Nacionais. E que regresso…

Regresso à Liga NOS, numa partida que abriu a 28.ª jornada da prova, regresso a casa, a um Estádio da Luz com lotação quase esgotada, num ambiente fantástico e vibrante…. E com goleada!

 

Ederson na baliza, Lindelof e Jardel na zona central da defesa, com as alas mais recuadas entregues a André Almeida e Eliseu. No meio do terreno, Fejsa, Renato Sanches, Pizzi e Gaitán, com a frente atacante a cargo de Jonas e Mitroglou.

Foi este o onze das “águias” que subiu ao relvado da Catedral, um onze a levar no peito a ambição e o sonho de milhões!

E começou melhor o Braga, a provocar calafrios nas bancadas. Primeiro lance e primeira oportunidade de golo clara. Rafa abre para Hassan que cruza para Wilson Eduardo cabecear ao poste. Aos 6’ é Hassan que remata por cima da barra, para, aos 10’, Rafa, isolado, tentar o chapéu que, contudo, saiu com aba larga.

Início frenético, com resposta do líder. Aos 7’, Pizzi remata forte, movimento repetido por André Almeida minutos depois, com Matheus a responder positivamente.

O Braga olhava o Bicampeão olhos nos olhos, pareceu chegar a deslumbrar-se… e pagou caro! Sob a forte pressão das “águias”, os arsenalistas tentaram sair a jogar ainda em zonas muito recuadas, Mauro perdeu a bola em terrenos proibidos e Mitroglou encheu o pé para 1-0 no jogo e o seu 17.º golo no Campeonato.

 

Alegria em jogar, saudades de os ver

O SL Benfica colocava-se em vantagem aos 16’… e o jogo estabilizou a partir de então, com os “encarnados” a tomarem conta das ocorrências.

E o que é que isso significou?

Mais posse de bola, circulação, qualidade, oportunidades e golos!

Aos 37’, Jonas, na conversão de uma grande penalidade (mão na bola claríssima de André Pinto), faz o 2-0 – e isola-se na corrida pela Bota de Ouro.

Dois minutos depois, 3-0! Jogada rapidíssima, de grande espetacularidade, com Jonas a descobrir Pizzi que, de trás, remata colocado para colocar as bancadas da Catedral em delírio.

Na segunda metade, e com uma vantagem de três golos, o SL Benfica soltou-se para uma grande exibição, plena de confiança e raça, com os jogadores a brindarem os mais de 60 mil adeptos na Luz, com jogadas de encher o olho, quer tática, quer tecnicamente, e lances ao alcance de poucos.

Gaitán e Eliseu (51’), Pizzi (57’) tentaram… mas aos 71’ a “redondinha” tornou mesmo a entrar, com Jonas a servir Mitroglou para o grego bisar e fazer o 4-0.

Aos 74’, golaço – mais um – na Luz, com o recém-entrado Samaris, de livre direto, a rematar para uma mão cheia de golos.

Já em tempo de compensação, Pedro Santos, de grande penalidade, faz o tento de honra do SC Braga.

Vitória avassaladora… Faltam seis “finais”!

O SL Benfica alinhou com o seguinte onze: Ederson, André Almeida, Lindelof, Jardel (Nélson Semedo, 79’) e Eliseu; Fejsa (Samaris, 65’), Renato Sanches, Pizzi e Gaitán (Carcela, 76’); Jonas e Mitroglou.

Com este resultado, as “águias” mantêm-se na liderança isolada da Liga NOS, agora com 70 pontos (23V1E4D), com 76 golos apontados e 18 sofridos.

Segue-se, já na terça-feira, mais uma final, desta feita a contar para as competições europeias. Pelas 19h45 em Portugal Continental, o SL Benfica defronta o Bayern de Munique, na Alliaz Arena, em jogo da 1.ª mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

A 2.ª mão decide-se no Estádio da Luz, a 13 de abril e pelo meio, já no próximo sábado (18h30) há nova deslocação, desta feita até Coimbra, onde o Bicampeão tem duelo marcado com a formação da Briosa.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:54

Março 21 2016

capture-20160321-104234.png

Mais uma “Final”, desta feita a 8.ª e jogada bem a Norte de Portugal, com o SL Benfica a defrontar o Boavista, numa partida relativa à 27.ª jornada da Liga NOS.

Sem Fejsa, Gaitán, Luisão, Júlio César e Nuno Santos lesionados e Jardel e Mitroglou a cumprir castigo, foi um onze com várias alterações, e em todas as linhas, que subiu ao relvado do Estádio do Bessa.

 

Ederson na baliza, com Nélson Semedo e Eliseu nas laterais, com a zona central entregue e Lindelöf e a Samaris adaptado. No meio do terreno André Almeida, Renato Sanches, Pizzi e Salvio, com Jonas e Raúl na ofensiva mais direta.

E foi um Benfica à procura dos três pontos que entrou em campo, numa boa primeira metade – bem “rasgadinha” -, com as duas formações a colocarem raça e ambição em cada lance disputado.

Aos 15’, grande oportunidade de golo para os “encarnados”, com Raúl, num espetacular remate de bicicleta, depois de cruzamento de Salvio, a disparar para defesa de Mika. Aos 34’, foi a vez de Pizzi atirar às redes contrárias, mas o esférico saiu ligeiramente ao lado.

Pelo meio, aos 21’, lance muito duvidoso, com Raúl a surgir em boa posição pela direita… mas, segundo a equipa de arbitragem liderada por Fábio Veríssimo, em fora de jogo!

Do outro lado, Zé Manuel foi incansável e deu “água pela barba”, com Ederson, corajoso e atento, a responder bem.

Ao intervalo, mantinha-se o nulo.

 

Aguenta coração!

Segunda metade a começar com um Boavista atrevido a chamar Ederson a mostrar serviço. Primeiro Rúben Ribeiro, com um grande remate para defesa a dois tempos; depois Renato Santos a fazer o esférico rasar o poste.

Rui Vitória mexe no xadrez tático, tira Salvio e coloca Carcela, com as laterais a ganharem uma nova dinâmica e o Benfica a carregar, mas sempre com os axadrezados à espreita.

Jogo marcado pela intensidade, muita pressão, luta e oportunidades.

Nos últimos 15 minutos, já com Talisca e Jovic em campo, o jogo partiu por completo e não houve tática que resistisse com as duas equipas a jogarem mais com o coração do que com a cabeça.

O golo poderia ter surgido em qualquer uma das balizas… e surgiu mesmo! Já em tempo de compensação, Eliseu descobre Carcela, com o marroquino, de cabeça, a servir Jonas que, de primeira remata para o triunfo! Aguenta coração!

Com este resultado, o Bicampeão soma 67 pontos e reassume a liderança isolada da Liga NOS.

O SL Benfica alinhou de início com Ederson; Nélson Semedo (Talisca, 74’), Lindelöf, Samaris e Eliseu; André Almeida, Renato Sanches, Pizzi (Jovic, 84’) e Salvio (Carcela, 53’); Jonas e Raúl.

Faltam sete “finais”… Segue-se uma paragem nas competições internas devido a compromissos das Seleções Nacionais, com a I Liga a regressar posteriormente no primeiro fim de semana de abril. O SL Benfica recebe o SC Braga para no dia 5 viajar até à Alemanha para mais uma ronda da Liga dos Campeões.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:21

Março 15 2016

capture-20160315-100642.png

O Estádio da Luz recebeu, na noite desta segunda-feira, o jogo que encerra a 26.ª jornada da Liga NOS. Os 51.314 espectadores viram a vitória por 4-1 e o regresso do Bicampeão à liderança da tabela classificativa.

Montado no figurino habitual, em 4-4-2, o Sport Lisboa e Benfica apresentou mudanças em algumas peças em relação ao jogo em São Petersburgo. O treinador Rui Vitória manteve Nélson Semedo à direita, mas fez entrar Jardel para o eixo da defesa e colocou Talisca no lugar do castigado Renato Sanches; no miolo, o lugar de médio mais recuado foi ocupado por Fejsa.

 

O Bicampeão marcou logo aos 10 minutos através da cabeça de Jardel, num jogo acutilante durante toda a primeira parte, apesar de nem sempre bem jogado. O Tondela recusou trazer o “autocarro” para a Luz, esticou o seu Futebol a toda a largura do relvado e, mesmo não criando problemas de maior a Ederson, obrigou a defesa Benfiquista a estar sempre com atenção máxima.

Antes disso, logo no primeiro minuto, Mitroglou introduz a bola na baliza defendida por Cláudio Ramos, mas o lance foi invalidado e mal pela equipa de arbitragem. A bola vem diretamente de Ederson para Mitroglou através da marcação de um pontapé de baliza, logo nunca poderia ser assinalado fora de jogo, apesar de, neste caso, ter ficado a ideia de que o grego está em linha.

Fazendo jus à máxima de que “este Benfica tem golo fácil”, a eficácia foi tremenda. Decorria o minuto 23 quando uma jogada bem orquestrada pelo coletivo deu no golo de Jonas, o 27.º nesta Liga NOS. Gaitán – que já tinha assistido Jardel para o 1-0 – fez o passe letal.

O intervalo chegava com o conjunto da casa a vencer por dois tentos sem resposta perante um Tondela atrevido.

Na etapa complementar, Rui Vitória mexeu na equipa e isso repercutiu-se na qualidade de jogo da equipa. Mais bola, maior assertividade no ataque à baliza do Tondela, só Cláudio Ramos foi evitando o 3-0, com defesas a remates de Mitroglou em três ocasiões.

 

“Pistolas” voltou a fazer estragos

Porém, aos 68’, nada pôde fazer para travar a cabeçada de Jonas. O brasileiro deu o melhor seguimento a um lançamento lateral de Eliseu, que a meio, sofreu um desvio até à cabeça do camisola 17.

Com 28 golos, Jonas é o melhor marcador do Benfica, em Portugal e na Europa. Impressionante!

A fechar e depois de tantas tentativas, o grego Mitroglou fez o 4-0 aos 87 minutos.Nos descontos, Nathan Júnior fez o 4-1 final.

As “águias” lideram a classificação com 64 pontos e no domingo vão até ao Bessa enfrentar o Boavista.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Ederson; Nélson Semedo, Lindelöf, Jardel, Eliseu; Fejsa (Samaris, 69’), Talisca (Salvio, 54’), Pizzi, Gaitán (Gonçalo Guedes, 57’); Jonas e Mitroglou.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:01

Março 06 2016

capture-20160306-121520.png

Sábado à noite de dérbi, o mesmo que dizer, sábado de emoções à flor da pele! Os dois emblemas da Cidade das Sete Colinas – separados por um ponto na geral – a defrontarem-se à passagem da 25.ª jornada da Liga NOS… e com os olhos na liderança da prova.

Estádio José de Alvalade a registar a maior enchente da temporada… sintomático dos recintos que o Bicampeão visita!

Início de partida intenso, em alta voltagem e com dois lances que deixam muitas dúvidas…

 

É que se se aceita a marcação da falta cometida por Eliseu sobre Bruno César, obrigatoriamente, e seguindo o mesmo critério, o árbitro teria de ter assinalado logo no minuto inicial uma falta sobre Jonas (carregado por William Carvalho) e, aos 19’, nova falta, desta feita sobre Gaitán (carregado por Coates). Em ambas as situações os jogadores do SL Benfica são empurrados pelas costas… e ambas dentro da pequena área.

O Bicampeão entrou melhor no encontro e, aos 20’, a primeira grande explosão de alegria nas hostes “encarnadas”, com as 2600 “águias” presentes em Alvalade e os outros milhões por esse mundo fora a gritarem a plenos pulmões o golo de Mitroglou.

Cruzamento de Jonas na esquerda, remate de Samaris, a bola sobra para o grego que, na cara de Rui Patrício, remata com frieza para o 0-1.

As equipas encaixaram, a intensidade manteve-se, com os “leões” – em desvantagem em casa – a carregarem nos últimos minutos, mas sempre com Ederson, chamado à titularidade após lesão de Júlio César, a mostrar segurança.

Aos 40’, a única oportunidade de golo para o Sporting. Grande remate de Jefferson, com a bola ser devolvida com estrondo pela trave… mas tudo começa num lance precedido de fora de jogo. Ao intervalo, vantagem para o Glorioso!

 

Capacidade de superação e inteligência

Início de segunda metade à semelhança da primeira, com Artur Soares Dias em destaque! Cartão amarelo para Jonas, o primeiro do desafio, isto após as faltas sucessivas de Ewerton nos 45’ iniciais e dos avisos do árbitro ao jogador leonino… Aos 52’, amarelo para Gaitán… mas o cartão pelas faltas sucessivas de William Carvalho ficou no bolso. Enfim!

Renato Sanches e Gaitán testaram Rui Patrício nos momentos iniciais; o Sporting subiu as linhas empurrando o Benfica para zonas mais recuadas.

Até ao final, os “leões” carregaram com tudo, com o SL Benfica a suster, de forma inteligente, pragmática, com um enorme coração, solidariedade e entre-ajuda – com alguma “estrelinha” à mistura também - as intenções “verde e brancas”.

Vitória de um enormíssimo coração!

Com este resultado, as “águias” voam diretamente para o 1.º lugar da classificação geral, somando 61 pontos (20V1E4D), 66 golos marcados e 17 sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com Ederson; André Almeida, Lindelof, Jardel e Eliseu; Samaris, Renato Sanches, Pizzi (73’, Fejsa) e Gaitán; Jonas (78’, Salvio) e Mitroglou (67’, Raúl).

 

Segue-se viagem à Rússia!

Agora há que mudar o chip, com o Bicampeão a centrar todas as atenções na viagem à Rússia. Na próxima quarta-feira, dia 9 de março, Sport Lisboa e Benfica e Zenit disputam a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões, numa partida agendada para as 17h00 de Portugal Continental.

Os “encarnados” partem para São Petersburgo em vantagem na eliminatória, depois do 1-0 apontado por Jonas e, no Estádio Petrovsky, o objetivo é claro: carimbar a passagem à fase seguinte da mais prestigiante competição de Clubes do Velhinho Continente.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo Aqui

Fotos Aqui

 

publicado por Benfica 73 às 12:00

Março 01 2016

capture-20160301-100728.png

Após cumprida a missão em Paços de Ferreira, com uma vitória por 1-3, o conjunto orientado por Rui Vitória regressou ao Estádio da Luz para a receção ao 13.º classificado da tabela, o União da Madeira, numa partida referente à 24.ª jornada da Liga NOS.

Na antevisão ao encontro, o treinador das “águias” apontou à conquista de mais três pontos, já Norton de Matos admitiu que a tarefa seria árdua, uma vez que o conjunto insular tem como objetivo para a época a manutenção na I Liga nesta que é a sexta participação do clube madeirense no escalão maior.

 

Entrada em campo poderosíssima dos “encarnados” e não foi preciso esperar muito para festejar o primeiro da noite, apontado pelo suspeito do costume…

Minuto quatro, livre cobrado por Pizzi na esquerda, o esférico chega a Jonas que, de primeira e sem deixar a bola tocar no chão, remata pleno de oportunismo para o 1-0 e para o seu 25.º golo na I Liga.

A partir daqui e até ao minuto 30 só deu Benfica e só deu Gudiño, com o guardião dos insulares a dar um verdadeiro show e a defender tudo. Pizzi (15’, 25’ e 26’), Mitroglou (19’ e 21’)… nada entrou!

Aos 32’, o perigo rondou – e de que maneira – a baliza de Júlio César. Saída viperina em contra golpe a isolar Toni Silva, resposta do imperador a sair corajosamente para impedir o empate.

Aliás, as estratégias cedo foram assumidas! O Benfica com a iniciativa, o União a espreitar o erro. Até ao intervalo o resultado não se alterou!

 

Na segunda metade a toada manteve-se, mas com as linhas a cerrarem-se ainda mais e o espetáculo acabou por perder qualidade.

Um par de oportunidades… e finalmente, aos 76’, golo! Canto cobrado, remate poderoso de Mitroglou, com Jonas a desviar para o 2-0… e vão 26 golo na prova!

Até ao apito final de Cosme Machado o resultado manteve-se. Vitória justa, por 2-0… Missão cumprida perante 44 485 na Catedral!

Com este resultado, o SL Benfica soma 58 pontos (19V1E4D), com 65 golos marcados e 17 sofridos e está na 2.ª posição da tabela classificativa.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César, Nélson Semedo, Jardel, Lindelof e Grimaldo; Samaris, Talisca (Salvio, 69’), Pizzi e Gaitán (Gonçalo Guedes, 85’); Jonas e Mitroglou (Raúl, 82’).

No próximo fim de semana há dérbi, com o Bicampeão Nacional a deslocar-se até ao Estádio José de Alvalade onde vai defrontar o Sporting. Esta partida é relativa à 25.ª jornada da Liga NOS e está agendada para as 20h45 de sábado.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:03

Fevereiro 06 2016

capture-20160206-093954.png

A presença do defesa central sueco, Victor Lindelöf, no onze da equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica foi a única alteração operada por Rui Vitória face à formação inicial que jogou em Moreira de Cónegos.

Uma vez mais, o Benfica apresentou-se em 4-4-2, com o ataque a ser entregue à dupla Jonas e Mitroglou, que estivera goleadora até então e que assim se manteve num estádio do Restelo “pintado” de vermelho. Aos 40 minutos, o grego inaugurou o marcador, de cabeça, a passe de Pizzi. É a 5.ª jornada consecutiva de Mitroglou a marcar na Liga NOS.

 

O jogo começou de forma viva, com o Belenenses a errar sobremaneira nos primeiros minutos, sem que o Benfica aproveitasse para faturar. No minuto inicial, Gaitán teve o golo no pé esquerdo, mas atirou um pouco ao lado da baliza de Ventura.

Poucos minutos volvidos, aos cinco, queda de Pizzi na área. Lance duvidoso que Nuno Almeida optou por nada assinalar.

Com mais bola, as “águias” sentiam dificuldades em penetrar na área “azul” perante um Belenenses que atuava com as linhas muito próximas, suprimindo espaço para jogo entrelinhas, e que saía rápido em transições através de Fábio Nunes e de Miguel Rosa.

Ao invés, o Benfica tentava abrir brechas através de tabelinhas curtas entre os jogadores, mas o Futebol mais afunilado não resultava. Na largura, os comandados por Rui Vitória encontravam mais espaço e foi daí que surgiu o golo. Antes disso, aos 31’, André Almeida atirou uma “bomba” que saiu um tudo-nada ao lado. Ventura parecia batido.

O conjunto da casa pareceu nada aprender do início do jogo para o seu reinício. Arranque da segunda parte, erro da defensiva do Belenenses, recuperação de bola de Jonas e Pizzi a rematar para defesa de Ventura. Não quis ficar atrás Jardel que, num mau atraso, colocou Júlio César em problemas que resolveu com serenidade.

 

Momentos sublimes

Decorria o minuto 52 quando Gaitán e Jonas tiraram da “cartola” um lance de pura magia. O argentino viu o brasileiro à entrada da área, endossou-lhe o esférico que, com uma finta sublime, ultrapassou o oponente e rematou colocado para o 0-2.

Bola cá, bola lá! O Belenenses não se ficava, também queria ser feliz e tentou através de Ortuño. O espanhol esgueirou-se até à área e só foi parado pela excelente intervenção de Júlio César. Adenda ao lance: deveria ter sido anulado por fora de jogo de Ortuño.

Renato Sanches, que cresceu no jogo com o decorrer dos minutos, esticava o jogo do Benfica. Esse facto foi aproveitado da melhor forma por Mitroglou para bisar aos 57 minutos após passe “açucarado” de Pizzi. Estava feito o 0-3 no Restelo e os adeptos Benfiquistas apoiavam até… que a voz lhes doesse.

Minuto 64 travou um duelo de titãs. Carlos Martins e Júlio César como protagonistas. O médio fez uso do seu forte pontapé, correspondeu o guarda-redes com uma excelente intervenção. Caso para dizer a ambos: quem sabe nunca esquece.

Mas o homem do jogo foi mesmo Mitroglou. Confirmou em Belém o seu excelente momento de forma ao completar o “hat-trick” aos 75 minutos. Mais um erro da defesa do Belenenses, Gaitán assistiu de calcanhar e o grego fez o resto.

Do banco de suplentes, Carcela trouxe a “manita”. O marroquino foi à linha de fundo, centrou atrasado e Jonas fazia o “bis” a três minutos do apito final.

O Benfica passa a somar 52 pontos na tabela classificativa e chega ao clássico, no dia 12 de fevereiro, extremamente motivado.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Júlio César; André Almeida, Jardel, Victor Lindelöf, Eliseu (Sílvio, 69’); Samaris, Renato Sanches, Pizzi (Carcela, 79’), Gaitán; Jonas e Mitroglou (Talisca, 83’).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:36

Fevereiro 01 2016

capture-20160201-085614.png

 

Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, a receber esta noite de domingo a 20.ª jornada da Liga NOS. Volvidos seis dias da goleada (1-6) imposta para a Taça da Liga, os mesmos intervenientes mediram novamente forças, agora para um objetivo bem diferente.

Os treinadores anteviram, à partida, um desafio completamente distinto, com rostos diferentes… certo é que houve nova goleada (com números mais singelos), e a superioridade dentro das quatro linhas bem como os três pontos de novo triunfo pertenceram ao mesmo protagonista… o SL Benfica!

 

Entrada mais calculada e calculista, o último confronto estava ainda muito presente e, aos 4’, lance muito polémico na área do anfitrião. Jardel é claramente agarrado e impedido de discutir o lance… mas Manuel Oliveira mandou jogar, negando uma grande penalidade óbvia.

Aos 6’, Pizzi, em grande forma, remata forte e dá o mote para o que seguiria. Boa combinação do coletivo, Samaris abre para o camisola 21 – na direita - cruzar com conta peso e medida para o coração da área onde apareceu o suspeito do costume – Jonas - a cabecear para 0-1, para delírio dos milhares de Benfiquistas que fizeram do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas um “mini” Estádio da Luz!

Os comandados de Miguel Leal bem tentaram responder, mas na baliza dos “encarnados” mora um enorme Júlio César que, aos 23’ e 37’, disse não a Iuri Medeiros.

Em cima do intervalo, o 0-2, com um xadrez perfeito do Futebol do Bicampeão! Abertura de Renato Sanches a rasgar a esquerda, Eliseu em esforço não desiste e, no limite da linha final, cruza para um golaço de Mitroglou que, de primeira, “fuzila” Stefanovic.

 

Personalidade e Futebol bonito!

Segunda metade com menos oportunidades, mas com o Benfica, sempre por cima, a gerir em qualidade e a firmar a sua ambição.

Minuto 67’ e mais um desenho perfeito do coletivo de Rui Vitória. Jardel oferece a Pizzi, e o médio luso, de bandeja, serve Jonas para o 0-3. O brasileiro bisou no jogo e já são 21 os golos apontados na I Liga, a piscar o olho à Bota de Ouro…

Por falar em desenho perfeito… minuto 75’, futebol em velocidade e ao primeiro toque, agora com o “artilheiro” a oferecer o 0-4 a Gaitán que, com uma trivela mágica, sentencia a conquista de mais três pontos inequívocos.

Já em tempo de compensação, Iuri Medeiros, faz o golo de honra dos locais: 1-4! 

Nota ainda para uma grande penalidade cometida sobre Jonas que Manuel Oliveira deixou passar em claro….

Com este resultado, o Bicampeão mantém-se no 2.º lugar da tabela classificativa, somando agora 49 pontos (16V1E3D), com 54 golos marcados e 14 sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; Eliseu, Jardel, Lisandro (Lindelof, 59’) e André Almeida; Samaris (Talisca, 80’), Renato Sanches, Pizzi e Gaitán, Jonas e Mitroglou (Raúl, 72’).

Segue-se nova deslocação, bem mais curta, até ao Restelo para as contas da 21.ª ronda da Liga NOS! Belenenses e SL Benfica têm encontro marcado para as 20h30 da próxima sexta-feira, dia 5 de fevereiro e o objetivo é só um: vencer!

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 08:21

Janeiro 17 2016

capture-20160117-090510.png

 

Bancadas bem preenchidas no estádio António Coimbra da Mota. Adeptos Benfiquistas em maioria a demonstrarem que acreditam na equipa e que estão no melhor momento do Sport Lisboa e Benfica na temporada, que alcançou, este sábado, a quinta vitória consecutiva no Campeonato.

Corresponderam os jogadores à flor da relva com uma entrada a “todo o gás”. À passagem do minuto quatro, Pizzi atirou por cima, bem perto da baliza do Estoril. Pouco depois, aos sete minutos, Jonas atirou ao poste e Carcela, na ressaca, rematou à malha lateral.

 

No minuto seguinte, André Almeida trabalhou bem na área e disparou para defesa de Kieszek. Só dava Benfica na Amoreira, mas faltava o golo. Esse apareceu aos 11’, mas na baliza do Benfica. Contra a corrente, Leo Bonatini desviou um cruzamento de Anderson Luís para o 1-0.

À adversidade respondeu o Benfica com mais uma oportunidade clamorosa. Passe de Jonas para Raúl Jiménez, que aproveitando uma falha defensiva do Estoril, esteve perto de empatar.

Apesar de ter mais posse de bola, a verdade é que as “águias” sentiam dificuldades nas transições defensivas e não raras vezes o contra-ataque da formação da casa punha os da Luz em sentido. Com o passar dos minutos, o Benfica subiu as linhas, optou por uma pressão alta na primeira zona de construção do Estoril, que perdeu capacidade ofensiva.

O cerco à área adversária ia dando golo de Jonas num cabeceamento perigoso aos 41 minutos. Ao intervalo, o Benfica saía a perder.

 

Mitroglou virou o desafio

Tal como no início da partida, no reatamento o Benfica “encostou às cordas” um Estoril incapaz de travar a avalanche ofensiva. Rui Vitória mexeu no jogo ao intervalo, colocando Mitroglou no lugar de Raúl Jiménez.

Do banco, o grego trouxe o golo aos 52 minutos. O camisola 11 trabalhou bem na área após um cruzamento de André Almeida. Aos 65 minutos, lance muito caricato na Amoreira. Pizzi, Kieszek e a defensiva estorilista não afastaram o esférico que caprichosamente se dirigiu para a baliza. As imagens não elucidam totalmente, mas fica a ideia de que a bola ultrapassou completamente a linha de golo.

Havia cada vez mais Benfica no António Coimbra da Mota e “remontada” deu-se aos 67’. Jonas assistiu Pizzi para um remate cruzado e colocado que deixou em êxtase os vários milhares de Benfiquistas que encheram as bancadas e nunca deixaram de apoiar a equipa.

Mitroglou virou o jogo do avesso. Forte na área, o grego era uma dor de cabeça como aos 73’ em que ofereceu a Jonas a oportunidade do 1-3. Kieszek negou!

Dois minutos depois, jogo interrompido pelo facto de alguns holofotes na bancada central se terem apagado; retomou volvidos três minutos. AS “águias” estavam sempre mais perto do 1-3 do que sofrer o empate, como atesta o cabeceamento de Jardel aos 85’.

 O Benfica segue no 2.º lugar com 43 pontos e na terça-feira enfrenta o Oriental para a Taça da Liga.  

O SL Benfica começou com Júlio César; André Almeida, Lisandro, Jardel, Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Pizzi (Talisca, 88’), Carcela (Gonçalo Guedes, 90'+5); Jonas e Raúl Jiménez (Mitroglou, 45’).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:02

Janeiro 03 2016

capture-20160103-065452.png

O Sport Lisboa e Benfica viajou este final de tarde de sábado até à Cidade Berço onde, numa partida relativa à 15.ª jornada do Campeonato Nacional, defrontou o Vitória de Guimarães.

O encontro no Estádio D. Afonso Henriques assinalou o regresso de Rui Vitória a Guimarães e também o regresso do SL Benfica ao palco onde festejou a conquista do Bicampeonato na temporada transata.

 

Na antevisão ao primeiro desafio de 2016, os treinadores não se enganaram, perspetivando uma luta interessante e complicada para ambas as formações… e assim aconteceu!

Sem Samaris – castigado – e como principal destaque o regresso de Gaitán diretamente ao onze de Rui Vitória, os “encarnados” – cientes da importância dos três pontos – entraram em campo com uma postura ambiciosa e aguerrida.

Do outro lado, o 9.º classificado, orientado por Sérgio Conceição e em claro crescendo, respondeu da mesma moeda, situação traduzida numa primeira metade muito intensa, disputada até aos limites e com algumas situações de golo.

Carlos Xistra, no dia em que fez 42 anos, teve tarefa complicada, com os cartões a saírem do bolso do juiz da AF Castelo Branco em diversas ocasiões face às muitas faltas e à agressividade excessiva por parte dos atletas vimaranenses… uma constante na partida!

O SL Benfica teve mais oportunidades, mais remates, mais posse de bola… mas a “redondinha” não quis entrar!

Destaque para os minutos finais dos primeiros 45 minutos. Depois de Licá (34’) ameaçar, os “encarnados” carregaram com tudo e, não fosse o guarda-redes Miguel Silva a mostrar serviço, as “águias” teriam ido para o descanso em vantagem, com Jonas a dispor de três boas ocasiões consecutivas para marcar.

 

O “miúdo” Renato Sanches resolveu!

Segunda metade a começar com mais velocidade, ritmo intenso, muita vontade e as quezílias a manterem-se!

Desafio mais aberto, com os jogadores a jogarem muitas vezes mais com o coração do que com a cabeça… e as oportunidades de golo começaram a surgir com maior frequência, com Pizzi (65’ e 69’) em plano de evidência, depois de um bom reinício dos anfitriões a que Júlio César correspondeu.

Aos 74’, finalmente, o golo do Bicampeão! Na sequência de um livre, a bola sobra para Renato Sanches que, à primeira vê a bola embater na muralha de jogadores adversários, mas não desiste e, à segunda, remata forte e colocado para mais um golaço!

Um golo pleno que raça e que valeu três pontos muito importantes nas aspirações do grupo, face a um janeiro em que enfrentará em ciclo exigente de oito jogos em somente 30 dias.

Com este resultado, o SL Benfica ocupa a 3.ª posição da tabela classificativa, soma 34 pontos, fruto de 11 vitórias, um empate e três derrotas, com 35 golos marcados e dez sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César, André Almeida, Jardel, Lisandro, Eliseu; Fejsa, Pizzi, Renato Sanches, Gaitán (Carcela, 67’); Raúl (Cristante, 88’) e Jonas (Mitroglou, 90+1’).

O Bicampeão torna a entrar em ação já na próxima quarta-feira, com o regresso ao Estádio da Luz, no primeiro jogo do ano 2016 em casa. O adversário é o Marítimo, numa partida referente à 16.ª jornada da Liga NOS, agendado para as 19h00.

Segue-se uma viagem à Pérola do Atlântico, marcada para o próximo domingo, dia 10 de janeiro. O SL Benfica defronta, no Estádio da Madeira, a formação do CD Nacional. Esta partida é alusiva à 17.ª ronda da Liga NOS e tem apito inicial às 20h30.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:46

Dezembro 13 2015

capture-20151213-095417.png

O estádio do Bonfim recebeu a 13.ª jornada, com o jogo entre o V. Setúbal e o Benfica. Desde logo realce para a ausência de Gaitán, ausente do encontro devido a lesão contraída com o Atlético de Madrid, na última terça-feira.

Depois de, em Braga, Rui Vitória ter colocado a equipa a jogar num sistema de 4-5-1, na cidade das margens do Sado, o técnico optou pela tática que mais vezes tem usado esta época: 4-4-2, com Jonas e Mitroglou na frente de ataque.

O jogo começou vivo, muito disputado a meio-campo, com muita intensidade e com as duas equipas a tentarem surpreender através de transições rápidas. O primeiro sinal de perigo saiu mesmo do pé direito de Jonas aos sete minutos, com um remate de fora da área para defesa de Ricardo.

Com o passar dos minutos, o Futebol assentou e o Benfica tomou conta da posse de bola e acercou-se da área sadina. À passagem do minuto 20, de novo Ricardo em ação, com uma intervenção a um cabeceamento perigoso de Lisandro. A equipa da casa sentia dificuldades em sair da pressão alta exercida pelo Benfica e só raras vezes conseguiu apanhar a defensiva Benfiquista desprevenida como aconteceu ao minuto 25, com Suk a rematar ao lado após roubo de bola de André Horta a Samaris, que endossou logo ao coreano.

 

Havia cada vez mais Benfica no Bonfim e o golo acabou por surgir aos 35’. Passe de André Almeida para Pizzi, este bailou na área e rematou forte. Ficou a ideia de que Ricardo foi mal batido. Três minutos volvidos, novamente André Almeida no papel decisivo do último passe ao fazer um cruzamento com conta, peso e medida para a cabeça de Jonas. Estava feito o 0-2.

O jogo foi assim para o intervalo e no reinício, o Benfica esteve perto do 0-3! Rúben Semedo perdeu a bola, Jonas saiu isolado, Ricardo tapou-lhe os caminhos da baliza, o brasileiro passou para Mitroglou que rematou para as mãos de Ricardo (48’). Não foi neste lance, foi no seguinte. Jonas descobriu Mitroglou a fugir nas costas da defesa sadina e o grego, só com Ricardo pela frente, atirou a contar (54’).

 

Djuricic estreia-se e mexe com o jogo

Quando se esperava que o jogo ficasse mais tranquilo para os da Luz, eis que o V. Setúbal acordou. À passagem do minuto 58, Suk trabalhou bem na área, rematou, o esférico vai ao poste e na recarga Vasco Costa reduz. Estranhamente, o Benfica sentiu o tento sofrido e percebeu isso o conjunto da casa, que fez subir as linhas, exerceu maior pressão, com a bola a rondar a área “encarnada” nos minutos seguintes. O 2-3 esteve eminente aos 74 minutos, de novo, por Vasco Costa.

Antes deste lance parece ter ficado por marcar uma grande penalidade a favor do Benfica por falta sobre Djuricic.

O tento da tranquilidade surge aos 79 minutos. Djuricic arrancou até à área contrária, assistiu Gonçalo Guedes que não conseguiu marcar. A bola sobrou para Mitroglou que rematou ao poste. O esférico resvalou para Ricardo e entrou na baliza. Azar para o guardião sadino.

Uma vez mais, o V. Setúbal não se deu como vencido e aos 88’, Suk desviou para o 2-4, contudo insuficiente para evitar o desaire.

O Benfica alcança a quinta vitória consecutiva na Liga NOS e soma 27 pontos na classificação. O calendário Benfiquista fica acertado na 3.ª feira, às 21h00, com o U. Madeira.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Júlio César; André Almeida, Lisandro, Jardel, Eliseu; Samaris, Renato Sanches (Fejsa, 80’), Gonçalo Guedes, Pizzi; Jonas (Djuricic, 69’) e Mitroglou (Raúl Jiménez, 87’).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:50

Dezembro 05 2015

capture-20151205-101152.png

Noite fria no Estádio da Luz aquecida pelo bis de Jonas e pelo golo de antologia de Renato Sanches! Apesar de ser sexta-feira, o público apareceu nas bancadas – cerca de 35 mil espectadores – e não se cansou de apoiar o Sport Lisboa e Benfica frente à Académica, no jogo que abriu a 12.ª jornada.

A equipa da casa entrou dominadora e empurrou o adversário para o seu meio-campo, com uma troca assertiva da bola, privilegiando a posse ou através de transições rápidas para o ataque. O oponente, por seu lado, sentiu sempre dificuldades em sair a jogar fruto de uma intensa pressão sobre a bola, nomeadamente na primeira metade.

 

O assalto concreto à área estudantil dá-se aos 15 minutos através de uma “bomba” de Pizzi que sai pouco por cima (15’). O médio português estava em todas e aos 24 minutos, após um “slalom” impressionante, atirou para defesa de Trigueira.

O Futebol Benfiquista era perfumado e à passagem do minuto 34 houve oportunidade clamorosa para os da casa. Jonas trabalhou bem à entrada da área, descobriu Gaitán, que foi derrubado por Trigueira. Grande penalidade!... Que Jonas não desperdiçou. Estava feito o primeiro na Luz.

Antes do intervalo, Renato Sanches deu um ar da sua graça ao atirar por cima após uma boa jogada individual. Pouco depois, o jogo foi para o descanso com o SL Benfica na frente por 1-0.

Sem alterações no onze, o Benfica voltou do intervalo com a mesma vontade que já demonstrara nos primeiros 45 minutos. A Académica manteve a toada defensiva e de expectativa com que chegara a Lisboa.

Maior domínio das “águias” acabou por obrigar Ofori a fazer grande penalidade ao cortar com a mão um cruzamento de Eliseu para Mitroglou. Aproveitou Jonas para bisar na partida aos 69 minutos. Mesmo a vencer por 2-0, o Benfica não estava satisfeito. Queria mais e aos 78 minutos foi Mitroglou a tentar o golo após bom contra-ataque conduzido por Gaitán.

 

Golo Olímpico encerra noite

Esse mais apareceu aos 84 minutos e da melhor forma possível. Renato Sanches, o “miúdo” de 18 anos, do meio da rua, atirou uma “bomba” que se fixou na gaveta da baliza de Trigueira. Que golão! Estava feito o 3-0 e a estreia do camisola 85 a marcar pelas “águias”.

O Benfica soma agora 24 pontos na tabela classificativa e na terça-feira recebe o Atlético de Madrid, em jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Júlio César; André Almeida, Lisandro, Jardel, Eliseu; Fejsa (Samaris, 67’), Renato Sanches, Pizzi (Gonçalo Guedes, 74’), Gaitán; Jonas e Mitroglou (Carcela, 80’).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:07

Dezembro 01 2015

capture-20151201-091130.png

O Estádio Municipal de Braga foi esta noite de segunda-feira o palco do desafio da 11.ª jornada da Liga NOS. Sport Lisboa e Benfica e SC Braga defrontaram-se num desafio intenso, com as “águias”, com oito atletas impossibilitados de ir a jogo entre castigados e lesionados… mas com a ambição e responsabilidade de sempre!

Entrada fortíssima do Bicampeão a dar força e expressão no relvado às palavras de Rui Vitória na antevisão ao desafio… “O Benfica vai a Braga para ganhar”… e ganhou e ganhou bem!

 

Três minutos volvidos desde o apito inicial de Hugo Miguel, Mitroglou trabalha bem na área e, de calcanhar, oferece o primeiro golo a Pizzi que, vindo de trás, remata sem hipóteses.

Aos dez minutos o mesmo Pizzi remata de meia distância… com a bola a rasar o poste mas o segundo golo dos “encarnados” não tardaria!

Minuto 11’, canto cobrado na esquerda por Pizzi com a dupla de centrais do Glorioso a construir o 0-2. Jardel assiste Lisandro – grande receção – e remate de primeira (à ponta de lança) a desfeitear as redes minhotas.

Desafio intenso, com lances de perigo nas duas balizas com destaque ainda na primeira parte para uma grande defesa de Júlio César (15’). Primeiro o cabeceamento ao poste de Hassan, depois a recarga de Rafa para o guardião brasileiro brilhar!

 

Traves e um penálti não assinalado!

No reatar, grande oportunidade para os comandados de Rui Vitória. Na cobrança de um livre, Gaitán, com classe, atira à trave, com Kritciuk - batido - colado ao relvado.

Aos 68’, lance tirado a papel químico do anterior… só que na outra baliza: Livre marcado de forma exímia por Filipe Augusto, com a trave a devolver o esférico.

Com quinze minutos para jogar, o recém-entrado Jonas remata forte para defesa de Kritciuk. Na tentativa de recarga, no coração da área, Pizzi é carregado em falta por Baiano… mas Hugo Miguel nada assinalou! Grande penalidade claríssima favorável ao Benfica que o árbitro não assinalou, numa arbitragem em que mais uma vez a dualidade de critérios, nomeadamente a amostragem de cartões, foi gritante!

Com uma vantagem de dois golos, o SL Benfica geriu e controlou com qualidade, espreitando com perigo sempre que possível as redes contrárias; do outro lado, os anfitriões, que até esta segunda-feira se mantinham invencíveis na Pedreira, bem tentaram inverter o marcador mas, face a um coletivo maduro e coeso, viram os seus intentos gorados! Vitória justa de uma equipa inteligente!

Com este resultado, e menos um jogo, os “encarnados” somam 21 pontos (sete vitórias e três derrotas), ultrapassando o anfitrião desta noite na Pedreira e subindo ao 3.º lugar da tabela classificativa.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; André Almeida, Jardel, Lisandro e Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Pizzi (Cristante, 88’), Nico Gaitán e Gonçalo Guedes (Jonas, 72’); Mitroglou (Raúl Jiménez, 64’).

O Bicampeão Nacional torna a entrar em campo já na próxima sexta-feira, dia 4 de dezembro, com a receção à Académica de Coimbra, uma partida referente à 12.ª ronda da Liga NOS com início às 20h30 no Estádio da Luz.

Na terça-feira, pelas 19h45, abre-se a janela da Liga dos Campeões, com a Catedral a ser o palco da 6.ª e derradeira jornada da Fase de Grupos da prova. Já com o apuramento garantido, SL Benfica e Atlético de Madrid decidem a liderança do Grupo C.  

Fonte: SLB

Ficha de Jogo Aqui

Fotos Aqui

capture-20151201-094424.png

publicado por Benfica 73 às 09:15

Setembro 27 2015

capture-20150927-092626.png

Depois da derrota no Dragão, foi um Benfica ambicioso e decidido aquele que entrou em campo frente ao Paços de Ferreira, em partida realizada este final de sábado no Estádio da Luz.

Catedral bem composta (45 276 espectadores!) em apoio ao Bicampeão, com Rui Vitória a eleger o mesmo onze da ronda anterior.

E belíssima primeira parte de futebol…

 

Início determinado do SL Benfica a colocar Marafona em sentido logo nos momentos iniciais, construindo três ocasiões para golo, com o jovem Gonçalo Guedes muito interventivo.

Resposta pronta do outro lado da barricada, com Jota a combinar com Andrézinho e a rematar de fora da área para a baliza à guarda de Júlio César.

Aos 15’, bruac nas bancadas da Luz, com Gaitán a isolar-se, fazer o chapéu a Marafona, com o guardião da Mata Real a sair, fazer uma mancha eficaz, e a impedir o primeiro.

Partida intensa, bem disputada, com o Benfica a dominar e a ter a iniciativa, perante um Paços de Ferreira espevitado e atrevido com linhas subidas e compactas a explorar o contra-ataque.

Num desses lances, Roniel trabalha bem e remata à malha lateral da baliza “encarnada”, seguindo-se, em cima da meia hora, um golo bem anulado aos pacenses devido a um fora de jogo claríssimo de Miguel Vieira.

 

Obra de arte na Catedral… e mais golos!

Minuto 34… e obra de arte na Catedral! Gonçalo Guedes serve Jonas e o brasileiro, de pé esquerdo, em arco, de fora da área, remata para um golo verdadeiramente espectacular fazendo a bola entrar no ângulo superior esquerdo da baliza de Marafona.

Estava feito o 1-0, e por muito pouco o brasileiro não repetiu a dose ainda antes do intervalo! Remate poderoso, a passar ao lado do poste.

Início de segunda metade mais tranquila, mas com a incerteza no resultado a manter-se face à vantagem mínima de um golo.

Aos 59’ Mitroglou esteve muito perto do 2-0 (valeu a saída atenta do guardião pacense), mas o golo não tardaria.

Assistência primorosa – mais uma de Gaitán – a oferecer o golo ao jovem Gonçalo Guedes, decorria o minuto 67’.

Com 2-0, a equipa soltou-se, cresceu e o terceiro da noite surgiu naturalmente (73’), desta feita com Gonçalo Guedes a servir o “artilheiro” Jonas para o 3-0, o seu segundo no jogo e o sétimo na prova que lhe permite liderar a lista dos melhores marcadores.

Com este resultado, as “águias” somam 12 pontos, fruto de quatro vitórias e duas derrotas, com um saldo de 16 golos marcados e quatro sofridos.

O Sport Lisboa e Benfica entrou em campo com Júlio César, Nélson Semedo, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris (81’, Talisca), Gonçalo Guedes (78’, Carcela), André Almeida, Samaris e Gaitán; Jonas e Mitroglou (63’, Raúl). 

 

Duas deslocações pela frente…

Abre-se agora novamente a janela da Liga dos Campeões. O SL Benfica viaja até Espanha onde, na próxima quarta-feira, pelas 19h45, defronta a formação do Atlético de Madrid, numa partida relativa à 2.ª jornada da prova.

Depois da vitória caseira frente ao FC Astana, os “encarnados” querem manter a senda vitoriosa na competição.

O Campeonato Nacional regressa no fim de semana seguinte, com nova deslocação, desta feita à Pérola do Atlântico, onde o SL Benfica vai defrontar a equipa da União da Madeira.

Este desafio está agendado para as 16h00 de domingo.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo

Fotos

 

publicado por Benfica 73 às 09:28

Setembro 12 2015

capture-20150912-101032.png

Boa moldura humana viajou até ao Estádio da Luz para ver a equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica enfrentar o Belenenses. Rui Vitória operou três mudanças no onze: Jardel, Talisca e Gonçalo Guedes entraram para os lugares de Lisandro, Pizzi e Victor Andrade, respetivamente.

Os célebres 15 minutos à Benfica mantiveram-se mas inverteram no tempo. Desta feita apareceram no início do desafio. Entrada forte do Bicampeão Nacional com golos de Mitroglou e Jonas, aos cinco e aos 17 minutos, e que terminou em 6-0. Realce para alguma passividade defensiva por parte dos homens às ordens de Sá Pinto que permitiram ainda um remate à meia volta de Gonçalo Guedes com Ventura a opor-se bem (16’).

 

Diferente para melhor o Benfica que apareceu esta sexta-feira na Luz. Muito dinamismo, variações entre o jogo interior e exterior que baralharam marcações e abriram brechas na defensiva “azul”, muito jogo entrelinhas e pressão alta sobre o portador da bola obrigaram o Belenenses a apresentar um Futebol curto, algo confuso e que pouco assustou o adversário.

Mesmo a vencer por 2-0, o Benfica manteve a toada atrevida. Jonas voltou a estar perto do golo aos 33 minutos depois de passes de cabeça entre Mitroglou e Jardel – à Futebol de Praia. Adivinhava-se mais estragos na baliza de Ventura e assim foi. Minuto 40, Gaitán marca um canto, Samaris desvia e na pequena área, Jonas bisa no encontro. Foi o primeiro tento do Benfica após a marcação de um pontapé de canto esta temporada. 

Depois de uma primeira parte amorfa, o Belenenses entrou mais acutilante no segundo tempo. Pé esquerdo de Luís Leal foi o responsável por obrigar Júlio César, aos 49’, à primeira estirada da noite. Responderam as “águias” com o 4-0. Gaitán bailou na esquerda, e a bola chegou a Mitroglou, com um passe de um jogador “azul”, para o golo (53’). O grego bisava na partida e fazia o terceiro no Campeonato Nacional.

 

… E voltou tudo ao mesmo

O remate de Luís Leal foi mesmo um oásis num deserto de ideias num Belenenses muito permissivo perante um Benfica de magia. Domínio total da partida e da posse de bola, com lances de belo recorte técnico que deram em mais dois golos. Decorria o minuto 59 e Gaitán fazia o “gosto ao pé” após combinação com Jonas e três minutos volvidos, Talisca, do meio da rua, fez o “placard” chegar à meia dúzia para gáudio dos 42.454 espectadores presentes nas bancadas.

Com o passar dos minutos, o Benfica colecionava oportunidades num Futebol que era música orquestrada por Gaitán e Jonas para os adeptos. Confortável no desafio, Rui Vitória começou a pensar na Liga dos Campeões e resolveu dar descanso aos camisolas 10 e 17. A própria equipa percebeu que os três pontos estavam seguros e geriu o ritmo e os minutos com bola até ao apito final de Bruno Paixão.

O Benfica não perde em casa há 54 jogos e iguala a 4.ª melhor marca de sempre, estabelecida em 1973. Neste momento soma nove pontos na classificação e agora segue-se o Astana, no dia 15 de setembro, na 1.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

 

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Júlio César; Nélson Semedo, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris, Talisca, Gaitán (Nuno Santos, 72’), Gonçalo Guedes; Jonas (Pizzi, 77’) e Mitroglou (Raúl Jiménez, 66’).

Fonte: SLB

Ficha de Jogo Aqui

Fotos Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:46

Abril 12 2015

capture-20150412-094413.png

O SL Benfica venceu, este sábado, a Académica de Coimbra (5-1), na 28.ª jornada da Liga NOS.

O pedido foi feito e os adeptos acederam prontamente. A “onda vermelha” voltou à Luz e a equipa comandada por Jorge Jesus respondeu com cinco golos e uma exibição de luxo perante os 56.197 mil espectadores.

Entrada avassaladora que cedo começou a dar frutos. O SL Benfica entrou pressionante e a tentar encostar os “estudantes” à sua grande área.

 

E só foi preciso esperar sete minutos para se assistir à primeira “explosão” nas bancadas. Pizzi cruzou da direita e Jardel cabeceou para os fundos das redes da baliza de Cristiano. Estava feito o 1-0 e o quarto golo do central.

Quatro minutos depois, aos 11’, foi Jonas que fez levantar o público. Depois do cruzamento de André Almeida – uma das novidades do onze, para o lugar do castigado Eliseu – o avançado brasileiro, de cabeça, voltou a faturar.

Apesar dos dois golos de rompante, a pressão não abrandou. Aos 19’, Luís Ferreira assinalou falta cometida sobre Lima dentro da área. O brasileiro não desperdiçou e rematou para o 3-0. O SL Benfica chegava ao intervalo com o jogo resolvido, depois de uma fortíssima entrada em campo.

 

No segundo tempo, o brilho manteve-se. Aos 53’, passe de André Almeida para o brasileiro Jonas que voltou a colocar a bola fora do alcance de Cristiano (4-0).

Aos 61’, as bancadas da Catedral levantaram-se para aplaudir Fejsa, o sérvio que, onze meses depois, voltou a pisar o relvado do Estádio da Luz. Entrou para o lugar de Andreas Samaris.

A formação orientada por Jorge Jesus voltou a acelerar o ritmo e os “estudantes” tiveram enormes dificuldades para evitar os lances de perigo na baliza de Cristiano. Aos 79’ foi Rafael Lopes quem marcou o golo de honra da Académica de Coimbra.

 

Regressou e marcou. Aos 84', o pontapé fulminante do jogador que regressou à equipa A um ano e duas operações depois fechou o resultado nos 5-1.

Aos 86’, mais uma novidade. Jonathan Rodriguéz entrou, pela primeira vez ao serviço da equipa principal, para o lugar de Jonas.

Na próxima jornada, o SL Benfica vai até ao Restelo encontrar o Belenenses, numa partida marcada para as 18h00 de sábado, 18 de abril.

Alinharam de início: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, André Almeida; Samaris (Fejsa, 61’), Pizzi, Salvio (Ola John, 72’), Gaitán; Jonas e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo Aqui

Fotos Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:40

Março 15 2015

capture-20150315-094929.png

“Inferno da Luz” ao rubro, com 60.222 mil adeptos nas bancadas a vestirem de emoção e fervor a Catedral. Lá em baixo, à flor da relva, empurrados pelos Benfiquistas, os verdadeiros artistas não defraudaram as expetativas e partiram para uma grande partida de Futebol.

Líder isolado frente ao 4.º classificado da geral, com os comandados de Jorge Jesus a entrarem com tudo, mostrando cedo que os três pontos eram o objetivo a alcançar… e o mais rapidamente possível!

 

Cinco minutos decorridos e grande penalidade que ficou por assinalar. Lance na grande área arsenalista, com a bola a bater no braço de Aderlan. Artur Soares Dias mandou seguir.

O SL Benfica controlava as operações, face a um Braga a jogar no erro do adversário e que somente aos 14’ conseguiu fazer o seu primeiro remate à baliza de Júlio César.

Momentos antes fora o Benfica a dar o primeiro grande sinal de perigo. Cruzamento de Gaitán, com Jardel a cabecear para defesa atenta de Matheus.

O golo acabaria por chegar naturalmente. Minuto 20’, belíssima jogada de futebol apoiado, com Gaitán a servir Jonas que, de primeira, remata forte de meia-distância para o 1-0. Golo 20 do brasileiro com a camisola “encarnada” a levar as bancadas ao rubro.

 

Os comandados de Sérgio Conceição respondiam como podiam… mas face a um Benfica mandão e a saber muito bem aquilo que quer, o jogo manteve-se de sentido único.

Pizzi mesmo a milímetros de dilatar a vantagem, contudo, quase que miraculosamente, Aderlan corta a bola em cima da linha de golo.

Também Salvio, acrobaticamente, tentou a sorte, mas a redondinha não quis entrar.

Ao intervalo, o 1-0 para as “águias” era curto, muito curto para a superioridade apresentada em campo, face a um SC Braga praticamente nulo a usar e a abusar da agressividade. O que dizer da agressão de Rúben Micael a Gaitán?

 

Faltaram mais golos para abrilhantar a festa!

Segunda metade com entrada mais forte do visitante, mas o Benfica respondeu prontamente, anulando por

completo as intenções adversárias.

Os “encarnados” subiram novamente as linhas, pressão altíssima, com o coletivo a partir para uma grande segunda parte, à semelhança dos primeiros 45 minutos.

O jogo agressivo dos arsenalistas manteve-se e Tiago Gomes acabou mesmo por ser expulso face a uma entrada despropositada sobre Salvio.

No lance seguinte cheirou a golo, com Lima – isolado - a rematar contra Matheus; na recarga Pizzi não acerta por muito pouco na baliza.

 

De seguida foi Eliseu. Remate fortíssimo, com o guardião bracarense a chamar a si mais uma grande intervenção. Eliseu tentou novamente, mais uma “bomba”, mas agora a bola a passar por cima da trave… e à terceira foi mesmo de vez! Minuto 76’, mais um pontapé fulminante, desta feita sem qualquer hipótese para Matheus. Estava feito o 2-0 que há já muito se justificava.

Com este resultado, justíssimo, o SL Benfica segue isolado na frente da tabela classificativa, e é também o dono do melhor ataque da Liga NOS.

As “águias” alinharam com o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira (André Almeida, 89'), Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio, Samaris (Rubem Amorim, 77’), Pizzi, Gaitán (Ola John, 84’); Jonas e Lima.

No próximo fim-de-semana disputa-se a 26.ª jornada da Liga NOS, com o SL Benfica a viajar até ao Estádio dos Arcos. Frente ao Rio Ave, numa partida agendada para as 18h00 de sábado, só os três pontos interessam.

Recorde aqui as principais incidências da vitória sobre o SC Braga.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:24

Março 09 2015

O SL Benfica venceu, este domingo, o Arouca, por 1-3, depois de ter estado a perder por 1-0 ao intervalo. No segundo tempo, conseguiu a reviravolta que lhe permite manter-se na liderança da Liga NOS, com quatro pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o FC Porto.

O Municipal de Arouca vestiu-se de vermelho para assistir à 24.ª jornada da Liga NOS. Para receber o líder, houve ainda direito a uma bancada amovível com capacidade para dois mil espectadores.

 

Um arranque inesperado que surpreendeu tudo e todos. Aos 7’, após cruzamento de Nelsinho, Iuri Medeiros fez o primeiro golo da tarde, sem hipótese de defesa para Júlio César – ele que foi a grande novidade do onze “encarnado”, tendo regressado à baliza depois da lesão frente ao Boavista.

Os Campeões Nacionais tentaram responder e as oportunidades foram-se repetindo. Primeiro Pizzi (13’), à entrada da área, com Goicoechea a afastar para canto. Seguiu-se Salvio, aos 19’, a rematar para mais uma enorme defesa do guardião arouquense. E nem à terceira foi de vez. Novamente o argentino a tentar a sorte, aos 30’, com um remate à trave. A formação liderada por Jorge Jesus chegou, assim, ao intervalo, em desvantagem no marcador.

 

No segundo tempo, continuavam a ouvir-se os cânticos nas bancadas, palavras de incentivo que empurraram

as “águias” para a reviravolta. Jonas, aos 51’, repôs a igualdade, com um remate de fora da área.

Aos 56’ foi a vez de outro brasileiro. Após um remate de Jonas, com a bola a ir ao segundo poste, Lima empurrou para a baliza de Goicoechea. Estava feito o 1-2.

Aos 58’, após lance de Jonas, fica a ideia de que Ivan jogou com o braço na área, mas Vasco Santos mandou seguir…

Hugo Basto viu, aos 64', cartão vermelho após agarrar ostensivamente Lima que se esgueirava para a baliza.

E se dúvidas houvesse, Lima acabou com elas. Aos 77’, o avançado brasileiro, após grande passe de Ola John, - que tinha entrado há minutos pra o lugar de Gaitán – bisou na partida e somou o 12.º golo na Liga portuguesa.

Com este resultado, o líder SL Benfica conserva os quatro pontos de vantagem para o segundo classificado, o FC Porto.

No próximo sábado, 14 de março, o SL Benfica recebe na Luz o SC Braga na 25.ª jornada da Liga NOS. A partida está marcada para as 17h00.

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze: Júlio César; Maxi, Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio (80’ Ruben Amorim), Samaris (45’ Talisca), Pizzi, Gaitán (72’ Ola John); Lima e Jonas.

Reveja aqui as principais incidências deste desafio.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:27

Março 01 2015

capture-20150301-103240.png

No dia em que celebra o 111.º aniversário, o SL Benfica venceu o Estoril em jogo da 23.ª jornada da Liga NOS por 6-0.

Em dia de festa, o Benfica deu aos 46.712 adeptos a vitória como prenda, complementada com uma exibição muito positiva. Avalanche ofensiva, pincelada, aqui e ali, com momentos de “nota artística, deixaram os Benfiquistas nas bancadas satisfeitos.

 

Na busca pelo golo desde o apito inicial, Jonas esteve em plano de evidência nos primeiros minutos. Aos 10’, o avançado brasileiro atirou ao poste e aos 16 minutos, após cruzamento de Gaitán, obrigou Kieszek a estirada em grande estilo para evitar o tento inaugural das “águias”. Na sequência do pontapé de canto, Luisão, ao primeiro poste, de cabeça, deu a primeira alegria às bancadas da Catedral.

O Estoril foi tentando responder com transições rápidas que obrigavam Artur Moraes e seu pares a estarem em constante sentinela. Porém, estes pequenos sustos não conseguiram travar o maior ímpeto ofensivo dos da casa que chegaram ao 2-0, aos 25’, através de Salvio que encostou após passe com peso e medida de Lima.

 

A exibição Benfiquista era de alto calibre e os “canarinhos” estavam resignados a tanta superioridade. À passagem do minuto 33, Pizzi num remate de ressaca, forte e colocado, fez o 3-0 e dois minutos depois foi Jonas a lograr o tento da goleada ao finalizar uma jogada mágica de um coletivo muito forte.

Muito perto da “manita” esteve Nico Gaitán aos 40 minutos que após receber um passe assombroso de Samaris atirou um pouco ao lado da baliza adversária quando estava sozinho na área. Ao intervalo, o 4-0 era o espelho de uma exibição de luxo, com um Futebol rendilhado do SL Benfica em dia de aniversário.

Na etapa complementar, o jogo parecia estar algo morno, mas o ascendente Benfiquista continuou e aos 56 minutos, Lima, através de uma grande penalidade cometida sobre Jonas, completou a mão cheia. Motivado, o camisola 11 tentou bisar com um bonito toque de calcanhar mas a bola saiu à figura de Kieszek (64’).

 

“Tango argentino” em tarde coletiva

Minutos depois, João Capela expulsou o médio Eziti por alegada mão na bola e o que já era difícil tornou-se

inglório para a equipa da Linha de Cascais. Porém, aos 78 minutos, Leo Bonatini quase marcou ao aparecer isolado frente a Artur que foi rei e defendeu para canto. Respondeu o Benfica por Salvio que disparou aos 82 minutos e testou a atenção do guardião estorilista.

Da mão cheia à meia-dúzia distam 30 minutos com Jonas a bisar numa recarga a remate de Ola John (86’).

Num jogo em que tem de ser elevada a excelente capacidade do Benfica enquanto equipa, os médios argentinos, Salvio e Gaitán – este num regresso após lesão –, “pincelaram” o jogo com magia, velocidade, técnica, golos e muita capacidade de desequilíbrio em ambos os flancos. Pizzi também esteve em evidência pelo golo, pelo que jogou e fez jogar, nomeadamente na primeira parte.

O SL Benfica segue líder da classificação com 59 pontos em 23 jogos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris (Cristante, 85’), Pizzi (Talisca, 67’), Salvio, Gaitán (Ola John, 73’), Lima e Jonas.

Todas as incidências da partida em

http://www.slbenfica.pt/jogoaovivo/tabid/2981/gameID/2529/jogoaovivo.aspx

Fonte: SLB

Fotos AQUI

Ficha de Jogo AQUI

publicado por Benfica 73 às 10:18

Fevereiro 22 2015

capture-20150222-102754.png

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica regressou a Moreira de Cónegos, depois de lá ter estado para a Taça da Liga, para disputar a 22.ª ronda do Campeonato Nacional. De novo com o Moreirense como oponente, triunfo por 1-3, com golos de Luisão, Eliseu e Jonas, e liderança cimentada na Liga NOS.

Um estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas quase repleto assistiu a um início de partida bastante vivo, com um Benfica sempre por cima, mas com o primeiro lance de perigo a ser protagonizado por Alex aos três minutos. O remate cruzado passou perto da baliza defendida por Artur.

 

Após o susto inicial, as “águias” instalaram-se no meio-campo contrário, mas esbarraram numa equipa a jogar com o bloco baixo, coesão defensiva e que só esporadicamente saía em transições rápidas que não permitiam qualquer adormecimento Benfiquista.

Apesar das dificuldades para furar a defensiva contrária, o Benfica esteve algumas vezes perto de ser feliz. Aos nove minutos, Lima recebeu, rodou e rematou de pronto com o pé esquerdo um pouco ao lado e aos 13’ foi Jonas que poderia ter festejado ao atirar ao poste uma bola assistida por Pizzi.

Aliás, o camisola 21 tentava carburar e ser o “motor” da equipa. À passagem do minuto 25, o médio tirou da “cartola” um remate de ressaca que passou pouco por cima da baliza defendida por Marafona. Destaque para o excelente pormenor técnico – recepção com o pé direito e execução com o pé esquerdo sem deixar cair o esférico.

 

Foi com o Benfica balanceado na frente que surgiu o primeiro tento do jogo. Numa transição rápida após

recuperação de bola de Battaglia, João Pedro, à entrada da área, rematou colocado sem hipóteses para Artur (35’).

Ao intervalo, o 1-0 era muito penalizador para a equipa que teve mais bola, rematou mais, teve mais cantos e que atacou mais. Na etapa complementar, o sentido do jogo inverteu, mas o domínio continuou a pertencer à equipa de “águia ao peito”.

O golo adivinhava-se e surgiu aos 58 minutos através de Luisão, que “subiu ao 1.º andar” após canto apontado por Pizzi. Dois minutos depois todos os olhos estiveram postos no árbitro Jorge Tavares. Expulsou, possivelmente por palavras, André Simões e logo de seguida os treinadores, Miguel Leal e Jorge Jesus.

A dominar em todos os quadrantes, e de forma avassaladora nos pontapés de canto, naturalmente o golo teria – de novo – de advir daqui. O relógio marcava 65 minutos quando Eliseu (de pé direito, pasme-se!) atirou a contar após canto novamente marcado por Pizzi. O guarda-redes Marafona ficou muito mal na fotografia.

A perder, o Moreirense perdeu os seus equilíbrios defensivos, abriu espaços e aproveitou o Benfica para ampliar a vantagem, aos 72’, por Jonas que encostou bem após assistência de Salvio. Quem entrou cheio de vontade de voltar aos golos foi Talisca. Aos 82 minutos, do meio da rua, testou a pontaria com o remate a sair muito perto do poste.

Com esta vitória, o Benfica segue líder isolado da classificação com 56 pontos.

O SL Benfica alinhou com o seguinte onze inicial em Moreira de Cónegos: Artur, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; André Almeida, Pizzi (Gonçalo Guedes, 89’), Ola John (Talisca, 78’), Salvio; Lima (Derley, 83’) e Jonas.

Fonte: SLB

Fotos AQUI

Ficha de Jogo AQUI

publicado por Benfica 73 às 10:05

Fevereiro 16 2015

156086_10155207265540716_2449779732186260786_n.jpg

O SL Benfica mantém a liderança isolada da I Liga, fruto da vitória deste domingo sobre a formação do Vitória de Setúbal. Jardel e Lima assinaram os golos da vitória, por 3-0, uma vitória justa e natural, face à qualidade, dinâmica e eficácia colocada em campo pelo Glorioso. Mais três preciosos pontos…

 

Volvidos quatro dias, novo duelo entre “encarnados” e sadinos, desta feita para as contas do Campeonato Nacional, com a discussão da jornada 21. Muitas caras novas, a ambição de sempre, num bom espectáculo de futebol com 40.564 mil nas bancadas da Catedral.

À semelhança da última quarta-feira, entrada espevitada e atrevida da turma do Sado, mas com resposta pronta do SL Benfica, que cedo mostrou que não estava para brincadeiras e que queria resolver rapidamente.

Minuto oito, canto cobrado na esquerda por Pizzi, e nas alturas, bem no coração da área, Jardel, o central que também gosta de marcar, subiu mais alto e cabeceou com convicção para o tento inaugural.

Em vantagem, os “encarnados” dominavam por completo as operações e foi com naturalidade que a vantagem foi dilatada.

Aos 39’, belíssima jogada de Ola John pela lateral esquerda, a bola chega a Lima que, de primeira, remata colocado, e sem hipóteses de defesa, para Batista.

Estava feito o 2-0, resultado com que se atingiu o intervalo.

 

Vitória confirmada com classe!

Segunda metade mais morna, com uma mão cheia de oportunidades… mas a “redondinha” parecia não querer

entrar!

Mas entrou! Minuto 70’, Salvio em esforço, na raça, recupera a bola e oferece o golo a Lima, com o brasileiro a bisar e a colocar o marcador em 3-0.

Com este resultado, o Sport Lisboa e Benfica mantém a liderança isolada da tabela classificativa, com quatro pontos de vantagem sobre o 2.º classificado e com vantagem dilatada para 9 pontos para com o 3.º da geral.

O SL Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Maxi Pereira, Jardel, Luisão e Eliseu; Samaris, Ola John, Salvio e Pizzi; Lima e Jonas.

Na próxima jornada, a 22.ª, o Glorioso viaja até Moreira de Cónegos. O Moreirense- SL Benfica está agendado para as 19h00 de sábado, no estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:39

Fevereiro 09 2015

Noite fria em Lisboa, ambiente quente nas bancadas a transbordar do estádio José Alvalade. Todos os ingredientes reunidos para, no relvado, haver espectáculo e emoção no dérbi eterno.No final dos 90 minutos empate a uma bola e o Benfica sorri mais do que o rival com este resultado.

Os primeiros minutos corresponderam ao que deles se esperava: jogo vivo, poucas paragens e muita luta pela posse de bola, nomeadamente no “miolo”.

 

Porém, por outro lado, o esférico teimava em andar longe de criar perigo em ambas as balizas. Nos primeiros 45 minutos viu-se intensidade, mas não oportunidades flagrantes de golo. Esporadicamente houve tiros à baliza como os remates de Salvio (prensado em Tobias Figueiredo) e de Jonas e de Montero, ambos por cima.

Ao intervalo, permanecia o nulo no estádio José Alvalade. No reatamento, o Sporting apareceu mais afoito. Por coincidência notou-se uma postura diferente do árbitro Jorge Sousa em relação ao que tinha acontecido na primeira parte ao não deixa jogar como o tinha feito. Mostrou dualidade de critérios ao assinalar faltas para o Sporting que não tinha assinalado para o Benfica nos primeiros 45 minutos. Isso ajudou a equipa da casa a subir no terreno e dificultou a tarefa às “águias”.

 

Perante tal “ajuda”, responderam os comandados por Jorge Jesus com a oportunidade perigosa de Lima e

remate de Jonas. O Sporting esteve perto do golo aos 71’ e aos 75 minutos com os remates de Carrillo e de Montero, ambas com excelentes intervenções de Artur.

Aos 87 minutos, Samaris entregou mal a João Mário que apareceu frente a Artur. O brasileiro opôs-se bem primeiro, mas na recarga Jefferson inaugurou o marcador. Aos 90’+3, Jardel empatou e calou as bancadas de Alvalade.

Com este resultado, o Benfica mantém-se líder com 50 pontos, mas viu FC Porto aproximar-se.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris (Derley, 90’+1), André Almeida (Pizzi, 88’), Salvio, Ola John (Talisca, 64’); Jonas e Lima.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:13

Fevereiro 01 2015

O SL Benfica bateu, este sábado, o Boavista por 3-0, em partida da 19.ª jornada da Primeira Liga. Um resultado em casa que permitiu manter a invencibilidade no Estádio da Luz e regressar às vitórias na antecâmara do dérbi.

 

Mais posse de bola e ataques mais bem construídos. Assim foram os primeiros minutos do jogo, com um Benfica a criar mais situações de perigo. À passagem dos 7 minutos, ocasião soberana para Ola John, com a bola a passar por cima das redes da baliza de Mika. Dez minutos depois mais uma tentativa, desta vez de Pizzi que atirou à figura do guardião “axadrezado”.

E como à terceira é de vez, aos 23 minutos levantaram-se as bancadas da Catedral – com 40.346 espectadores. Grande passe do uruguaio Maxi Pereira à entrada da área, a levantar a bola sobre os centrais, direitinho à cabeça do brasileiro Lima que, com um toque subtil de cabeça, não desperdiçou a oportunidade.

 

Aos 32’, Maxi Pereira despoletou a segunda explosão de alegria na Luz. Na sequência de um canto, o uruguaio entrou na área sem pressão e atirou a contar. Estava feito o segundo da tarde.

Superioridade inquestionável do SL Benfica – com oportunidades até ao final da primeira parte - sobre os “axadrezados” que chegaram ao intervalo sem um único remate à baliza.

Logo na entrada na segunda parte, decisão infeliz do árbitro Hugo Miguel que, aos 48’, deixou por assinalar uma grande penalidade, após falta cometida sobre Lima. Um penálti assinalado no lance seguinte, após falta sobre o grego Samaris, que o avançado Jonas não desperdiçou (54’). Estava feito o 3-0 para o Campeão Nacional.

 

Aos 68’, defesa assombrosa do brasileiro Júlio César, a primeira e única da noite, tendo saído lesionado aos

81’ e aplaudido de pé.

Os últimos minutos foram mais do mesmo, com o Benfica a dominar e a controlar o jogo a seu belo prazer e com Lima a quase aumentar a vantagem para os 4-0 aos 84’. Aos 87’, mais um erro de Hugo Miguel a, uma vez mais, deixar por assinalar uma grande penalidade por falta sobre Lima.

Na próxima jornada há dérbi. O SL Benfica visita o terreno do adversário da Segunda Circular, o Sporting, num encontro que tem o apito inicial marcado para as 20h00 de domingo, 8 de Fevereiro. 

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze titular: Júlio César (81' Artur); Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris, Ola John (68’ Talisca), Salvio e Pizzi (72’ Gonçalo Guedes); Jonas e Lima.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:59

Janeiro 19 2015

benficamaritimo218195918.jpg

No meio do Atlântico, a exibição da equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica foi uma pérola para os olhos de quem pôde ver. Golos para todos os gostos, pressão alta, combinações maravilhosas. Enfim… “Nota artística” em todo o seu esplendor. Resultado? 0-4 para o líder da classificação.

Ponto prévio: Bancada sul inaugurada nesta partida, excelente moldura humana… Tudo reunido para um interessante jogo de Futebol.

 

O equilíbrio foi a nota nos minutos iniciais, com o Benfica a ter mais bola e estar mais perto de ser feliz, nomeadamente através do livre directo superiormente marcado por Jonas ao qual José Sá correspondeu com intervenção vistosa. Minutos antes já Gaitán se tinha queixado de dores. Foi substituído por Ola John.

Ironia do destino! O holandês fez um passe magistral aos 18 minutos para Salvio. O argentino teve uma recepção de bola exemplar e bateu José Sá. Inaugurado o “placard” no estádio do Barreiros.

Com o tento viu-se ainda mais Benfica e menos Marítimo. O cerco à área insular intensificava-se e a atenção da defensiva contrária era testada. Jonas, Lima, Salvio, Ola John ou Talisca abriam constantes brechas perto do último reduto do Marítimo. Porém, alguma cerimónia teimava em adiar o remate certeiro que levaria para o 0-2. Ao intervalo, o 0-1 até parecia curto face ao que se viu nos primeiros 45 minutos no relvado do estádio dos Barreiros.

 

Em antítese, na segunda metade, o Marítimo entrou melhor, subiu as linhas e encurtou os espaços para o

Benfica explanar o seu Futebol. Todavia, foram as “águias” a facturar. José Sá mal num alívio após um atraso de bola, Talisca recebeu e conduziu até endossar a Ola John, que à saída do guardião “picou-lhe” para o 0-2 (53’).

A partir daqui, muita emoção nos Barreiros. À passagem do minuto 57, Jonas descobriu Salvio na meia direita, com o camisola 18 a rematar cruzado, batendo, inapelavelmente, José Sá. No minuto seguinte, Danilo, do “meio da rua”, disparou com intencionalidade e o esférico bateu na barra. Referência para o desvio de Júlio César com os dedos, fundamental que o conjunto da casa não reduzisse.

Se dúvidas houvessem, a “nota artística” chegou para trazer a goleada. Triangulação perfeita entre Jonas e Salvio, com o argentino a soltar para Lima na área, que atirou a contar (63’).

Daí até final, o Benfica controlou a partida a seu bel-prazer, fixando-se na posição cimeira da tabela classificativa com 46 pontos. Segue-se a Taça da Liga, com o Moreirense, na quarta-feira.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris, Gaitán (Ola John, 15’), Salvio e Talisca; Lima (Pizzi, 67’) e Jonas (Derley, 79’).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:10

Janeiro 11 2015

gaitan510192353.jpg

Em dia de homenagem ao Rei, nada melhor que uma vitória “à Benfica”, uma vitória como aquelas que ele tantas vezes festejou e para as quais contribuiu! Num Estádio da Luz engalanado, vibrante, o SL Benfica recebeu e venceu esta tarde de sábado o Vitória de Guimarães, por 3-0, com golos de Jonas, Ola John e Gaitán. Vitória justíssima, de uma equipa plena de Mística!

Tarde de sol na capital de Portugal, com cerca de 50 mil Benfiquistas a vestirem a Catedral de vermelho rubro, vermelho paixão… num dia de emoções! Objectivos? Vencer, manter a liderança da I Liga e homenagear Eusébio da Silva Ferreira, falecido a 5 de Janeiro de 2014.

 

E foi um Benfica de personalidade, pleno de Mística, e ciente das suas responsabilidades, com várias mexidas no onze inicial (devido a lesões e castigo) aquele que subiu ao relvado da Luz na disputa da 16.ª jornada da I Liga.

Entrada dominadora, intensa e de raça… o mesmo que dizer uma entrada a pedir golo… e, quando assim é, o golo não tarda em aparecer.

13 segundos e a primeira oportunidade, com Jonas, isolado, a permitir a defesa a Assis. Seis minutos volvidos, primeiro Gaitán, depois André Almeida, a “cheirarem” o golo… e a festa chegaria aos 13’. Livre na direita, cobrado com conta, peso e medida por Gaitán, e Jonas, “à matador”, em voo picado cabeceia para o primeiro golo da tarde. Estava feito o 1-0.

Em vantagem, os “encarnados” carregavam com tudo e, não fossem os ferros da baliza vimaranense, ao intervalo o resultado seria bem mais dilatado: Gaitán, aos 20’; Talisca, aos 28’ e Jonas, aos 34’, viram os postes dizer não ao golo.

Aos 40’, destaque para uma grande defesa, a dois tempos, de Júlio César, a garantir o 1-0, escasso, com que se chegou ao descanso.

 

Resolver cedo… com qualidade!

Na segunda metade resposta do 3.º classificado da I Liga, mas sem consequências, com os “encarnados” a resolverem de

pronto e a manterem o controlo das operações com serenidade.

Minuto 54’, Lima ganha a linha, cruza e Ola John, à segunda, remata de forma poderosa e sem qualquer hipótese de defesa para o 2-0.

Dilatada a vantagem, o ritmo de jogo diminuiu, mas a intensidade manteve-se, com o SL Benfica sempre mais perto de fazer o 3-0 do que sofrer qualquer golo… o que acabaria por acontecer.

Em cima do apito final, o 3-0. Salvio assiste Gaitán que, livre de marcação, coloca o marcador num 3-0 que, face ao produzido, acaba por ser natural.

Contas feitas, mais três pontos, liderança isolada assegurada, vitória justa de uma equipa plena de inteligência e Mística – como o Rei tanto gostava! – face a um Vitória de Guimarães que até tentou, mostrou qualidade, mas foi impotente face a este Benfica.

Já na próxima quarta-feira abre-se uma nova janela competitiva, com a Taça da Liga a surgir na agenda “encarnada”. O SL Benfica recebe a equipa do Arouca, numa partida relativa à 2.ª jornada da 3.ª Fase da prova, agendada para as 20h45, no Estádio da Luz.

No próximo fim-de-semana joga-se a 17.ª jornada do Campeonato Nacional, com o SL Benfica a viajar até à Pérola do Atlântico, onde vai defrontar a formação do Marítimo. Este desafio está agendado para as 18h00 de domingo, no Estádio dos Barreiros.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Júlio César; André Almeida, César, Jardel e Eliseu; Samaris, Gaitán, Ola John (83’, Salvio) e Talisca (88’, Sulejmani); Lima e Jonas (78’, Cristante).

Fonte: SLB
Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

 

publicado por Benfica 73 às 11:23

Janeiro 05 2015

O Sport Lisboa e Benfica entrou em 2015 a vencer tal como pedira Jorge Jesus. Pragmática, voluntariosa e unida, a equipa da Luz alcançou um triunfo confortável por 0-3, em jogo da 15.ª jornada do Campeonato Nacional.

Um mar, maioritariamente, vermelho encheu o estádio Municipal 25 de Abril e viu um jogo que começou vivo, com as duas equipas a disputarem cada bola como se fosse a última e a não se esquecerem de se aproximar das áreas. Nem sempre com “nota artística” mas com muita intensidade, o jogo teve um início interessante.

 

Após os primeiros 10 minutos jogados a bom ritmo, o jogo pausou. Porém, o Benfica tentou dar um “safanão” no desafio através de Ola John que se esgueirava para a área quando foi derrubado por Vítor Bruno à entrada desta. Paulo Baptista errou ao mandar seguir (13’). Sete minutos volvidos, o holandês de novo em jogo. Cruzou, Coelho largou o esférico e Jonas só não marcou porque o guardião foi a tempo de afastar para canto.

O jogo entrou depois numa toada algo “mastigada” e com poucas oportunidades de parte a parte. Contudo, aos 37 minutos, Gaitán lançou Lima em profundidade, este tirou um trabalho fenomenal da cartola e assistiu Talisca para o 0-1. Euforia nas bancadas do Municipal 25 de Abril.

Motivadas pelo golo, as “águias” foram atrás do segundo que poderia ter chegado por Gaitán, aos 45’+1, num remate surpreendente do meio da rua e que passou a centímetros da baliza de Coelho.

 

No reatamento, a partida teve largos minutos de Futebol longe das áreas e muito disputado no “miolo”. Estranho, se

pensarmos que os durienses a perderem em casa deveriam tentar jogar para empatar mas não o fizeram. Pior ficaram quando, aos 64 minutos, Tony recebeu ordem de expulsão após ver o segundo cartão amarelo. Aproveitou Talisca quatro minutos depois para testar a pontaria. O remate saiu forte, mas à figura de Coelho.

Com menos um, o Penafiel abdicava de atacar, as suas linhas recuavam cada vez mais e adivinhava-se mais um tento para os da Luz que acabou por acontecer aos 78 minutos por Jonas. Ola John iniciou a jogada, deixou para Maxi Pereira que centrou para o brasileiro encostar com o peito. O 0-3 esteve perto de aparecer aos 85’ após o remate perigoso de Ola John, mas acabou por acontecer dois minutos volvidos por Jardel, que correspondeu da melhor forma a pontapé de canto batido por Gaitán.

O Benfica alcança os 40 pontos na classificação e volta a ter seis pontos de vantagem sobre o 2.º classificado.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira, Lisandro, Jardel, André Almeida; Cristante, Talisca, Ola John (Sulejmani, 89'), Gaitán; Lima (Gonçalo Guedes, 90') e Jonas (Derley, 89').

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:11

Dezembro 22 2014

O SL Benfica venceu, nesta tarde de domingo, o Gil Vicente, por 1-0, na 14.ª jornada do Campeonato Nacional. No jogo que encerrou o ano de 2014 – no que a esta competição diz respeito – Nico Gaitán marcou, aos 29’, o único golo do encontro, ao qual assistiram, na Luz, 40.219 pessoas. 

Mais bola, mais ataques e mais iniciativa, com um Benfica a tomar conta do jogo, tal como lhe competia na recepção ao último classificado da I Liga. Apesar de uma primeira metade morna, as oportunidades surgiram de parte a parte. Primeiro sinal de perigo para os Campeões Nacionais, aos 12’, com um poderosíssimo remate de pé esquerdo de Talisca, para difícil defesa de Adriano Facchini.  

 

Seis minutos depois, aos 18’, foi a vez de Jonas tentar a sorte, obrigando o guardião brasileiro do Gil Vicente a mais uma grande defesa.

Depois das ameaças, Nico Gaitán fez levantar as bancadas da Luz – que receberam 40.219 espectadores. Grande passe do holandês, Ola John para Maxi Pereira, com o lateral a rematar ao poste. Na recarga, Gaitán, aos 29’, encostou para o primeiro golo da partida e o terceiro da sua conta pessoal no Campeonato.

Ao todo, foram nove os remates dos “encarnados” enquadrados com a baliza de Facchini, um dos quais desfez o nulo na Luz.

Na segunda metade, mais uma grande defesa de Adriano. Com um SL Benfica na busca constante do segundo golo e um Gil Vicente na luta pela primeira vitória na prova, o guardião foi chamado a intervir, aos 63’ e fez, talvez, a que poderá ser considerada a defesa da noite, evitando o segundo golo de Talisca.

 

Uma vitória pela margem mínima e um um resultado que permite aos “encarnados” terminar o ano de 2014 na liderança da

tabela classificativa, agora com 37 pontos – mais seis do que o segundo classificado, o FC Porto - fruto de 12 vitórias, um empate e uma derrota.

Ainda antes do final do ano, o Benfica joga para a Taça da Liga. A recepção ao Nacional da Madeira - jogo que encerra a 1.ª jornada da segunda Fase de Grupos - está agendada para as 21h15 do dia 30 de Dezembro.

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira, César, Jardel e Benito; Samaris, Talisca, Gaitán e Ola John (74’ Derley); Lima (88’ Cristante) e Jonas (65’ Tiago).

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:55

BENFICA 73
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


comentários recentes
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...
Tanto quanto narra a história a Cinderela saiu ven...
Fosse eu a tratar deste assunto e se este está a d...
Semeaste muitos ventos ó nalguinhas! Agora, aguent...

contador visitante