Janeiro 05 2016

Foi a 5 de janeiro de 2014, faz esta terça-feira dois anos, que o futebol português recebeu uma das suas mais tristes notícias: Eusébio, o king, tinha morrido, deixara-nos para sempre, ascendera à eternidade.

A marcar a efeméride, o Benfica, clube de sempre do pantera negra, vai homenagear o ídolo, primeiro no Panteão Nacional, onde estão os restos mortais de Eusébio e onde, pelas 14.45 horas, será depositada uma coroa de flores, e depois, na Igreja do Seminário da Luz, às 19 horas, onde será rezada uma missa pelo padre Delmar Barreiros.

Nas duas cerimónias, as águias estarão representadas pelo vice-presidente Alcino António, pelo vice da Assembleia-Geral Virgílio Duque Vieira e pelo presidente do Conselho Fiscal, Nuno Afonso Henriques.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 09:26

Janeiro 06 2015

Cumprido um ano sobre a morte de Eusébio da Silva Ferreira, a equipa de futebol do Benfica vai deixar de usar fumos negros e gravatas negras.
Escreve A BOLA que o plantel profissional voltará, a partir de agora, a apresentar-se em campo sem o fumo negro no braço e, fora dos relvados, as gravatas encarnadas voltarão à indumentária das águias.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:34

Janeiro 05 2015

Numa mensagem publicada no site oficial, o presidente do Benfica recordou Eusébio da Silva Ferreira, grande ídolo do clube que morreu há precisamente um ano.

Leia a mensagem de Luís Filipe Vieira:
Há um ano, a notícia chegou de madrugada, traiçoeira, brutal como todas as más notícias. As rádios e as televisões começaram a bombardear-nos. “Eusébio morreu”, diziam todos, mas na verdade só morrem aqueles que não deixam marca e Eusébio não foi desses. Eusébio marcou várias gerações, por isso nunca morrerá.

Passou um ano, e hoje assinalamos o dia, mas o que verdadeiramente devemos continuar a celebrar é o talento, o exemplo e o carácter de um homem que tendo sido referência de dois países foi fiel a um Clube e foi com ele, e graças a ele, que o Benfica se tornou uma referência mundial.

Hoje é o último dia em que o Benfica cumpre luto formal, mas mesmo desaparecendo as braçadeiras pretas, nunca – por muitos anos que passem – vai desaparecer o sentimento de perda e de eterna gratidão.
A memória traz-nos a grandeza de Eusébio e a sua dimensão humana, e essa memória não se perde com o seu desaparecimento físico.

Obrigado, Eusébio e até sempre!

publicado por Benfica 73 às 11:31

Dezembro 10 2014

A Câmara Municipal de Lisboa vai aprovar a proposta de atribuição do topónimo de Eusébio da Silva Ferreira ao troço da 2.ª Circular junto ao estádio da Luz em Lisboa, revelou fonte oficial da CML.
A proposta foi subscrita por todas as forças políticas.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 12:26

Junho 18 2014

O grupo artístico holandês Kamp Seedorf prestou homenagem a Eusébio da Silva Ferreira em Almere, desenhando a figura do antigo internacional português numa via daquela cidade do país das tulipas.

Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:45

Maio 24 2014
Enrique Cerezo está em Lisboa na qualidade de presidente do Atlético Madrid, clube que este sábado defrontar o Real Madrid na final da Liga dos Campeões no Estádio da Luz.
O líder dos colchoneros aproveitou a ocasião para deixar um ramo de flores junto à estátua de Eusébio, mítico jogador do Benfica que faleceu no início deste ano.
Cerezo comunicou a intenção de homenagear o “Pantera Negra” ao homólogo do Benfica, Luís Filipe Vieira, que agradeceu o ato. Os dois presidentes partilharam o jantar oficial da UEFA que juntou as equipas finalistas e que contou também com representantes do Benfica, por ser o clube proprietário do estádio.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:11

Fevereiro 13 2014
O Benfica tornou-se esta quinta-feira o primeiro clube de futebol a nível mundial a dispor da tecnologia ´Beacon`.
Instalado no Memorial Eusébio, o dispositivo vai permitir uma maior interação do clube com os adeptos que todos os dias visitam o local, disponibilizando um extenso naipe de informações nos equipamentos móveis num raio de 50 metros.
Dados estatísticos ou vídeos alusivos à carreira do Pantera Negra - através da aplicação ´Eusébio Sempre´ -, informações sobre o Estádio da Luz ou o Museu Cosme Damião são algumas das valências que estarão ao dispor de todos quantos visitarem o local.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 18:10

Janeiro 12 2014
O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, elogiou forma como todos homenagearam Eusébio no clássico, deste domingo, em jogo para 15.ª jornada da Liga portuguesa.

«Quero agradecer a todos que aqui estiveram. Foi uma digna homenagem a Eusébio. Tivemos um silêncio profundo em todo o estádio e todos estiveram de parabéns», afirmou Luís Filipe Vieira, na flash interview.

O presidente do Benfica também elogiou a vitória, mas pediu calma nos festejos: «Foi um jogo bem disputado, ganhou o Benfica, mas são só três pontos e nada mais».
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 20:50

Janeiro 10 2014
Nasceu em Lourenço Marques (hoje, Maputo) e faleceu, em Lisboa, no dia 5 de Janeiro de 2014, o Eusébio da Silva Ferreira, ainda com 71 anos de idade, visto que só atingiria os 72, no próximo dia 25 do mês em curso. O mundo inteiro conhecia-o por Eusébio tão-só, ou pelo Pantera Negra, e fazia dele um dos mais notáveis jogadores de futebol de todos os tempos.

Para o Manuel José, antigo jogador do Benfica e atual treinador de indiscutível qualidade, na RTP1, no dia do passamento do Eusébio: “Ele foi o maior jogador da história do futebol português”. António Simões, seu companheiro de equipa e seu amigo, corroborou a ideia do Manuel José, salientando também que ele era simultaneamente vedeta, ídolo e... operário, pois que havia jogos em que ele, exímio atacante, se sacrificava, batalhando, no primeiro terço do campo, como qualquer defesa. Di Stéfano, presidente honorário do Real Madrid, ao saber da morte do Eusébio, opinou, emocionado e convicto: “Foi o melhor jogador de futebol de todos os tempos”. De referir que o Eusébio emitia igual juízo do Di Stéfano: “Para mim, o Di Stéfano foi o maior jogador de futebol de todos os tempos”. 

E o Eusébio vira jogar o Garrincha, o Pelé, o Maradona, o Cruyff, o Messi, o Cristiano Ronaldo e outras figuras relevantes da prática do futebol. Coluna, telefonicamente, pois que vive no Maputo, disse à televisão portuguesa, de voz embargada pela emoção: “Estou triste! Muito triste!Ele era meu filho! Ele era meu filho!”. 

Seguiu-se um silêncio estático e sentiu-se que o Coluna, o grande capitão da equipa benfiquista do Eusébio – sentiu-se que o Coluna chorava. Para o dr. António Oliveira, jogador-artista e “portista” dos quatro costados: “os restos mortais do Eusébio deveriam repousar no panteão nacional. João Malheiro, o seu biógrafo oficial e amigo dileto, não escondeu, transbordante de ventura: “O Eusébio não morreu. Ganhou a eternidade”.


“In illo tempore”, a ausência de desenvolvimento económico e a extrema desigualdade entre as classes sociais; o facto de a União Nacional, o partido único, ser um cadáver insepulto e a Igreja do Cardeal Cerejeira (seu “amigo do peito”), depois de a Pacem in terris e de o Concílio Vaticano II, ter desaparecido de cena; o nascimento e o renascimento dos movimentos de libertação, nas colónias africanas - enfim, o salazarismo tornara-se praticamente inócuo e Portugal vergava-se ao peso de um crescente descrédito internacional. Pois nessa lusitana década de sessenta, governada por uma gerontacracia política que nem o próprio marcelismo conseguiu susbstituir ou erradicar, o Benfica é campeão europeu, o Sporting conquista a Taça dos Vencedores das Taças e a seleção nacional é a terceira entre as melhores seleções do mundo. 

E o Eusébio, um executante de suma mestria, ficou “per omnia saecula saeculorum” ao lado dos melhores da história do futebol. Eu, que nasci no dia 20 de Abril de 1933, vi jogar várias vezes o Senhor Eusébio da Silva Ferreira que muito fazia sofrer o adepto do Belenenses, que eu sou. Aliás, se me é aqui permitida uma nótula de caráter pessoal, o Peyroteo foi também um rematador inspirado e, por isso, quero trazê-lo ao proscénio, para acrescentar que muito me doíam os golos que ele então fez aos “azuis”. Peyroteo e Eusébio – tinham lugar seguro, na seleção nacional que o Cristiano Ronaldo encima. Mas, adiante! Todos somos tempo. Daí, que a morte seja uma das coisas mais naturais da vida. A nossa imortalidade provém do legado que deixamos às gerações vindouras. O Fernando Peres (ex-Belenenses e ex-Sporting), meu querido amigo, assinalou, na Sport TV: “O Eusébio é imortal, principalmente pelo exemplo que nos deixou”. Fisicamente, todos morremos. É, pelo espírito, pela corporização daqueles valores sem os quais impossível se torna viver humanamente, que nos imortalizamos. Relembro também Nelson Mandela...

Frequentemente exaltado pelos seus colegas e adversários – todos distinguem nele a sua humildade, ou seja, um homem que, embora um superdotado, timbrou em cumprir o seu dever, um mestre que foi permanentemente discípulo, um profissional sui generis que nunca desertou de fazer da prática desportiva um espaço onde se é melhor, não só pelos desempenhos físicos, mas também pelas qualidades verdadeiramente humanas. O Desporto precisa de praticantes, como o Eusébio da Silva Ferreira. O filósofo grego, Aristóteles, disse que “não oferecer ao humano mais do que o humano é atraiçoá-lo”. 

Queria ele dizer na sua que o programa do humanismo deve ser o da passagem do humano a mais humano. Viver, verdadeiramente viver, é ser capaz de transcender-me. Pelo trabalho, pela generosidade, pela honestidade de processos. Uma palavra de gratidão ao atual presidente do Sport Lisboa e Benfica, que sempre viu e distinguiu o Eusébio, como futebolista inigualável, mas também de um aliciante humanismo. 

Dante, numa das suas obras, confessou ser cidadão do mundo, na mesma medida em que os peixes são cidadãos do mar. Cidadão do mundo, ou seja, de olímpica força de ânimo, de aliciante bondade, de inteligente tolerância. Eusébio da Silva Ferreira – desportista porque foi Homem, Homem porque foi desportista! Gaspar Ramos, inesquecível dirigente do futebol benfiquista, afirmou que o Eusébio divide em dois a História do Benfica: antes e depois de Eusébio. No meu modesto entender, também a História do Futebol Português. Porque foi um atleta de inigualável valia? Sem dúvida! Mas também porque cumpriu exemplarmente todos os deveres inerentes à condição humana, tomada esta no seu sentido criador. Que descanse em paz! E, para terminar, não escondo que estou ao lado dos que defendem que os restos mortais de Eusébio deveriam repousar no panteão nacional. Pois não é verdade que o desporto é o fenómeno cultural de maior magia, no mundo contemporâneo?
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:15

Janeiro 09 2014
Cumprido o desejo de Eusébio de dar uma derradeira volta ao Estádio da Luz, um último passeio pela sua casa eterna, há agora, apurou A BOLA, mais um desejo a ser respeitado em nome da memória do pantera negra e já neste fim de semana em que o futebol português vai prestar mais uma homenagem ao king.

A companheira de sempre de Eusébio, Flora, pediu ao Benfica que se respeitasse um minuto de silêncio, numa homenagem à antiga, este domingo, no Estádio Luz, no clássico com o FC Porto, e não um minuto de palmas, hábito que se enraizou no futebol português nos últimos anos.

A vontade foi manifestada à Direção encarnada e esta tudo fará para que tal desejo seja respeitado, pelo que irá fazer um apelo nesse sentido antes do clássico do próximo domingo na Luz, com o FC Porto, com apito inicial às 16 horas. 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 13:29

Janeiro 09 2014
Pablo Aimar, que representou o Benfica entre 2008 e 2013, teve, naturalmente, oportunidade para privar e conhecer muito bem Eusébio da Silva Ferreira. O king viu-o ajudar os encarnados a conquistar, em 2009/10, o título de campeão nacional, precisamente o último da história do clube.

El mago, como era conhecido o antigo número 10 da equipa da Luz, que perfumou o futebol do Benfica em alguns dos melhores momentos da era Jorge Jesus, encontra-se atualmente na Malásia, ao serviço do Johor Darul Takzim, onde, aos 34 anos, dá os últimos passos da carreira internacional, mas nem por isso deixou de viver com emoção a partida do pantera negra, a quem dedicou, através de A BOLA, palavras de admiração e respeito.

«Quero, desde a Malásia, enviar as minhas mais sentidas condolências a toda a família de Eusébio e aos adeptos benfiquistas, com todo o meu respeito e admiração. É uma grande perda para todos. Foi sempre uma pessoa cordial e amável comigo. Com as suas palavras sempre evidenciou sabedoria e compreensão», disse Pablo Aimar.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:30

Janeiro 08 2014
A FIFA vai prestar uma homenagem a Eusébio na gala da Bola de Ouro, marcada para a próxima segunda-feira, em Zurique, na Suíça.
No evento serão desvendados os melhores de 2013, com Cristiano Ronaldo a concorrer com Lionel Messi e Franck Ribéry pelo prémio de melhor futebolista.
Eusébio, recorde-se, foi distinguido por uma vez na carreira com a Bola de Ouro, em 1965, altura em que o prémio ainda não era outorgado pela FIFA.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 20:56

Janeiro 08 2014
Os líderes dos principais partidos políticos aprovaram esta quarta-feira, no Parlamento, a trasladação do corpo de Eusébio, que foi a enterrar segunda-feira no cemitério do Lumiar, para o Panteão Nacional.

Apesar de a iniciativa ter sido aprovada por unanimidade pelos vários partidos com assento parlamentar, não foi determinada uma data para a trasladação.

«Esta é uma deliberação política de grande relevo, é uma exigência democrática, há um consenso unânime entre todos os grupos parlamentares de reconhecimento do Eusébio como uma grande figura nacional, um atleta ímpar, genial que foi uma referência de Portugal e da lusofonia», disse Alberto Martins, líder da bancada do PS, após a reunião, acrescentando que «não há qualquer entrave» em relação à questão levantada pela presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, relativamente aos custos do processo.

Aos jornalistas, o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, declarou que «há um grande consenso por parte de todos os grupos parlamentares no sentido de que a Assembleia da República venha nos termos da lei a conceder ao Eusébio da Silva Ferreira as honras do panteão nacional».

Já Telmo Correia, do CDS-PP justificou a trasladação afirmando que Eusébio «era uma figura consensual em todo o espaço político e desportivo», mas lembrou que «há uma tramitação legal a cumprir».

Em sintonia com os outros partidos, o líder da bancada comunista, João Oliveira, reiterou a disponibilidade do PCP para, dentro de um ano, dar início ao processo de deposição dos restos mortais de Eusébio no Panteão Nacional.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 16:01

Janeiro 07 2014
O Benfica divulgou um vídeo em memória de Eusébio, no qual surgem as mais diversas reações à morte daquele que era apelidado de Pantera Negra.
São muitos os depoimentos recolhidos, destacando-se nomes como Di Stéfano, Pelé, Maradona, Gullit, Schmeichel, Ronaldinho ou Cristiano Ronaldo.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 20:43

Janeiro 07 2014
Eusébio da Silva Ferreira, 71 anos, morreu esta madrugada, mas haverá sempre espaço para o recordar. Veja algumas imagens da sua vida e carreira.
Fonte: A Bola
/
Eusébio
Presente
/
Com
Com
Sempre
No
Durante
/
Eusébio
Remate
/
Com
Eusébio
Eusébio
Eusébio
Eusébio
/
Eusébio
Com
/
publicado por Benfica 73 às 17:45

Janeiro 07 2014
Pedro Mantorras, antigo jogador do Benfica, confessou que sempre sonhou ser como Eusébio. 
«Eusébio é tudo de bom, é uma pessoa que transmitia muita alegria às pessoas. Nunca ninguém se vai comparar a Eusébio, vai sempre marcar a história e ele teve uma grande história. Era uma pessoa humilde, fácil de lidar e aconselhou-me bastante», disse o angolano em declarações à Benfica TV, que chegou a ser comparado ao Pantera Negra:

«É uma honra ter sido comparado a Eusébio, mas Eusébio há só um. Ele era o rei, ele era o King. Quando saí de África eu, e todos os jogadores jovens, queríamos ser igual ao Eusébio, era esse o sonho. Quando cheguei ensinou-me o que é o Benfica e a sua grandeza. Ajudou-me sempre também quando tive as lesões.»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 15:14

Janeiro 07 2014
Conhecido adepto do Benfica, o vereador da Câmara de Lisboa Fernando Seara disse, este domingo, ser benfiquista por causa do Pantera Negra, que faleceu aos 71 anos, vítima de insuficiência cardíaca.

«Sou do Benfica por causa dele. O meu pai disse-me um dia: quando estiveres com Eusébio vais tratá-lo por senhor Eusébio. E assim fiz, dizendo-lhe que o meu pai lhe mandava um abraço», disse.
O ex-presidente da Câmara de Sintra revelou ter ceado com Eusébio no passado dia 23 de dezembro, com quem mantinha uma «relação de amizade íntima».

«Tínhamos uma relação de amizade íntima e nessa ceia ele lembrou-me para que eu não esquecesse o aniversário dele, no final de janeiro», acrescentou.
Questionado sobre qual seria hoje o preço de Eusébio como jogador, o vereador de Lisboa disse: «Um amigo não tem preço. Como futebolista são outros tempos».

Fernando Seara contou, também, que quando recebeu o presidene turco, Abdullah Gül, em Portugal, conversando sobre equipas dos anos 60, o líder turco pediu-lhe uma camisola de Eusébio. Falando com a esposa do Pantera Negra, o então autarca de Sintra conseguiu chegar à fala com o Rei, tendo este assinado uma camisola para Gül levar para o seu país.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 14:46

Janeiro 07 2014
Na conferência de Imprensa que se seguiu ao jogo da Taça de Inglaterra entre o Chelsea e o Derby County, José Mourinho voltou a recordar Eusébio da Silva Ferreira. «Pessoas como ele nunca morrem», disse o treinador português aos jornalistas ingleses.

«Para vocês, Eusébio é um dos melhores futebolistas da história. Para Portugal ele significa mais do que isso: não há cor, não há clubes, não há cores políticas. Para os portugueses, Eusébio é Eusébio. Nos próximos dias vão ver o que ele significa para Portugal», afirmou.

«Conhecia-o desde os meus tempos de criança. Ele jogou com o meu pai [Félix Mourinho] na Seleção Nacional, enviava-me presentes no meu aniversário porque fazíamos anos com um dia de diferença. Estive com ele pela última vez na Ucrânia, na fase final do Europeu», contou Mourinho, enfatizando a dimensão eterna do Pantera Negro.

«Ele desfrutou da vida fora dos relvados. Pessoas como ele nunca morrem, a História não o deixará morrer. Deixa um grande legado. Que descanse em paz», desejou.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 12:16

Janeiro 07 2014
Antes do início do jogo entre o Real Madrid e Celta de Vigo, o Santiago Bernabéu calou-se e homenagem o King. 
Cristiano Ronaldo conteve as lágrimas, não chorou mas prestou, à sua maneira, com dois golos, uma vénia, a Eusébio, o eterno pantera negra. 
«Agradeço a homenagem que todos os meios de comunicação social fizeram a Eusébio. Ambos somos portugueses e Portugal sentiu o carinho de Espanha e do Mundo. Os dois golos que marquei foram para ele. Eusébio era uma pessoa muito próxima, ajudou-me muito e sempre esteve connosco na Seleção. Ontem foi um dia triste», recordou o capitão da Seleção Nacional, que bisou no triunfo dos merengues sobre os Celta por 3-0. 
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 11:15

Janeiro 07 2014
Cemitério do Lumiar, a última morada de Eusébio. Perante autêntica multidão, que provocou grande atraso na cerimónia, a urna com os restos mortais do Pantera Negra foi sepultada.

Lágrimas, aplausos e cânticos - «És o nosso rei, Eusébio», foi frequentemente entoado. A pouca luminosidade e a muita chuva que foi caindo dificultaram toda a cerimónia, celebrada pelo padre Delmar Barreiros.

Mais de uma hora após ter dado entrada no cemitério, a urna foi enterrada, provocando imensas lágrimas entre os presentes, mas sempre, também, muitos aplausos e cânticos. 

Referência a Rui Costa e Oscar Cardozo, que colocaram sobre a urna, então já pronta a ser soterrada, a bandeira do Benfica. Descansa em paz, Eusébio!
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:54

Janeiro 07 2014
A polémica estava tão quente quanto a temperatura estival: Cardozo empurrara Jesus na final da Taça de Portugal, andara a treinar-se à parte e a possibilidade de sair fora uma constante. Mas houve quem se opusesse: na inauguração do Museu Cosme Damião, Eusébio pediu para que houvesse um entendimento, que o Benfica não podia prescindir de um goleador como o paraguaio.

Foi, apenas, um exemplo da admiração que o pantera negra tinha pelo Tacuara. E Cardozo foi, ontem, um dos jogadores mais emocionados na despedida de quem nunca viu jogar. Ainda na entrada principal, quando o corpo se encontrava junto à águia de mármore, o ponta de lança pediu para ver-lhe o rosto. Seguiram-se segundos de introspeção e alguma comoção, transportando com os dedos um beijo à testa do king. 

No cemitério, Cardozo raramente saiu de perto do carro funerário, exibindo uma linguagem facial e corporal reveladoras de um apego quase familiar. Ao que A BOLA apurou, a razão é simples: o avançado desenvolveu com Eusébio uma relação estreita, porque se encontravam muitas vezes à noite num restaurante em Sete Rios, jantando juntos e mantendo longas conversas sobre futebol, o Benfica e aquilo que tanto os unia: a arte de marcar golos. 

As palavras de Cardozo, à entrada para a missa, na Igreja do Seminário, no Largo da Luz, foram curtas para tanto sentimento do jogador de 30 anos. «Aprendi muito com Eusébio», disse o camisola 7 do Benfica. Mais não disse, devido aos condicionalismos que rodeiam a equipa profissional dos encarnados. Mas percebeu-se que queria dizer mais.

Exprimiu-se, depois, com lágrimas, no momento de o caixão descer à terra, no cemitério do Lumiar. Habitualmente fleumático, o «miúdo» paraguaio mostrou, afinal, que também chora. «Miúdo» era como Eusébio tratava os jovens jogadores. Era assim, por exemplo, que o king se referia a Maradona.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:51

Janeiro 06 2014
Também Ricardo Araújo Pereira fez questão de, este domingo, passar pelo Estádio da Luz, para prestar homenagem a Eusébio que considera ter partido cedo demais, pois 71 anos «é cedo para uma divindade».

«Não o vi ao vivo, só a preto e branco, portanto é quase uma questão de fé acreditar que o Eusébio conseguia fazer aquilo que fazia. Ainda hoje vi algumas imagens e parece mentira um ser humano fazer aquele tipo de coisas», disse Ricardo Araújo Pereira, visivelmente emocionado e a tentar conter as lágrimas, considerando ainda que morrer aos 71 anos «é cedo para uma uma divindade».

«Quando as minha filhas nasceram mandei SMS para os meus amigos a dizer “já somos seis milhões mais um”, mas hoje sinto que não foi só um que morreu», acrescentou o comediante, revelando que Eusébio tornou a sua vida melhor:
- A minha vida é muito melhor por causa do Benfica e o Benfica é muito melhor por causa do Eusébio, portanto a minha vida é melhor por causa do Eusébio.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:09

Janeiro 06 2014
Se havia quem rivalizasse com Eusébio enquanto jogador era Pelé, que também não ficou indiferente à morte do Pantera Negra, lamentando ter perdido um «irmão».
«Lamento a morte do meu irmão Eusébio. Ficamos amigos na Copa de 66, em Inglaterra» recordou Pelé, referindo-se ao Mundial em que Portugal ficou em terceiro lugar, a melhor classificação lusa de sempre, no qual o Pantera Negra foi o melhor marcador da prova, com nove golos.
«Nosso último encontro foi no recente jogo entre Brasil e Portugal, em Boston. Meus pêsames a seus familiares. Que Deus o receba de braços abertos», acrescentou Pelé, na sua página oficial no Facebook, a acompanhar uma fotografia de ambos, tirada em 1963.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 10:03

Janeiro 06 2014
Eusébio da Silva Ferreira morreu, este domingo, aos 71 anos, vítima de insuficiência cardíaca.
Milhares de portugueses quiseram dizer adeus pela última vez ao Pantera Negra, tendo enchido o Estádio da Luz numa homenagem memorável.
Recorde aqui os principais momentos do dia.
(Fotos: Rui Raimundo/ASF)
Fonte: A Bola
Almeida
Equi
Bandeiras
Milhares
/
Carro
/
Mar
Caixão
Uma
O
Manancial
Estátua
/
/
Romaria
As
Fila
/
João
O
Marco
Rui
António
Seguro
Todos
/
No
Manuel
publicado por Benfica 73 às 09:44

Janeiro 06 2014
O ex-jogador do Benfica Rui Costa mostrou-se, este domingo, consternado com a morte de Eusébio, lembrando que foi ele o seu primeiro treinador no Benfica e aquele que fez com que Rui Costa lá ficasse, na altura, com nove anos.

«Acabei por fazer a carreira que fiz porque o meu treinador era ele. Ele tinha um carinho muito grande por mim, nunca perdia a oportunidade de me dar um conselho e de me pedir para chutar à baliza», disse Rui Costa à Benfica TV, acrescentando que «só a presença dele na Seleção e no Benfica era já um motivo de inspiração».

«Temos o maior orgulho que tenha representado este clube, mas este homem é de um país inteiro, é o símbolo máximo que o nosso País tem», sublinhou.
Rui Costa vincou a «simplicidade extraordinária» de Eusébio e lembrou a coincidência do dia da sua morte.
«O domingo sempre foi considerado o dia do futebol e ele acabou por escolher o domingo como o dia da sua partida.»
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:17

Janeiro 06 2014
Manchester rendeu-se no último adeus a Eusébio. Na partida de hoje entre o Manchester United e o Swansea, para a Taça de Inglaterra, em Old Trafford, o minuto de silêncio em memória do Pantera Negra foi trocado por um emotivo minuto de aplausos por parte de todos os adeptos presentes na casa do Manchester United.

Com uma bandeira de Portugal a meia haste em Old Trafford, todos os adeptos, sem exceção, levantaram-se para o último grande aplauso a Eusébio da Silva Ferreira.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 08:57

Janeiro 06 2014
A sala onde se encontra o corpo de Eusébio da Silva Ferreira em câmara ardente já encerrou esta noite, reabrindo na segunda-feira às 9.30 horas.

Milhares de pessoas deslocaram-se, este domingo, ao Estádio da Luz, para prestar uma última homenagem ao Pantera Negra, tendo as portas encerrado às 23.50 horas e a urna três minutos depois.

Segunda-feira, o corpo de Eusébio sairá, pelas 13.30 horas, para dar uma volta em torno do Estádio. 
Às 15.15 horas, haverá um cortejo até à Praça do Município, em Lisboa, passando pela Segunda Circular, Campo Grande, Avenida da República, Saldanha, Av. Fontes Pereira de Melo, Marquês de Pombal, Av. da Liberdade, Restauradores, Rossio, Rua do Ouro e Rua do Arsenal. O regresso será feito pela Rua São Julião, Rua da Prata e Praça da Figueira.

Às 16 horas haverá missa de corpo presente na Igreja do Seminário, no Largo da Luz, seguindo o funeral para o cemitério do Lumiar, às 17 horas.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 01:48

Janeiro 05 2014

Eusébio da Silva Ferreira, 71 anos, morreu esta madrugada, pelas 3.30, vítima de paragem cardiorrespiratória.
O antigo jogador, e embaixador do futebol portugês pelo mundo, já vinha dando sinais de saúde debilitada, tendo estado internado em junho de 2012 no Hospital da Luz, na sequência de um acidente vascular cerebral (AVC) que sofreu na Polónia.

Eusébio estava em Poznan, a acompanhar a seleção nacional durante o Campeonato da Europa de futebol, quando se sentiu mal e foi internado num hospital daquela cidade polaca.
Considerado um dos melhores jogadores de todos os tempos destacou-se ao serviço do Benfica e da Seleção Nacional, tendo sido determinante na conquista do terceiro lugar no Campeonato do Mundo de 1966.

O «Pantera Negra» era conhecido pela sua velocidade, técnica e pelo seu poderoso e preciso remate de pé direito.
Eusébio da Silva Ferreira nasceu em Lourenço Marques, a 25 de Janeiro de 1942 no Bairro de Mafalala, actual Maputo, Moçambique. 
Eusébio jogou pelo Benfica 15 dos seus 22 anos como jogador de futebol. Ainda hoje detem o recorde de goloso dos encarnados com 638 golos em 614 jogos oficiais.

No Benfica ganhou 11 Campeonatos Nacionais (1960-1961, 1962-1963, 1963-1964, 1964-1965, 1966-1967, 1967-1968, 1968-1969, 1970-1971, 1971-1972, 1972-1973 e 1974-1975), 5 Taças de Portugal (1961-1962, 1963-1964, 1968-1969, 1969-1970 e 1971-1972), 1 Taça dos Campeões Europeus (1961-1962) e ajudou a alcançar mais três finais da Taça dos Campeões Europeus (1962-1963, 1964-1965 e 1967-1968).

Foi o maior marcador da Taça dos Campeões Europeus em 1965, 1966 e 1968. Ganhou ainda a Bola de Prata sete vezes (recorde nacional) em 1964, 1965, 1966, 1967, 1968, 1970 e 1973. Foi o primeiro jogador a ganhar a Bota de Ouro, em 1968, façanha que mais tarde repetiu em 1973.

Eusébio recebeu várias distinções nacionais e estrangeiras ao longo da vida, entre elas os colares de Mérito Desportivo (1981) e de Honra ao Mérito Desportivo (1990), além da «Águia de Ouro», o mais alto galardão do Benfica, em 1982.

Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:21

Dezembro 08 2013
A bola de Eusébio da Silva Ferreira no Estádio da Luz desapareceu? Não, nada disso. 
A peça em bronze que faz parte da estátua de homenagem ao king que se encontra na praça centenarium, mesmo em frente à porta 18, que dá acesso, entre outras zonas do recinto encarnado, à SAD, não está no lugar que lhe tem sido reservado nos últimos anos, mas apenas porque o Benfica a mandou retirar para a realização de uma operação de restauro. 
Por isso, em breve, a peça será reposta no local que lhe está destinado.
O caso, entretanto, foi assinalado nos últimos dias nas redes sociais, mas no dia do jogo com o Arouca, anteontem na Luz, muitos benfiquistas estiveram perto da estátua sem dar pela falta da redondinha.
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 09:51

Novembro 11 2013

Antes do Tacuara, o último jogador do Benfica a marcar um hat trick aos leões para a Taça de Portugal foi o Pantera Negra, em 1972, mas ninguém o havia feito emjogos em casa. E foi também a velha glória encarnada quem ajudou a segurar o Tacuara na Luz,pois, como confessa a O JOGO, "quem marca 30 golos por época não pode sair"

Nem no Campo Grande, nem no antigo Estádio da Luz - nenhum jogador do Benfica até ao último sábado havia apontado três golos na condição de visitado num dérbi com o Sporting para a Taça de Portugal, facto que reforça a dimensão do cometimento de Cardozo. Os dois históricos do futebol nacional já se defrontam nesta prova desde 1942, mas o feito do matador ganha outra expressão quando se percebe que foi Eusébio a festejar o último hat trick sobre os leões na prova (1972). O próprio Pantera Negra, aliás, revela a O JOGO que meteu uma cunha ao presidente para segurar o goleador - sem a pressão dele, talvez anteontem não tivesse havido festa paraguaia na Taça.
Fonte: O Jogo
publicado por Benfica 73 às 17:09

BENFICA 73
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


comentários recentes
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...
Tanto quanto narra a história a Cinderela saiu ven...
Fosse eu a tratar deste assunto e se este está a d...
Semeaste muitos ventos ó nalguinhas! Agora, aguent...

contador visitante