Abril 22 2015

Eduardo Salvio está numa corrida contra o tempo para chegar ao clássico em condição física aceitável para dar o contributo à equipa, segundo noticia esta quarta-feira A BOLA.
O extremo direito argentino, de 24 anos, falhou o jogo com o Belenenses por uma questão de precaução, após ter acusado um estiramento na coxa da perna direita.
O argentino iniciou a semana a efetuar somente tratamento e trabalho de ginásio, não tendo ainda comparecido no relvado para treinar-se com a equipa.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:50

Abril 15 2015
 

Jonas e Nico Gaitán apresentam mialgias (dores nos músculos) desde a receção à Académica, situação que, tudo indica, não os vai impedir de defrontar o Belenenses, sábado à tarde, no Restelo, a contar para a 29.ª jornada do campeonato.

A época caminha a passos largos para o final e começa a apresentar faturas aos futebolistas mais utilizados. É o caso de Jonas e Nico Gaitán, que iniciaram a preparação para o dérbi de Lisboa com queixas musculares. O problema "nasceu" logo após a receção à Académica, que proporcionou uma vitória gorda (5-1) à equipa de Jorge Jesus. Não inspirando cuidados de maior, a questão não deixa, porém, de ser limitativa, tendo os jogadores sido poupados no arranque da "operação Restelo". Com o decorrer da semana – e caso não suceda qualquer percalço –, o brasileiro e o argentino acabarão por ser reintegrados, fortalecendo o conjunto para um jogo considerado importantíssimo na corrida ao bicampeonato.

 

Pesos-pesados

Jonas e Nico Gaitán são quase imprescindíveis no Benfica 2014/15. Embora Jorge Jesus seja perito em encontrar soluções, a verdade é que a presença destes jogadores aumenta significativamente as hipóteses de a equipa da Luz ser bem-sucedida no Restelo.

O duelo com a Académica é um bom exemplo. Jonas foi considerado por Record o melhor homem em campo, tendo castigado a Briosa com dois disparos para o fundo da baliza. Sem ter realizado uma exibição do outro mundo, Nico Gaitán, esse, voltou a assinar alguns lances de elevada nota artística.

Jorge Jesus tenciona lançá-los de início na tarde de sábado, colocando o camisola 10 no flanco esquerdo e o n.º 17 no ataque, bem perto de Lima. O Belenenses é um dos adversários que ainda não conhecem o veneno de Jonas, o qual ficou em branco no desafio da primeira volta (alinhou os 90 minutos).

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:29

Abril 12 2015

capture-20150412-094413.png

O SL Benfica venceu, este sábado, a Académica de Coimbra (5-1), na 28.ª jornada da Liga NOS.

O pedido foi feito e os adeptos acederam prontamente. A “onda vermelha” voltou à Luz e a equipa comandada por Jorge Jesus respondeu com cinco golos e uma exibição de luxo perante os 56.197 mil espectadores.

Entrada avassaladora que cedo começou a dar frutos. O SL Benfica entrou pressionante e a tentar encostar os “estudantes” à sua grande área.

 

E só foi preciso esperar sete minutos para se assistir à primeira “explosão” nas bancadas. Pizzi cruzou da direita e Jardel cabeceou para os fundos das redes da baliza de Cristiano. Estava feito o 1-0 e o quarto golo do central.

Quatro minutos depois, aos 11’, foi Jonas que fez levantar o público. Depois do cruzamento de André Almeida – uma das novidades do onze, para o lugar do castigado Eliseu – o avançado brasileiro, de cabeça, voltou a faturar.

Apesar dos dois golos de rompante, a pressão não abrandou. Aos 19’, Luís Ferreira assinalou falta cometida sobre Lima dentro da área. O brasileiro não desperdiçou e rematou para o 3-0. O SL Benfica chegava ao intervalo com o jogo resolvido, depois de uma fortíssima entrada em campo.

 

No segundo tempo, o brilho manteve-se. Aos 53’, passe de André Almeida para o brasileiro Jonas que voltou a colocar a bola fora do alcance de Cristiano (4-0).

Aos 61’, as bancadas da Catedral levantaram-se para aplaudir Fejsa, o sérvio que, onze meses depois, voltou a pisar o relvado do Estádio da Luz. Entrou para o lugar de Andreas Samaris.

A formação orientada por Jorge Jesus voltou a acelerar o ritmo e os “estudantes” tiveram enormes dificuldades para evitar os lances de perigo na baliza de Cristiano. Aos 79’ foi Rafael Lopes quem marcou o golo de honra da Académica de Coimbra.

 

Regressou e marcou. Aos 84', o pontapé fulminante do jogador que regressou à equipa A um ano e duas operações depois fechou o resultado nos 5-1.

Aos 86’, mais uma novidade. Jonathan Rodriguéz entrou, pela primeira vez ao serviço da equipa principal, para o lugar de Jonas.

Na próxima jornada, o SL Benfica vai até ao Restelo encontrar o Belenenses, numa partida marcada para as 18h00 de sábado, 18 de abril.

Alinharam de início: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, André Almeida; Samaris (Fejsa, 61’), Pizzi, Salvio (Ola John, 72’), Gaitán; Jonas e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo Aqui

Fotos Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:40

Abril 10 2015

A direção do Valência pretende a continuidade do lateral português João Cancelo, cedido pelo Benfica, mas não estará interessado em pagar os 15 milhões de euros pedidos pelo clube português.
De acordo com o Superdeportes, o treinador Nuno Espírito Santo deu o aval para que a direção avance na contratação em definitivo de Cancelo, mas não pelos 15 milhões de euros que exige o Benfica, visto que o clube espanhol considera que o lateral é um jogador promissor, mas que ainda não vale esse preço.
A boa relação entre os dois clubes e os múltiplos negócios feitos nos últimos tempos podem facilitar um possível entendimento.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 11:32

Abril 09 2015

O Benfica lançou uma campanha para os adeptos intitulada #colinho, que visa levar os adeptos a comprar bilhetes para a bancada família.
A iniciativa decorre no piso zero de duas bancadas do Estádio da Luz, onde se realizam atividades dedicadas às crianças.
A publicidade da campanha mostra pais a darem colo aos filhos.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:55

Março 20 2015

O Valencia vai esperar pelo final da temporada para decidir sobre a continuidade de João Cancelo no plantel, apurou Record junto de fonte do emblema espanhol. Em causa está a possibilidade de o lateral-direito formado no Benfica ser contratado em definitivo pelo clube detido pelo milionário Peter Lim.

O jornal "Marca" garante que já decorrem conversas entre Benfica e Valencia e que os encarnados querem 15 milhões de euros para abrir mão do lateral-direito, de 20 anos e que soma 9 presenças esta época (7 como titular). Na primeira resposta, o clube che disse que por aqueles valores o negócio não se faz.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 09:22

Março 18 2015

O treinador do Benfica termina contrato com o clube da Luz no final desta época, mas já demonstrou a sua vontade de continuar no comando técnico das águias e admite reduzir o seu salário. No entanto, segundo avança o Diário de Notícia, Jorge Jesus exige em troca melhores jogadores.

Atualmente, o salário do técnico português é de quatro milhões de euros por ano e Jesus diz que aceita uma redução desse valor se a SAD garantir um plantel reforçado na próxima temporada, com grandes jogadores, de modo a apostar fortemente numa grande performance nas competições europeias.

De acordo com a mesma fonte, o treinador encarnado aceita a imposição do presidente de ter na equipa principal do Benfica jogadores oriundos das camadas jovens, mas afirmou que não pretende abdicar da contratação de jogadores mais experientes que possam ser uma mais-valia para a Europa.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 12:19

Março 17 2015

Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa voltaram a sentar-se na mesa do Conselho de Presidentes, demonstrando que continuam em sintonia no objetivo de ajudar a Liga a resgatar a credibilidade perdida durante o mandato de Mário Figueiredo. Mesmo com as respetivas equipas a travarem uma intensa luta pelo título de campeão nacional dentro das quatro linhas, os líderes de Benfica e FC Porto deram novo sinal de que são capazes de colocar as suas divergências de parte em prol da causa maior.

As vozes de Vieira e Pinto da Costa fizeram ouvir-se durante o debate neste órgão meramente consultivo, pelo menos a nível oficial, mas que toma decisões que posteriormente são obviamente aprovadas na AG.

De resto, o dirigente máximo dos encarnados foi o último a chegar e não ficou para a AG da Liga que se seguiu, deixando o clube representado pelo assessor jurídico Paulo Gonçalves, enquanto Pinto da Costa ficou até ao fim, aguentando as seis horas de reuniões. Além de águias e dragões, também V. Guimarães, P. Ferreira, Rio Ave, Boavista, Nacional, Académica, Arouca, Estoril e Chaves marcaram presença no Conselho de Presidentes. Por outro lado, Belenenses, Marítimo, V. Setúbal, Moreirense, Penafiel, Leixões, Beira-Mar e Aves optaram por não comparecer. Sporting, Sp. Braga, Gil Vicente e Oriental foram representados por observadores.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:23

Março 16 2015

n2.jpg

publicado por Benfica 73 às 14:28

Março 16 2015

n1.jpg

publicado por Benfica 73 às 11:44

Março 16 2015

Mais de meio milhão de pessoas já estiveram nas bancadas do Estádio da Luz, esta época, nos jogos para a Liga.
No total, o palco dos encarnados recebeu 538.560 espectadores em 12 encontros.
A última receção, sábado, ao SC Braga, registou a presença de 60.222 visitantes, a segunda melhor casa da época, apenas batida no derby com Sporting, ao qual assistiram 61.895 espectadores.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 09:25

Março 15 2015

capture-20150315-094929.png

“Inferno da Luz” ao rubro, com 60.222 mil adeptos nas bancadas a vestirem de emoção e fervor a Catedral. Lá em baixo, à flor da relva, empurrados pelos Benfiquistas, os verdadeiros artistas não defraudaram as expetativas e partiram para uma grande partida de Futebol.

Líder isolado frente ao 4.º classificado da geral, com os comandados de Jorge Jesus a entrarem com tudo, mostrando cedo que os três pontos eram o objetivo a alcançar… e o mais rapidamente possível!

 

Cinco minutos decorridos e grande penalidade que ficou por assinalar. Lance na grande área arsenalista, com a bola a bater no braço de Aderlan. Artur Soares Dias mandou seguir.

O SL Benfica controlava as operações, face a um Braga a jogar no erro do adversário e que somente aos 14’ conseguiu fazer o seu primeiro remate à baliza de Júlio César.

Momentos antes fora o Benfica a dar o primeiro grande sinal de perigo. Cruzamento de Gaitán, com Jardel a cabecear para defesa atenta de Matheus.

O golo acabaria por chegar naturalmente. Minuto 20’, belíssima jogada de futebol apoiado, com Gaitán a servir Jonas que, de primeira, remata forte de meia-distância para o 1-0. Golo 20 do brasileiro com a camisola “encarnada” a levar as bancadas ao rubro.

 

Os comandados de Sérgio Conceição respondiam como podiam… mas face a um Benfica mandão e a saber muito bem aquilo que quer, o jogo manteve-se de sentido único.

Pizzi mesmo a milímetros de dilatar a vantagem, contudo, quase que miraculosamente, Aderlan corta a bola em cima da linha de golo.

Também Salvio, acrobaticamente, tentou a sorte, mas a redondinha não quis entrar.

Ao intervalo, o 1-0 para as “águias” era curto, muito curto para a superioridade apresentada em campo, face a um SC Braga praticamente nulo a usar e a abusar da agressividade. O que dizer da agressão de Rúben Micael a Gaitán?

 

Faltaram mais golos para abrilhantar a festa!

Segunda metade com entrada mais forte do visitante, mas o Benfica respondeu prontamente, anulando por

completo as intenções adversárias.

Os “encarnados” subiram novamente as linhas, pressão altíssima, com o coletivo a partir para uma grande segunda parte, à semelhança dos primeiros 45 minutos.

O jogo agressivo dos arsenalistas manteve-se e Tiago Gomes acabou mesmo por ser expulso face a uma entrada despropositada sobre Salvio.

No lance seguinte cheirou a golo, com Lima – isolado - a rematar contra Matheus; na recarga Pizzi não acerta por muito pouco na baliza.

 

De seguida foi Eliseu. Remate fortíssimo, com o guardião bracarense a chamar a si mais uma grande intervenção. Eliseu tentou novamente, mais uma “bomba”, mas agora a bola a passar por cima da trave… e à terceira foi mesmo de vez! Minuto 76’, mais um pontapé fulminante, desta feita sem qualquer hipótese para Matheus. Estava feito o 2-0 que há já muito se justificava.

Com este resultado, justíssimo, o SL Benfica segue isolado na frente da tabela classificativa, e é também o dono do melhor ataque da Liga NOS.

As “águias” alinharam com o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira (André Almeida, 89'), Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio, Samaris (Rubem Amorim, 77’), Pizzi, Gaitán (Ola John, 84’); Jonas e Lima.

No próximo fim-de-semana disputa-se a 26.ª jornada da Liga NOS, com o SL Benfica a viajar até ao Estádio dos Arcos. Frente ao Rio Ave, numa partida agendada para as 18h00 de sábado, só os três pontos interessam.

Recorde aqui as principais incidências da vitória sobre o SC Braga.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:24

Março 11 2015

n.jpg

publicado por Benfica 73 às 14:21

Março 10 2015

no.jpg

publicado por Benfica 73 às 12:09

Março 09 2015
 

capture-20150309-125027.png

O Benfica saiu para o intervalo em desvantagem e a exibir dificuldades para impor o seu jogo ante um Arouca muito faltoso – 15 faltas na etapa inicial – e coeso a organizar-se defensivamente. A proximidade entre os sectores defensivo e intermédio, formados por duas linhas de quatro, fechou as entrelinhas, estorvando a empreitada de Jonas, Pizzi e Gaitán (o mais incisivo), juntando-se competência no controlo da profundidade, determinante para abater a construção mais longa dos encarnados. Eficaz, o Arouca aproveitou a oportunidade de golo de que fruiu, explorando um erro crasso de Eliseu, que não respeitou a linha de fora-de-jogo [1] e foi pouco belicoso a reagir ao erro, permitindo a Iuri Medeiros a oportunidade de corresponder com classe à brilhante solicitação de Nelsinho para as costas da defesa.


A todo o gás

A entrada de Talisca indicou que Jesus queria aumentar o ritmo de jogo e a velocidade na circulação para chegar com mais ferocidade à baliza adversária. Uma falha garrafal de Goicoechea [2], ao iniciar uma ação de construção contra as costas de Lima, permitiu a Jonas assinar o empate, seguindo-se um período de desnorte do Arouca. Gaitán, ao acreditar que podia impor-se a Diego e Balliu [3], desenhou a consumação da reviravolta, assinada por Lima na recarga a remate de Jonas. Os 11 minutos de vertigem dos encarnados concluíram-se com a expulsão de Hugo Basto.

Permanentemente num limbo entre o flamante e o caótico, Ola John entrou bem num jogo que se encontrava partido. Mais uma vez, assinou um brilhante passe de rutura [4] que isolou Lima para o 1-3, exibindo competência na leitura de jogo e argúcia na forma como buscou as costas de uma defesa desalinhada.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 13:04

Março 09 2015

Num jogo sem grandes dificuldades, Vasco Santos complicou e fez vista grossa a dois penáltis na área de Goicoechea. Ação disciplinar foi devidamente ajustada.


49' - penálti 1 (ERRADO)

Diego Galo salta para Lima de Gaitán, sem disputar a bola, quando o argentino se preparava, na área, para a dominar. Um grande penalidade evidente que ficou por assinalar


57' - golo (CERTO)

Lima remata ao poste e a bola acaba por entrar totalmente na baliza, apesar de Goicoechea ter sido lesto a afastá-la com as mãos

 


 

 

 

58' - penálti 2 (ERRADO)

Jonas tenta driblar Balliu mas o espanhol, de braços bem abertos, acaba por anular a ação do brasileiro. Outra grande penalidade por assinalar

 

 

 
 

62' - expulsão (CERTO)

Lima seguiria isolado para a baliza, pela zona frontal, se Hugo Basto não o tivesse travado. O árbitro tomou a opção correta ao mostrar-lhe o cartão vermelho e não o amarelo, já que anulou jogada de possível golo

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:08

Março 09 2015
O Benfica recuperou ontem a vantagem de quatro pontos para o FC Porto, graças ao triunfo (3-1) obtido em Arouca, num estádio onde nunca havia jogado. A vitória foi construída pelos inevitáveis Lima e Jonas. Pode dizer-se que o campeão nacional e líder isolado da Liga anda ao colo dos artilheiros.

Os dois avançados brasileiros têm sido influentes nos últimos jogos do Benfica. Depois do empate em Alvalade, ponto conquistado graças ao remate certeiro de Jardel, em período de compensação, os encarnados somaram quatro triunfos consecutivos. Ora, a dupla deixou marca em todos, sendo responsável por 9 dos 15 golos marcados – o equivalente a 60 por cento.


Lima, que ascendeu à segunda posição dos melhores marcadores do campeonato, com 12 remates certeiros (menos cinco do que Jackson Martínez), bisou diante do V. Setúbal, enquanto Jonas fechou o triunfo em Moreira de Cónegos. Na goleada ao Estoril, na jornada passada, os dois voltaram a entrar em ação. Desta vez, coube ao ex-Valencia bisar, tendo o camisola 11 desfeiteado Kieszek uma vez. Ontem, o sucesso em Arouca teve assinatura dos goleadores.


Águia chega aos 400

Com os três golos de ontem à tarde, o Benfica chegou aos 400 em partidas do campeonato, sob o comando de Jorge Jesus. Um registo que mostra o poder de fogo do conjunto comandado pelo técnico amadorense. Olhando para os rivais, nas últimas seis épocas, o FC Porto é o que mais se aproxima, com 395, enquanto os leões somam 262. O Benfica reforçou o estatuto de melhor ataque da Liga, somando 60 golos, em 24 jogos – mais dois do em 2013/14.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:03

Março 09 2015

O SL Benfica venceu, este domingo, o Arouca, por 1-3, depois de ter estado a perder por 1-0 ao intervalo. No segundo tempo, conseguiu a reviravolta que lhe permite manter-se na liderança da Liga NOS, com quatro pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o FC Porto.

O Municipal de Arouca vestiu-se de vermelho para assistir à 24.ª jornada da Liga NOS. Para receber o líder, houve ainda direito a uma bancada amovível com capacidade para dois mil espectadores.

 

Um arranque inesperado que surpreendeu tudo e todos. Aos 7’, após cruzamento de Nelsinho, Iuri Medeiros fez o primeiro golo da tarde, sem hipótese de defesa para Júlio César – ele que foi a grande novidade do onze “encarnado”, tendo regressado à baliza depois da lesão frente ao Boavista.

Os Campeões Nacionais tentaram responder e as oportunidades foram-se repetindo. Primeiro Pizzi (13’), à entrada da área, com Goicoechea a afastar para canto. Seguiu-se Salvio, aos 19’, a rematar para mais uma enorme defesa do guardião arouquense. E nem à terceira foi de vez. Novamente o argentino a tentar a sorte, aos 30’, com um remate à trave. A formação liderada por Jorge Jesus chegou, assim, ao intervalo, em desvantagem no marcador.

 

No segundo tempo, continuavam a ouvir-se os cânticos nas bancadas, palavras de incentivo que empurraram

as “águias” para a reviravolta. Jonas, aos 51’, repôs a igualdade, com um remate de fora da área.

Aos 56’ foi a vez de outro brasileiro. Após um remate de Jonas, com a bola a ir ao segundo poste, Lima empurrou para a baliza de Goicoechea. Estava feito o 1-2.

Aos 58’, após lance de Jonas, fica a ideia de que Ivan jogou com o braço na área, mas Vasco Santos mandou seguir…

Hugo Basto viu, aos 64', cartão vermelho após agarrar ostensivamente Lima que se esgueirava para a baliza.

E se dúvidas houvesse, Lima acabou com elas. Aos 77’, o avançado brasileiro, após grande passe de Ola John, - que tinha entrado há minutos pra o lugar de Gaitán – bisou na partida e somou o 12.º golo na Liga portuguesa.

Com este resultado, o líder SL Benfica conserva os quatro pontos de vantagem para o segundo classificado, o FC Porto.

No próximo sábado, 14 de março, o SL Benfica recebe na Luz o SC Braga na 25.ª jornada da Liga NOS. A partida está marcada para as 17h00.

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze: Júlio César; Maxi, Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio (80’ Ruben Amorim), Samaris (45’ Talisca), Pizzi, Gaitán (72’ Ola John); Lima e Jonas.

Reveja aqui as principais incidências deste desafio.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:27

Março 06 2015
O Benfica faz mais 3.100 quilómetros (arredondando para baixo) do que o FC Porto no campeonato, levando em consideração as 15 deslocações que se realizam em Portugal continental. Motivada pela localização dos adversários, a diferença repercute-se no número de horas passadas no autocarro, mais 27 para a equipa da Luz, que sofre assim um desgaste acrescido em relação ao grande rival na corrida pelo título nacional.

A distância e o tempo deste exercício são calculados a partir da aplicação Google Maps, podendo os números apresentados sofrer ligeiras variações, mediante a escolha de percursos alternativos, a velocidade e a condição atmosférica. Por outro lado, o ponto de partida definido por Record são os estádios dos dois intervenientes, apesar de as comitivas iniciarem, algumas vezes, a viagem nos respetivos centros de estágio, localizados no Seixal e em Vila Nova de Gaia.


Uma vida no autocarro

A mais importante prova do calendário português está claramente virada a Norte e isso paga-se... na estrada, uma vez que o Benfica e o FC Porto se deslocam sempre de autocarro no território continental, raramente o trocado pelo avião ou o comboio. O clube da Luz efetua 11 jogos acima de Coimbra (ou nessa cidade): Académica, Arouca, Boavista, FCPorto, Gil Vicente, Moreirense, Paços de Ferreira, Penafiel, Rio Ave, Sp. Braga e V. Guimarães. Abaixo do Mondego realiza quatro duelos: Belenenses, Estoril, Sporting e V. Setúbal.


O desequilíbrio é notório. Agendado para a tarde de domingo, o encontro com o Arouca é um bom exemplo, obrigando o Benfica a uma viagem bem maior do que o FC Porto [ver infografia], a equipa com quem luta palmo a palmo pelo título. Enquanto conjunto forasteiro, o Benfica atua a maioria das vezes acima do Mondego, mas não é por isso que deixa de... "jogar em casa", uma vez que os respetivos adeptos suplantam, na esmagadora maioria das vezes, os simpatizantes da equipa rival. Este fator é um importante ponto a favor das pretensões dos encarnados. Por outro lado, os jogadores de ambos os gigantes do futebol nacional estão muito habituados a viajar, conseguindo "driblar" as longas horas passadas na estrada. Os autocarros, esses, encontram-se também devidamente apetrechados, primando pela comodidade. Quem agradece são os músculos, numa fase em que a época se começa a decidir.


Viagens à Madeira favorecem encarnados

O trabalho não contempla os jogos com o Marítimo (Estádio dos Barreiros) e o Nacional (Estádio da Madeira), adversários que "residem" na Pérola do Atlântico. Otempo gasto na viagem para o Funchal favorece as pretensões do Benfica. Segundo o site Destinia, o voo entre Lisboa e o Funchal demora
1h 23m (2h46 ida e volta), enquanto a ligação entre o Porto e o Funchal leva 1h 43m a cumprir (3h26 ida e volta). Esta estimativa pode variar consoante a climatologia e/ou as rotas aéreas.


Candidatos à subida... acima do Mondego

Olhando para a tabela classificativa da 2.ª Liga chega-se à conclusão de que os três clubes que ocupam os lugares do pódio – Chaves lidera a prova, sendo seguido por Freamunde e Tondela – obrigam o Benfica a atuar acima do Mondego. Também candidato à subida de divisão, o União da Madeira está sediado no Funchal, "beneficiando" assim o Benfica em termos de horas de viagem. Ainda com hipóteses de ascender ao escalão superior surgem a Oliveirense e o Sp. Covilhã.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:56

Março 06 2015
O Benfica visita o Arouca, domingo à tarde, com cinco jogadores em perigo de exclusão. Maxi Pereira, Eliseu, Talisca, Salvio e Gaitán ficam fora da receção ao Sp. Braga na jornada seguinte, se forem admoestados com o cartão amarelo. São cinco elementos importantes, mas, considerando o procedimento em situações semelhantes, Jorge Jesus não prescinde de utilizar os jogadores, ainda que possa ter alguns cuidados.

Essa gestão ficou bem evidenciada nos casos de Enzo Pérez e de Maxi Pereira. O médio argentino, agora no Valencia, foi o primeiro a ficar no limite, esta temporada. Viu o quarto cartão amarelo no campeonato na partida de Braga, mas o técnico jamais prescindiu do influente jogador. Nos três encontros seguintes, esteve em campo os 90 minutos. O último foi em Coimbra, no qual Maxi Pereira viu o quarto amarelo.


Lateral-direito e médio estavam, pois, em risco, mas Jesus confiou-lhes a titularidade frente ao Belenenses, jogo que antecedeu a visita ao FC Porto. Com a vitória assegurada, Enzo foi substituído aos 81 minutos, antes do 3-0, e Maxi aos 85’, já depois do golo de Salvio. Ambos seriam titulares no clássico, numa noite marcada pela primeira vitória de JJ no reduto dos azuis e brancos, para a Liga. O argentino seria punido disciplinarmente, mas o duelo com o FC Porto foi o último pelo Benfica no campeonato, antes de sair para o Valencia.


Arriscar antes do dérbi

Este procedimento de Jesus foi também evidente no caso de Talisca. Na jornada anterior à visita a Alvalade, o Benfica recebeu o Boavista. O técnico, de 60 anos, foi claro. "Não faço esse tipo de gestão. Se o Talisca tiver de levar um cartão amarelo neste jogo, leva, e depois não joga frente ao Sporting. Utilizo os jogadores jogo a jogo. Se conseguirem livrar-se do cartão amarelo, muito bem", explicou.

Jesus optaria por dar a titularidade a Pizzi, deixando o brasileiro no banco, decisão que explicou por razões estratégicas. "Se estivesse a pensar nos cartões, não teria colocado Talisca quando já ganhávamos por 3-0", argumentou, no final do triunfo com os axadrezados. O brasileiro entrou a 22 minutos do final.

Jesus também não abriu mão de Samaris antes das deslocações a Penafiel e ao Moreirense, colocando-o no onze nos jogos em casa com Gil Vicente e V. Setúbal. Em ambos viu o amarelo e ficou fora das deslocações ao Norte do país.


Deste quinteto, Talisca está em risco há oito jogos e Eliseu há três. Salvio viu o quarto amarelo em Moreira de Cónegos, enquanto que Maxi e Gaitán se juntaram ao grupo no último encontro. Mesmo considerando que o desafio da próxima jornada seja de grau de dificuldade mais elevado – os arsenalistas ganharam para o campeonato, em Braga, e para a Taça de Portugal, na Luz –, Jesus deverá manter a aposta nos melhores, em fase decisiva do campeonato e perante a pressão do FC Porto.


Talisca no banco com o Boavista

A receção doBenfica ao Boavista aconteceu antes do dérbi com o Sporting e Talisca era um dos jogadores em risco para Alvalade. Antes do jogo com a formação doBessa, Jesus deu a entender que colocaria o médio brasileiro em campo, mesmo sabendo que este poderia falhar o dérbi. A verdade é que Talisca iniciou esse encontro no banco e entrou apenas a 22 minutos do fim. Ele que está em risco de exclusão desde a receção ao V. Guimarães, à 16.ª ronda. Refira-se que JJ garantiu que o facto de ter deixado o ex-Bahia no banco não esteve relacionado com qualquer poupança.


Árbitro mostra poucos cartões

O árbitro nomeado para a partida é Vasco Santos (AFPorto) que, curiosamente, tem uma das médias mais baixas relativamente ao número de cartões amarelos mostrados. Se tivermos em conta todas as competições da Liga, o juiz portuense mostrou, até ao momento, 112 amarelos em 25 partidas, o que se traduz numa média de 4,48 – refira-se que Olegário Benquerença tem média mais baixa (4,46), mas arbitrou apenas 11 jogos ao longo desta temporada. Relativamente a expulsões, Vasco Santos mostrou, desde o início da época, 18 cartões vermelhos.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:33

Março 04 2015

A Emirates, companhia aérea do Dubai, está bem posicionada para assegurar o patrocínio das camisolas do futebol profissional do Benfica, nas próximas temporadas. Este é um tema sensível para as águias, que esperam uma boa fonte de rendimento com esta parceria, e, por isso, todos os pormenores são cuidados e discutidos. Certo é que a empresa do Emirados Árabes Unidos não está sozinha na corrida à sucessão da Meo, com os responsáveis pelo emblema da águia a esgrimirem todos os argumentos com os interessados.


Esta é uma negociação que já dura há algum tempo, e o nosso jornal está em condições de afirmar que a Emirates tem alguma vantagem, nesta altura, em relação aos restantes dois concorrentes. Certo é que o nome final do parceiro benfiquista não demorará muito tempo a ser conhecido, já que os dirigentes encarnados querem fechar este dossiê milionário com celeridade.


Números é algo que ainda não é conhecido, sendo certo, porém, que oBenfica vai querer assegurar uma parceria que faça entrar milhões na Luz por ano. A Emirates tem estabelecidos vários acordos no futebol em termos mundiais. Fora da Europa tem um acordo com a Confederação de Futebol Asiática, mas é no Velho Continente que a aposta é maior.


Os acordos são celebrados em função da visibilidade que os clubes têm em termos internacionais, mas também dos pressupostos que incluem. O RealMadrid é o expoente máximo dos clubes que a companhia aérea do Dubai patrocina, num contrato que, segundo noticiou o jornal “Marca” na altura, rende aos merengues cerca de 26 milhões de euros ano e termina em 2019.


O Hamburgo, por exemplo, que tem um nível de notoriedade incomparavelmente menor, apesar da Bundesliga ser seguida em muitos países, recebe 7,5 milhões de euros por ano.


Ligação até 2017

A Emirates já entrou no mundo Benfica, e isso dá-lhe alguma vantagem em relação às outras empresas que estão a negociar com a SAD. Em julho de 2014, a companhia aérea assinou um acordo de patrocínio para todas as equipas de Formação. Uma ligação que parece satisfazer todos os lados, já que a Emirates recebeu o galardão Cosme Damião de parceiro de 2014 e atribui descontos de 10% aos sócios do clube.


Real, PSG e Arsenal entre muitos

Há muito tempo que a Emirates entrou no futebol europeu, embora nos últimos anos tenha vindo a alargar a sua influência. Clubes como oReal Madrid, o Paris Saint-Germain, oMilan ou o Hamburgo têm o patrocínio da maior companhia aérea doDubai. O Arsenal é o expoente máximo deste patrocínio, já que além das camisolas, o emblema londrino vendeu também o nome do estádio. O acordo prevê que o Emirates Stadium, casa do Arsenal, e onde todos os anos na pré-época se realiza a Emirates Cup, exista até 2028.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:03

Março 03 2015
 

capture-20150303-121051.png

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:09

Março 03 2015
 

Dois golos sofridos na Luz para o campeonato. Este é o registo do Benfica numa altura em que a época se começa a decidir. A marca ameaça tornar-se numa das melhores da história da I Liga [ver infografia].


O ataque ganha jogos e a defesa campeonatos. Jesus crê nesta máxima e não se tem poupado a esforços no sentido de impermeabilizar um sector que sofreu três baixas esta época, Oblak, Garay e Siqueira. O trabalho vem dando frutos, apresentando o Benfica (2 golos) a defesa menos batida da Liga em casa, sendo seguido por FC Porto (3) e Sp. Braga (4). Só dois jogadores enganaram a cortina defensiva encarnada: Slimani (Sporting) e João Pedro (Moreirense). Este duplo momento de menor acerto teve lugar no início da prova, numa altura em que o campeão ainda acertava agulhas. O argelino marcou a 31 de agosto (3.ª jornada) e o português a 21 de setembro (5.ª ronda).


O Benfica tem mais seis jogos em casa e se anular todos os adversários quebra o seu recorde, estabelecido em 1969/70, quando concluiu a Liga com três golos sofridos na Luz. A prova só contemplava 13 jogos em casa, face aos 17 atuais. Iguala, também, o máximo de sempre, o qual está na posse do Belenenses, desde 1939/40 (dois golos mas em apenas nove desafios).


Defesas de betão ao longo da história

O futebol do Velho Continente conheceu vários muros de betão. Em Espanha, por exemplo, Córdoba e Pontevedra acabaram uma vez o campeonato com dois golos sofridos em casa, marca igual à lograda por Milan e Como, em Itália. Quatro golos consentidos é o recorde em Inglaterra (Liverpool e Manchester United), França (Saint-Étienne) e Holanda (Ajax). OWerder Bremen é o detentor da coroa na Alemanha, tendo concluído a Bundesliga com cinco tentos encaixados. Em Portugal, o Belenenses foi aquele que menos golos sofreu: dois.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:04

Março 03 2015

A SAD do Benfica avançou para compra da metade do passe de Pizzi que estava na posse do Atlético Madrid.
Avança A BOLA esta terça-feira que os encarnados terão despendido um valor ligeiramente inferior aos seis milhões de euros pagos ao clube espanhol em julho de 2013, por 50 por cento dos direitos económicos do português.
Pizzi está vinculado ao Benfica até 30 de junho de 2019, com uma cláusula de rescisão de 35 milhões de euros.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:39

Março 02 2015

cats.jpg

publicado por Benfica 73 às 12:08

Março 02 2015
A equipa de Jesus não sofre golos em casa para o campeonato há oito jogos, sendo essa a segunda melhor sequência de sempre do Benfica. Orecorde está na posse do conjunto dirigido por Otto Glória, que completou 11 desafios sem ir buscar a bola ao fundo da baliza, entre 1968/69 e 1969/70, isto é, há 45 anos. Para ultrapassar a façanha do treinador brasileiro, a turma das águias precisa de não sofrer golos nos próximos quatro duelos na Luz, ou seja, nas receções ao Sp. Braga, Nacional, Académica e FC Porto. Ograu de dificuldade de pelo menos dois adversários – arsenalistas e portistas – é elevado, não se afigurando simples a tarefa das águias.

A (segunda e) última equipa a marcar na Luz foi o Moreirense (a primeira havia sido o Sporting, por intermédio de Slimani). A 21 de setembro, por ocasião da 5.ª jornada, João Pedro inaugurou o marcador, batendo Júlio César aos 16 minutos. Não mais o Benfica consentiu tal veleidade, saindo do anfiteatro das águias em branco o Arouca, Rio Ave, Belenenses, Gil Vicente, V. Guimarães, Boavista, V. Setúbal e Estoril. Jesus recorreu a dois guarda-redes nestes oito jogos, tendo Júlio César participado em cinco (um deles incompleto, uma vez que se lesionou) e Artur em quatro (um deles também não na totalidade).


Jesus igualou... Jesus

Esta série de oito jogos sem sofrer golos em casa na Liga é a segunda mais longa da história do clube da Luz... em igualdade com a estabelecida pelo mesmo Jesus em 2013/14, temporada que culminou com a conquista do título (o segundo campeonato arrecadado no consulado de JJ). Da lista de adversários imaculadamente ultrapassados pelos encarnados constavam FC Porto, Marítimo, Sporting, V. Guimarães, Estoril, Académica, Rio Ave e Olhanense. Realce, obviamente, para a visita dos dois arquirrivais, que não conseguiram desfeitear Oblak, o qual, refira-se, cumpriu os oito jogos da sequência.

Ainda na ressaca da maior goleada do campeonato – 6-0 ao Estoril –, o Benfica vem primando pela solidez defensiva, algo que é meio caminho andado para o objetivo a que se propõe, a conquista do bicampeonato.


Interdição do estádio interrompe série mais longa

A mais longa série do Benfica teve início em 1968/69 (3 jogos) e terminou em 1969/70 (8 jogos), sob a batuta de Otto Glória. Oúltimo embate em que o clube da águia não sofreu golos ficou marcado por um episódio invulgar. A 25 de janeiro de 1970, na Luz, o Benfica recebeu o Belenenses, mas o árbitro João Nogueira deu por concluído o jogo aos 43 minutos, após uma invasão de campo dos adeptos encarnados. O conselho de disciplina da FPF interditou o estádio do Benfica, homologando o resultado que se verificava aquando da interrupção (0-0). O Benfica jogou a partida seguinte, na condição de anfitrião, no Estádio do Jamor. A CUF ganhou (1-0) e colocou um ponto final na sequência.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:49

Março 02 2015
 

Na primeira vez que tocou na bola, aos 4 minutos, Gaitán passou por dois adversários e picou-a sobre um adversário, entregando-a a Pizzi. Estavam desfeitas as dúvidas: o futebolista mais talentoso do plantel do Benfica não se esqueceu do que sabe neste mês e meio de ausência devido a lesão. Lançado por Jorge Jesus como titular, o argentino confirmou o estatuto de artista principal em vários momentos durante a primeira parte: toques subtis, passes inesperados e receções sempre “redondinhas”. E acabou por ser a vontade de brilhar no dia do regresso a traí-lo, pois faltou-lhe lucidez em duas ou três situações.

Os números – dois remates, três cruzamentos, dois dribles falhados e zero bem sucedidos – mostram uma exibição relativamente frouxa, mas a análise qualitativa confirma que é um jogador absolutamente decisivo no ataque deste Benfica, mesmo que longe da melhor forma. O camisola 10 não precisa de espaço para avançar, porque consegue inventá-los. Foi assim no lance do quarto golo das águias, em que, mesmo depois de receber um mau passe de Jonas, conseguiu isolar Maxi Pereira.

As pilhas duraram apenas 45 minutos, já que depois do intervalo acumulou erros e más decisões. Frustrado, arriscou a expulsão devido a um pontapé a Cabrera. Jesus tirou-o logo a seguir. É que o corpo do argentino ainda não consegue responder à mesma velocidade do seu pensamento.


"Mudou-se" para o centro e recuou

A ver a ação desenrolar-se sobretudo no flanco contrário, onde Maxi Pereira e Salvio estavam em constante rotação, Gaitán foi recuando e aproximando-se do centro do terreno para também ter direito a uma fatia. A posição média do esquerdino na primeira parte mostra bem esta tendência de estar perto da bola. E foi sobre a direita que participou na jogada do quarto golo.

Fonte: Record
publicado por Benfica 73 às 10:03

Março 01 2015

O Benfica realizou este sábado, dia em que se assinalou o 111.º aniversário do clube, a cerimónia de entrega dos galardões Cosme Damião.

Eis a lista completa dos distinguidos:
Futebolista do Ano: Nicolás Gaitán
Mérito e Dedicação: Joaquim Ferreira Bogalho
Revelação: João Teixeira, Equipa B, e João Pereira, Triatlo;
Projeto do Ano: Museu Benfica - Cosme Damião;
Formação: Equipa Júnior de Andebol e Equipa Júnior de Futebol
Inovação: Benfica TV Premium;
Parceiro: Emirates;
Casas do Benfica: Casa do Benfica em Elvas;
Homenagem: Manuel Vilarinho;
Modalidade: Basquetebol;
Atleta de Alta competição do Ano: Valter Neves
Carreira: Shéu Han;
Treinador do Ano: Jorge Jesus.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:58

Março 01 2015

capture-20150301-103240.png

No dia em que celebra o 111.º aniversário, o SL Benfica venceu o Estoril em jogo da 23.ª jornada da Liga NOS por 6-0.

Em dia de festa, o Benfica deu aos 46.712 adeptos a vitória como prenda, complementada com uma exibição muito positiva. Avalanche ofensiva, pincelada, aqui e ali, com momentos de “nota artística, deixaram os Benfiquistas nas bancadas satisfeitos.

 

Na busca pelo golo desde o apito inicial, Jonas esteve em plano de evidência nos primeiros minutos. Aos 10’, o avançado brasileiro atirou ao poste e aos 16 minutos, após cruzamento de Gaitán, obrigou Kieszek a estirada em grande estilo para evitar o tento inaugural das “águias”. Na sequência do pontapé de canto, Luisão, ao primeiro poste, de cabeça, deu a primeira alegria às bancadas da Catedral.

O Estoril foi tentando responder com transições rápidas que obrigavam Artur Moraes e seu pares a estarem em constante sentinela. Porém, estes pequenos sustos não conseguiram travar o maior ímpeto ofensivo dos da casa que chegaram ao 2-0, aos 25’, através de Salvio que encostou após passe com peso e medida de Lima.

 

A exibição Benfiquista era de alto calibre e os “canarinhos” estavam resignados a tanta superioridade. À passagem do minuto 33, Pizzi num remate de ressaca, forte e colocado, fez o 3-0 e dois minutos depois foi Jonas a lograr o tento da goleada ao finalizar uma jogada mágica de um coletivo muito forte.

Muito perto da “manita” esteve Nico Gaitán aos 40 minutos que após receber um passe assombroso de Samaris atirou um pouco ao lado da baliza adversária quando estava sozinho na área. Ao intervalo, o 4-0 era o espelho de uma exibição de luxo, com um Futebol rendilhado do SL Benfica em dia de aniversário.

Na etapa complementar, o jogo parecia estar algo morno, mas o ascendente Benfiquista continuou e aos 56 minutos, Lima, através de uma grande penalidade cometida sobre Jonas, completou a mão cheia. Motivado, o camisola 11 tentou bisar com um bonito toque de calcanhar mas a bola saiu à figura de Kieszek (64’).

 

“Tango argentino” em tarde coletiva

Minutos depois, João Capela expulsou o médio Eziti por alegada mão na bola e o que já era difícil tornou-se

inglório para a equipa da Linha de Cascais. Porém, aos 78 minutos, Leo Bonatini quase marcou ao aparecer isolado frente a Artur que foi rei e defendeu para canto. Respondeu o Benfica por Salvio que disparou aos 82 minutos e testou a atenção do guardião estorilista.

Da mão cheia à meia-dúzia distam 30 minutos com Jonas a bisar numa recarga a remate de Ola John (86’).

Num jogo em que tem de ser elevada a excelente capacidade do Benfica enquanto equipa, os médios argentinos, Salvio e Gaitán – este num regresso após lesão –, “pincelaram” o jogo com magia, velocidade, técnica, golos e muita capacidade de desequilíbrio em ambos os flancos. Pizzi também esteve em evidência pelo golo, pelo que jogou e fez jogar, nomeadamente na primeira parte.

O SL Benfica segue líder da classificação com 59 pontos em 23 jogos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris (Cristante, 85’), Pizzi (Talisca, 67’), Salvio, Gaitán (Ola John, 73’), Lima e Jonas.

Todas as incidências da partida em

http://www.slbenfica.pt/jogoaovivo/tabid/2981/gameID/2529/jogoaovivo.aspx

Fonte: SLB

Fotos AQUI

Ficha de Jogo AQUI

publicado por Benfica 73 às 10:18

Fevereiro 27 2015
O Benfica lidera destacadíssimo o ranking das equipas europeias que há mais jogos marcam em casa para o campeonato, mas, mais do que estar na frente [ver outra peça], o conjunto de Jorge Jesus pode alcançar a segunda melhor série de sempre a faturar no seu reduto, recorde que data da década de 60. Também por isso torna-se obrigatório para as águias marcarem amanhã, em dia de aniversário, diante do Estoril. Golos que podem garantir uma vitória, necessária para manter a vantagem pontual para o 2.º classificado, mas que a acontecerem fazem com que a formação da Luz fique a quatro jogos caseiros de ultrapassar a série iniciada em 1961/62, sob o comando de Bela Guttmann.

Esta série de 88 jogos a faturar na Luz para o campeonato teve início em 2008/09 comQuique Flores, na receção ao Marítimo (3-2), da 26.ª jornada de 2008/09 . Com Jesus, na prova mais importante do calendário português, oBenfica marcou sempre em casa, uma tendência que o treinador quer manter. Para entrar ainda mais na história do clube, mas também do futebol português.


De olho nos dragões

Com os golos de Maxi Pereira e Salvio diante do P. Ferreira (2-0), na 1.ª jornada, o Benfica alcançou o jogo 78 a faturar em casa e igualou a melhor série de sempre do Sporting, registada entre 1955/56 e 1960/61.

Por alcançar está ainda o melhor registo caseiro do FC Porto, uma meta que Jesus também persegue. Se conseguir marcar nos próximos cinco jogos caseiros (Estoril, Braga,Nacional,Académica e FC Porto), o técnico passa a liderar a segunda melhor série do clube, mas fica a dois jogos de igualar o rival portista no registo absoluto. Um objetivo que termina na última jornada, frente ao Marítimo.


Domínio a nível europeu

Esta série de jogos a marcar em casa que o Benfica apresenta à entrada para a 23.ª jornada não é só única a nível interno. Se compararmos o rendimento ofensivo dos campeões nacionais com os números apresentados com outras equipas dos principais campeonatos europeus, verificamos que o principal rival das águias é a Juventus. Contudo, o clube transalpino apresenta menos de metade dos jogos dos encarnados.

Em Portugal, o feito iniciado pelo Benfica em 2009 será inalcançável para os rivais nos tempos mais próximos. O Sporting faturou nos últimos 12 jogos no seu reduto e o FC Porto, com uma série de quatro jogos, não entra no pódio.

A principal ameaça para a equipa orientada por Jorge Jesus vem de Itália, mas a Juventus ainda vai ter de continuar a marcar golos no seu estádio por muito tempo, para se aproximar da marca do Benfica, pois só soma 43 encontros. O Real Madrid lidera em Espanha neste capítulo, mas os 26 desafios a marcar que regista só lhe garantem a terceira posição... a 62 partidas do Benfica.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:01

BENFICA 73
Abril 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

18

25

26
29
30


subscrever feeds
comentários recentes
Melhor resultado do que exibição.
Uma primeira parte mastigada.Mas na segunda jogam...
tens que atualizar com o zivkovi, o perrin e o wei...
Olha, serão estas as fotos de exemplo que a LG est...
Jonas ao mais alto nível!! Um goleador ao nível do...
Da forma que as coisas correm por lá, ainda vão é ...
ERRADO!"...um problema do Benfica é ser tão enorme...
VEDETISMO... de juventude!
Tanta parvoíce que estes 'entendidos' que nunca de...
VEDETISMO...
A LG Electronics será "uma segunda marca" a patroc...
Então e o prémio ao manel, não foi entregue? LOL
Mais uma vez mostram aquilo que os move...A nós, s...
A corrupção voltou
Ai as redes sociais! Há coisas que não é suposto p...
A ver vamos (the true value) quando marcar > 3 ...
Espero que o Gaitán ainda faça 5 ou 6 jogos pelo S...
" OS CALIMEROS" , para além de serem medíocres, s...
Já vou na meia idade e detestava ver o SLB a jogar...
Mulher bonita? Onde? Nunca vi tanta mulher feia re...

contador visitante