Março 03 2015
 

capture-20150303-121051.png

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:09

Março 03 2015
 

Dois golos sofridos na Luz para o campeonato. Este é o registo do Benfica numa altura em que a época se começa a decidir. A marca ameaça tornar-se numa das melhores da história da I Liga [ver infografia].


O ataque ganha jogos e a defesa campeonatos. Jesus crê nesta máxima e não se tem poupado a esforços no sentido de impermeabilizar um sector que sofreu três baixas esta época, Oblak, Garay e Siqueira. O trabalho vem dando frutos, apresentando o Benfica (2 golos) a defesa menos batida da Liga em casa, sendo seguido por FC Porto (3) e Sp. Braga (4). Só dois jogadores enganaram a cortina defensiva encarnada: Slimani (Sporting) e João Pedro (Moreirense). Este duplo momento de menor acerto teve lugar no início da prova, numa altura em que o campeão ainda acertava agulhas. O argelino marcou a 31 de agosto (3.ª jornada) e o português a 21 de setembro (5.ª ronda).


O Benfica tem mais seis jogos em casa e se anular todos os adversários quebra o seu recorde, estabelecido em 1969/70, quando concluiu a Liga com três golos sofridos na Luz. A prova só contemplava 13 jogos em casa, face aos 17 atuais. Iguala, também, o máximo de sempre, o qual está na posse do Belenenses, desde 1939/40 (dois golos mas em apenas nove desafios).


Defesas de betão ao longo da história

O futebol do Velho Continente conheceu vários muros de betão. Em Espanha, por exemplo, Córdoba e Pontevedra acabaram uma vez o campeonato com dois golos sofridos em casa, marca igual à lograda por Milan e Como, em Itália. Quatro golos consentidos é o recorde em Inglaterra (Liverpool e Manchester United), França (Saint-Étienne) e Holanda (Ajax). OWerder Bremen é o detentor da coroa na Alemanha, tendo concluído a Bundesliga com cinco tentos encaixados. Em Portugal, o Belenenses foi aquele que menos golos sofreu: dois.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:04

Março 03 2015

A SAD do Benfica avançou para compra da metade do passe de Pizzi que estava na posse do Atlético Madrid.
Avança A BOLA esta terça-feira que os encarnados terão despendido um valor ligeiramente inferior aos seis milhões de euros pagos ao clube espanhol em julho de 2013, por 50 por cento dos direitos económicos do português.
Pizzi está vinculado ao Benfica até 30 de junho de 2019, com uma cláusula de rescisão de 35 milhões de euros.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:39

Março 02 2015

cats.jpg

publicado por Benfica 73 às 12:08

Março 02 2015
A equipa de Jesus não sofre golos em casa para o campeonato há oito jogos, sendo essa a segunda melhor sequência de sempre do Benfica. Orecorde está na posse do conjunto dirigido por Otto Glória, que completou 11 desafios sem ir buscar a bola ao fundo da baliza, entre 1968/69 e 1969/70, isto é, há 45 anos. Para ultrapassar a façanha do treinador brasileiro, a turma das águias precisa de não sofrer golos nos próximos quatro duelos na Luz, ou seja, nas receções ao Sp. Braga, Nacional, Académica e FC Porto. Ograu de dificuldade de pelo menos dois adversários – arsenalistas e portistas – é elevado, não se afigurando simples a tarefa das águias.

A (segunda e) última equipa a marcar na Luz foi o Moreirense (a primeira havia sido o Sporting, por intermédio de Slimani). A 21 de setembro, por ocasião da 5.ª jornada, João Pedro inaugurou o marcador, batendo Júlio César aos 16 minutos. Não mais o Benfica consentiu tal veleidade, saindo do anfiteatro das águias em branco o Arouca, Rio Ave, Belenenses, Gil Vicente, V. Guimarães, Boavista, V. Setúbal e Estoril. Jesus recorreu a dois guarda-redes nestes oito jogos, tendo Júlio César participado em cinco (um deles incompleto, uma vez que se lesionou) e Artur em quatro (um deles também não na totalidade).


Jesus igualou... Jesus

Esta série de oito jogos sem sofrer golos em casa na Liga é a segunda mais longa da história do clube da Luz... em igualdade com a estabelecida pelo mesmo Jesus em 2013/14, temporada que culminou com a conquista do título (o segundo campeonato arrecadado no consulado de JJ). Da lista de adversários imaculadamente ultrapassados pelos encarnados constavam FC Porto, Marítimo, Sporting, V. Guimarães, Estoril, Académica, Rio Ave e Olhanense. Realce, obviamente, para a visita dos dois arquirrivais, que não conseguiram desfeitear Oblak, o qual, refira-se, cumpriu os oito jogos da sequência.

Ainda na ressaca da maior goleada do campeonato – 6-0 ao Estoril –, o Benfica vem primando pela solidez defensiva, algo que é meio caminho andado para o objetivo a que se propõe, a conquista do bicampeonato.


Interdição do estádio interrompe série mais longa

A mais longa série do Benfica teve início em 1968/69 (3 jogos) e terminou em 1969/70 (8 jogos), sob a batuta de Otto Glória. Oúltimo embate em que o clube da águia não sofreu golos ficou marcado por um episódio invulgar. A 25 de janeiro de 1970, na Luz, o Benfica recebeu o Belenenses, mas o árbitro João Nogueira deu por concluído o jogo aos 43 minutos, após uma invasão de campo dos adeptos encarnados. O conselho de disciplina da FPF interditou o estádio do Benfica, homologando o resultado que se verificava aquando da interrupção (0-0). O Benfica jogou a partida seguinte, na condição de anfitrião, no Estádio do Jamor. A CUF ganhou (1-0) e colocou um ponto final na sequência.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:49

Março 02 2015
 

Na primeira vez que tocou na bola, aos 4 minutos, Gaitán passou por dois adversários e picou-a sobre um adversário, entregando-a a Pizzi. Estavam desfeitas as dúvidas: o futebolista mais talentoso do plantel do Benfica não se esqueceu do que sabe neste mês e meio de ausência devido a lesão. Lançado por Jorge Jesus como titular, o argentino confirmou o estatuto de artista principal em vários momentos durante a primeira parte: toques subtis, passes inesperados e receções sempre “redondinhas”. E acabou por ser a vontade de brilhar no dia do regresso a traí-lo, pois faltou-lhe lucidez em duas ou três situações.

Os números – dois remates, três cruzamentos, dois dribles falhados e zero bem sucedidos – mostram uma exibição relativamente frouxa, mas a análise qualitativa confirma que é um jogador absolutamente decisivo no ataque deste Benfica, mesmo que longe da melhor forma. O camisola 10 não precisa de espaço para avançar, porque consegue inventá-los. Foi assim no lance do quarto golo das águias, em que, mesmo depois de receber um mau passe de Jonas, conseguiu isolar Maxi Pereira.

As pilhas duraram apenas 45 minutos, já que depois do intervalo acumulou erros e más decisões. Frustrado, arriscou a expulsão devido a um pontapé a Cabrera. Jesus tirou-o logo a seguir. É que o corpo do argentino ainda não consegue responder à mesma velocidade do seu pensamento.


"Mudou-se" para o centro e recuou

A ver a ação desenrolar-se sobretudo no flanco contrário, onde Maxi Pereira e Salvio estavam em constante rotação, Gaitán foi recuando e aproximando-se do centro do terreno para também ter direito a uma fatia. A posição média do esquerdino na primeira parte mostra bem esta tendência de estar perto da bola. E foi sobre a direita que participou na jogada do quarto golo.

Fonte: Record
publicado por Benfica 73 às 10:03

Março 01 2015

O Benfica realizou este sábado, dia em que se assinalou o 111.º aniversário do clube, a cerimónia de entrega dos galardões Cosme Damião.

Eis a lista completa dos distinguidos:
Futebolista do Ano: Nicolás Gaitán
Mérito e Dedicação: Joaquim Ferreira Bogalho
Revelação: João Teixeira, Equipa B, e João Pereira, Triatlo;
Projeto do Ano: Museu Benfica - Cosme Damião;
Formação: Equipa Júnior de Andebol e Equipa Júnior de Futebol
Inovação: Benfica TV Premium;
Parceiro: Emirates;
Casas do Benfica: Casa do Benfica em Elvas;
Homenagem: Manuel Vilarinho;
Modalidade: Basquetebol;
Atleta de Alta competição do Ano: Valter Neves
Carreira: Shéu Han;
Treinador do Ano: Jorge Jesus.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:58

Março 01 2015

capture-20150301-103240.png

No dia em que celebra o 111.º aniversário, o SL Benfica venceu o Estoril em jogo da 23.ª jornada da Liga NOS por 6-0.

Em dia de festa, o Benfica deu aos 46.712 adeptos a vitória como prenda, complementada com uma exibição muito positiva. Avalanche ofensiva, pincelada, aqui e ali, com momentos de “nota artística, deixaram os Benfiquistas nas bancadas satisfeitos.

 

Na busca pelo golo desde o apito inicial, Jonas esteve em plano de evidência nos primeiros minutos. Aos 10’, o avançado brasileiro atirou ao poste e aos 16 minutos, após cruzamento de Gaitán, obrigou Kieszek a estirada em grande estilo para evitar o tento inaugural das “águias”. Na sequência do pontapé de canto, Luisão, ao primeiro poste, de cabeça, deu a primeira alegria às bancadas da Catedral.

O Estoril foi tentando responder com transições rápidas que obrigavam Artur Moraes e seu pares a estarem em constante sentinela. Porém, estes pequenos sustos não conseguiram travar o maior ímpeto ofensivo dos da casa que chegaram ao 2-0, aos 25’, através de Salvio que encostou após passe com peso e medida de Lima.

 

A exibição Benfiquista era de alto calibre e os “canarinhos” estavam resignados a tanta superioridade. À passagem do minuto 33, Pizzi num remate de ressaca, forte e colocado, fez o 3-0 e dois minutos depois foi Jonas a lograr o tento da goleada ao finalizar uma jogada mágica de um coletivo muito forte.

Muito perto da “manita” esteve Nico Gaitán aos 40 minutos que após receber um passe assombroso de Samaris atirou um pouco ao lado da baliza adversária quando estava sozinho na área. Ao intervalo, o 4-0 era o espelho de uma exibição de luxo, com um Futebol rendilhado do SL Benfica em dia de aniversário.

Na etapa complementar, o jogo parecia estar algo morno, mas o ascendente Benfiquista continuou e aos 56 minutos, Lima, através de uma grande penalidade cometida sobre Jonas, completou a mão cheia. Motivado, o camisola 11 tentou bisar com um bonito toque de calcanhar mas a bola saiu à figura de Kieszek (64’).

 

“Tango argentino” em tarde coletiva

Minutos depois, João Capela expulsou o médio Eziti por alegada mão na bola e o que já era difícil tornou-se

inglório para a equipa da Linha de Cascais. Porém, aos 78 minutos, Leo Bonatini quase marcou ao aparecer isolado frente a Artur que foi rei e defendeu para canto. Respondeu o Benfica por Salvio que disparou aos 82 minutos e testou a atenção do guardião estorilista.

Da mão cheia à meia-dúzia distam 30 minutos com Jonas a bisar numa recarga a remate de Ola John (86’).

Num jogo em que tem de ser elevada a excelente capacidade do Benfica enquanto equipa, os médios argentinos, Salvio e Gaitán – este num regresso após lesão –, “pincelaram” o jogo com magia, velocidade, técnica, golos e muita capacidade de desequilíbrio em ambos os flancos. Pizzi também esteve em evidência pelo golo, pelo que jogou e fez jogar, nomeadamente na primeira parte.

O SL Benfica segue líder da classificação com 59 pontos em 23 jogos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris (Cristante, 85’), Pizzi (Talisca, 67’), Salvio, Gaitán (Ola John, 73’), Lima e Jonas.

Todas as incidências da partida em

http://www.slbenfica.pt/jogoaovivo/tabid/2981/gameID/2529/jogoaovivo.aspx

Fonte: SLB

Fotos AQUI

Ficha de Jogo AQUI

publicado por Benfica 73 às 10:18

Fevereiro 27 2015
O Benfica lidera destacadíssimo o ranking das equipas europeias que há mais jogos marcam em casa para o campeonato, mas, mais do que estar na frente [ver outra peça], o conjunto de Jorge Jesus pode alcançar a segunda melhor série de sempre a faturar no seu reduto, recorde que data da década de 60. Também por isso torna-se obrigatório para as águias marcarem amanhã, em dia de aniversário, diante do Estoril. Golos que podem garantir uma vitória, necessária para manter a vantagem pontual para o 2.º classificado, mas que a acontecerem fazem com que a formação da Luz fique a quatro jogos caseiros de ultrapassar a série iniciada em 1961/62, sob o comando de Bela Guttmann.

Esta série de 88 jogos a faturar na Luz para o campeonato teve início em 2008/09 comQuique Flores, na receção ao Marítimo (3-2), da 26.ª jornada de 2008/09 . Com Jesus, na prova mais importante do calendário português, oBenfica marcou sempre em casa, uma tendência que o treinador quer manter. Para entrar ainda mais na história do clube, mas também do futebol português.


De olho nos dragões

Com os golos de Maxi Pereira e Salvio diante do P. Ferreira (2-0), na 1.ª jornada, o Benfica alcançou o jogo 78 a faturar em casa e igualou a melhor série de sempre do Sporting, registada entre 1955/56 e 1960/61.

Por alcançar está ainda o melhor registo caseiro do FC Porto, uma meta que Jesus também persegue. Se conseguir marcar nos próximos cinco jogos caseiros (Estoril, Braga,Nacional,Académica e FC Porto), o técnico passa a liderar a segunda melhor série do clube, mas fica a dois jogos de igualar o rival portista no registo absoluto. Um objetivo que termina na última jornada, frente ao Marítimo.


Domínio a nível europeu

Esta série de jogos a marcar em casa que o Benfica apresenta à entrada para a 23.ª jornada não é só única a nível interno. Se compararmos o rendimento ofensivo dos campeões nacionais com os números apresentados com outras equipas dos principais campeonatos europeus, verificamos que o principal rival das águias é a Juventus. Contudo, o clube transalpino apresenta menos de metade dos jogos dos encarnados.

Em Portugal, o feito iniciado pelo Benfica em 2009 será inalcançável para os rivais nos tempos mais próximos. O Sporting faturou nos últimos 12 jogos no seu reduto e o FC Porto, com uma série de quatro jogos, não entra no pódio.

A principal ameaça para a equipa orientada por Jorge Jesus vem de Itália, mas a Juventus ainda vai ter de continuar a marcar golos no seu estádio por muito tempo, para se aproximar da marca do Benfica, pois só soma 43 encontros. O Real Madrid lidera em Espanha neste capítulo, mas os 26 desafios a marcar que regista só lhe garantem a terceira posição... a 62 partidas do Benfica.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:01

Fevereiro 27 2015
A grande novidade na equipa do Benfica, amanhã, frente ao Estoril, pode ser Gaitán. O internacional argentino foi reintegrado nos trabalhos do plantel no início da semana e está novamente à disposição de Jorge Jesus, que terá de decidir se vai chamá-lo para a receção à equipa canarinha.

Afastado da competição devido a uma lesão muscular na coxa direita desde o dia 18 de janeiro, o extremo está desejoso de voltar a jogar. Nas últimas semanas o camisola 10 trabalhou sob a orientação do departamento médico encarnado e mostrou-se disponível para antecipar o regresso aos jogos.

Esta vontade do jogador, de 27 anos, acabou por esbarrar nas cautelas dos responsáveis encarnados. A mazela registou-se numa área muito sensível e um regresso prematuro podia originar uma recaída e, consequentemente, um tempo de paragem ainda mais longo. Aliás, de forma até surpreendente, Jorge Jesus chegou a revelar a esperança de voltar a contar com o futebolista no dérbi com o Sporting disputado a 8 de fevereiro, mas acabou por ir adiando semanalmente a convocatória do argentino, para não correr quaisquer riscos.


Sem ritmo

A grande dúvida de Jorge Jesus em relação à integração de Gaitán na lista de convocados prende-se com a condição física do atleta, que só há poucos dias se treina sem limitações. Há uma semana, na antevisão da partida com o Moreirense, JJ previu que Gaitán já “deveria estar em condições clínicas”, mas não deixou de levantar algumas reservas em relação aos índices do futebolista.

É esta a dúvida com que o técnico do Benfica se debate, mas é certo que nesta fase Gaitán dificilmente estará em condições de suportar 90 minutos num encontro com a intensidade dos embates relativos à Liga.

Mesmo que decida incluir o camisola 10 na lista de convocados, o técnico deve manter a aposta em Ola John no onze inicial. Contudo, Gaitán está de volta e a titularidade já é uma mera questão de tempo. Se tiver a possibilidade de disputar alguns minutos frente ao Estoril, o internacional argentino já poderá ganhar espaço para discutir a posição na partida da próxima jornada, frente ao Arouca.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:55

Fevereiro 27 2015

O Benfica vai apresentar queixa contra desconhecidos na Procuradoria -Geral da República, na sequência de um vídeo publicado no YouTube, sob o título Holocausto Lampião.
Na tarde de ontem, mais de 11 mil pessoas tinham acedido às imagens, nas quais podiam ser vistas referências ao extermínio de judeus na II Guerra Mundial intercaladas com outras referentes ao funeral de Eusébio e à morte de Fehér, no Estádio D. Afonso Henriques.
O vídeo foi apagado já durante a noite de ontem, mas o Benfica entende que foi cometido um crime público.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:15

Fevereiro 24 2015

O Benfica não sofreu golos em casa para o campeonato nos últimos sete jogos. Se conseguir anular o ataque do Estoril, na tarde de sábado, a equipa das águias iguala o recorde do consulado de Jorge Jesus – oito desafios sem ir buscar a bola ao fundo da baliza, no Estádio da Luz, a contar para a Liga, em 2013/14.

João Pedro, avançado do Moreirense, foi o último jogador a celebrar a obtenção de um golo no anfiteatro dos encarnados na prova de regularidade. O remate certeiro desferido a 21 de setembro não evitou, porém, que o Benfica conquistasse os três pontos, fruto da vitória por 3-1. Júlio César estava na baliza nessa quinta jornada do campeonato. A partir daí, o conjunto da Luz não mais consentiu qualquer golo, “secando” os ataques do Arouca, Rio Ave, Belenenses, Gil Vicente, V. Guimarães, Boavista e V. Setúbal. A baliza do Benfica foi atribuída cinco vezes a Júlio César nesta sequência, tendo pertencido a Artur nas outras duas ocasiões.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:03

Fevereiro 22 2015

capture-20150222-102754.png

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica regressou a Moreira de Cónegos, depois de lá ter estado para a Taça da Liga, para disputar a 22.ª ronda do Campeonato Nacional. De novo com o Moreirense como oponente, triunfo por 1-3, com golos de Luisão, Eliseu e Jonas, e liderança cimentada na Liga NOS.

Um estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas quase repleto assistiu a um início de partida bastante vivo, com um Benfica sempre por cima, mas com o primeiro lance de perigo a ser protagonizado por Alex aos três minutos. O remate cruzado passou perto da baliza defendida por Artur.

 

Após o susto inicial, as “águias” instalaram-se no meio-campo contrário, mas esbarraram numa equipa a jogar com o bloco baixo, coesão defensiva e que só esporadicamente saía em transições rápidas que não permitiam qualquer adormecimento Benfiquista.

Apesar das dificuldades para furar a defensiva contrária, o Benfica esteve algumas vezes perto de ser feliz. Aos nove minutos, Lima recebeu, rodou e rematou de pronto com o pé esquerdo um pouco ao lado e aos 13’ foi Jonas que poderia ter festejado ao atirar ao poste uma bola assistida por Pizzi.

Aliás, o camisola 21 tentava carburar e ser o “motor” da equipa. À passagem do minuto 25, o médio tirou da “cartola” um remate de ressaca que passou pouco por cima da baliza defendida por Marafona. Destaque para o excelente pormenor técnico – recepção com o pé direito e execução com o pé esquerdo sem deixar cair o esférico.

 

Foi com o Benfica balanceado na frente que surgiu o primeiro tento do jogo. Numa transição rápida após

recuperação de bola de Battaglia, João Pedro, à entrada da área, rematou colocado sem hipóteses para Artur (35’).

Ao intervalo, o 1-0 era muito penalizador para a equipa que teve mais bola, rematou mais, teve mais cantos e que atacou mais. Na etapa complementar, o sentido do jogo inverteu, mas o domínio continuou a pertencer à equipa de “águia ao peito”.

O golo adivinhava-se e surgiu aos 58 minutos através de Luisão, que “subiu ao 1.º andar” após canto apontado por Pizzi. Dois minutos depois todos os olhos estiveram postos no árbitro Jorge Tavares. Expulsou, possivelmente por palavras, André Simões e logo de seguida os treinadores, Miguel Leal e Jorge Jesus.

A dominar em todos os quadrantes, e de forma avassaladora nos pontapés de canto, naturalmente o golo teria – de novo – de advir daqui. O relógio marcava 65 minutos quando Eliseu (de pé direito, pasme-se!) atirou a contar após canto novamente marcado por Pizzi. O guarda-redes Marafona ficou muito mal na fotografia.

A perder, o Moreirense perdeu os seus equilíbrios defensivos, abriu espaços e aproveitou o Benfica para ampliar a vantagem, aos 72’, por Jonas que encostou bem após assistência de Salvio. Quem entrou cheio de vontade de voltar aos golos foi Talisca. Aos 82 minutos, do meio da rua, testou a pontaria com o remate a sair muito perto do poste.

Com esta vitória, o Benfica segue líder isolado da classificação com 56 pontos.

O SL Benfica alinhou com o seguinte onze inicial em Moreira de Cónegos: Artur, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; André Almeida, Pizzi (Gonçalo Guedes, 89’), Ola John (Talisca, 78’), Salvio; Lima (Derley, 83’) e Jonas.

Fonte: SLB

Fotos AQUI

Ficha de Jogo AQUI

publicado por Benfica 73 às 10:05

Fevereiro 21 2015
 
A Doyen, através do seu CEO, Nélio Lucas, tentou marcar um encontro entre Bruno de Carvalho e Luís Filipe Vieira, algo que o presidente do Sporting tinha revelado através da sua conta oficial no Facebook – em resposta ao líder do Benfica após o corte de relações entre os dois clubes – e que o responsável do fundo se apressou a desmentir. Record teve acesso a alguns documentos integrantes do processo Rojo, que decorre no Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), e dos quais se retiram várias transcrições de mensagens entre BdC e Nélio Lucas, as quais confirmam de forma cabal uma parte da versão do líder verde e branco.

“Na quarta-feira logo de manhã poderemos ver o presidente do Benfica? Tenho interesse em juntar vocês os 2. Acho que será muito importante”, refere Nélio Lucas, a 17 de junho de 2013, pouco mais de 3 meses depois de Bruno de Carvalho ter sido eleito como presidente do Sporting. A resposta é perentória: “Quanto ao Benfica não estou na disposição deste encontro. As nossas relações estabilizadas não são sinal mais do que isso. Não existe qualquer interesse em negócios conjuntos, nem vendas e compras de jogadores entre nós.”


Insistência e recusa

De acordo com o conteúdo do processo a que o nosso jornal teve acesso, esta não foi a única vez que Nélio Lucas tentou juntar Bruno de Carvalho e Luís Filipe Vieira. “Sobre o Benfica se me permite acho que faz mal. Acho que não perde nada em OUVIR. Acho que as duas partes têm bastante a ganhar com uma boa relação”, insistiu o CEO da Doyen, com o líder sportinguista a manter-se... intransigente: “A decisão está tomada. A nossa relação é boa mas não precisa de ser mais do que isso.”


Nos documentos revelados em exclusivo por Record, em nenhuma parte Nélio Lucas revela que a intenção desta aproximação parte de Luís Filipe Vieira, algo que Bruno de Carvalho assinalou nas declarações escritas publicadas nas redes sociais. “Ainda me lembro de Luís Filipe Vieira, mal fui eleito, pedir várias vezes ao seu amigo da Doyen, Nélio Lucas, para me levar a sua casa tomar o pequeno-almoço, convite esse que sempre recusei”, referiu BdC momentos antes do Sporting empatar com o Belenenses (1-1) no Restelo (14 deste mês).

As mensagens, porém, não deixam margem para qualquer dúvida relativamente ao interesse da Doyen em juntar os dois presidentes.


Top Secret

Record teve acesso a uma troca de mensagens entre Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, e Nélio Lucas, CEO da Doyen Sports. Através das mesmas é percetível a intenção manifestada por Nélio Lucas no sentido de promover um encontro entre Bruno de Carvalho e Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica. O líder dos leões recusa a proposta e, perante a insistência de Lucas, reforça não estar interessado. As mensagens foram transcritas e validadas por um cartório notarial de Madrid, Espanha, a pedido do próprio Nélio Lucas.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 11:00

Fevereiro 16 2015

156086_10155207265540716_2449779732186260786_n.jpg

O SL Benfica mantém a liderança isolada da I Liga, fruto da vitória deste domingo sobre a formação do Vitória de Setúbal. Jardel e Lima assinaram os golos da vitória, por 3-0, uma vitória justa e natural, face à qualidade, dinâmica e eficácia colocada em campo pelo Glorioso. Mais três preciosos pontos…

 

Volvidos quatro dias, novo duelo entre “encarnados” e sadinos, desta feita para as contas do Campeonato Nacional, com a discussão da jornada 21. Muitas caras novas, a ambição de sempre, num bom espectáculo de futebol com 40.564 mil nas bancadas da Catedral.

À semelhança da última quarta-feira, entrada espevitada e atrevida da turma do Sado, mas com resposta pronta do SL Benfica, que cedo mostrou que não estava para brincadeiras e que queria resolver rapidamente.

Minuto oito, canto cobrado na esquerda por Pizzi, e nas alturas, bem no coração da área, Jardel, o central que também gosta de marcar, subiu mais alto e cabeceou com convicção para o tento inaugural.

Em vantagem, os “encarnados” dominavam por completo as operações e foi com naturalidade que a vantagem foi dilatada.

Aos 39’, belíssima jogada de Ola John pela lateral esquerda, a bola chega a Lima que, de primeira, remata colocado, e sem hipóteses de defesa, para Batista.

Estava feito o 2-0, resultado com que se atingiu o intervalo.

 

Vitória confirmada com classe!

Segunda metade mais morna, com uma mão cheia de oportunidades… mas a “redondinha” parecia não querer

entrar!

Mas entrou! Minuto 70’, Salvio em esforço, na raça, recupera a bola e oferece o golo a Lima, com o brasileiro a bisar e a colocar o marcador em 3-0.

Com este resultado, o Sport Lisboa e Benfica mantém a liderança isolada da tabela classificativa, com quatro pontos de vantagem sobre o 2.º classificado e com vantagem dilatada para 9 pontos para com o 3.º da geral.

O SL Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Maxi Pereira, Jardel, Luisão e Eliseu; Samaris, Ola John, Salvio e Pizzi; Lima e Jonas.

Na próxima jornada, a 22.ª, o Glorioso viaja até Moreira de Cónegos. O Moreirense- SL Benfica está agendado para as 19h00 de sábado, no estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:39

Fevereiro 13 2015
 

O Sporting entrega hoje na Liga uma exposição para que a Comissão de Instrução e de Inquéritos aprecie os incidentes ocorridos no último dérbi, durante o qual alguns adeptos afetos ao Benfica lançaram tochas sobre o topo norte de Alvalade, onde estavam instalados adeptos dos leões, e abra um inquérito disciplinar cujos resultados sejam depois remetidos ao Conselho de Disciplina da FPF.

A argumentação do Sporting baseia-se no artigo 182 do Regulamento Disciplinar, que prevê que a equipa cujos adeptos se comportem de forma incorreta, ao ponto de colocarem a integridade física da assistência em risco, seja obrigada a disputar entre um e dois jogos à porta fechada no seu estádio.

Por considerarem que houve mesmo vidas em risco e que existia a intenção de provocar danos, depois da tarja exibida durante o dérbi do futsal, no Pavilhão da Luz, a lembrar o very-light que vitimou um adepto na final da Taça de Portugal, em 1996, o Sporting poderá mesmo levar este processo para a justiça civil.


Silêncio

Esta iniciativa do Sporting acentua ainda mais o clima de tensão nas relações, entretanto cortadas, com o Benfica, que ontem não quis reagir às pretensões punitivas do seu rival, mas pondera igualmente recorrer às instâncias disciplinares. O aparecimento público de Luís Filipe Vieira hoje, em Leiria, na inauguração de mais uma Casa do Benfica, poderá propiciar uma primeira manifestação.

Na Luz, depois de uma primeira reação feita através da Direção de Comunicação, rebatida pelo Sporting, o silêncio tem imperado, mas o facto de também os adeptos do Sporting terem lançado tochas para o interior do relvado, que caíram na grande área, junto ao guarda-redes Artur, está a ser preservado para memória futura.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:13

Fevereiro 13 2015
 

O Benfica é o líder destacado, na época em curso, no que diz respeito ao pagamento de multas por mau comportamento dos adeptos. Dos 28 jogos já efetuados a contar para as competições nacionais (20 da Liga, 3 para a Taça de Portugal, 4 da Taça da Liga e o encontro da Supertaça), os encarnados foram penalizados em 20 deles, desembolsando 89.772 euros.

Na temporada 2014/15, o clube da Luz detém igualmente o recorde da multa mais elevada por jogo. Foram 12.817 euros pagos à Liga, devido a problemas criados pelos adeptos no Benfica-V. Guimarães, a contar para a 16.ª jornada do campeonato.

 

Conforme se pode confirmar no quadro ao lado, nem sempre o peso social do clube ou a posição na tabela classificativa está diretamente ligada com incidentes mais ou menos graves protagonizados pelos respetivos simpatizantes. Com quase metade do valor de multas paga pelo Benfica, o Boavista ocupa o segundo lugar desta contabilidade – que não contempla o dinheiro envolvido em reparações nos estádios dos adversários, até porque muitos destes processos estão ainda em curso –, com 46.794 euros. Os axadrezados batem mesmo o FC Porto, que desembolsou 30.294 euros por onze infrações, Sp. Braga (25.542) e V. Guimarães (24.554). Curiosamente, o Sporting, apesar da forte falange de apoio, surge apenas no 6.º lugar do mau comportamento, com 22.733 euros.


Há cinco imaculados

Desde que a época se iniciou, os comunicados do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol não fazem qualquer referência a cinco clubes primodivisionários, invocando os artigos 172 a 187. Assim, Nacional, Estoril, V. Setúbal, Gil Vicente e Penafiel mantêm, neste domínio, o cadastro limpo. Aliás, Paços de Ferreira e Marítimo também só prevaricaram numa única ocasião.

Fonte: Record

 
publicado por Benfica 73 às 10:25

Fevereiro 12 2015

capture-20150212-101830.png

O Sport Lisboa e Benfica garantiu esta noite de quarta-feira a presença na sexta Final da Taça da Liga da sua História, ao vencer, na Catedral, o Vitória de Setúbal, por 3-0. Talisca e Pizzi, de grande penalidade, e Jonas, assinaram os tentos de uma vitória justa!

Bruno Ribeiro, treinador dos sadinos, tinha-o dito na antevisão à partida. O Vitória de Setúbal vinha para ganhar, para fazer História na Luz… e os primeiros minutos do desafio mostraram essa ambição!

Os sadinos entraram com tudo e Lisandro López – com um corte providencial - e Artur Moraes tiveram que se aplicar num par de lances com selo de golo.

Aos 10’, resposta do SL Benfica. Grande jogada de Pizzi, cruzamento com conta, peso e medida de Sílvio, para cabeceamento de Derley, a testar os reflexos de Lukas Raeder.

Sete minutos depois foi o “miúdo”, o ainda júnior Gonçalo Guedes, a dar nas vistas. Passe largo de Cristante a isolar o português, que depois de uma diagonal perfeita, atira por cima da trave.

Em cima da meia hora, mais Gonçalo Guedes… desta feita com um poderoso remate à malha lateral, depois de lance individual.

Aos 39’, grande penalidade favorável ao Benfica. O peruano, Advincula, comete falta sobre Gonçalo Guedes, e é expulso. Talisca, na conversão, com muita categoria e colocação, não dá hipótese de defesa a Lukas Raeder e coloca os “encarnados” a vencer, por 1-0.

Aos 44’, mais um penálti claro na Luz! Pressão de Cristante a não dar espaços, Talisca entra na área e é derrubado por Paulo Tavares. Pizzi, na linha dos 11 metros, não falha! Bola para um lado, guarda-redes para o outro e estava feito o 2-0, resultado com que se atingiu o intervalo.

Jonas confirmou vitória justa!

Segunda metade e só deu Benfica! Em vantagem no marcador e também numérica, as “águias” soltaram-se e

partiram para uma exibição muito positiva, marcada ainda pelo regresso de Ruben Amorim à competição, volvidos quase seis meses de paragem devido a lesão.

Gonçalo Guedes, Jardel, Ola John, Eliseu, Pizzi, Talisca, Salvio, Derley… todos tentaram acertar no alvo, mas sem consequências de maior. Tanto, tanto desperdício!

Finalmente, aos 72’, tabulação entre Derley e Ola Jonh, com o esférico a encontrar o brasileiro, Jonas, que, na cara do guardião sadino, só teve de encostar para o 3-0.

Com esta vitória, o SL Benfica carimba, pela sexta vez, presença na Final da Taça da Liga, Troféu que já venceu por cinco ocasiões. Quanto ao adversário, só é conhecido no dia 2 de Abril e sairá do confronto entre Marítimo e FC Porto.

O SL Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Sílvio, Lisandro López, Jardel e Eliseu; Cristante (Jonas, 45’), Pizzi (Ruben Amorim, 76’), Talisca, Ola John e Gonçalo Guedes (Salvio, 58’); Derley.

No próximo fim-de-semana o chip muda, com os Campeões Nacionais a receberem, na Luz, este mesmo Vitória de Setúbal, desta feita num desafio a contar para a 21.ª jornada do Campeonato Nacional. Esta partida está agendada para as 17h00 de domingo.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:15

Fevereiro 11 2015

cam.jpg

O branco poderá passar a ser uma realidade no equipamento alternativo do Benfica já a partir da próxima temporada. Segundo o Globoesporte, as águias voltarão a apostar numa cor que foi "habitué" no segunda camisola oficial do clube da Luz até à década de 90 e que deixou muitas saudades entre os adeptos encarnados.

Além do equipamento alternativo do Benfica, o orgão de comunicação social brasileiro desvendou camisolas de outros emblemas que são patrocinados pela Adidas como é o caso do Chelsea, Real Madrid, Bayern de Munique, Ajax, Lyon e Schalke 04.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:16

Fevereiro 10 2015

Jogavam-se os últimos instantes do dérbi com o Sporting, quando Jardel virou para si as luzes da ribalta com o remate certeiro apontado a Rui Patrício. Tido muitas vezes como uma figura secundária da equipa pelos adeptos, a verdade é que o brasileiro assume-se como um dos jogadores mais queridos e respeitados no balneário encarnado.

 

E muito por culpa da atitude que o central assumiu desde que assinou pelas águias: seja opção regular ou não, Jardel, de 28 anos, trabalha sempre com a máxima intensidade, entrega-se de corpo e alma nos treinos e durante os jogos e nunca vira a cara à luta, mesmo que a situação seja o mais adversa possível. Além de tudo, é um jogador que mantém sempre a boa disposição, mesmo que o momento seja difícil ou que as coisas não estejam a correr-lhe de feição, pelo que é um dos animadores do grupo. Profissionalismo e dedicação são ingredientes que coloca no dia a dia e, por isso, todos os jogadores do plantel fizeram questão de dar-lhe os parabéns após o dérbi.

 

A admiração estende-se também à equipa técnica comandada por Jorge Jesus. O treinador é um grande apreciador das qualidades do central, sempre fez questão de elogiá-lo publicamente e, mesmo quando o brasileiro errou, contou com o apoio do técnico. Aliás, ao longo dos anos, Jardel sempre foi a alternativa à dupla de centrais composta por Luisão e Garay e foram já vários os defesas que passaram pela Luz. O início desta temporada serviu apenas para constatar a confiança de JJ no ex-futebolista do Olhanense.

 

Garay saiu rumo ao Zenit e o regresso de Lisandro, após empréstimo, fazia antever que o argentino poderia ganhar um lugar no onze. Mas não foi isso que aconteceu. Jesus manteve-se fiel às suas ideias e Jardel foi sempre o parceiro de Luisão no eixo defensivo. E os resultados têm sido positivos, já que na Liga as águias sofreram apenas nove golos.

 

Peça-chave

De alternativa credível, Jardel tornou-se, esta temporada, num dos imprescindíveis do treinador. Daí que a sua saída tenha sido bloqueada nesta janela de transferências pela SAD e pelo próprio técnico. Foram vários os clubes que manifestaram interesse no central, chegaram mesmo ofertas concretas ao Benfica, mas a resposta foi sempre negativa: Jardel não sai. E o central continua a justificar o crédito dos responsáveis encarnados. No dérbi realizou mais uma grande exibição, sem falhas, e ainda logrou marcar o golo do empate. Foi o segundo na Liga, após ter festejado em Penafiel.

 

CITAÇÕES

"Fomos campeões por ter jogadores como o Jardel: lesionou-se no início do jogo com o V. Guimarães [época passada] e acabou por cumprir os 90 minutos com um corte na cabeça."

Salvio 28/5/2014

 

"Jardel é do Benfica mas foi um leão, quero dar-lhe os parabéns. Vai levar dez ou onze pontos. Qualquer jogador saía do jogo, ele não quis sair. Foi grande profissional"

Jorge Jesus 21/2/2011

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 12:38

Fevereiro 10 2015

Cinco meses e meio depois de ter contraído grave lesão no joelho direito, Rúben Amorim está disponível para voltar a ser opção no Benfica.
Conforme pode ler em A BOLA, o jogador, de 30 anos, está a treinar-se sem condicionalismos e poderá entrar na convocatória para a partida com o Vitória de Setúbal, agendada para amanhã, no Estádio da Luz, respeitante às meias-finais da Taça da Liga.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:10

Fevereiro 09 2015

Noite fria em Lisboa, ambiente quente nas bancadas a transbordar do estádio José Alvalade. Todos os ingredientes reunidos para, no relvado, haver espectáculo e emoção no dérbi eterno.No final dos 90 minutos empate a uma bola e o Benfica sorri mais do que o rival com este resultado.

Os primeiros minutos corresponderam ao que deles se esperava: jogo vivo, poucas paragens e muita luta pela posse de bola, nomeadamente no “miolo”.

 

Porém, por outro lado, o esférico teimava em andar longe de criar perigo em ambas as balizas. Nos primeiros 45 minutos viu-se intensidade, mas não oportunidades flagrantes de golo. Esporadicamente houve tiros à baliza como os remates de Salvio (prensado em Tobias Figueiredo) e de Jonas e de Montero, ambos por cima.

Ao intervalo, permanecia o nulo no estádio José Alvalade. No reatamento, o Sporting apareceu mais afoito. Por coincidência notou-se uma postura diferente do árbitro Jorge Sousa em relação ao que tinha acontecido na primeira parte ao não deixa jogar como o tinha feito. Mostrou dualidade de critérios ao assinalar faltas para o Sporting que não tinha assinalado para o Benfica nos primeiros 45 minutos. Isso ajudou a equipa da casa a subir no terreno e dificultou a tarefa às “águias”.

 

Perante tal “ajuda”, responderam os comandados por Jorge Jesus com a oportunidade perigosa de Lima e

remate de Jonas. O Sporting esteve perto do golo aos 71’ e aos 75 minutos com os remates de Carrillo e de Montero, ambas com excelentes intervenções de Artur.

Aos 87 minutos, Samaris entregou mal a João Mário que apareceu frente a Artur. O brasileiro opôs-se bem primeiro, mas na recarga Jefferson inaugurou o marcador. Aos 90’+3, Jardel empatou e calou as bancadas de Alvalade.

Com este resultado, o Benfica mantém-se líder com 50 pontos, mas viu FC Porto aproximar-se.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris (Derley, 90’+1), André Almeida (Pizzi, 88’), Salvio, Ola John (Talisca, 64’); Jonas e Lima.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:13

Fevereiro 06 2015

O dérbi entre Sporting e Benfica deste sábado vai colocar frente a frente duas equipas que estão separadas por sete pontos na classificação da Liga, mas que têm mais diferenças entre si. E são também sete aquelas que colocamos aqui quando a contagem decrescente para o jogo entre os «eternos rivais» já decorre.

A informação diária aponta ainda para as indefinições relativamente às opções de que os treinadores dispõem, nomeadamente, quanto às condições físicas de Slimani no Sporting, ou à recuperação de Nico Gaitán no Benfica – questões que podem apenas ficar decididas a poucas horas do jogo, onde, em condições ideais, o argentino estará mais seguro da titularidade no «onze» dos encarnados» do que o argelino no dos «leões».

Assim, para «descobrir» uma primeira diferença, toma-se por base os «onzes» mais prováveis dos dois clubes (com as devidas incertezas que fazem parte deste jogo).

No Sporting, contamos que Marco Silva deverá fazer alinhar Rui Patrício, Cédric, Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo, Jefferson, William Carvalho, Adrien Silva, João Mário, André Carrillo, Nani e Fredy Montero (ou Slimani).

No Benfica, contamos que Jorge Jesus fará alinhar Artur, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu, Samaris, Toto Salvio, Talisca (ou Pizzi), Nico Gaitán (ou Ola John), Lima e Jonas.

A primeira diferença fica evidente na formação versus contratações. No Sporting serão sete os jogadores a entrar em campo formados na academia leonina: Rui Patrício, Cédric, Tobias Figueiredo, William, Adrien, João Mário e Nani. No Benfica, pelo contrário, não haverá no «onze» qualquer jogador formado pelo clube da Luz: todos foram contratados para o plantel principal.

A segunda diferença também é fácil de «apanhar». O número de jogadores portugueses contra o de estrangeiros. Neste aspeto, o Sporting está no lado da maioria de jogadores de nacionalidade portuguesa. No caso, são oito os leões: Rui Patrício, Cédric, Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo, William, Adrien, João Mário e Nani – deixando a dúvida entre Montero e Slimani indiferente.

Já no Benfica, o domínio do plantel está do lado dos jogadores estrageiros, pois apenas haverá um português no «onze»: Eliseu. Pizzi poderá dobrar a margem mínima se for opção, mas, entre Gaitán e Ola John será (também) indiferente. Ou seja, o Benfica deverá entrar em Alvalade com 10 estrangeiros – nove na melhor das hipóteses.

A estas duas diferenças anteriores não será, então, alheia a terceira: a experiência face às estreias nestes jogos. Luisão é o jogador mais experiente em jogos entre os dois rivais: o defesa central do Benfica já atuou vinte e duas vezes contra o Sporting no total das três competições nacionais. Ao lado do seu capitão estão Artur, Maxi, Jardel, Eliseu, Salvio, Talisca, Gaitán e Lima: são nove que já jogaram este dérbi.

Se Ola John jogar já não será pela primeira vez. Pizzi não participou em dérbis. Mas, no «onze» mais provável, são Samaris e Jonas quem nunca defrontou os verde e brancos. No lado do Sporting, é na defesa que está a maior inexperiência em dérbis, pois ambos os centrais Paulo Oliveira e Tobias Figueiredo se estrearão pelo Sporting frente ao Benfica. O terceiro leão a fazer a estreia absoluta em dérbis da capital será João Mário.

No Sporting, o mais experiente nestes jogos é Rui Patrício, com 17 dérbis (o segundo mais rotinado é Adrien, com oito). A maior experiência dos benfiquistas volta a ter como exemplo que «17» são já os dérbis do seu segundo mais rotinado: Maxi Pereira.

A nível dos treinadores, Marco Silva fará também o seu segundo dérbi oficial (a que se pode juntar mais dois «clássicos nesta época com o FC Porto). O treinador contraria esta inexperiência com a ausência de derrotas. Já Jorge Jesus, só contando com o Sporting, disputou este dérbi 14 vezes e com um saldo claramente positivo: 10 vitórias, três empates e uma derrota.

Na concretização dos golos, Benfica e Sporting não chegam a estar separados por sete. Na verdade, são seis golos a separá-los na tabela dos marcados, pois o Benfica soma 44 golos na Liga, enquanto o Sporting 38. Mas há diferenças mais acentuadas neste caso. O Sporting é muito mais eficaz no segundo tempo, pois nas primeiras partes marcou menos de metade dos seus golos: 12 contra 26.

Já o Benfica pauta-se pelo maior equilíbrio, pois conseguiu 20 golos nos primeiros 45 minutos e 24 nos segundos. No que respeita aos golos sofridos, as diferenças são praticamente mínimas entre as duas partes (tendo em conta que os «encarnados» sofreram cerca de metade em relação ao adversário). O Sporting sofreu oito e sete golos na primeira e segunda partes, respetivamente; o Benfica sofreu cinco e três.

É também entre os pontos perdidos em casa e fora de portas que «leões» e «águias» voltam a divergir. O Sporting perdeu mais pontos em Alvalade do que fora de casa. O Sporting deixou escapar oito pontos no seu terreno, enquanto foram sete os pontos que deixou nos campos visitados. O Benfica mostrou a tendência contrária: na Luz só lhe escaparam dois pontos (precisamente com o Sporting na 1ª volta); fora de casa, a equipa de Jesus perdeu seis pontos.

 

Retomando o plano dos treinadores e alargando o âmbito das diferenças do «onze» mais provável para a generalidade do plantel, volta a ser nos respetivos setores defensivo que se encontram diferenças significativas quanto aos jogadores mais utilizados na Liga. No Benfica, a baliza foi repartida por Artur e Júlio César. No Sporting, Rui Patrício é totalista.

No quarteto defensivo, pelo contrário, o treinador «encarnado» tem sido muito mais conservador, pois há quatro jogadores muito mais utilizados do que qualquer outro companheiro de setor: Maxi, Luisão, Jardel (todos bem acima dos mil minutos) e ainda Eliseu (também ele já acima do milhar de minutos. Marco Silva, pelo contrário, tem variado muito mais as opções na defesa só tendo dois jogadores acima dos mil minutos jogados: Cédric e Paulo Oliveira. Quer entre Jonathan Silva e Jefferson, ou entre Sarr e o já ausente Maurício (com os outros centrais), houve frequentes trocas.

Nos setores médios – com a «nuance» já ausente Enzo Pérez – e avançados, as primeiras opções para este jogo de domingo equiparam-se nas duas equipas entre os números do mais utilizados, como pode ver AQUI, para o Sporting, e AQUI, para o Benfica.

 

Se o Sporting tem sete jogadores da formação no «onze» e o Benfica nenhum, a questão do orçamento que implicou cada equipa que entrar em campo é a última diferença deste lançamento. Tendo em conta que Nani é um dos formandos(que regressou por empréstimo), os leões têm como jogadores contratados Montero, Carrillo, Jefferson e Paulo Oliveira.

Ora, estes elementos custaram aos cofres leoninos cerca de 4 milhões de euros com a confirmação da contratação de Montero (1,1 milhões), os 690 mil euros por Carrillo, os 400 mil por Jefferson e os 1,8 milhões por Paulo Oliveira. Trocando Slimani (250 mil euros) por Montero, o orçamento cai para cerca de 3,75 milhões de euros.

No Benfica, os valores são diferentes. Muito diferentes – e englobando as várias épocas de contratações que distam bastante umas das outras. Maxi Pereira custou três milhões de euros, Luisão custou um, Jardel 500 mil euros, Eliseu 1,5 milhões, Salvio 13,5 milhões, Talisca quatro milhões, Samaris 10 milhões, Gaitán 8,4 milhões e Lima quatro milhões: estes valores dão um total de 45,9 milhões de euros.

A custo zero neste onze estão Artur e Jonas. Incluindo Pizzi nesta equação (acrescentam-se seis milhões retirando os quatro de Talisca) e o valor sobe mais dois milhões. Incluindo Ola John (acrescentam-se oito milhões de euros e retiram-se os 8,4 de Gaitán), o que deixa este orçamento do onze sensivelmente no mesmo valor.

Fonte: Maisfutebol

publicado por Benfica 73 às 11:22

Fevereiro 06 2015
 

O departamento médico do Benfica voltou a ter bastante trabalho nas últimas semanas, depois de um período em que Fejsa e Ruben Amorim foram os únicos clientes de forma assídua. Daí que Jorge Jesus se debata com várias ausências para preparar o dérbi com o Sporting.

A juntar-se aos dois médios, que já estão fora de combate há vários meses, o treinador não pode contar também comJúlio César e Sulejmani. O guarda-redes lesionou-se frente ao Boavista e vai parar pelo menos durante um mês, enquanto o internacional sérvio continua a ser fustigado por problemas físicos de ordem muscular.

Já César também saiu com queixas do jogo com o Arouca, para a Taça da Liga, e parece estar perto da recuperação total, embora não seja líquido que esteja apto para enfrentar o Sporting este domingo. A este quinteto juntou-se o problema de Gaitán, contraído durante o jogo com o Marítimo.

Fonte: Record

publicado por Benfica 73 às 10:28

Fevereiro 05 2015

Continua em aberto a possibilidade de Loris Benito sair do Benfica, com o Dínamo Zagreb a surgir como potencial destino para o lateral suíço que raramente tem entrado nas escolhas de Jorge Jesus.

Segundo o Calciomercato, o emblema da Croácia, onde o mercado continua aberto até meados de fevereiro, deverá contactar o Benfica para tentar o empréstimo de Benito até ao final da temporada.

Em janeiro, Benito apareceu várias vezes associado ao Génova, porém, o mercado de transferências fechou em Itália e a saída do lateral suíço para o emblema transalpino não se concretizou.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 11:06

Fevereiro 05 2015

A SAD do Benfica não aceitou reunir-se com o Malmo a fim de discutir a transferência de Viktor Lindelof para o clube sueco.
«O Benfica não o deixa sair. Gostam muito dele», explicou Per Jonsson, empresário do médio, em declarações ao site FotbollDirekt.se.
Refira-se que o mercado de transferências na Suécia, onde o Campeonato ainda não começou, só encerra no final de março.
Viktor Lindelof está em final de contrato com as águias.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:22

Fevereiro 04 2015

Na contagem decrescente para a deslocação a Alvalade, adensam-se as dúvidas quanto à recuperação de Nico Gaitán para o jogo com o Sporting.
Escreve A BOLA que o extremo argentino, a contas com lesão muscular na face anterior da coxa esquerda, continua a trabalhar de forma condicionada, apesar de estar a evoluir favoravelmente do problema contraído no jogo com o Marítimo, a 18 de janeiro.
O camisola 20 só será utilizado em Alvalade com a certeza de que não correrá riscos de recidiva.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 09:43

Fevereiro 03 2015

O mural de tributo a antigos jogadores do Benfica, no bairro lisboeta de Campolide, foi alvo de atos de vandalismo com inscrições alusivas ao Sporting.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 11:35

Fevereiro 03 2015

Os uruguaios Jonathan Rodríguez e Elbio Álvarez foram inscritos pelo Benfica na Liga, confirmou o próprio organismo na mais recente atualização de transferências.
Além dos dois reforços contratados ao Peñarol, o Benfica inscreveu ainda os jovens Vitali Lystsov, Carlos David e Flávio Silva, além de registar a inclusão no plantel do médio sérvio Ljubomir Fejsa.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:51

Fevereiro 03 2015

O Benfica oficializou, esta segunda-feira, as contratações de Vitali Lystsov, Carlos David e Flávio Silva.
O defesan central Vitali Lystsov, de 19 anos, vem por empréstimo do UD Leiria, com opção de compra.
O médio brasileiro Carlos David, de 18 anos, vem por empréstimo do Vilafranquense.
O português Flávio Silva, de 18 anos, foi comprado ao Torreense.

Fonte: A Bola

publicado por Benfica 73 às 10:27

BENFICA 73
Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


subscrever feeds
comentários recentes
Então e o prémio ao manel, não foi entregue? LOL
Mais uma vez mostram aquilo que os move...A nós, s...
A corrupção voltou
Ai as redes sociais! Há coisas que não é suposto p...
A ver vamos (the true value) quando marcar > 3 ...
Espero que o Gaitán ainda faça 5 ou 6 jogos pelo S...
" OS CALIMEROS" , para além de serem medíocres, s...
Já vou na meia idade e detestava ver o SLB a jogar...
Mulher bonita? Onde? Nunca vi tanta mulher feia re...
Benfica a fazer a diferença em Cabo Verde. Veja o ...
Uma vitória importante na luta pelo campeonato... ...
Não é o Valência que é um clube muito importante n...
O meu clube do coração é vermelho, de amor, de san...
Viva o BENFICA!
Ficou no balneário por recomendação do seu médico!
Mais uma importante vitória e o natural destaque n...
O famoso "Eng." Simão bem que podia usar as abunda...
É incrivel o benfica nao renovar o contrato com o ...
"...disse em declarações à Renascença.", "...atiro...
O golo do Talisca é qualquer coisa de especial :DR...

contador visitante