Dezembro 15 2014

O SL Benfica venceu, esta noite, o clássico, por 0-2, reforçando a liderança isolada da Primeira Liga. Dois golos de Lima deram mais três pontos aos “encarnados” que passam a somar 34, rumo ao objectivo: a revalidação do título.

Lotação esgotada no estádio do Dragão, com perto de 50 mil espectadores a assistir ao jogo grande e ao encontro de todas as emoções da 13.ª jornada do Campeonato Nacional.

 

45 minutos de alta voltagem. Foi assim o primeiro tempo do clássico, com um FC Porto agressivo a protagonizar o primeiro momento de perigo da partida, aos 7’, com a bola a sair ao lado da baliza do brasileiro Júlio César.

O SL Benfica respondeu e, aos 14’, Nico Gaitán atirou de fora da área para o lado das redes de Fabiano. Aos 31’ grande defesa de Júlio César, que negou o 1-0 a Jackson.

A resposta do Benfica, aos 35’, fez levantar as bancadas. Maxi Pereira fez um lançamento longo para a área e Lima abriu o marcador. Estava feito o primeiro da noite e o quarto do brasileiro nesta edição do Campeonato. Jorge Sousa apitava para o intervalo com os “encarnados” a vencerem por 0-1.

 

Dez minutos decorridos do segundo tempo e mais uma explosão no Dragão, onde só se ouvia Benfica. Talisca rematou à

baliza de Fabiano que defendeu para a frente e, na recarga, Lima voltou a facturar.

Aos 77’, oportunidade para os “azuis e brancos”. Jackson rematou de cabeça à barra, e depois de um ressalto, o colombiano meteu a bola na baliza, mas o árbitro já tinha assinalado mão. Decisão acertada de Jorge Sousa.

Nos últimos minutos de jogo, um Benfica a manter a posse de bola o máximo de tempo possível e a gerir o resultado até ao final do encontro. Apito final dado por Jorge Sousa e três pontos conquistados rumo ao principal objectivo da temporada: a revalidação do título nacional.

Na próxima jornada, o SL Benfica recebe o Gil Vicente num encontro marcado para o dia 21 de Dezembro. Antes disso, no dia 18, há Taça de Portugal. O conjunto “encarnado” recebe, na Catedral, o SC Braga, nos oitavos-de-final, às 20h00.

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira, Jardel, Luisão (75’ César), André Almeida; Samaris, Enzo Perez, Gaitán, Salvio; Talisca (80’ Ola John) e Lima.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 09:39

Dezembro 07 2014

salvio5619431.jpg

A equipa liderada por Jorge Jesus venceu, este domingo, o Belenenses na 12.ª jornada da Primeira Liga. O SL Benfica - que ainda não perdeu nenhum jogo em casa para o Campeonato e que conta com o melhor ataque da prova – somou mais três pontos, cimentando a liderança, agora com 31 pontos. Lima, Enzo Perez e Salvio assinaram os golos.

Na tarde fria da capital portuguesa, foi preciso esperar 11 minutos para as bancadas da Catedral assistirem ao primeiro lance de perigo da tarde. O argentino Nico Gaitán, de pé direito, esteve perto de inaugurar o marcador, mas o forte remate acabou por sair ao lado da baliza de Matt Jones.

 

Aos 19’, esteve à vista o golo do Belenenses. Ao Benfica valeu-lhe Júlio César que, seguro e atento, evitou o cabeceamento de Tiago Caeiro.

Poucos minutos depois – o placard marcava 22’ – o capitão Luisão esteve a poucos centímetros do seu 41.º golo nas principais competições oficiais ao serviço do Sport Lisboa e Benfica. Assistência de Salvio, com o defesa brasileiro a desviar para fora.

Decorridos 29’, pediu-se penálti na Luz. Na área do Belenenses, Enzo Perez caiu em disputa com Nélson, mas o árbitro Manuel Oliveira mandou seguir.  

Nos primeiros 45 minutos, a equipa comandada por Jorge Jesus foi dona e senhora do jogo. Mais ataques, mais remates e mais oportunidades, numa primeira parte em que o Benfica controlou mas sem conseguir desmontar a estratégia defensiva dos “azuis” do Restelo.

 

Na segunda metade, mais Benfica. Aos 64’, explosão na Catedral com o golo de cabeça de Lima – o terceiro esta época

para o Campeonato -, na sequência de um canto batido por Nico Gaitán.

Poucos minutos depois, aos 70’, Manuel Oliveira assinalou grande penalidade a favor do Benfica na sequência da falta de João Afonso sobre Enzo Perez. O argentino assumiu e, na conversão da grande penalidade, fez o 2-0.

Já a noite tinha caído e continuavam a ouvir-se os cânticos nas bancadas. Os adeptos apoiavam e pediam mais. E Salvio concedeu o desejo dos Benfiquistas, aos 82’, após mais uma grande assistência de Gaitán. Um golo que fechou uma vitória importante que antecede o sempre emocionante clássico, isto no que respeita ao Campeonato.

No próximo dia 14 de Dezembro, domingo, os “encarnados” deslocam-se à Invicta, ao estádio do Dragão, na 13.ª jornada da I Liga. O FC Porto – SL Benfica tem o apito inicial marcado para as 20h00.

Antes disso, o Estádio da Luz recebe a 6.ª jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões, entre SL Benfica e Bayer Leverkusen. A partida está agendada para as 19h45.

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze titular: Júlio César; Maxi Pereira (85’ Benito), Jardel, Luisão, André Almeida; Samaris, Gaitán, Salvio, Enzo Perez (81’ Pizzi), Talisca (45’ Lima); Jonas.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

publicado por Benfica 73 às 10:58

Dezembro 01 2014

O Sport Lisboa e Benfica viajou este final de tarde de domingo até Coimbra onde, frente à formação da Académica, disputou a 11.ª jornada do Campeonato Nacional. Gaitán e Luisão, com classe, assinaram os golos da vitória dos “encarnados” que, com mais três pontos conquistados, regressam à liderança isolada da prova. Está dada a resposta!

 

Muito se especulou durante os últimos dias acerca da forma como este Benfica se apresentaria em Coimbra, face à eliminação precoce das competições europeias 2014/15.

O presidente, Luís Filipe Vieira, pedira união e Jorge Jesus responsabilidade! O repto foi aceite, quer pelo grupo de trabalho, quer pela “maré vermelha” de adeptos que, mais uma vez, mostrou apoio incondicional à equipa, vestindo de vermelho rubro as bancadas do Estádio Cidade de Coimbra.

Frente a uma Académica a precisar de pontos como de pão para a boca, e que ainda não tinha permitido qualquer vitória adversária no seu recinto, foi um Benfica ávido e ambicioso aquele que entrou em campo, decidido a resolver rapidamente.

 

E se assim o pensou, melhor o fez! Gaitán deu o mote logo no minuto inaugural para, aos 8’, inaugurar mesmo o marcador. Passe espectacular de Enzo Perez, com o compatriota a receber, driblar Lee e rematar para a baliza deserta. Estava feito o 0-1 para as “águias” e a resposta começava a ser dada dentro de campo!

Em vantagem, o Glorioso não tirou o pé do acelerador, bem pelo contrário! Domínio completo das operações por parte dos homens de Jorge Jesus, face a uma Académica a espreitar o contra-ataque muito a espaços.

O Benfica carregava, ia criando oportunidades mais do que suficientes para dilatar o marcador, contudo, a bola teimava em não entrar. Foi preciso esperar pelo minuto 45’ para festejar novamente. Livre cobrado por Enzo Perez, saída em falso de Lee, com Luisão a subir mais alto e a cabecear para o 0-2… para a tranquilidade, justiça e também para o golo 600 do SL Benfica nas principais competições desde que Jorge Jesus orienta a equipa.

Óptimo começo de jogo, excelente fecho dos primeiros 45’.

 

Gestão com qualidade… três pontos conquistados!

No reatar, mais Benfica, mas com a velocidade e a intensidade a baixarem. Apesar de nunca deixar de procurar o golo,

construindo oportunidade mais do que suficientes para dilatar o marcador, o grupo adoptou uma postura mais pragmática, gerindo o resultado, em qualidade, até ao apito final de Jorge Ferreira.

Vitória justa, da melhor equipa em campo, que assim regressa à liderança isolada do Campeonato Nacional.

No próximo fim-de-semana, nova ronda da prova, com o SL Benfica a receber a formação do Belenenses. A 12.ª jornada da I Liga está agendada para as 17h00 de sábado, no Estádio da Luz.

Também na Catedral, na próxima terça-feira, os “encarnados” defrontam os alemães do Bayer Leverkusen, em desafio relativo à 6.ª e última jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões. Este jogo tem apito inicial às 19h45.

O Sport Lisboa de Benfica alinhou de início com Júlio César; Maxi Pereira, Jardel, Luisão e André Almeida; Samaris, Salvio, Enzo Perez, Gaitán (90'+6, Lima) e Talisca (61, Ola John); Jonas (75', Derley).

Fonte: SLB

Ver Fotos AQUI

Ficha de Jogo AQUI

publicado por Benfica 73 às 10:07

Novembro 10 2014

O SL Benfica venceu, nesta tarde de domingo, o Nacional da madeira, na Choupana, em encontro da 10.ª jornada da I Liga. Entrou praticamente a perder mas Salvio e Jonas operaram a reviravolta no Funchal.

Começaram cedo as emoções no Funchal. Ainda não estava completo o primeiro minuto de jogo, quando Edgar Abreu abriu as contas na Choupana. Um golo madrugador que apanhou desprevenida a equipa liderada por Jorge Jesus – que conquistou esta tarde a vitória 200 nas principais competições nacionais e internacionais de “aguia ao peito”.

 

Com a lotação praticamente esgotada, com cerca de cinco mil adeptos no estádio – na grande maioria vestidos de vermelho e branco – o Benfica não tardou em responder. Aos 6’, Salvio igualou o marcador e somou o seu quarto golo na Primeira Liga depois de um lance nascido de um cruzamento de Gaitán. Seis minutos jogados e dois golos marcados.

Aos 18’, ameaça de Jonas. Ameaçou aos 18 e um minuto depois fez a reviravolta no marcador. Na sequência de um canto batido por Gaitán na esquerda, Luisão ainda tentou o primeiro toque para a baliza, mas acabou por ser o avançado brasileiro a bater o guarda-redes Rui Silva. Um resultado (1-2) com que as equipas recolheram aos balneários.

Com um Benfica a dominar o início da segunda metade, assistiu-se a uma segunda parte bem diferente da primeira, com muito menos intensidade e mais equilíbrio. Apesar das oportunidades, os golos não apareceram.

Com este resultado, os “encarnados” mantêm-se na liderança da tabela classificativa, agora com 25 pontos – 8 vitórias, um empate e uma derrota.

 

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze inicial: Júlio César, Maxi Pereira, Luisão, Jardel e André Almeida; Enzo Perez, Salvio, Gaitán e Talisca (74’ Derley); Jonas (84’ Pizzi) e Lima (56’ Samaris).

As duas próximas semana são de paragem para compromissos das selecções nacionais. Só no próximo dia 22, o SL Benfica volta a casa, com a recepção ao Moreirense, nos 16 avos-de-final da Taça de Portugal. Quatro dias depois (26 de Novembro) há Liga Milionária. Os “encarnados” deslocam-se a São Petersburgo para enfrentar o Zenit, na 5.ª jornada da Fase de Grupos do Grupo C da Liga dos Campeões.

Dia 30 é tempo de voltar aos jogos do Campeonato. É em Coimbra, em casa da Académica, que se joga a 11.ª jornada da Primeira Liga, marcada para as 18 horas.

Fonte: SLB

Fotos Aqui

Ficha de Jogo Aqui

 

publicado por Benfica 73 às 09:43

Novembro 01 2014

O Sport Lisboa e Benfica regressou às vitórias na I Liga esta noite de sexta-feira, após vencer o Rio Ave, na Catedral, no desafio inaugural da 9.ª jornada da prova. Talisca, com mais um golaço, fez o tento da vitória. Três pontos preciosos – justos - que mantêm os “encarnados” na liderança isolada do Campeonato Nacional.

19h45, cerca de meia casa no Estádio da Luz, ambiente espectacular e fervoroso nas bancadas em noite de festejos relativos ao 11.º Aniversário da Catedral, assinalados no dia 25 de Outubro.

Depois do desaire do último fim-de-semana na Pedreira, era necessária uma resposta digna do Campeão e essa resposta veio logo no onze inicial, com Jorge Jesus – também face a algumas lesões – a montar um esquema ambicioso e claramente de ataque aos três desejados pontos.

Primeiro quarto de hora interessante, com um desafio rasgadinho e intenso a animar ainda mais as bancadas da Catedral.

Lima, aos 15’, remata para grande defesa de Cássio; um minuto depois, Enzo Perez testou novamente os reflexos do guardião adversário; aos 24’, Lisandro López cabeceou para golo… mas o brasileiro disse novamente não!

Estava dado o mote e o SL Benfica começava a mandar no jogo e a dar claros sinais de superioridade… faltava o golo.

Aos 35’, resposta do Rio Ave, com Júlio César (mero espectador nos primeiros 45’) a dizer presente a um bom remate de Wakaso.

Antes do apito para o descanso, Talisca, Lima e Jonas tentaram a sorte, mas o esférico teimava em não entrar! Tudo a zeros.

Gaitán mexeu com o jogo… Talisca resolveu!

Reatar do desafio, Samaris ficou no balneário, Gaitán entrou para dar ainda mais velocidade e argumentos.

E mais, muito mais Benfica em campo! Aos 59’, finalmente, o inevitável e que há muito se adivinhava! Belíssima jogada do

colectivo e Talisca, o médio melhor marcador da I Liga, rematou de longe para mais um golaço, a fazer o 1-0 e a dar justiça ao marcador.

Desbloqueado o resultado, grande partida de Futebol, mais jogada com o coração do que com a cabeça, com os homens de Pedro Martins a reagirem, face a um Benfica a puxar dos galões de Campeão e a controlar até ao apito final.

Nota para uma grande penalidade não assinalada a favor do SL Benfica, na sequência de um braço na bola de Tarantini já no coração da pequena área. Manuel Mota nada assinalou!

Com este resultado, o Glorioso soma mais três pontos e mantém-se na liderança isolada do Campeonato Nacional... e que bem que ela nos fica!

Na próxima terça-feira, o Sport Lisboa e Benfica focaliza atenções na Liga dos Campeões, com a Catedral a receber o Mónaco, em desafio agendado para as 19h45, relativo à 4.ª jornada da prova…. E onde só a vitória interessa para o sonho se manter vivo!

O Campeonato Nacional regressa no domingo, dia 9 de Novembro, com os “encarnados” a viajarem até à Pérola do Atlântico onde, na velhinha Choupana, terão pela frente o Nacional. Este desafio, agendado para as 16h00, é relativo à 10.ª ronda da competição.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou de início com Júlio César; Maxi Pereira, Lisandro López, Luisão e André Almeida; Samaris (Gaitán, 45’), Salvio, Enzo Perez e Talisca; Lima (Pizzi, 75’) e Jonas (Derley, 88').

Fonte: SLB

Fotos:https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica/photos/a.10154775197780716.1073742107.212504785715/10154775204985716/?type=1&theater

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodireto/ficha.aspx?id=191600

publicado por Benfica 73 às 10:32

Outubro 06 2014

O Sport Lisboa e Benfica recebeu e venceu esta tarde, na Luz, a formação do Arouca. Face a um adversário atrevido, foi preciso vestir o fato de macaco e suar a camisola! Talisca, Derley, Salvio e Jonas fizeram os golos de mais uma vitória que consolida a liderança benfiquista na prova.

Foi com algumas alterações no onze habitual que o Campeão Nacional subiu ao relvado da Catedral. Depois de desaire na Alemanha, exigia-se uma resposta cabal do grupo, para mais estando o objectivo principal há muito definido, o Bicampeonato… e assim foi!

 

Casa bem composta na Catedral, apoio espectacular e incansável vindo das bancadas, num desafio que serviu também para homenagear as Casas, Delegações e Filiais do Clube.

Primeira metade com um Arouca mais atrevido, face a um Benfica lento a ter dificuldades em mecanizar os seus processos. Artur brilhou uma mão cheia de vezes, com intervenções de classe a negar o golo aos forasteiros.

Derley, aos 26’, tentou a sorte, mas foi Talisca que, numa série de ocasiões, testou os reflexos Goicoechea e mostrou-se o mais inconformado com o nulo e o mais castigado pelas entradas duras dos homens de Pedro Emanuel.

Antes do intervalo, Lima (lesionado) saiu para dar lugar ao estreante Jonas. No reatar, Gaitán ficou no banco e entrou o holandês, Ola John.

No reatar, o Benfica entrou mais forte, contudo, continuou a faltar imaginação e rapidez de processos, com os sectores, lentos, a impossibilitarem o golo.

 

Quando o Campeão quer...

Com o decorrer dos minutos começaram a vir os nervos ao de cima, com os lances a serem muitas vezes resolvidos mais com o coração do que com a cabeça. E quando assim não era, ora a falta de sorte, ora os ferros da baliza resolviam… mas quando se quer muito…

A pressão “encarnada” intensificava-se, sufocando o adversário… e quando o Campeão puxou dos galões o adversário não resistiu mais!

Aos 74’, finalmente, o golo! Talisca, de raça, combina com Derley, leva tudo à frente e remata para o 1-0 e para o seu sexto

golo na I Liga, o que o mantém no topo da lista dos melhores marcadores da prova.

Descoberto o caminho para as redes adversárias, aos 80’, grande jogada de Salvio, e Derley, à boca da baliza, só teve de encostar para o 2-0 e para o seu primeiro golo de águia ao peito. Minutos volvidos e foi Salvio, assistido por Ola John, a fazer – de cabeça – o 3-0.

Mas haveria ainda tempo para mais uma estreia a marcar, desta feita, com Jonas a responder da melhor maneira a um grande cruzamento de Ola John. 4-0, vitória justa!

Segue-se uma semana de paragem para compromissos das Selecções Nacionais, com o Sport Lisboa e Benfica a entrar em acção no fim-de-semana de 18/19, para defrontar o Sporting da Covilhã, na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal.

O Campeonato regressa no dia 26 de Outubro, com a deslocação a Braga, em desafio da 8.ª ronda da prova; pelo meio, dia 22, viagem até ao Principado do Mónaco, em mais uma jornada relativa à Liga dos Campeões.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Artur Moraes; Maxi Pereira, Lisandro Lopez, Luisão, Eliseu; Samaris, Gaitán (46’, Ola John), Salvio, Talisca; Derley (88', Pizzi) e Lima (44’, Jonas).

 Fonte: SLB

Fotos:https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica/photos/a.10154672867435716.1073742097.212504785715/10154672876310716/?type=3&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 10:06

Setembro 22 2014

“Espero um jogo difícil mas também espero que consigamos tornar as coisas mais fáceis". Foi desta forma que Jorge Jesus perspectivou o desafio… e se assim o pensou, melhor a equipa o fez. Mas antes teve de suar, vestir o fato de macaco e correr atrás do prejuízo… Grande exibição!

 

Com cinco pontos a separar as equipas, foi um Moreirense atrevido, sem autocarros, que encarou de frente o Campeão Nacional, isto apesar de quando se encontrou em vantagem usar e abusar do anti-jogo. 

Lima, depois de passe espectacular de Talisca, esteve perto de marcar, aos 14’… não marcou! E do outro lado da barricada a resposta foi pronta e eficaz. Arsénio cruza para João Pedro que, nas costas de Eliseu, aparece isolado na cara de Júlio César a cabecear para o primeiro golo da tarde.

“O favoritismo está do lado do adversário mas vamos acreditar que é possível fazer uma surpresa”… avisara Miguel Leal, treinador da formação de Moreira de Cónegos.

 

Em desvantagem, perante perto de 40 mil adeptos (mais uma vez, espectaculares!), os “encarnados” corriam atrás do

resultado, no entanto, e apesar da maior posse de bola, sem profundidade e, na maioria das vezes, com um futebol muito previsível, sem conseguir fazer mossa na estratégia adversária, estudada e muito certinha.

Era preciso fazer algo… e Jorge Jesus mexe na equipa. Minuto 34’, o médio, Samaris, é o sacrificado e entra para a frente de ataque Derley, com Talisca a recuar no terreno.

As diferenças foram notórias e imediatas, com um Benfica mais ofensivo a pegar definitivamente no desafio e as oportunidades de golo a surgirem perto da baliza à guarda de Marafona. Ao intervalo o 0-1 mantinha-se!

 

Reviravolta “à lei da bomba”!

Reatar e mais Benfica! Aos 47’, Lima esteve mais uma vez muito perto do golo, mas o esférico não quis entrar.

Aos 56’, segundo cartão amarelo e respectiva expulsão de Oliveira, na sequência de uma falta sobre Talisca. Na conversão do livre, Lima, novamente, a cheirar o golo.

Os “encarnados” carregavam com tudo, do outro lado anti-jogo puro, com o guarda-redes, Marafona, a usar e abusar, perante o olhar complacente do juiz, Luís Ferreira.

Lima, Gaitán, Jardel, Luisão… todos tentaram! Até que Eliseu, de meia distância, “à lei da bomba”, remata sem hipótese para um empate mais do que justo! Que golo!!!

 

E não foi preciso esperar muito para uma verdadeira explosão de alegria na Luz! Maxi Pereira, aos 76’, na sequência de mais um lance de ataque, com calma e frieza, fuzila as redes à guarda de Marafona.Estava feito o 2-1...

Aos 82’, grande penalidade… à terceira foi de vez! Lima sofreu a falta e o mesmo Lima regressou aos golos: 3-1.

Com mais esta vitória, o Glorioso acumula 13 pontos (4V, 1E, 0D) e mantém-se no topo da tabela classificativa.

Nota para dois lances muito polémicos. Maxi Pereira é empurrado dentro da área no final da primeira metade; aos 65’, grande penalidade com clara mão na bola de um jogador do Moreirense.

Na próxima jornada, a 6.ª, o Sport Lisboa e Benfica viaja até ao Estádio Coimbra da Mota onde vai defrontar o Estoril. Esta partida está agendada para o próximo Sábado, às 18h30, e antecede a deslocação à Alemanha, no primeiro dia de Outubro, onde os “encarnados” terão pela frente a formação do Bayer, em desafio relativo à 2.ª jornada da Fase de Grupos da Champions.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris (34’, Derley), Salvio, Gaitán (84’, André Almeida), Enzo Perez e Talisca (67’, Ola John); Lima.

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/SportLisboaBenfica/photos/a.10154618544765716.1073742091.212504785715/10154618547805716/?type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 10:54

Maio 11 2014

Já com tudo decidido, Sport Lisboa e Benfica e FC Porto defrontaram-se nesta tarde de sábado, no estádio do Dragão. Num clássico atípico, e sem a habitual emoção, apesar de estar em jogo o orgulho e prestígio, os anfitriões venceram, por 2-1.

18 horas, Estádio do Dragão, e Rui Costa apitava para o início de mais um clássico. A jogar em casa, pelo orgulho, os azuis e brancos entraram de rompante e cedo inauguraram o marcador perante um Benfica repleto de juventude.

 

Aos 4’, remate cruzado de Ricardo, já no interior da área, sem hipóteses de defesa para Paulo Lopes. Estava feito o 1-0.

A partir dos 20 minutos o Benfica finalmente começou a soltar-se. Os frutos não tardariam… Aos 24’, penálti cometido sobre Salvio, depois de excelente recuperação de bola de Ivan Cavaleiro. Na conversão, Enzo Perez repõe a igualdade e fica na história ao apontar o golo 50 mil nas 80 edições do Campeonato Nacional.

Com a igualdade reposta, uma igualdade que se justificava pela postura das duas equipas, Rui Costa inventa uma grande penalidade inexistente aos 37’, numa suposta carga de André Almeida sobre Jackson... que só ele viu! Na conversão, o colombiano acerta e faz o 2-1.

 

Agora, é Final a Final!

Reatar da partida e o empate dos “encarnados” só foi parado pela trave à guarda de Fabiano, depois de um chapéu espectacular de Djuricic… faltou aquela pontinha de sorte!

Sinal mais do Benfica na segunda metade, mais pressionante, intenso e criativo, portanto, a obrigar o FC Porto, em sua casa, a jogar no erro do adversário.

Até ao apito final, mais Benfica é certo, num desafio mais mastigado a meio-campo e, por isso também, com poucas oportunidades flagrantes de golo. Para o resultado final, valeu a invenção de Rui Costa... é que os nossos miúdos deram bem conta da empreitada!

Nota para Alex Sandro, que deveria ter sido expulso (74’), na sequência de uma entrada/agressão com os pitons a deixar Salvio muito mal tratado.

 

Com este resultado, o Campeão Nacional despede-se da Liga 2013/14 e focaliza agora todas as suas atenções em Turim. É que já na próxima quarta-feira, frente ao Sevilha, o Sport Lisboa e Benfica disputa a Final da Liga Europa, a 10.º Final do Velhinho Continente da sua História. Um momento marcante e aguardado com enorme expectativa.

Dia 18 joga-se a última Final, desta feita no Jamor, com o Glorioso a defrontar o Rio Ave, em busca da 28.ª Taça de Portugal do seu palmarés.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Paulo Lopes; João Cancelo (Lindelof, 65’), Steven Vitória, Jardel e André Almeida; André Gomes, Salvio, Enzo Perez e Ivan Cavaleiro (Markovic, 60’); Djuricic (Bernardo Silva, 81’) e Funes Mori.

Fonte: SLB

Fotos:http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/fotos/30aj-porto-benfica/

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 12:03

Maio 05 2014

Tarde de festa no Estádio da Luz, no derradeiro desafio da equipa na Catedral na época 2013/14. Na 29.ª jornada da I Liga, o Sport Lisboa e Benfica recebeu o Vitória de Setúbal, numa partida sem pressão, jogada em ritmo de gestão do Campeão. Resultados práticos? Empate a uma bola!

 

Já com tudo resolvido, as duas equipas subiram ao relvado com o intuito de cumprir calendário e jogar pela camisola. O espectáculo, esse começou bem cedo na capital de Portugal, com o sol a brilhar e a aquecer uma tarde repleta de emoções.

Milhares de adeptos nas imediações do Estádio, com o recinto a registar uma moldura humana de relevo para saudar o Campeão. Antes do apito inicial de Duarte Gomes, cumprido um minuto de silêncio, ouviu-se o hino do Glorioso e nas bancadas uma coreografia de arrepiar até os menos emotivos. Sinergia total entre adeptos e equipa!

Sem nada a perder, a equipa de José Couceiro apresentou-se com brio e a olhar o Glorioso nos olhos. Paulatinamente o Benfica foi começando a mandar no jogo, mas sem consequências de maior, ou seja, nada de golos.

Ao intervalo o nulo mantinha-se e justificava-se.

 

A festa dos golos para 52 mil aplaudirem

No reatar, o Benfica aumentou o ritmo e os frutos não tardariam em surgir. Aos 60’, grande jogada de André

Gomes, a inventar o lance e a concretizá-lo. Estava feito o 1-0 na Catedral.

Aos 73’, Duarte Gomes assinala grande penalidade cometida por Maxi Pereira, com Rafael Martins a repor a igualdade, resultado com que se atingiu o final do encontro.

Na derradeira jornada do Campeonato Nacional (30.ª), a disputar no próximo fim-de-semana, o Sport Lisboa e Benfica viaja até ao Dragão para defrontar o FC Porto. Entretanto, pelo meio, já na próxima quarta-feira, o Glorioso disputa a Final da Taça da Liga, em Leiria, frente ao Rio Ave.

A fechar a época, mais duas Finais: a da Liga Europa, frente ao Sevilha, em Turim (14 Maio); a da Taça de Portugal, frente ao Rio Ave, no Jamor, dia 18 de Maio.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Paulo Lopes, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Siqueira (62’, Enzo Perez); André Almeida, André Gomes, Salvio, Sulejmani (68’, Enzo Perez) e Djuric (45’, Lima); Cardozo.

Fonte: SLB
publicado por Benfica 73 às 10:17

Abril 21 2014

O Sport Lisboa e Benfica é Campeão Nacional! Neste Domingo de Páscoa, o Glorioso recebeu e venceu a formação de Olhanenses, por 2-0, com Lima a apontar os golos da partida. Com este resultado, e quando ainda faltam duas jornadas para o fecho do Nacional, o Sport Lisboa e Benfica conquista o 33.º título do seu palmarés… Obrigado, querido Benfica!

A romaria começou bem cedo rumo ao Estádio da Luz! Foram aos milhares os que se deslocaram à Catedral do Futebol Português imprimindo uma vibração e emoção ímpares a este Domingo de Páscoa.

 

65 mil nas bancadas, milhões de corações por esse Mundo fora em uníssono… o vermelho dominava em todos os quadrantes, dentro e fora das quatro linhas.

A precisar de vencer para se sagrar já hoje Campeão Nacional, o Sport Lisboa e Benfica entrou com tudo na partida. Nos primeiros dez minutos construíram-se quatro claras oportunidades de golo, no entanto, a ansiedade em fazer bem e depressa não permitiram os festejos do desejado golo.

Com os “encarnados” completamente balanceados no ataque, do outro lado a formação algarvia ia espreitando rápidos contra-ataques e, num bom par de ocasiões, o perigo rondou a baliza à guarda de Oblak colocando em franja os nervos da Luz.  

Depois do ímpeto inicial, e dos avisos do outro lado da barricada, o Benfica estabilizou e partiu para cima do adversário, agora em ataque mais organizado, privilegiando as alas, e a táctica a impor-se ao coração.

A formação algarvia manteve a postura, uma teia montada de forma inteligente e que ia pouco a pouco conseguindo enervar as intenções benfiquistas. Ao intervalo, o nulo mantinha-se teimosamente.

 

Lima colocou a Catedral em delírio

Com o nulo a não servir as inspirações “encarnadas”, o Benfica entrou na segunda metade tal como na primeira,

com tudo! André Almeida deu o mote logo no reatar; aos 53’, Lima tirou as medidas à baliza de Belec… para o que se seguiria!

Minuto 56’, grande jogada de entendimento colectivo, Gaitán remata forte, o guardião adversário defende para a frente, e eis que surge Lima a fazer o 1-0 e a colocar em delírio as bancadas da Catedral.

Ainda se festejava o tento inaugural na Luz e Lima repetiu a dose… Corrida desenfreada pela ala, frente a frente com Belec… e golo do Benfica! 2-0, explosão de emoção na Luz!

Se até então só dava Benfica, em vantagem e como tanto gosta, o Glorioso passou a dominar por completo, com o futebol espectáculo a tomar conta do espectacular relvado da Catedral.

Até final, tudo de pé na Catedral, emoções ao rubro, Benfica, Benfica, Benfica, com os corações benfiquistas por esse Mundo fora cheios, transbordantes de alegria!

Nota ainda para uma grande penalidade por assinalar sobre Rodrigo, aos 69’, que Carlos Xistra deixou passar em claro.

Na próxima quinta-feira o chip muda, com o Glorioso a regressar às contas da Liga Europa. A Catedral recebe a 1.ª mão das meias-finais da prova, com Benfica e Juventus a terem encontro marcado para as 20h05.

Domingo, dia 27, nova meia-final, desta feita para Taça da Liga, com o Benfica a deslocar-se ao Estádio do Dragão para defrontar o FC Porto; as contas do Campeonato Nacional só regressam no fim-de-semana seguinte, com a 29.ª jornada da prova a ter lugar no Estádio da Luz e a colocar frente-a-frente Benfica e Vitória de Setúbal.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Oblak; Maxi Pereira, Garay, Luisão e André Almeida; Enzo Perez, André Gomes, Salvio (Markovic, 45’) e Gaitán (Djuric, 75’); Rodrigo (Cardozo, 83’) e Lima.

Fonte: SLB

Fotos:http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/fotos/28aj-benfica-olhanense-13-14/?id=sY4tW8fLzm57movlzFm3f

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 09:25

Abril 14 2014

O Sport Lisboa e Benfica deslocou-se nesta tarde de domingo ao Estádio Municipal de Aveiro, onde disputou, frente ao FC Arouca, a 27.ª jornada do Campeonato Nacional. Rodrigo e Gaitán marcaram os golos de uma tarde de futebol espectáculo. Faltam três jornadas, estão nove pontos em disputa, o Benfica precisa de três para se sagrar Campeão Nacional pela 33.ª vez na sua História.

Manhã sombria, de nevoeiro; tarde solarenga, alegre, e de enorme calor benfiquista no Estádio Municipal de Aveiro, “à pinha”, para receber o Glorioso, numa das maiores enchentes de que há registo no recinto. A “onda vermelha” não brinca em serviço e sabe bem da importância do momento…

 

Frente a uma equipa à procura de pontos para conseguir manter-se no convívio dos Primodivisionários do Futebol Português, Jorge Jesus não contou com algumas das peças mais habituais do seu xadrez, no entanto, a equipa não se desequilibrou, pelo contrário, todas as peças mostraram que estão aptas para dar o seu contributo em prol do grupo.

Do outro lado da barricada, Pedro Emanuel montou uma equipa à sua imagem enquanto atleta, raçuda e a disputar todos os lances no limite. E a primeira parte espelhou precisamente isso: muita luta, muita garra, numa partida disputadíssima e com lances de alguma emoção… para ambos os lados.

O primeiro sinal veio dos “encarnados”, com Rodrigo, logo aos 5’, a testar os reflexos de Cássio. A resposta não tardou e, dois minutos volvidos, é Bruno Amaro, na conversão de um livre directo, a colocar Oblak em sentido.

Aos 22’ é a vez de Maxi Pereira subir bem na ala, flectir para zonas mais internas, e desferir um remate fortíssimo e colocado para a primeira grande defesa de Cássio. Partida equilibrada com a bola a rondar as duas balizas e é a passagem da meia hora que surge a mais flagrante oportunidade de golo para as Águias. Ressalto na pequena área, o esférico sobra para Lima que, isolado, permite ao guardião aveirense encher a baliza e defender; na recarga, Rodrigo dispara para fora.

Apesar do Benfica começar a mandar na partida, o Arouca não se encolheu, bem pelo contrário e, na resposta, teve perto, muito perto de provocar um calafrio nos cerca de 25 mil benfiquistas nas bancadas e nos milhões que acompanhavam a partida.

38 Minutos, Oblak lê mal o lance, Bruno Amaro, de pronto, remata para a baliza deserta, mas eis que surge um Super Maxi Pereira, a fazer um corte in extremis e a salvar as redes benfiquistas.

 

Delírio no Municipal de Aveiro

Quando já se aguardava pelo intervalo, em período do compensação, Rodrigo surge liberto no coração da área e, com frieza e raça, remata para fazer o primeiro golo da tarde e colocar o Benfica em vantagem. Um golo que colocou em delírio os benfiquistas e com uma dedicatória muito especial ao lesionado Sílvio.

No reatar, mais Benfica… e que Benfica! Ultrapassada a pressão inicial de marcar, surgiu então o futebol espectáculo, com os jogadores a mostrarem o que é vestir esta camisola e a rubricarem exibições merecedora de nota artística elevada.

Aos 54’, segundo golo da noite…. Markovic tira três do caminho e Gaitán conclui mais uma obra-prima: que golaço!

Até final, Benfica, Benfica, Benfica! Resultado lisonjeiro para o Arouca. Faltam três pontos…

Na próxima quarta-feira o chip muda, com outra importante frente a surgir. O Benfica recebe, no Estádio da Luz, o FC Porto, em partida relativa à 2.ª mão da Taça de Portugal. Rumo ao Jamor, é necessário dar a volta a uma eliminatória na qual os “encarnados” estão em desvantagem por um golo.

De regresso às emoções do Campeonato Nacional, o Estádio da Luz será, no próximo dia 20 de Abril, Domingo de Páscoa, o centro das atenções da Nação Benfica. Naquele que poderá ser o jogo do título, o Benfica recebe, pelas 18 horas, a formação do Olhanense. Todos à Catedral!

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Oblak (Artur Moraes, 69’); Maxi Pereira, Jardel, Garay e Siqueira; André Almeida, Enzo Perez, Markovic (Cardozo, 80’) e Gaitán; Lima e Rodrigo (Salvio, 74’).

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169844

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154016692165716&set=a.10154016681295716.1073742022.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 10:22

Abril 08 2014

Fim de tarde de sol em Lisboa e uma moldura humana invejável foi o cenário que recebeu o líder da classificação para mais uma partida da Liga portuguesa. O Rio Ave foi o adversário, curiosamente o mesmo que jogou na Luz na última época em que o Benfica foi Campeão (2009/10) e saiu derrotado por 4-0, com todos os tentos a serem apontados com o pé esquerdo.

 

 

É sabido que na Luz, o Benfica apodera-se logo da bola, dos ritmos de jogo e impõe a sua lei. Diante do Rio Ave não foi excepção, até porque estamos a falar de uma equipa que sofre poucos golos fora de portas e alcança, inclusive, vários triunfos. Não permitir o efeito-surpresa era, portanto, fundamental. Dessa forma, o conjunto da casa incidiu no relvado uma pressão alta, a toda a largura do terreno e a jogar com elevada velocidade sobre a bola.

O futebol sufocante do Benfica resultou em golo aos 16 minutos depois de uma excelente jogada colectiva. Sílvio deixou para Gaitán que deixou um adversário para trás com uma simulação e assistiu Rodrigo que, frente a Ederson, atirou para o primeiro da partida. Mesmo na frente do marcador, os comandados por Jorge Jesus não tiraram o “pé do acelerador”, mantendo os últimos 30 metros de terreno ou mesmo a área vila-condense o habitat predilecto.

Não estranhou, portanto, ninguém quando chegou o 2-0. Rodrigo de novo na jogada, rematou, a bola embateu num defesa e ficou à mercê de Gaitán que, vindo de trás, disparou para o golo e cachecóis ao alto, outra vez, nas bancadas da Luz (28’).

 

Tal avalanche ofensiva deixava os vila-condenses sem norte e a desejarem o regresso aos balneários o mais rápido quanto possível. Não só não conseguiram parar o ataque benfiquista, como muito menos logravam lances de transição rápida até Oblak, que foi um mero espectador nos primeiros 45 minutos.

Ao intervalo, o vice-presidente, Rui Cunha, e o director do Caixa Futebol Campus, Armando Jorge Carneiro, entregaram as faixas de Campeões Distritais aos Benjamins B, que foram, muito justamente, aplaudidos pelo público presente. De regresso do intervalo, o Benfica manteve a intensidade e a qualidade futebolística, tentando várias vezes alvejar a baliza defendida por Ederson.

 

 

Mesmo que ténue, verdade seja dita que apareceu mais Rio Ave na etapa complementar, tendo como meta um golo que lhe desse uma injecção de esperança até ao empate. Tudo caiu por terra aos 75 minutos quando Braga derrubou Maxi Pereira na área após mais uma excelente jogada de envolvimento. Chamado a marcar, Cardozo não desperdiçou, voltando aos golos cinco meses depois do dérbi com o Sporting para a Taça de Portugal onde rubricou um “hat-trick” (76’). Matada a fome de golos, Cardozo bisou aos 90’+1 em nova grande penalidade, agora a castigar derrube sobre Enzo Perez.

Antes de receber o AZ Alkmaar, o Benfica rubricou uma exibição de “encher o olho” e passa a somar 67 pontos na classificação.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Garay, Luisão (Jardel, 83’) e Sílvio; André Almeida, Enzo Perez, Gaitán e Markovic; Lima (Cardozo, 65’) e Rodrigo (Djuricic, 78’).

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153996524225716&set=a.10153996509685716.1073742017.212504785715&type=1&theater

Veja aqui a ficha do jogo

 
publicado por Benfica 73 às 10:25

Março 31 2014

A equipa principal de Futebol do Sport Lisboa e Benfica disputou, este domingo, no estádio AXA, no Minho, a 25.ª jornada da Liga portuguesa. Diante do SC Braga, Jorge Jesus voltou a dar a titularidade a seis jogadores que não tinham entrado de início no estádio do Dragão, e as “águias” venceram por 0-1, com golo de Lima.

O encontro arrancou numa toada equilibrada, com disputa de bola acesa mas leal no “miolo”. O Benfica foi ganhando preponderância ofensiva através de posse de bola e troca do esférico entre os seus jogadores, obrigando o adversário a correr.

O futebol rendilhado e com troca de bola de pé para pé quase tiveram os seus resultados aos oito minutos, quando Enzo Perez fez uma assistência a rasgar para Gaitán. Este contornou Eduardo e atirou às malhas laterais da baliza deserta.

 

Os minutos iam passando e o Benfica fazia das transições rápidas o seu modelo de jogo para ultrapassar a pressão alta e a toda a largura do relvado do SC Braga. Numa delas, Gaitán conduziu o ataque, deixou o esférico para Rodrigo após ser carregado por Dabó e o camisola 19 teve um pormenor delicioso antes de entregar de bandeja a Lima para o primeiro da partida (12’). Cachecóis benfiquistas ao alto! Faziam a festa os adeptos do líder da tabela classificativa.

A vencer veio a versão controlo do Benfica. A gestão da posse de bola apareceu na Pedreira, com a turma comandada por Jorge Jesus a ser menos vertiginosa e mais gestora, colocando no desafio o ritmo mais lhe convinha. O SC Braga, por sua vez, foi muito lutador mas criou poucas oportunidades de golo. A única da primeira metade foi aos 29 minutos, quando Rusescu cabeceou perto da barra da baliza defendida por Oblak.

Ao intervalo, o 0-1 era justo face ao produzido pelo Benfica na cidade de Braga. Na etapa complementar, o jogo desenvolveu-se a um ritmo mais baixo e viram-se menos oportunidades de golo em ambos os lados.

 

Curiosamente, o lance em que o Benfica mais perto está do 0-2 foi criado por Paulo Vinicius que, ao atrasar a bola

para Eduardo, quase o traiu e colocou-a dentro da baliza (59’).

A essa gestão, o SC Braga respondeu com maior atrevimento ofensivo e criou algumas vezes “frisson” na baliza benfiquista. A vencer apenas por 0-1, os futebolistas da Luz perceberam que gerir esse resultado poderia trazer dissabores e o minuto 84 foi de perigo para a baliza de Eduardo. Primeiro Markovic, com um remate de ressaca após um pontapé de canto, e segundos depois, Lima apareceu isolado, tentou fazer um “chapéu” a Eduardo, mas o bracarense opôs-se bem.

Cinco minutos depois, Rodrigo fez uma incursão pelo lado esquerdo e é carregado à margem das leis dentro da área. Pedro Proença apontou para a marca da grande penalidade, mas Rodrigo permitiu a defesa de Eduardo.

Até final, nada mais se passou e o Benfica passa a somar 64 pontos e continua na liderança da tabela classificativa.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Sílvio, Luisão, Garay e Siqueira; Fejsa, Enzo Pérez (Ruben Amorim, 68’), Gaitán, Markovic (Salvio, 85´); Lima e Rodrigo (André Gomes, 90’+2).

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169827

Fotos: http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/fotos/braga-benfica-13-14/

publicado por Benfica 73 às 10:00

Março 27 2014
A receção do Benfica ao Rio Ave, a contar para a 26.ª jornada do Campeonato Nacional, foi alterada para o dia 7 de abril, segunda-feira, anunciou a Liga.
O encontro entre águias e vilacondenses tem início marcado para as 20 horas e irá disputar-se quatro dias depois de o Benfica visitar o AZ Alkmaar, em jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa.
A outra equipa presente na Liga Europa, o FC Porto, que defronta o Sevilha, irá receber a Académica no dia 6 de abril, domingo, às 19,15 horas.
Numa ronda que irá abrir com a receção do Vitória de Guimarães ao Estoril (dia 4 de abril, 20 horas), o Sporting será o primeiro dos «grandes» a entrar em ação: o seu jogo em Paços de Ferreira está agendado para o dia 5 de abril, sábado, 20.15 horas.

Programa da 26.ª jornada:
- sexta-feira, 04 abr:
Vitória Guimarães - Estoril, 20:00 (SportTV)

- sábado, 05 abr:
Olhanense - Sporting de Braga, 18:00 (SportTV)
Paços de Ferreira - Sporting, 20:15 (SportTV)

- domingo, 06 abr:
Marítimo - Arouca, 16:00
Gil Vicente -- Belenenses, 16:00
Vitória de Setúbal -- Nacional, 17:00 (SportTV)
FC Porto -- Académica, 19:15 (SportTV)

- segunda-feira, 07 abr:
Benfica -- Rio Ave, 20:00 (Benfica TV)
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 17:14

Março 24 2014

A equipa do Sport Lisboa e Benfica recebeu este domingo a Académica de Coimbra, na 24.ª jornada da Primeira Liga. Com uma exibição consistente, a equipa de Jorge Jesus venceu, por 3-0, com dois golos de Lima e um de Enzo Perez. A liderança continua firme!

Fim de tarde na capital de Portugal, Estádio da Luz com cerca de 50 mil espectadores, bem vestido (como tem vindo a ser seu habitué) para receber mais uma “final”… e agora já só faltam seis!

 

Benfica e Académica frente-a-frente, duas equipas com objectivos distintos, artistas no relvado e estavam reunidos os ingredientes para um desafio de futebol bem saboroso.

E se dúvidas existissem quanto à crença e vontade deste Benfica, os momentos iniciais dissiparam-nas, com a equipa de Jorge Jesus a entrar com tudo na partida.

Logo aos 6’, primeira acção ofensiva com perigo. Bola bem rasgadinha a sobrevoar toda a área da Briosa, com Halliche, autêntico bombeiro, a limpar. Estava dado o mote.

E os primeiros festejos na Catedral não demorariam… Onze minutos corridos, belíssima jogada de combinação dos dois homens mais avançados da equipa: Rodrigo acerta no ferro mas Lima acredita e, na recarga, remata com frieza para o golo inaugural.

O Benfica acabava de desbloquear a partida e, a partir daqui, a jogar em vantagem e como gosta, o domínio foi total.

Aos 24’, tempo ainda para uma grande penalidade cometida por Fernando Alexandre sobre Lima que ficou por assinalar pelo árbitro, Rui Costa.

Mas a tarde era de festa, o Benfica carregava e o segundo golo estava prestes a chegar!

Novamente o colectivo a funcionar, Sílvio recupera a bola no meio-campo e descobre Markovic. O sérvio dispara rumo à baliza, cruza para área e Lima, no sítio certo à hora certa, só teve de encostar, com classe, para fazer o segundo golo da partida e o segundo da sua conta pessoal.

 

Gerir com pragmatismo e qualidade

Reatar na Catedral, ritmo mais morno, com um Benfica inteligente a gerir, mas sempre muito perigoso.

Aos 59’, Rodrigo descobre Enzo Perez, o argentino aguenta a carga e, na cara de Ricardo, faz o 3-0. O hispano-brasileiro estava endiabrado,

mas a bola teimava em não lhe fazer a vontade… aos 60’ é novamente o ferro a dizer não ao golo.

Até ao final só deu Benfica (que o diga o guardião Ricardo e os ferros da sua baliza!), com a equipa a mostrar-se firme, consistente e convicta quanto à conquista daquele que é o seu principal objectivo: o 33.º Campeonato Nacional.

O Glorioso continua sem perder de há 27 jogos para cá em todas as provas em que está inserido e é, neste momento, líder e a equipa mais concretizadora do Campeonato Nacional.

Na próxima quarta-feira as atenções da equipa focam-se no objectivo Taça de Portugal. O Sport Lisboa e Benfica desloca-se ao Estádio do Dragão, para defrontar o FC Porto, em partida relativa à 1.ª mão das meias-finais da prova Rainha.

O Campeonato Nacional regressa no fim-de-semana seguinte, com o Glorioso a viajar até à Cidade dos Arcebispos para defrontar o SC Braga, um desafio alusivo à 25.ª jornada da prova, com apito inicial agendado para as 17 horas.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Oblak; Sílvio, Luisão, Garay, Siqueira; Markovic, Enzo (75’, Rubem Amorim), Fejsa, Gaitán (65’, Salvio); Rodrigo (73’, Cardozo) e Lima.

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153945416200716&set=a.10153945403395716.1073742010.212504785715&type=1&theater

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169818

publicado por Benfica 73 às 09:20

Março 18 2014

O Benfica defrontou esta noite de segunda-feira, no estádio da Madeira, a equipa do Nacional, em partida relativa à 23.ª jornada da Primeira Liga. A equipa orientada por Jorge Jesus até começou a perder, num lance mal ajuizado pelo árbitro, Manuel Mota, mas o líder puxou dos galões e deu uma resposta cabal do seu valor. Vitória, por 2-4… com alma!

Num terreno tradicionalmente difícil, desta vez não houve nevoeiro, mas houve vento, muito vento, e uma arbitragem que ainda tentou (!)… mas face a um enorme Benfica não conseguiu.

 

Aos 6’, lance muito polémico! Luisão corta a bola com o joelho na pequena área e Manuel Mota, sem hesitar por um instante, assinala grande penalidade. Na conversão, Candeias, remata para o fundo das redes de Oblak. Estava feito o primeiro tento da partida.

Em desvantagem e ainda sem ter estabilizado o jogo, o Benfica reagiu com tudo… “à Benfica”! Primeiro foi Rodrigo quem ameaçou, com a bola a sair a escassos milímetros da baliza de Gottardi.

Estava dado o mote para o “bailinho na Madeira” que se seguiria…

Aos 23’, lance trabalhado pela equipa, Rodrigo, em noite endiabrada, assiste Lima que, de primeira, refaz a igualdade.

Nove minutos volvidos é Gaitán quem tira as medidas à baliza madeirense, para, no lance seguinte, mais uma vez Rodrigo, colocar o Benfica em vantagem, para delírio dos milhares de benfiquistas que vestiram de vermelho entusiasmo as bancadas da velhinha Choupana, agora estádio da Madeira.

Remate poderosíssimo e colocado ao ângulo, com o hispano-brasileiro a fazer o 1-2 na partida.

Aos 39’, novo lance a manchar a arbitragem: ficou por expulsar Marçal que, mesmo já com um amarelo, empurra Rodrigo fora das quatro linhas e sem ter qualquer ensejo de disputar a bola… que nem lá estava!

 

Mais três pontos fulcrais

O Benfica carregava, carregava, e mostrava a quem ainda tivesse qualquer dúvida, porque é o líder e porque é a

melhor equipa a jogar Futebol em Portugal.

E quando assim é… Aos 43’ novo golo. Garay, oportuno, sobe nas alturas e, com muita classe, faz o 1-3, resultado com que se atingiria o intervalo.

Depois de uma primeira metade espectacular, com ritmo intenso, golos e bem rasgadinha, a segunda metade pautou-se pela presença em campo de um Benfica inteligente e mais pragmático.

Posse e gestão de bola em qualidade, face a um Nacional, que tentou sempre (ainda reduziu para 2-3 por intermédio de Djaniny), mas não apresentou argumentos suficientes para responder a um Benfica convicto que, ao cair do pano, ainda fez o 2-4, com Garay a bisar na partida.

Quinta-feira, pelas 18 horas, regressam as emoções da Liga Europa, com o Benfica a receber, na Catedral, o Tottenham, em partida a contar para a 2.ª mão dos oitavos-de-final da prova.

Domingo, na Luz, é dia de recepção à Académica de Coimbra, em desafio relativo à 24.ª ronda do Nacional.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze titular: Oblak; Maxi Pereira, Garay, Luisão e Siqueira (Sílvio, 71’); Ruben Amorim, Enzo Perez, Gaitán e Markovic (Salvio, 60’); Lima e Rodrigo (Sulejmani, 90+1’).

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169814

Fotos: http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/fotos/nacional-benfica-13-14/

publicado por Benfica 73 às 08:24

Março 10 2014

Foi um Benfica de raça e com muita classe aquele que recebeu e bateu hoje na Luz, domingo, o 4.º classificado, Estoril. Luisão e Rodrigo fizeram os golos de uma vitória justa, que o Glorioso soube tornar fácil, e que solidifica ainda mais a liderança dos “encarnados” no Campeonato.

17 horas, Lisboa, temperatura agradável e a Catedral de Portugal vestida a rigor, de vermelho bem rubro, com 56 mil 730 nas bancadas, engalanava-se para mais uma partida de Futebol. Ambiente fervoroso… “à Benfica”!

 

O Glorioso recebia o 4.º classificado da Liga e o objectivo era claríssimo: vencer, conquistar mais três pontos, consolidar a liderança isolada da tabela classificativa.

E cedo se percebeu que este Benfica sabe muito bem aquilo que quer! No minuto inaugural Lima teve nos pés soberana ocasião para inaugurar a contenda, minutos depois foi Gaitán a rematar para colocar em sentido o guardião estorilista… não há duas sem três… e à terceira foi de vez!

Canto cobrado na esquerda atacante e eis que surge, imperial, Luisão, com um cabeceamento poderoso a fazer o 1-0. Primeiro grande momento de festa rija na Luz.

Empurrado pela “maré vermelha”, o Benfica carregava e não foi preciso esperar muito para se gritar o 2-0. Cruzamento para o coração da área e Rodrigo, de primeira e colocado, aumenta a vantagem.

Só dava Benfica na Luz e as oportunidades iam-se sucedendo, perante um Estoril surpreendido, e que muito pouco podia fazer perante a entrada poderosa e eficaz do líder.

 

1500 vitórias no Campeonato Nacional

No reatar, mais do mesmo! E gritou-se novo golo na Luz. Lima, aos 56’ faz o 3-0, mas – inacreditavelmente, o

árbitro auxiliar anula o lance por suposto fora-de-jogo.

Apesar das oportunidades criadas, até ao apito final o resultado não mais se alterou.

Nota para uma vitória que o Benfica soube tornar fácil, e para a atitude da equipa de Marco Silva que, mesmo a perder, nunca perdeu a sua personalidade.

Com mais três pontos, o Benfica cimenta a sua liderança na Liga, um momento marcante também para Jorge Jesus, que conquista a sua vitória 200, e para o Clube, que almeja as 1500 vitórias no Campeonato Nacional.

Na próxima quinta-feira, pelas 20h05, o chip muda, com os “encarnados” a focarem as suas atenções na Liga Europa. A 1.ª mão dos oitavos-de-final da prova coloca frente-a-frente Totenham e Benfica, em White Hart Lane.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze titular: Oblak; Maxi Pereira, Garay, Luisão e Siqueira; Fejsa, Enzo Perez, Gaitán e Markovic (Salvio, 62’); Lima e Rodrigo (Ruben Amorim, 80’).

Fonte: SLB

Fotos: http://www.slbenfica.pt/Fotos/detalhealbum/tabid/2803/cat/2747/language/pt-PT/Default.aspx

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169803

publicado por Benfica 73 às 10:53

Março 03 2014

O Sport Lisboa e Benfica venceu hoje, domingo, o Belenenses, por 0-1, em partida relativa à 21.ª jornada do Campeonato Nacional. Na deslocação ao Restelo valeu o espectacular golo de Gaitán. Missão cumprida.

A chuva voltou a cair em força assolando a capital de Portugal. Consequência? O relvado do estádio do Restelo tornou-se perigoso, escorregadio e pesado, dificultando a acção dos artistas.

As bancadas, essas, apesar da intempérie, vestiram-se de vermelho rubro, com a “maré benfiquista” a dizer mais uma vez presente no apoio à equipa.

Antes da partida, cumpriu-se, de forma rigorosa, unânime e exemplar, um minuto de silêncio em memória de Mário Esteves Coluna, falecido no passado dia 25 de Fevereiro, aos 78 anos.

 

Apito inicial de Jorge Ferreira e a primeira situação de perigo não se fez esperar, com a bola, depois de vários ressaltos a chegar a Markovic. O sérvio ainda rematou, mas o lance acabou por ser perder.

Chapéu magistral de Gaitán

O mote estava dado e o golo não tardaria. Jogada individual de Nico Gaitán, com o argentino a correr desenfreadamente, a conseguir isolar-se e, com um chapéu perfeito, a fazer o primeiro golo da tarde. Que golaço, mais um com nota artística elevada! O relógio marcava sete minutos e o Benfica cedo construía forma de alcançar o seu objectivo: conquistar mais três preciosos pontos.

Lima, aos 17’, com um grande remate, podia ter feito o 2-0, contudo, viu a bola a passar ligeiramente ao lado dos ferros à guarda de Matt Jones. Aos 23’, belíssima combinação entre Maxi e Enzo Perez, com o defesa, Filipe Ferreira, a cortar in extremis o esférico, salvando o segundo do Benfica.

Em desvantagem, a estratégia ultra defensiva de Marco Paulo caiu por terra, com os homens da Cruz de Cristo a terem de mudar de postura. Agora era preciso abrir espaços, tirar o autocarro da frente da baliza e tentar fazer algo mais para discutir o resultado…

O Benfica, por seu turno, manteve as ideias de jogo e a superioridade “encarnada” nunca se equacionou, apesar de uma gestão de bola mais pensada e pragmática, ao que o estado do terreno não foi alheio.

Gerir para vencer

O reatar da partida trouxe mais do mesmo, mais Benfica, portanto. Rodrigo (47’), Maxi (49’), Garay (55’), Markovic

(77’) e Salvio (85’), tiveram oportunidades para dilatar a vantagem mas os lances não tiveram a melhor sequência.

Referir que, aos 70’, o Belenenses ainda festejou o golo, mas o árbitro assistente prontamente assinalou posição irregular.

Com esta vitória o Sport Lisboa e Benfica mantém-se no topo da tabela classificativa, com 52 pontos, isto quando faltam nove desafios para o final do Campeonato Nacional.

A próxima jornada, a 22.ª, disputa-se no próximo domingo, com o Benfica a receber, no Estádio da Luz, a formação do Estoril, numa partida com apito inicial agendado para as 17 horas.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Oblak; Maxi Pereira, Garay, Luisão e Siqueira; Fejsa (Ruben Amorim, 81’), Enzo Perez, Gaitán (Cardozo, 86’) e Markovic; Lima e Rodrigo (Salvio, 66’).

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10153870964030716.1073742003.212504785715&type=1

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 11:11

Fevereiro 25 2014

O Benfica recebeu e venceu, esta noite na Luz, o V. Guimarães, em partida relativa à 20.ª jornada do Campeonato Nacional. Markovic, aos 40’, num lance magistral, fez o único golo de uma vitória justa e preciosa.

Depois da vitória da última quinta-feira, na Grécia, onde o Benfica deu mais um passo importante na caminhada europeia 2013/14, os “encarnados” regressaram à Luz, e ao Campeonato Nacional, da melhor forma possível.

 

Exibição convincente, pensada e de intensidade qb, regressos (Salvio) muito saudados, e uma vitória justíssima. Três pontos preciosos que consolidam e alargam ainda mais a vantagem benfiquista no topo da classificação geral. 

Vamos à partida! Entrada fulminante do Benfica, com o primeiro lance de real perigo a surgir logo na jogada inaugural, com o guardião vimaranense a defender por instinto para canto. 

Estava dado o mote, mote esse quebrado minutos depois com a primeira contrariedade da noite, quando Enzo Perez e Jardel chocaram entre si, com o brasileiro a ficar maltratado, o que provocou uma paragem na partida que quebraria o ritmo imposto inicialmente.

Mas o Benfica sabia muito bem o que queria e rapidamente voltou a tomar conta das operações, com o sérvio, Markovic, a assumir-se como pêndulo da equipa. Rodrigo e Sulejmani tentaram a sorte, pelo meio (36’), Oblak - mero espectador atento até então -, rubricou espectacular defesa a remate intencionado de Maazou… e o grande momento da noite estava prestes a acontecer.

Aos 40’, magia pura na Luz! Jogada de entendimento colectivo, Rodrigo, inteligentíssimo, descobre Markovic que, na cara de Douglas, recebe de primeira e faz um chapéu magistral, com o esférico a só parar nas redes contrárias. Estava feito o primeiro golo na Catedral.

 

Pragmatismo inteligente 

Em desvantagem, Rui Vitória bem tentou espevitar os seus jogadores, no entanto, e apesar da equipa vimaranense ter mostrado vontade, a vontade do Benfica em vencer foi superior e prevaleceu.

Solidariedade, pragmatismo e entreajuda entre os sectores foram determinantes, com o Benfica a optar por gerir, pensar, num jogo de maior contenção, mas, sempre que possível e em segurança, nunca descurando a baliza adversária. 

Apito final de Nuno Almeida, 1-0, missão cumprida! Desde o início de Novembro que o Sport Lisboa e Benfica não conhece o sabor da derrota… 

Na próxima quinta-feira a equipa foca objectivos na Liga Europa, com a recepção ao PAOK, em partida alusiva à segunda mão dos 16 avos-de-final da prova.

Domingo regressam as emoções do Campeonato Nacional, com a nossa formação a deslocar-se ao Estádio do Restelo, para defrontar o Belenenses, em encontro relativo à 21.ª ronda. O apito inicial está marcado para as 17 horas.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Oblak; Sílvio, Luisão, Jardel e Siqueira; Markovic, Fejsa, Enzo Perez e Sulejmani (69’, Salvio); Lima (85’, Ruben Amorim) e Rodrigo.

Fonte: SLB

Fotos: http://www.slbenfica.pt/Fotos/detalhealbum/tabid/2803/cat/2737/language/pt-PT/Default.aspx

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 11:11

Fevereiro 17 2014

Tarde de sol na cidade da Capital do Móvel e jogo ao fim da tarde foram os ingredientes que resultaram na perfeição para lotar o estádio pacense, isto em dia de inauguração da nova bancada.

Pintado de vermelho, uma vez mais – é recorrente – o Benfica parecia jogar em casa. Na antecâmara, Jorge Jesus disse que o Paços de Ferreira seria o verdadeiro adversário da equipa e não se enganou. Aqui e ali, o relvado pode ter criado problemas, mas foram uns “castores” aguerridos e disciplinados tacticamente que dificultaram a tarefa ao líder da classificação.

 

Apoiado pelo público, o Benfica não se fez rogado e desde cedo pegou na batuta da partida e tocou a música que mais lhe convinha para ganhar. Porém, na primeira parte esbarrou num Paços de Ferreira que deu poucos espaços entrelinhas não permitindo que os da Luz se acercassem da baliza de Degra.

A excepção veio dos pés de Maxi Pereira que, aos 38’, num cruzamento “venenoso” quase traía Degra. Ao intervalo, o 0-0 acabava por penalizar um Benfica mais ofensivo.

Transfigurados para a etapa complementar, o Benfica subiu ainda mais o seu bloco, pressionou mais alto e o Paços de Ferreira viu a bola a rondar a sua baliza com maior frequência.

 

Já o fazia por merecer (o mesmo já acontecera nos primeiros 45 minutos) e o golo apareceu aos 54 minutos

 

através da cabeça de Garay que disse “Sim!” a um cruzamento tenso de Ruben Amorim.

A perder, os “castores” subiram as linhas com o objectivo de empatar. As dificuldades em entrar na área benfiquista eram muitas tal o inteligente posicionamento táctico da defensiva forasteira.

Esse atrevimento teve consequências. Numa transição rápida pelo meio, Rodrigo foi solicitado, a bola sobrou para Markovic que arrancou ao seu estilo e tirou um remate potente para o 0-2 (67’).

A vencer por 0-2, o Benfica “fato-macaco” deu lugar ao Benfica “nota artística” com trocas de bola ao primeiro toque e com bastante assertividade que colocaram a cabeça em água aos pacenses. Ao colectivo aprumado juntaram-se pormenores individuais interessantes e que trouxeram magia à Capital do Móvel.

Garay e Markovic “coloriram” o marcador e o Benfica segue líder com 46 pontos.

O Sport Lisboa e Benfica alinha com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Garay, Luisão, Siqueira; Fejsa, Ruben Amorim (André Gomes, 88’), Gaitán (Sulejmani, 60’), Markovic; Lima (Djuricic, 83’) e Rodrigo.

Fonte: SLB

Fotos: http://www.maisfutebol.iol.pt/fotogalerias

Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 09:30

Fevereiro 13 2014
A Liga de Clubes anunciou, esta quinta-feira, as alterações à 20.ª jornada do Campeonato. Os três primeiros da classificação jogarão em dias diferentes. 
O Sporting será o primeiro a entrar em ação, no sábado dia 22, defrontando o Rio Ave em Vila do Conde. O FC Porto recebe o Estoril no domingo, dia 23, enquanto o Benfica fechará a jornada na segunda-feira, sendo anfitrião do V. Guimarães.
A jornada, recorde-se, antecede a primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa, com o FC Porto e o Benfica em ação, defrontando na quinta-feira Eintracht Frankfurt e PAOK.

Programa da 20.ª jornada:
sexta-feira, 21 fevereiro:
Académica - Nacional, 20 horas (SportTV)

sábado, 22 fevereiro:
SC Braga - Arouca, 18 horas (SportTV)
Rio Ave - Sporting, 20.15 horas (SportTV)

domingo, 23 fevereiro:
Olhanense - Gil Vicente, 16 horas
Vitória Setúbal - Paços de Ferreira, 16 horas
Marítimo - Belenenses, 17 horas (SportTV)
FC Porto - Estoril, 19.15 horas (SportTV)

segunda-feira, 24 fevereiro:
Benfica - Vitória Guimarães, 20.15 horas (Benfica TV)
Fonte: A Bola
publicado por Benfica 73 às 15:59

Fevereiro 12 2014

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica recebeu, esta terça-feira, o Sporting em jogo da 18.ª ronda da Liga portuguesa, sobre quem venceu por 2-0, com tentos de Gaitán e Enzo Perez.

Depois das condições climatéricas terem obrigado a adiar o dérbi, o público respondeu “Presente!”, coloriu as bancadas e criou um ambiente típico de um jogo deste calibre, um jogo diferente, um jogo único para os benfiquistas, os sportinguistas… os lisboetas.

 

Num início avassalador, a turma da casa entrou dominadora, conquistou o meio-campo e partiu à invasão do “miolo” contrário. Com 30 minutos absolutamente sublimes, o Benfica desnorteou o Sporting, pôs a nu as suas fragilidades, não os deixando sair a jogar para “alimentarem” Montero ou Slimani.

Tanta avalanche ofensiva teria de resultar em golo, mas antes vieram os ameaços. Aos cinco minutos, Rodrigo recebeu na área e rematou às malhas laterais. À passagem do minuto 21 foi a vez de Markovic desperdiçar ao permitir a defesa de Rui Patrício após contra-ataque conduzido por Rodrigo.

Os comandados por Leonardo Jardim não se encontravam e os da Luz aproveitavam para “furar” em direcção à área contrária. Aos 24’ num pontapé de canto, Luisão, sozinho, atirou um tudo-nada por cima e no minuto seguinte foi o camisola 19 a atirar para defesa do guardião leonino.

Cheirava a golo na Luz e Gaitán fez a vontade aos benfiquistas. Aos 27’, Maxi Pereira assistiu Gaitán na área e este, de cabeça, respondeu afirmativamente com o esférico a passar por entre as pernas do guarda-redes.

Com a Luz revestida a “Tango”, Garay e Gaitán protagonizaram nova jogada de perigo aos 39 minutos quando o defesa, num passe magistral de 30 metros, isolou o camisola 20, este “picou” a bola que, caprichosamente, saiu ao lado. 

Ao intervalo, o 1-0 sabia a pouco com tanto Futebol ofensivo. À entrada para a segunda parte foi mais do mesmo. Mais Benfica com as transições rápidas a deixarem Leonardo Jardim preocupado. Aos 49’, Markovic inventou uma jogada no meio, descobriu Rodrigo na área, mas este, com tudo para ser feliz, atirou perto do poste direito da baliza “leonina”.

 

Golo de bandeira a fechar

Mesmo não sendo tão vertiginoso, a verdade é que o Benfica continuou a sentir-se confortável perante um rival que não conseguia construir da

 

forma como tanto gosta (William Carvalho fez falta). A excepção foi aos 63’ quando Heldon finalmente deixou Maxi Pereira para trás e na área rematou por cima.

Cinco minutos depois, Enzo Perez transportou a bola num lance de ataque excepcional, deixou para Rodrigo e este disparou para intervenção de Rui Patrício. O minuto 76 foi minuto de magia na Luz. Enzo Perez recuperou a bola, a entrada da área “bailou” diante de Eric e atirou sem hipóteses para Rui Patrício.

Até final, o Benfica manteve a toada, saiu vencedor de forma merecida e lidera, agora, com 43 pontos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Siqueira; Fejsa, Enzo Perez (Cardozo, 86’), Markovic, Gaitán; Rodrigo (Ruben Amorim, 76’) e Lima.

Fonte: SLB

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153805569600716&set=pb.212504785715.-2207520000.1392198253.&type=3&theater

publicado por Benfica 73 às 09:18

Fevereiro 02 2014

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se, este sábado, ao Minho para disputar a 17.ª ronda da Liga portuguesa. Frente ao Gil Vicente, as “águias” empataram a uma bola, com golo de Lima.

Ponto prévio às incidências da partida: realçar o estado lastimoso do relvado. Muita lama e, com decorrer dos minutos, cada vez menos relva o que prejudicou a equipa mais ofensiva, o Benfica.

 

O jogo no estádio Cidade de Barcelos começou com sinal mais, vivo, com ambos os emblemas a empregarem um ritmo alto ao encontro. O Benfica mostrou ao que ia desde os primeiros minutos e criou “frisou” na área gilista em três ocasiões nos primeiros 15 minutos. Aos oito, Markovic rematou de primeira para defesa de Adriano após lance desenvolvido pela esquerda.

Seguiram-se as oportunidades clamorosas de Luisão (10’) e de Rodrigo aos 11’. Na primeira, a defensiva cortou pela linha final e na seguinte, o relvado traiu o hispano-brasileiro.

Perante um Gil Vicente expectante, o Benfica ia “furando” o sector mais recuado dos minhotos e aos 28 minutos voltou a estar perto do golo. Jogada de entendimento entre Gaitán e Enzo Perez com o camisola 35 a rematar para nova intervenção de Adriano (28’).

 

A primeira vez que o conjunto da casa chegou à baliza benfiquista, aos 35 minutos, o lance foi marcado pela

ilegalidade. João Vilela rematou para defesa de Oblak, mas estava em posição de fora-de-jogo. Os “encarnados” responderam aos 43 minutos com um remate de longe, pleno de intenção de Siqueira com o esférico a sair a centímetros da baliza.

O nulo era penalizador para o maior ascendente benfiquista. Percebendo que era fundamental a pressão para chegar ao golo, o Benfica entrou sufocante, não deixou o Gil Vicente jogar e isso repercutiu-se em faltas. Aos 51’, Rodrigo é carregado às margens das leis por João Vilela na área. Grande penalidade clara que Bruno Paixão fez “vista grossa”. Seis minutos volvidos, o árbitro expulsou Siqueira por acumulação de amarelos. Estranho o facto de o jogador ter levado dois cartões amarelos nas únicas duas faltas que fez.

Avesso às contrariedades, os comandados de Jorge Jesus foram atrás do golo e aos 60’, Brito pontapeia as costas de Gaitán quando este estava na área. Grande penalidade assinalada que Lima não desperdiçou (61’). A vencer, o Benfica controlou a partida e foi contra a corrente do desafio que a formação da casa empatou. Aos 73 minutos, Vítor Gonçalves rematou e o esférico aninhou-se nas redes.

Com a entrada de Cardozo e de Ivan Cavaleiro, o Benfica voltou a tomar conta do desafio e esteve muito perto de fazer o 1-2 por Cardozo aos 82’, mas Adriano defendeu por instinto. O sufoco era constante e aos 90’+1, Djuricic entrou na área e foi empurrado por Luís Martins, Bruno Paixão apontou para a marca da grande penalidade, mas Cardozo permitiu a defesa de Adriano aos 90’+4.

Este empate permite ao Benfica ter 40 pontos na tabela classificativa e segue líder para o dérbi.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Siqueira; Fejsa, Enzo Perez (Djuricic, 89’), Gaitán, Markovic (Ivan Cavaleiro, 79’); Lima e Rodrigo (Cardozo, 74’).

Fonte: A Bola

Fotos: http://www.maisfutebol.iol.pt/fotogalerias

Veja aqui a ficha do jogo 

publicado por Benfica 73 às 13:03

Janeiro 20 2014

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica regressou à liderança da tabela classificativa após ter vencido, este domingo, no Estádio da Luz, o Marítimo por 2-0, em jogo da 16.ª jornada da Liga portuguesa. Os golos foram conseguidos por Rodrigo ainda na primeira parte.

Os insulares entraram com a estratégia que se esperava. Linhas recuadas, dois extremos bem abertos para tentarem romper em velocidade até à área contrária. O Benfica, por sua vez, entrou com um 4-4-2 ofensivo e tomou, desde logo, conta das operações, trabalhando o seu Futebol no meio-campo do adversário.

 

Apesar de ter mais posse de bola, a verdade é que a defensiva fechada dos insulares abria poucos espaços e o Benfica ia sentindo dificuldades em furar. À passagem do minuto nove, Markovic, depois de uma jogada individual rematou para defesa de José Sá.

Com este lance percebeu-se que o conjunto da casa iria tentar resolver cedo a contenda e isso comprovou-se em nova oportunidade de golo, desta vez criada por Lima, cujo disparo proporcionou nova intervenção de José Sá (15’). Cheirava a golo na Luz e três minutos depois fez-se a festa nas bancadas da Luz. Rodrigo aproveitou da melhor forma uma má intercepção da defensiva insular, disparou de pé esquerdo e inaugurou o marcador.

A perder, o Marítimo respondeu no minuto 24 obrigando Oblak a dupla intervenção. Primeiro, um remate de Derley, com o esloveno a defender com o peito e na sequência do pontapé de canto, Nuno Rocha cabeceou para nova intervenção.

 

O susto acabou por alertar as hostes “encarnadas” que responderam com o 2-0 aos 35’. Rodrigo e Markovic recuperaram uma bola a meio-campo, o camisola 19 arrancou em direcção à baliza e só com José Sá pela frente aumentou a vantagem.

O descanso chegou com o Benfica a vencer por 2-0 e perspectiva-se mais golos na etapa complementar. Isso não aconteceu, mas os comandados por Jorge Jesus somaram várias oportunidades para ampliar o “score”. Aos 54’, num contra-ataque conduzido por Markovic e Rodrigo não deu golo do hispano-brasileiro por pouco. O remate bateu nas malhas laterais.

Após este lance notou-se a subidas das linhas do Marítimo que se acercou com maior propósito da área benfiquista, sem ter, todavia, criado lances de verdadeiro perigo. Pelo contrário, o Benfica voltou a estar perto do golo aos 67 minutos. Lima recebeu o esférico de Siqueira num lançamento lateral, flectiu para o meio e atirou forte para estirada de José Sá.

 

Havia cada vez mais Benfica e aos 77’, Maxi Pereira cruzou com conta, peso e medida para Enzo Perez que cabeceou à barra. Dois minutos

volvidos, o argentino, num ataque rápido, fez uma excelente abertura para Lima que, na área” permitiu a defesa a José Sá.

Os insulares, fiéis às ideias do contra-ataque voltaram a estar perto do golo por Heldon aos 82’, Mas Oblak opôs-se com uma defesa para o poste.

Com este triunfo, o Benfica alcança a sua oitava vitória consecutiva e passa a somar 39 pontos, cifrando-se como líder isolado da tabela classificativa.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Siqueira; Fejsa, Enzo Perez (André Gomes, 90’), Gaitán, Markovic (Ivan Cavaleiro, 88’); Lima e Rodrigo (Ruben Amorim, 73’).

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153722537310716&set=a.10153722536475716.1073741980.212504785715&type=3&theater


Veja aqui a ficha do jogo

publicado por Benfica 73 às 10:53

Janeiro 13 2014

 

Num domingo especial, o Sport Lisboa e Benfica disputou a 15.ª ronda da Liga portuguesa. Diante do FC Porto, triunfo por 2-0, com tentos de Rodrigo eGaray e liderança isolada na tabela classificativa.

Foi um domingo especial, porque foi diferente de todos os outros. Foi o primeiro sem Eusébio no relvado ou na Catedral a puxar e vibrar pelo seu Benfica, foi especial, porque teve o minuto de silêncio mais emocionante já visto num estádio de Futebol, foi especial, porque voltou a assistir-se a um clássico à luz do dia, algo que não se via desde 1998. Na altura, triunfo das “águias” por 3-0.

 

Típico de um clássico do Campeonato Nacional, as equipas entraram em fase de estudo mútuo, verificando-se, todavia, maior iniciativa por parte dos da casa. Com Matic na recuperação e a sair a jogar pelas alas, o Benfica foi lavando a água ao seu moinho e aos 12 minutos teve o seu prémio. Markovic arrancou num “slalom” impressionante, deixou de bandeja para Rodrigo que rematou de primeira para o primeiro do jogo.

A vencer e com o público a apoiar como num dia sem igual, os comandados por Jorge Jesus foram em busca do segundo e Lima foi o homem dos remates, porém sem a pontaria desejada.

O 1-0 ao intervalo perspectivava uma partida com emoção e foi isso mesmo que aconteceu. Logo aos 48 minutos, o FC Porto teve direito a um livre perigoso que Carlos Eduardo apontou para defesa de Oblak. O Benfica respondeu por Markovic e que obrigou Helton a defesa apertada. Na sequência do pontapé de canto há uma grande penalidade por marcar que Artur Soares Dias fez “vista grossa” a uma mão de Mangala na área.

 

Na sequência deste lance, o Benfica beneficia de um canto e Garay, nas alturas, fez o 2-0 (53’).

Aliás, a grande penalidade não assinalada teve seguimento minutos depois, com o árbitro a mostrar cartão amarelo a Jackson Martínez quando este deveria ter sido expulso após agressão a Maxi Pereira, à passagem dos 56 minutos.

O rival parecia sem norte e os da casa poderiam ter marcado mais. Rodrigo, isolado perante Helton atirou muito perto da barra e minutos depois num livre apontado por Enzo Perez, Matic saltou mais alto, mas o esférico saiu por cima.

Algum “frisson” na baliza portista punha em sentido a defensiva contrária, que teimava em não conseguir importunar Oblak. Quando chegou, Danilo simulou falta na área, levou cartão amarelo e foi expulso.

Os 62.508 espectadores que foram à Luz viram uma bela exibição do Benfica e uma vitória para dedicar ao “Rei” Eusébio. O Benfica termina a primeira volta na frente da classificação com 36 pontos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Oblak; Maxi Pereira, Siqueira, Luisão e Garay (Jardel, 83’); Matic, Enzo Perez, Markovic e Gaitán; Rodrigo (Ruben Amorim, 85’) e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169749

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153699508110716&set=a.10153699501975716.1073741978.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 09:18

Dezembro 21 2013

O Benfica deslocou-se esta noite ao Bonfim, onde venceu, por 0-2, o Vitória de Setúbal. Depois de uma primeira metade pouco espectacular e marcada por erros de arbitragem, na segunda parte os “encarnados” trouxeram a lição bem estudada e Rodrigo e Lima assinaram os golos de mais uma vitória plena de importância para as aspirações da equipa.

 

Apito inicial de Paulo Baptista, de Portalegre, e todos os olhos postos na grande novidade da noite: Oblak na baliza do Benfica e o regresso de Jorge Jesus ao banco. De resto, o esquema habitual.

E a primeira iniciativa não se fez esperar, com Lima a dar o mote. Apesar dos instantes iniciais serem mais “encarnados”, depressa os sadinos se recompuseram, equilibraram a contenda, proporcionando um desafio bastante interessante de seguir, isto no primeiro quarto de hora.

Com o decorrer dos minutos, o Vitória de Setúbal recuou, fechou-se, obrigando o Benfica a trabalhar, redobrar esforços, em busca de espaços para jogar. Os “encarnados” tomaram conta do desafio, posse de bola em progressão, com os sadinos a montarem um autêntico autocarro à frente de Kieszek, procurado sair em contra golpe.

 

Aos 34’, momento triste de e para o Futebol! Falta feia de Pedro Tiba sobre Gaitán que, já no chão, acaba ainda por

ser agredido por uma pisadela nas costas de Nélson Pedroso. Ficou por mostrar um cartão vermelho directo! 

Dez minutos volvidos, grande penalidade por assinalar: Luisão é claramente agarrado e impedido de atacar a bola por Javier Cohene na pequena área… Paulo Baptista nada assinalou!

Ao intervalo, registava-se o nulo, numa primeira metade marcada pela falta de remates/oportunidades de golo, por um jogo mastigado a meio do terreno e pela má actuação de Paulo Baptista, ao não expulsar Nélson Pedroso e não ter assinalado uma clara grande penalidade favorável aos “encarnados”.

Rodrigo desbloqueou, Lima confirmou

Reatar da partida e mais Benfica. Gaitán abre as hostilidades com um remate de meia distância como que a tirar as medidas. Aos 54’, finalmente, o golo! Mais uma vez Gaitán, desta feita a cruzar para o coração da área, onde surge Rodrigo que, com um toque subtil de cabeça, coloca o esférico no fundo das redes de Kieszek.

Em desvantagem, o Vitória de Setúbal descontrolou-se e quem pagou a fava foram os jogadores do Benfica a sofrerem faltas sobre faltas… sobre o olhar passivo e complacente do juiz de Portalegre.

O golo espevitou as bancadas mas, acima de tudo, espevitou a partida que, finalmente, abriu e trouxe com ela alguns lances de emotividade e espectáculo.

Aos 67’ nova grande penalidade (Dani corta a bola com o braço), só que desta vez – e bem! – Paulo Baptista viu e assinalou. Na conversão, Lima, faz o 0-2.

Até ao apito final, muita raça e crer em campo, com o resultado a não sofrer alterações. Vitória justa, naquela que foi a última partida da Liga em 2013!

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Sílvio; Enzo Perez, Matic, Fejsa (Sulejmani, 45’) e Gaitán (Markovic, 87’); Rodrigo (Ruben Amorim, 76’) e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169737

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153619633785716&set=a.10153619633620716.1073741966.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 07:38

Dezembro 16 2013

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se, este domingo, ao estádio do Algarve para disputar, ante o Olhanense, a 13.ª jornada da Liga portuguesa, onde triunfou por 2-3, através dos tentos de Lima, Matic e Sulejmani.

Com o mote da estreia da “brazuca” nos seus jogos, o Benfica entrou a mandar nas incidências da partida e ocupou, desde os primeiros minutos, o meio-campo contrário, tentando por ambos os corredores abrir espaços na defensiva algarvia.

 

Sem que nada fizesse prever, contudo, o Olhanense adiantou-se no marcador aos sete minutos. Os comandados por Paulo Alves aproveitaram uma descoordenação entre Sílvio e Garay para lançarem um ataque rápido. Mahmeti rematou, Artur ainda conseguiu evitar, mas à segunda, Femi fuzilou e fez o 1-0.

Com a noção que teria de correr atrás do prejuízo, os da Luz voltaram a assumir as despesas da partida, mas tinham dificuldade em entrar na área do adversário. A excepção verificou-se à passagem do minuto 19 quando Gaitán descobriu uma nesga, cruzou e Lima mais alto que o adversário refez o empate. Dois minutos depois, Gaitán entrou na área, fez um túnel a Celestino e caiu. O toque existiu, mas fica a dúvida foi suficiente para o fazer cair.

Com o empate no marcador, os “encarnados” procuraram o tento da reviravolta. Gaitán, sempre ele, lançou Lima na área que em voo atirou ao lado (25’).

 

O jogo estava a ser ingrato para o Benfica. Ao minuto 30, Paulo Regula desfez o empate com um remate do “meio

da rua” e bateu Artur. Fica a ideia que poderia ter feito mais no lance. De novo na condição de perdedor, os pupilos às ordens de Jorge Jesus tiveram de “arregaçar as mangas” e lograr o empate antes do intervalo.

Com esse objectivo em mente, o Benfica voltou a subir as linhas, apoderou-se do meio-campo do Olhanense e, naturalmente, chegou ao empate aos 36 minutos através de um grande golo de Matic – ele que até está entre os finalistas para o Prémio Puskás para o melhor golo do ano de 2013. Ivan Cavaleiro deixou o esférico para o sérvio que tirou um adversário do caminho e atirou com força e colocado para o 2-2.

No minuto seguinte, um erro grosseiro de um dos assistentes de Vasco Santos ao assinalar mal um fora-de-jogo a Rodrigo quando este estava sozinho na área. Poderia ter dado em golo!

 

S de… Solução!

O intervalo chegou com o empate a duas bolas, mas no reatamento, Sulejmani (entrado ao intervalo) colocou pela primeira vez o Benfica na frente do “placard”. Rodrigo faz o passe e o sérvio com um “slalom” fantástico deixou dois adversários para trás e atirou de trivela para o 2-3 (47’). Estava confirmada a reviravolta e a turma algarvia via-se, finalmente, numa condição inédita nesta partida.

Aliás, Sulejmani veio mexer com a partida, empregou muita velocidade ao corredor esquerdo e consequentemente ao ataque benfiquista. Foram deles a maior parte dos lances de perigo que o Benfica criou junto à área contrária, nomeadamente aquele criado aos 75’ pelos defesas centrais, Luisão e Garay, com o argentino a rematar na pequena área mas a bola ficou prensada na defensiva.

A finalizar, dizer que o encontro teve dez minutos de compensação, fruto da lesão de Artur Moraes que obrigou a parar a partida até sair para dar o lugar a Oblak que estreou no Campeonato com a camisola do Benfica.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Artur (Oblak, 69’); Maxi Pereira, Garay, Luisão, Sílvio; Fejsa, Matic, Ivan Cavaleiro (Sulejmani, 45’), Gaitán; Rodrigo (Ola John, 59’) e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169735

Fotos:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153602838480716&set=a.10153602837660716.1073741965.212504785715&type=3&theater

 


publicado por Benfica 73 às 08:25

Dezembro 07 2013

A turma orientada pelo técnico Jorge Jesus empatou, esta sexta-feira, em casa, a duas bolas, com o Arouca, na 12.ª jornada do Campeonato Nacional.

Domínio avassalador do Benfica durante todo o primeiro tempo. A equipa de Jorge Jesus instalou-se no meio campo do Arouca desde o apito inicial e, fruto desse ascendente, foram várias as oportunidades criadas junto da baliza contrária.

 

Aos 3 minutos surge a primeira grande oportunidade do jogo para o Benfica, com um cruzamento tenso e um cabeceamento de Lima que levava selo de golo, mas acabou por sair ao lado do poste.

Contra a corrente do jogo, aos 17 minutos, o Arouca concretizou o primeiro remate que dirigiu à baliza do Benfica. Com alguma sorte à mistura, David Simão colocou a equipa forasteira na frente do marcador na sequência de um livre directo

No entanto, o golo não abalou o Benfica. A equipa voltou a instalar-se no meio-campo contrário e, aos 24 minutos, Lima cabeceou para uma grande defesa de Cássio. O guarda-redes brasileiro negou, logo a seguir, o golo do empate a Rodrigo. Foi um aviso para o que viria a acontecer aos 39’.

 

De novo o hispano-brasileiro, Rodrigo, e desta vez Cássio nada conseguiu fazer para evitar o golo do Benfica. O

avançado de 22 anos fez o terceiro golo em três jogos consecutivos. Forte a movimentação ofensiva dos “encarnados”, um golo que colocou justiça no marcador.

Foi com o empate a um golo que as duas equipas seguiram para o intervalo.

No reatar, mais do mesmo, com o Benfica a jogar sempre em ataque organizado, com o Arouca a usar e abusar do contra-golpe e do anti-jogo… Uma estratégia que acabou por dar resultados, com os forasteiros a conseguirem colocar-se em vantagem ao minuto 73’, por intermédio de Serginho.

Em desvantagem, com cerca de 15 minutos para lutar pela vitória, o Benfica resolveu carregar com tudo. Com o Arouca “encostado às cordas”, os lances sucediam-se na área de Cássio e grande penalidade cometida sobre Sulejmani. Na cobrança, aos 83’, Lima, com frieza, rematou para o 2-2.

Minutos finais electrizantes na Luz, com os “encarnados” a darem o tudo por tudo. Ivan Cavaleiro, Rodrigo e Luisão ainda tiveram oportunidades para marcar, mas a bola teimou em não entrar.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com: Artur Moraes, Maxi Pereira, Garay, Luisão, Bruno Cortez (Sulejmani, 45’), Enzo Perez, Fejsa (Ivan Cavaleiro, 85’), Markovic (Funes Mori, 62’), Gaitán, Rodrigo e Lima.

Fonte: SLB

publicado por Benfica 73 às 07:48

Dezembro 02 2013

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica garantiu, este domingo, no estádio dos Arcos, em Vila do Conde, a liderança da classificação da Liga portuguesa após vencer o Rio Ave por 1-3, com dois golos de Lima e um de Rodrigo.

Numa partida que começou muito morna, com poucos lances de perigo, muito disputada a meio-campo, o Benfica acabou por ter sempre mais bola, mas a postura mais defensiva da equipa da casa não permitiu que os da Luz rompessem rumo ao perigo na baliza de Ederson.

 

Muito combativo, o Benfica da “nota artística” deu lugar ao Benfica de “fato-macaco” que pôs as mãos à obra começando a construir a vitória aos 38 minutos. Rodrigo inventou uma jogada de ataque, deixou em Lima, este cruzou e Rodrigo aproveitou um erro do guardião vila-condense para fazer o 0-1.

Na ida para o balneário, a vantagem benfiquista era mais do que merecida perante uma equipa que recusou, desde o primeiro minuto, o ataque.

Na segunda parte não se via uma postura diferente da turma da casa apesar de estar a perder. Porém, caído do céu, Ukra aproveitou da melhor forma uma bola que sobrou na área “encarnada” e empatou a partida (57’). Este golo poderia atemorizar um Benfica em busca da liderança, mas os alicerces estavam bem seguros. Lima, de livre directo, aos 62’, desfez a igualdade com um pontapé superlativo e que não deu “chances” a Ederson de esboçar, sequer, a intervenção.

 

A vencer, o Benfica libertou-se e foi-se acercando cada vez com mais perigo da baliza contrária. A exemplo disso

está o remate de Gaitán, que levava selo de golo não fosse ter encontrado um obstáculo chamado Enzo Perez pelo caminho (73’). Três minutos depois, com espaço para progredir, as “águias” comandadas por Enzo Perez chegam à “porta” da área do Rio Ave, endossou o esférico a Lima que tentou colocar no poste mais distante, mas saiu um tudo-nada ao lado.

O avançado brasileiro ameaçou primeiro e finalizou depois. À passagem do minuto 78, Rodrigo conduziu a bola pelo flanco esquerdo, cruzou para Lima, de primeira, fazer o “bis”.

Daí até final, o Benfica limitou-se a gerir a vantagem e a vitória que o catapulta para a liderança da tabela classificativa com 26 pontos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Artur; Maxi Pereira, Garay, Luisão, André Almeida; Enzo Perez (André Gomes, 90’+2), Matic, Fejsa, Gaitán (Markovic, 74’); Rodrigo (Sulejmani, 81’) e Lima.

Fonte: SLB

Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169720

Fotos:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153547809065716&set=a.10153547808165716.1073741959.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 08:56

Novembro 24 2013

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica enfrentou, este sábado, no Estádio da Luz, o SC Braga, em jogo a contar para a 10.ª ronda do Campeonato Nacional, onde triunfou por 1-0, com golo obtido por Matic.

Numa partida que começou como o tempo, fria, notou-se um estudo mútuo entre os dois emblemas dificultando algum rasgo que pudesse existir nos artistas de cada um dos lados. O pontapé no marasmo que assolou os primeiros minutos no relvado da Luz foi dado por Éder. O avançado rematou forte à barra de Artur Moraes, sendo que o guardião ainda lhe tocou.


Este pequeno susto mexeu com as hostes benfiquistas que decidiram, de momento, pegar nas incidências da partida, com especial destaque aos 21 minutos, onde Lima tentou, numa iniciativa individual, romper a muralha minhota, mas Eduardo chegou primeiro. Este lance foi confirmado nos minutos subsequentes com maior posse de bola dos "encarnados" que foram tentando à esquerda, à direita ou ao meio abrir brechas numa defesa muito fechada e que pouco ou nada deixava jogar entre linhas.

À passagem do minuto 37, Gaitán marcou um livre, o esférico sobrou para Matic que rematou, a bola passou pelo emaranhado de pernas e saiu um tudo-nada ao lado da baliza defendida por Eduardo. Estava dado o mote e Siqueira, quatro minutos volvidos, tentou a sua sorte, mas a bola voltou a passar ao lado do poste.

Ao intervalo, o nulo acabava por se justificar, pois apesar de ter havido mais Benfica, a verdade é que teve bastantes dificuldades para ultrapassar uma defesa que se apresentou cerrada na Luz. Tirado a papel químico do primeiro tempo, também na etapa complementar foi o SC Braga a criar mais perigo. Rafa rematou à barra da baliza de Artur aos 48'. O conjunto da casa respondeu, cinco minutos depois, com um remate por cima de Markovic depois de boa jogada colectiva.

 

O minuto 65 acabou por ser importante naquilo que mexeu com o jogo. Ivan Cavaleiro entrou em campo, impôs a

sua velocidade, os "arsenalistas" sentiram maiores dificuldades e aos 69', o jovem luso combinou bem com Siqueira e rematou para estirada de Eduardo. A Catedral animava-se e percebia-se porquê: cheirava a golo, cheirava a festa, numa alusão clubística à célebre música de Amália Rodrigues "Cheira a Lisboa". A certeza chegou pelo pé esquerdo de Matic aos 72 minutos. O sérvio recuperou a bola ainda no meio-campo bracarense, cavalgou para a área e à entrada desta disparou cruzado e bateu Eduardo. Defraudavam-se os cachecóis na Luz.

A perder, o SC Braga subiu no terreno e o perigo saiu dos pés do inevitável Éder que, aos 84', disparou com Artur a sacudir para canto.

Até final, o Benfica aguentou a vantagem de um tento, permitindo passar a somar 23 pontos na tabela classificativa, dias antes de se deslocar a Bruxelas para mais um jogo referente ao Grupo C da Liga dos Campeões.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; Sílvio, Luisão, Garay, Siqueira (André Almeida, 78'); Matic, Enzo Perez, Djuricic (Rodrigo, 59'), Gaitán, Markovic (Ivan Cavaleiro, 65') e Lima. 

Fonte: SLB
Ficha de Jogo: http://www.abola.pt/jogodirecto/ficha.aspx?id=169707

Fotos: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153515666270716&set=a.10153515665820716.1073741953.212504785715&type=1&theater

publicado por Benfica 73 às 09:03

BENFICA 73
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


comentários recentes
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...
Tanto quanto narra a história a Cinderela saiu ven...
Fosse eu a tratar deste assunto e se este está a d...

contador visitante