Janeiro 04 2012

Ano Novo…a Alma de sempre!

Há coisas que teimam em não mudar! Foi preciso lutar contra um ambiente hostil, agressividade excessiva do adversário, comentários televisivos obtusos e ainda um Bruno Paixão que teima em inventar… mas contra tudo e contra todos, este Benfica tem alma e mostrou-o – mais uma vez! - na deslocação a Guimarães. Witsel, Cardozo e Rodrigo marcaram os golos da vitória benfiquista, por 1-4.

 

No primeiro desafio oficial de 2012, a contar para a 1.ª jornada da Taça da Liga, o Benfica viajou até Guimarães e, frente aos locais, venceu, por 1-4, conquistando os primeiros três pontos de um troféu que mora na Luz de há três temporadas para cá e que o Clube quer revalidar.

 

Foi com algumas caras novas que o primeiro onze benfiquista do novo ano subiu ao relvado do Estádio D. Afonso Henriques… mas a raça, bravura, inteligência e pragmatismo manteve-se. O Sport Lisboa e Benfica não desvaloriza provas, títulos ou troféus e se dúvidas existissem de que esta 5.ª edição da Taça da Liga é para vencer, as mesmas foram desfeitas logos nos minutos iniciais.

 

E não foi preciso muito para se gritar golo na Cidade Berço, para alegria dos adeptos “encarnados” que – para não variar! – se encontravam em maioria nas bancadas. Com um futebol pressionante em todas as linhas, “sufocando” o portador de bola, o Benfica deu poucos espaços de manobra aos vimaranenses e aos 10’ esta toada personalizada deu frutos. Recuperação de bola, Nolito - na esquerda – rasga o relvado de lés a lés, com o esférico a encontrar Witsel. O belga, solto de qualquer marcação, recebe com classe e, na cara de Douglas, remata rasteiro para o primeiro golo benfiquista da noite.

 

Têm fome de bola

 

Contrariamente ao que era esperado, o tento inaugural pareceu trazer uma injecção de força (muitas vezes a roçar a agressividade excessiva!) aos anfitriões, com o Benfica – inesperadamente - a acusar negativamente a vantagem. Com a reacção dos homens de Rui Vitória, a equipa “encarnada” pareceu intranquilizar-se e a bola começou então a rondar com mais perigo a baliza à guarda de Eduardo… sem consequências. É que o Benfica não tardou em responder! Depois do impacto inicial as “águias” reorganizaram-se e as oportunidades começaram a surgir nas duas áreas, transformando este num desafio bastante emocionante.

 

Bola lá, bola cá, futebol rápido, empolgante, jogadores com fome de bola a quererem mostrar serviço. Quando assim é não há táctica que resista, isto porque o coração facilmente se sobrepõe à razão. Ao intervalo faltavam mais golos e o Benfica vencia, justificadamente, por 0-1.

 

Ele é – mesmo - muito perigoso!

 

E por falar em golos… o reatar trouxe o do empate. Dois minutos depois de Bruno Paixão ter apitado, livre indirecto para os locais, com João Paulo, de primeira no coração da área, a restabelecer a igualdade.

 

Com tudo em aberto o jogo ganhou ainda maior incerteza e rapidez com os jogadores a deixarem a pele em campo em busca da vitória. Assistia-se a uma partida de futebol interessante, e eis que um Bruno Paixão desastroso resolve entrar em cena. Primeiro, perdoa a expulsão a João Paulo, que deveria ter recebido ordem de expulsão, depois de carregar Maxi Pereira; segundo, não assinala grande penalidade favorável ao Benfica, castigando uma falta claríssima sobre Nolito. Ano Novo… a falta de verdade desportiva de sempre! Depois desses e de outros erros, Bruno Paixão acertou finalmente numa decisão e expulsou correctamente Pedro Mendes. Estavam decorridos 60 minutos. 

 

Mas este Benfica tem uma alma e um coração enormes e está tão habituado a lutar contra tudo e contra todos… que a resposta não tardou! E se ela soube bem… soube a justiça!

 

Aos 65’, num lance técnico espectacular, Cardozo mostrou – mais uma vez! – porque é perigoso. Recepção de bola perfeita, rotação e, de primeira, um remate poderoso e indefensável ao ângulo. O Benfica estava novamente em vantagem… e já a merecia! Aos 77’, o golo da tranquilidade! Quem mais? Cardozo, pois claro! Canto na direita, e lá bem nos ares, como gosta, surge Tacuara, de cabeça, a bisar na partida. Estava feito o 1-3. A fechar, e depois de meia hora praticamente avassaladora, Rodrigo fez questão de escrever o seu nome na lista de marcadores da partida, corria o minuto 88.

 

Com esta vitória, o Benfica coloca-se na liderança do Grupo B da Taça da Liga mas, mais do que os três pontos, ficaram sinais auspiciosos para 2012 de uma equipa cada vez mais personalizada e com “ganas” de vencer!

 

O Sport Lisboa e Benfica alinhou da seguinte forma: Eduardo; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Emerson, Javi García, Witsel, Nolito, Aimar (Rodrigo, 71’), Saviola (Bruno César, 45’) e Nélson Oliveira (Cardozo, 45’).

Fonte: A Bola / SLB

publicado por Benfica 73 às 08:23

BENFICA 73
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





comentários recentes
Viva o BenficaSaudações de UMA TETRA
O apoio financeiro a indivíduosOlá,Você está preso...
Get a Loan Today At 3% Interest Rate, contact us a...
Boa tarde,Gostaríamos de dar a conhecer o novo sit...
Boa tarde,Será possivel obter o contato do adminis...
A nível de centrais, apesar dos 2 jovens da equipa...
Caro Benfica73, Rebocho é lateral esquerdo de raiz...
Eu aceitava nos seguintes termos, um milhão à cabe...
Esta gentinha que se governa do futebol, fala de m...
E qual é o valor da cláusula? Parece que o PC está...
Incrível como o site notíciasaominuto não sabe que...
Não terão começado já a tentar desestabilizar o Be...
Apesar de tudo e contra tudo e contra todos (ontem...
O Benfica tem uma estrutura psicológica muito fort...
ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃOVISTO NA NETE DEVE SER LIDO ...
OS PRÓPRIOS SPORTINGUISTAS LÚCIDOSE NÃO CARNEIROS ...
ACHO QUE MERECE JÁ UM POST, EM TODOS OS BLOGUES BE...
Com tal tirada sobre a falta de 'carácter', o padr...
Tanto quanto narra a história a Cinderela saiu ven...
Fosse eu a tratar deste assunto e se este está a d...

contador visitante